Deputado diz que Eduardo Bolsonaro enviou dossiê com dados de pelo menos mil “antifascistas” ao governo dos EUA

Dossiê teria os nomes, fotos e informações pessoais de opositores

Leandro Prazeres
O Globo

O deputado estadual Douglas Garcia (PTB-SP) disse à Justiça de São Paulo que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) entregou um dossiê com o nome de pelo menos mil pessoas identificadas como militantes antifascistas ao governo dos Estados Unidos. A declaração foi dada em resposta a um requerimento do juiz de um processo no qual Garcia foi condenado por danos morais a uma mulher que teve seu nome incluído no suposto dossiê.

“O Requerido nunca fez nenhum protocolo na Procuradoria Geral da República. E o protocolo junto à Embaixada dos Estados Unidos foi feito pelo Dep. Federal Eduardo Bolsonaro, motivo pelo qual não possui comprovantes, devendo ser oficiado seu Gabinete para que o encaminhe”, diz um trecho da manifestação entregue por Douglas Garcia à Justiça paulista no dia 5 de agosto.

ANTIFASCISTAS – O dossiê que teria sido entregue por Eduardo Bolsonaro à Embaixada dos Estados Unidos tinha 56 páginas e reunia o nome de supostos militantes antifascistas. Em suas redes sociais, Garcia associou o grupo a atos terroristas. O dossiê teria os nomes, fotos e informações pessoais de aproximadamente mil pessoas.

Ao longo do processo, Garcia negou ser o autor do dossiê e disse que apenas o encaminhou a autoridades. O juiz da 45ª Vara Cível de São Paulo, Guilherme Ferreira da Cruz, pediu, então, que Douglas Garcia apresentasse cópia dos protocolos referentes à entrega do dossiê. Foi nessa fase que o deputado bolsonarista disse que, na realidade, quem fez a entrega à PGR e à Embaixada dos Estados Unidos teria sido o deputado federal Eduardo Bolsonaro.

O argumento de que Garcia não teria sido o autor do documento não convenceu o magistrado, que condenou o parlamentar a pagar R$ 20 mil à autora da ação. Na avaliação do juiz, Garcia “catalisou e sistematizou” o dossiê e que a elaboração desse tipo de material não seria apropriada ao “exercício normal e regular do mandato legislativo”.

PRUDÊNCIA – Para o juiz, um parlamentar deveria “se mostrar à sociedade (em especial àqueles que o elegeram) prudente e equilibrado”. O dossiê responsável pela condenação de Garcia não é o mesmo elaborado pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), revelado por reportagem do portal Uol.

Na tarde desta segunda-feira, dia 10, Garcia publicou um vídeo que ele diz ter sido feito há dois meses no qual anunciava que iria entregar o dossiê à Embaixada dos Estados Unidos. No vídeo, ele afirma que o ofício para remeter o material teria a assinatura do deputado federal Eduardo Bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro respondeu à postagem dizendo que apoiava Douglas Garcia. O Globo não conseguiu localizar o deputado federal Eduardo Bolsonaro para comentar a reportagem.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
–  Diante da revelação feita pelo site Uol, Eduardo recorreu, mais uma vez, às fake news e tentou desviar a atenção compartilhando um texto do seu “guru” Olavo de Carvalho, intitulado “França aprova aborto até aos nove meses de gestação”, recheado de links distorcidos e muita desinformação. Na falta de argumentos, não é surpresa alguma. (Marcelo Copelli)

6 thoughts on “Deputado diz que Eduardo Bolsonaro enviou dossiê com dados de pelo menos mil “antifascistas” ao governo dos EUA

  1. Dudu burger “03” além de pretensioso, corrupto (ganhava salário para dar expediente em Brasília mas morava e fazia faculdade no RJ), também é alcaguete! Deveria voltar para a datilografia (digitação) pois em breve votará a dar expediente como escrivão de polícia quando a famiglia Bozo for varrida da cena política nacional.

  2. KKK é mais do que óbvio que os tais “antifascistas” não vão pedir visto para fazer turismo na terra do Trump. Mas se forem o Departamento de Estado norte americano tem a lista com nomes de pessoas que não gostam do seu presidente. Os consulados americanos no Brasil tem a sua vida facilitada com esta lista em mãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *