Deputados do Centrão retomam ofensiva pedem que Bolsonaro libere jogos de azar

Resultado de imagem para cassino charges"

Ilustração de Laércio Eugênio (Arquivo Google)

Renato Onofre e  Daniel Weterman
Estadão

Deputados do bloco conhecido como Centrão retomaram a ofensiva para liberar a abertura de cassinos no País. O presidente Jair Bolsonaro chegou a ser consultado para saber se o governo apoiaria um projeto com esse teor, mas não deu resposta definitiva. Bolsonaro disse aos interlocutores que, antes, seria preciso consultar a bancada evangélica. O grupo é contra o projeto, mas já admite discutir uma alternativa.

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, defende a autorização do jogo de azar, mas apenas para estrangeiros.

SEM CAÇA-NÍQUEL – Em conversa com deputados, na semana passada, Bolsonaro afirmou que tudo pode ser “conversado”, desde que passe pelo crivo dos evangélicos. Avisou, no entanto, que não concorda com a liberação do caça níquel porque “pais de família” podem usar o dinheiro do salário para jogar. Mesmo sendo contrário aos jogos, o presidente já deu sinais de que há a possibilidade de deixar cada Estado decidir o assunto por conta própria.

A ideia foi discutida durante almoço, na quarta-feira, entre Bolsonaro, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e vários deputados – na lista estavam, por exemplo, o líder do DEM, Elmar Nascimento (BA), o presidente do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva (SP), e Cláudio Cajado (PP-BA). Bolsonaro fez o convite para a reunião, no Palácio do Planalto, com o objetivo de se reaproximar dos deputados, que ali reclamaram, mais uma vez, do atraso no pagamento das emendas parlamentares. Mas o bate papo foi além e chegou aos jogos de azar.

MAIA APOIA – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é favorável à legalização de cassinos, mas restrita a resorts. Um projeto de lei com relatório apresentado em 2016, autorizando a exploração de jogos de azar em todo o território nacional, está pronto para votação em plenário. Duas propostas com conteúdo defendido por Maia foram anexadas ao mesmo texto e ele se mostra inclinado a pautar a medida.

O coordenador da Frente Parlamentar Evangélica na Câmara, Silas Câmara (Republicanos-AM), disse que o grupo – formado por 195 dos 513 deputados – é majoritariamente contra a ideia, mas não descartou o debate de opções. “A bancada ouviria, dependendo de quem vier com a explicação”, afirmou Câmara, citando o exemplo do prefeito do Rio. “Sendo ele (Crivella) um evangélico, não seria difícil ouvi-lo. A gente dialoga. Agora, dialogar e trazer uma proposta que não seja correta é complicado”, completou.

O deputado citou a possibilidade de vício, prostituição e corrupção como justificativas para o veto, mas o Estado apurou que a tendência do Republicanos é liberar a bancada, se esse assunto for votado.

PARA ESTRANGEIROS – Crivella é a favor da liberação de cassinos apenas para estrangeiros e tenta atrair um empreendimento para a capital fluminense. A Secretaria Municipal de Urbanismo do Rio preparou um parecer, ao qual o Estado teve acesso, a favor de liberar a instalação de um cassino em Porto Maravilha – área portuária revitalizada na cidade –, se o Congresso permitir os jogos por lei.

A intenção é autorizar a construção de um cassino associado a um resort integrado, que, além de hotéis, abrigaria centro de convenções, shoppings, cinema e teatro. “Eu sou favorável a que se faça isso. A princípio, apenas para os estrangeiros, até que o Brasil tenha certeza de controles e normas para não haver nenhuma possibilidade de lavagem de dinheiro da criminalidade ou da corrupção”, afirmou Crivella, em nota encaminhada à reportagem.

NA CAMPANHA – No ano passado, antes do segundo turno da eleição, o então candidato Bolsonaro negou que fosse favorável a liberar a abertura de cassinos. “Vou legalizar cassinos no Brasil? Dá para acreditar em uma mentira dessas?”, disse Bolsonaro, em vídeo postado nas redes sociais.

“Nós sabemos que o cassino aqui no Brasil, se tivesse, seria uma grande lavanderia, serviria para lavar dinheiro. E também para destruir famílias. Muita gente iria se entregar ao jogo.”

O tema, que desperta polêmica, foi objeto de idas e vindas na Câmara. Em 2015, a Casa instalou uma comissão especial para avaliar propostas de legalização de cassinos, bingos e jogo do bicho, entre outras modalidades.  Investidores de multinacionais e lobistas entraram em ação, à época, na tentativa de destravar as discussões, mas nada foi para frente. A Associação Brasileira de Bingos, Cassinos e Similares estima que o setor – ao lado de loterias e todas as atividades que envolvem apostas – pode aumentar a arrecadação em R$ 30 bilhões por ano.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGA proibição do jogo é mais um capítulo da novela do cinismo no Brasil. Pode-se jogar livremente em todo tipo de loteria, em jogo do bicho, em corrida de cavalo, na Tele-Sena do Silvio Santos, mas ainda há quem seja contra a liberação dos cassinos, que são liberados no Uruguai, na Argentina e no Paraguai, onde os brasileiros vão deixar o dinheiro. (C.N.)

24 thoughts on “Deputados do Centrão retomam ofensiva pedem que Bolsonaro libere jogos de azar

  1. O problema dos jogos de azar, não é tanto o jogo em si, mas o quem vem junto com ele. Os cassinos em todo o mundo são conhecidos como grandes lavanderias de dinheiro sujo. E isso acontece mesmo em países onde os órgãos de fiscalização são muito mais sérios e a legislação mais rígida. Agora imagina no nosso brasilzão com leis capengas e fiscalização fuleira.

    Não é a toa que o principal apoio aos cassinos venha do Centrão. Pode anotar ai, se o Centrão é favor, boa coisa não é.

  2. Enquanto isso no Pará o coronézinho Barbalho não gustô da prisão dos mininu da ONG de Alter do Chão e, na mão grande mostrando todo seu púdê, trocou o delegado que presidia o inquérito sem nenhuma explicação.
    Colocou um outro coroné de carreira, mais velho, acadêmico, de família rica, para melar tudo.
    E cadê a mídia ativista chamando isso de DI-TA-DU-RA? Nunca. Se é para o bem da causa… usa o cargo e faz o que deve à revelia da lei.
    Controla as pulícia governadô! Vai que espirra pro teu lado né?

  3. Já temos cassinos funcionando à toda velocidade em Brasília, agora só falta liberá-los para o resto do Pais. Não jogo mas não sou contra o jogo, aposta quem quer. Chega de cinismo e hipocrisia, ou então vamos acabar com a imunidade tributária das igrejas, não concordam comigo?

    • Pior do que os cassinos são os jogos das casas lotéricas, que descapitalizam as pequenas cidades em benefício dos grandes centros, que apostam muito mais e são os potenciais ganhadores das fortunas sorteadas.
      É só acompanhar (vide google) a relação dos premiados e suas respectivas cidades. Só dá centrão.

      E se, por um acaso, o prêmio sair para aquele interiorzinho no meio do mato, a primeira coisa que o felizardo faz é largar sua cidadezinha e se instalar num grande centro, levando com ele toda a fortuna da qual é dono.
      Alguém já pensou nisso? Acredito que sim.

  4. Sou a favor da abertura dos Cassinos. Mas por outro lado estou muito consciente de que teremos a maior lavanderia do mundo.
    Quando os Cassinos abrirem suas portas, preparem-se pra novos escândalos!
    Somos uma Usina a todo vapor pra produzir escândalos.
    NON STOP!!
    Apertem os cintos senhoras e senhores!!
    VIVA LA VIDA!!!
    QUE SIGA LA FIESTA!!!
    kkkkk!!!
    Atenciosamente.

    • Pior do que os agiotas que cobram 10% (?) só os bancos brasileiros com os seus atuais 15% ao mês no cheque especial (pelo meu programa no excel, 15%.ao mês é igual a 435% a.a., isto é, se você dever 1000 reais, daqui a um ano sua dívida será de R$ 5350,00.

      Mas as novas regras, que ainda não estão valendo. reduzirão os juros pra 8% ao mês, o que ainda é um exagero.
      Nesse caso, dever mil reais quer dizer que, daqui a um ano, deverá R$ 2518,00 ou 152% a.a.
      Valei-me Todos os Santos.

  5. Alvíssaras ao Redator, que concorda comigo quanto à liberação dos cassinos.

    Um país que tem a massa de mais de 13 milhões de desempregados – é muito maior, sabemos disso – e os governantes não se preocupam com essas pessoas, das duas uma:
    ou expulsamos nossos mandatários ou eles terão de fazer o que exigirmos!

    Fico revoltado e indignado em ver o desperdício de milhares de pessoas que poderiam estar trabalhando, porém sendo deixadas de lado, ignoradas, desprezadas, pois existem “cuidados” cínicos e hipócritas com lavagem de dinheiro e os tais “viciados”.

    Como se neste país, o crime mais praticado não fosse … lavagem de dinheiro!
    Quer dizer, querem brincar com a verdade.

    Acredito que muitos comentaristas devem ter entrado em algum cassino, tenha sido em nações vizinhas ou nos Estados Unidos ou Europa ou, até mesmo, na Ásia, em Macau.

    Um cassino não se restringe ao jogo somente.
    Uma cidade que o acolhe precisa uma poderosa infra-estrutura, que parte do acesso, logo, estradas, ferrovias, aeroportos, até indústrias de manufaturados para dar sustentação ao cassino:
    mesas, camas, cadeiras, móveis, afora a roupa de cama;
    a quantidade de gente para trabalhar nas cozinhas é enorme;
    os crupiês, garçons, manobristas, as mulheres que cuidam dos apartamentos …

    Las Vegas era deserto. A cidade nasceu em volta de um cassino, e hoje arrebata turistas do mundo inteiro.
    Por que não podemos ter cassinos no Brasil?!

    Vivemos em democracia ou, conforme tenho insistido, lá pelas tantas uma falsa democracia.
    Pois o correto não seria a proibição do jogo dessa forma autoritária, arbitrária, violenta, mas através de um plebiscito.

    O povo que decida o que ele quer para ele.

    Políticos de merda, dotados de poucas luzes nas mentes cujo raros espaços imaginam somente como roubar, explorar e manipular o cidadão.

    • Já entrei em cassinos “em nações vizinhas ou nos Estados Unidos ou Europa” menos em Macau.
      A unica coisa que ví, em absolutamente TODOS, foi um bando de Macaucos!
      A grande maioria bem doente.

    • “os crupiês, garçons, manobristas, as mulheres que cuidam dos apartamentos …” e os gatunos extorquidores, os profissionais do sexo, gangsters, mafiosos, terapeutas familiares, familias arrasadas, traficantes de drogas, milícias, propinas, até ocultadores de cadaveres!

      • Não tem jeito concê, hem coisabr?
        um esquerdinha fanático do socialismo, cujo fim é roubar e cercear o progresso com suas dificuldades para vender facilidades, ainda querem tomar conta de nós com essa sua falsa-moral.

        Pare de achar errado a liberdade dos outros fazer o que quiser.

        Vá cuidar da própria vida e deixe os outros em paz.

  6. Pode até ser cinismo, mas então será o caso de legalizar todo tipo de atividade ilícita que o Poder Público é incapaz de impedir de funcionar? Os grandes liberais irão querer o comércio livre de armas? Quanto aos cassinos, acabariam servindo como mais uma lavanderia de dinheiro sujo, como já foi dito aqui nos comentários. E países como a Argentina nem estão às mil maravilhas por causa de cassinos.

  7. Estava em um bar no Boulevard 28 de Setembro em Vila Isabel no final da década de noventa.
    Tinha uma máquina caça níquel e via muita gente jogar até que um dia, um garoto com uma lata com amendoins, veio vindo, adentrou no bar e em menos de dois minutos meteu seis moedas de cinquenta centavos na máquina e saiu reclamando que não tinha sorte.
    Ali percebi a miséria do jogo; quantos canudos de amendoim o garoto precisaria vender para perder estes três Reais?!!!

    • E o brasileiro na fila da MegaSena da virada, que propositadamente acumula umas 12 semanas todo ano?!

      2020, já passa da hora de mudar o nome de jogo de azar para jogo de cartas marcadas.
      Se mudam ninguém joga… Assim caminha a humanidade, algo como esperar que um médico, que precisa de 500 pacientes por ano para se manter, comece a proporcionar a cura aos seus pacientes. Se faz isso vai à falência.

      Um país com anseio de acabar com corrupção nao é como o médico. Se quizer acabar, pode fazê-lo.
      Falta coragem.

      Povo carente de oportunidades, terminam o ano com um unico produto,12 ou 13 papeis de holerite, mais o cannoto do carnê, se tiveram a sorte de manter-se empregados…

      Larguem mão de papo furado e apologia ao crime organizado, construam boas escolas que dá muito mais dinheiro!

    • Uma coisa é certa, se o governo tramar a legalização acontece.
      Meu pai “vestiu” a maquina de furar os cartões da Loteria Esportiva, a Datalef. Eu era criança, ficava impressionado com aqueles figurões, militares da CEF, fumando charuto, que trataram a encomenda.
      A fabrica era modesta, mas meu pai pediu de cara meio milhão só para as chapas de ABS e o dinheiro entrou na hora.

      Como dinheiro faz dinheiro, pra esse fim (jogos de azar) sempre há muito dinheiro sobrando.
      Agora, leve-se em conta quem está por trás disso tudo.
      Não pode haver benefício social se o esquema do jogo é oriundo de dinheiro sujo…

  8. Os argumentos contra a instalação dos cassinos no Brasil são insípidos, para dizer o mínimo.

    Não vejo sequer razão para debater os argumentos tão frágeis e contraditórios com os comentaristas que se posicionam contrários a esta implantação de casas de jogos no país, respeitosamente.

    Muito antes de opinarem contrários aos cassinos, logo, que milhares de pessoas continuem passando por necessidades, desempregadas, desesperadas, que muitas regiões deixem de ter avanços e desenvolvimentos, percebo, incrédulo, que problemas gravíssimos são deixados de lado!

    A prostituição infantil não seria muito mais grave e importante que os cassinos?

    As cracolândias, demonstrando para quem quiser ver a decadência humana pela dependência química, ao mesmo tempo que escancara para o mundo o desprezo do governo por essas milhares de vidas não seriam mais importantes e graves que os cassinos?

    As regalias, mordomias, salários que vão de encontro à realidade brasileira, corrupção, desonestidade, legislação em causa própria, roubos, exploração e manipulação do povo pelo Legislativo não seriam mais importantes e graves do que a implantação dos cassinos?

    A pobreza, a miséria, o analfabetismo absoluto e funcional, o desemprego, a inadimplência do povo, por acaso não seriam muito mais graves e sem solução por parte dos governantes, que a liberação dos cassinos?

    Presídios imundos, masmorras em pleno século XXI, a dignidade humana absolutamente desprezada e ignorada, fontes de violência e vinganças, palco de lutas entre facções que deixam centenas de mortos a cada ano não seriam situações muito mais graves e problemáticas que as instalações de cassinos?

    Se tanto se comenta sobre democracia, isso e aquilo, liberdade de expressão, de ir e vir, pleno estado democrático de direito, porém são outras pessoas que decidem sobre o que quero fazer, o que devo gostar ou não?!

    Quantos bilhões de DÓLARES o crime organizado – legislativo, empresários sonegadores – tem sido acusado por lavagem de dinheiro?!
    Se até Lula tem uma de suas condenações lavar dinheiro, os cassinos é que tomariam essa “função” do parlamento, comércio e indústria nacionais?!

    Não preciso comentar sobre a violência, falta de saúde pública, uma educação deprimente e muito aquém daquela que precisamos, das nossas estradas … não preciso, mas a ponto de a liberação dos cassinos seja muito mais grave e importante que essas falhas gritantes e descaso dos poderes constituídos para essas áreas fundamentais para qualquer nação desse mundo, lamento, mas me preocupa a falta de profundidade nos argumentos apresentados contrários aos cassinos!

    Digo mais:
    Não entendo como defendem seus pontos de vistas em detrimento da crise avassaladora de empregos, da falta de trabalho, e tamanha ausência de empatia pelos necessitados, que poderiam estar conseguindo uma atividade e ganhar salários dignos e honrados!

    Nossos poderes constituídos são absolutamente honestos?!
    Claro que não!
    Executivo, Legislativo, Judiciário, não nos têm dado exemplos diários de ilicitudes, crimes os mais diversos, vendas de sentenças, o judiciário comprometido até a medula com a política, lavagem de dinheiro, corrupção, desonestidade, mas tais crimes e má conduta aceitamos sem qualquer contestação, menos concordar com a instalação de cassinos por motivos e razões risíveis e infundadas?!

    A variedade de jogos oferecidos pelo governo através da Caixa não seria problema para o “viciado”, e não poderia servir de lavagem de dinheiro às apostas ganhas, mediante o pagamento de quantias ilícitas sendo utilizadas para esta finalidade?

    Lembram o caso dos Anões do Orçamento no congresso décadas atrás?!
    O deputado ladrão que foi flagrado como vencedor em mais de mil sorteios, e alegou que era uma pessoa de “muita sorte”?!
    Querem exemplo mais prático de como lavar dinheiro com os jogos da Caixa?!

    Alguma vez já meditaram sobre o bilionário comércio da compra e venda de jogadores de futebol?!
    Quem tem acesso aos valores dessas transações, de modo que se possa afirmar que tais operações não serviriam também como “lavanderias”?!

    Por favor, um pouco mais de autenticidade e originalidade nos argumentos contrários à instalação dos cassinos, quando constatamos a extorsão, a exploração da fé pelas igrejas existentes as mais variadas e exóticas, que contabilizam milhões de reais para seus “donos”, e que deixam os seguidores dessas seitas na mais completa dependência dos “homens de Deus” para suas vidas diárias?!

    Que tal essa fábula de doações arrecadadas sem um centavo de imposto cobrado, fortunas amealhadas sem qualquer controle fiscal, e que são utilizadas criminosamente para o enriquecimento de “pastores, bispos, apóstolos, missionários”, quando poderiam estar sendo utilizadas como lavagem de dinheiro?!

    Enfim se quiserem debater com seriedade, sem falsa moral, sem ilegítimas preocupações com a situação econômica do país, com os dependentes de jogos e suas obsessões, pois casos à parte e não entrariam nos cassinos, afirmo que estou à disposição, menos estabelecer uma discussão estéril, inócua, diante do quadro que mencionei acima de nossos problemas gravíssimos,e que não vejo defensor algum nesse sentido ou com a mesma verve que leio comentários até mesmo ridículos contra os cassinos!

    Evidentemente que respeito a opinião de cada um neste blog, mas não se trata do pensamento do comentarista neste momento, mas a chance de emprego e trabalho para milhares de desesperados, desesperançados, desempregados, deste país injusto e segregador!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *