Deputado amigo do doleiro pede licença da Câmara por 60 dias

Iolando Lourenço
Agência Brasil 
 

O deputado federal André Vargas (PT-PR), primeiro-vice-presidente da Câmara, pediu hoje (7) licença da Casa pelo prazo de 60 dias para tratamento de assuntos de interesse particular. Nesse período, ele ficará afastado tanto do cargo de deputado quanto do de vice-presidente da Câmara. O parlamentar é acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, que apura esquema de lavagem de dinheiro.

No ofício encaminhado à Mesa Diretora, o parlamentar diz que, mesmo afastado, está à disposição da Casa para quaisquer esclarecimentos.

A Secretaria-Geral da Mesa da Câmara decidiu arquivar o pedido protocolado, na semana passada, pelo PSOL para que fosse aberta uma investigação sobre os fatos envolvendo o vice-presidente da Casa, deputado André Vargas (PT-PR), e o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato da Polícia Federal. De acordo com a assessoria da Mesa, a decisão foi motivada por requisitos regimentais, com falta  de detalhamento no ofício entregue pelo partido, e não indica qualquer indisposição da Casa em averiguar os fatos.

Também na tarde de hoje, o PSOL entrou com uma nova representação na Mesa. O partido vai, ainda, entrar com ação no Ministério Público para que o órgão investigue Vargas. O PSOL pede que sejam investigadas a utilização do avião particular por André Vargas, a relação entre ele e o doleiro e as condutas do deputado no âmbito do Ministério da Saúde.

O PPS, PSDB e o Democratas também sinalizaram que vão protocolar representação no Conselho de Ética da Câmara contra Vargas por quebra de decoro parlamentar.

6 thoughts on “Deputado amigo do doleiro pede licença da Câmara por 60 dias

  1. Vamos esperar a comissão de ética e o plenário se manifestarem. Agora o voto é aberto. O PT está, dia a dia, mostrando seus quadros. Aqui no RS o Governador defende o uso de máscara nas manifestações – certamente porque usa uma há vários anos. Gostaria de ouvir o senador Paim (cada vez mais gordo e chiando como se carioca fosse) e o grande Henrique Fontana, paladino da verdade, da ética e das denúncias. Sumiram – o barraco caiu novamente! A câmara federal está virada em depósito de negócios e de pilantras. E por favor, aqueles que ainda defendem parcela dos deputados, tenham a certeza de estar defendendo uma minoria. A maioria, faz muito tempo, está no lado da safadeza..

  2. Sei não… ele deve estar tendo pesadelos homéricos, imaginando se a Policia Federal for fundo nos malfeitos com o doleiro e o MPF mandar ver…
    Só ele sabe a altura até o fundo poço, e aí sobram os pesadelos, se imaginando na condição de depender da simpatia do presidente do STF… depois daquele arroubo imitando o Dirceu e Genoíno…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *