Desarmamento e massacre da população civil

Resultado de imagem para desarmamento charges

Charge do André, reproduzida do Arquivo Google

Percival Puggina

O mundo do crime declarou guerra ao mundo do trabalho. Nós produzimos e eles tomam nosso ganho – o dinheiro do bolso, o automóvel, a carga do caminhão, o gado no pasto. Guerra na cidade e no campo. Guerra sem dia ou hora de armistício. Não se trava contra o Estado de Direito, que bandido não é doido. Em muitos casos, formam um estado dito paralelo, mas não andam por aí atirando contra quartéis, porque sabem que lá dentro há bala e, de lá, vem bala. Não, eles querem o trabalhador da parada de ônibus, descendo do carro, entrando em casa, saindo do banco. E, não raro, tomam-lhe a vida.

É uma guerra desigual, assimétrica. Enquanto o mundo do crime tem armas, o pessoal do trabalho árduo não dispõe de meios de defesa. Na tese oficial, esse seria encargo prioritário do Estado, mas ele, há muito tempo, jogou no tablado a toalha e a própria vergonha diante de sua impotência.

INOPERÂNCIA DO ESTADO – O mesmo Estado, que tornou impeditiva a posse e o porte de armas pelos cidadãos, apresenta-se à sociedade como um impotente, “mãos amarradas” pelas próprias leis, decisões judiciais, carência de recursos humanos e materiais. Vendo e ouvindo o Estado, dá vontade de parafrasear João Bosco e cantarolar: “Tá lá o Estado estendido no chão… Em vez de reza uma praga de alguém”. Estatisticamente está comprovado: esse Estado não consegue defender o mundo do trabalho.

Em tais condições, quando um lado está armado e o outro indefeso, toda guerra vira massacre. É como ataque de força armada hostil contra população civil desarmada. Deu para perceber a semelhança com as ações do Estado Islâmico? Temos a mesma coisa aqui, de modo fragmentado, mas tão ou mais letal, com 60 mil homicídios anuais e um número várias vezes milionário de “expropriações” ou butins levados a cabo, todo ano, pelas forças vitoriosas do mundo do crime.

BANCADA DA BALA – Se você reclamar, se cobrar o direito ao uso e porte de armas, imediatamente se insurgirão as falanges opiniáticas da esquerda, acusando-o de ser um sanguinário irresponsável, militante pró bancada da bala, uma espécie de Comando Vermelho com sinal trocado. O massacre das vítimas, a impossibilidade prática de promoverem a própria defesa, deveria ser objeto de escândalo como escandalizam as ações do ISIS. Mas aqui é o Brasil e estamos habituados aos necrológios da sociedade nas páginas policiais.

Como escrevi outro dia, ao direito natural da pessoa humana à própria vida corresponde o direito de defendê-la. A proibição do Estado retira-lhe a efetividade, mas por ser ele natural, ele está ali, inerente à condição humana. É direito recusado, mas persiste sendo da pessoa.

APENAS PROTEÇÃO – Se a legislação me permitisse ter e portar armas, eu até poderia, livremente, renunciar a isso. Mas não digo o mesmo do dever de proteger a vida dos meus familiares! Eu, ao menos, não sinto que possa dele abrir mão. É um dever moral, que considero inerente à condição de homem de família, com mulher e filhos sob seu zelo.

Por isso, em nome disso, mais e mais persistente deve ser o clamor nacional por um novo estatuto sobre a matéria. Danem-se as carpideiras de bandidos, os adversários de toda repressão sobre as práticas criminosas e as atitudes suspeitas, os sócios do clube da maconha e otras cositas mas; danem-se os eternos fiscais da polícia, os censores das opiniões alheias, os esquerdinhas militantes de todas as causas erradas. Quem assina este artigo é pacífico mas não é pacifista, não está a soldo de nenhuma indústria de arma, não é homicida em potencial e está indignado, sim, com o que fizeram do Brasil.

62 thoughts on “Desarmamento e massacre da população civil

  1. Caro Purgina, assino em baixo, realmente o “Estado” está falido, são quadrilhas da metralha, super bem armados, contra uma policia com, “estilingue”, e as quadrilhas sediadas em Brasília, com, suas metralhas da caneta, protegidas por leis de auto defesa, que torturam e matam 220 milhões, Não nos deixa mentir: Saúde, Educação, Segurança, Trabalho, Direitos básicos da Cidadania: no Caos
    Que Deus nos ajude, a sair desse Oceano de lama. Quais as piores quadrilhas!??? As hipócritas governamentais!! que estão a torturar a Cidadania, Sim!!

  2. Como o pessoal do partido sem escola não gosta muito de ler adianto : Em 2016 o índice de homicídios por motivos fúteis aumentou muito mais que o de latrocínios.
    Autoritário é assim quando a realidade não encaixa no discurso, dane-se a realidade…

    • PS. Sou a favor da liberação tanto do porte como da IMPORTAÇÃO de armas , pois o monopólio Taurus só está fazendo porcaria.
      Há menos de uma semana um delegado levantou-se para cumprimentar um amigo e aquela porcaria disparou sozinha…

      • A PM/SP tem 6.000 submetralhadoras encostadas em um galpão, porque depois de uns tiros o cano aquece e cai… O que fez o Geraldinho Rouboanel ? Nada. Já as fardas da PM e as viaturas da polícia são compradas a décadas do mesmo fornecedor, tem uma fábrica lá no Butantã…

  3. Que eu lembre, foi a primeira vez que vi um conteúdo
    com o tema.
    Sou a favor completamente, e, para “melhorar” as coisas, para a quem interessa, ainda descriminalizaram o uso de facas, facões, etc.
    Temos que voltar ao assunto e mais, divulgar estatística dos feridos e mortos por arma branca.
    Trabalhei no RG/RS no último ano e fiquei impressionado com o número de vítimas fatais, por causa de um celular, carro, etc. E pessoas de todas as idades, adolescentes indo para a escola ou terceira idade.
    Temos que nos mobilizar. E mais, em 1969, estava servindo o Exército Brasileiro na infantaria, em 1971, entrei para UFRJ, ou seja vi muito e afirmo, preferia aquele tempo.
    Abraço.

  4. Basta mudar a Lei de 2003 que não tem nada a ver com o referendo….. Qual era a violência antes de 64 , notório especialista. ?

  5. O Reginaldo sofre de fixaçao, coitado, ve fantasmas em todos os “cantos e notas”, chega a dar do, re, mi, fa, sol, la, si!

  6. Tem gente que se diverte hoje em dia porque adepto e favorável aos roubos dos parlamentares e governantes, repetindo insistentemente o período da ditadura como o causador dos problemas atuais, no mínimo pessoas mal intencionadas e mal informadas.
    E rejeita a possibilidade de se diminuir os prejuízos ao povo e Brasil, se houvesse de fato uma intervenção militar que fechasse este Congresso venal provisoriamente até a implantação das reformas necessárias, alegando que haveria outro golpe, como se não vivêssemos de golpe em golpe na relativa democracia brasileira.
    Não me recordo de leites adulterados e carnes estragadas vendidas à população à época da ditadura, e esta violência que dizima com mais de sessenta mil almas anualmente pela insegurança que se vive e com o cidadão desarmado.
    Cada um faz a sua escolha e alguns fizeram as suas, de enaltecer o roubo, a desobediência às leis, de abafar a Lava-Jato e apoiar os ladrões, muitos ex-partidários dessas quadrilhas que se chamam de partidos políticos.
    Eu, assim como vários outros comentaristas, queremos e ansiamos por um país diferente deste de hoje, comandado e governado por incompetentes e criminosos, e também pela extrema dificuldade que se teria de sanar a corrupção institucionalizada elegendo os mesmos desonestos e alimentando eleições que as próprias urnas servem como dúvidas à lisura do pleito!

      • Tragicômico é constatarmos que esses mesmos políticos que votaram pelo desarmamento, até dentro das casas do Congresso, pelos corredores, se fazem acompanhar de “seguranças armados”. Como se não bastasse, reparem que, quando estão sentados à mesa do Plenário, atrás de si, há, também seguranças!!! Eles tem medo de si próprios!!! Putz!!!

      • Por mais que certas pessoas se esforcem em comparar o incomparável, os roubos efetuados pelos governos federais de Sarney até Temer são maiores que os praticados na história Republicana do Brasil!

        Torna-se possível enumerar os escândalos no regime militar, porém impossível apresentar um registro fidedigno dos danos e prejuízos ocasionados à população e país de Sarney até os dias de hoje!

        E torna-se até mesmo desonesto comparar os índices de violência atuais com os praticados nas décadas de sessenta, setenta e oitenta.

        No entanto, a discussão está sendo conduzida para afastar o tema principal, os roubos dos parlamentares desde a ascensão do PT ao governo federal e estaduais juntamente com seus cúmplices.

        Esta é a questão a ser discutida, menos o regime militar, que terminou há tempos, e que a democracia já teria tido condições de resolver os nossos problemas, se os “democratas” se interessassem pelo Brasil e seus cidadãos, e não somente dilapidar o erário público e explorar o cidadão.

        Este é o debate que se propõe, menos a fuga de comentaristas intimamente ligado às quadrilhas, que se intitulam de partidos, portanto o retorno forçado para se discutir assuntos que não mais dizem respeito à situação catastrófica atual.

    • Os papagaios que repetem incansavelmente essa teoria de que o período militar foi o responsável por isso tudo de hoje são us “pessuá” da Rede, PSOL, PCC do B, PT e demais doutrinas doentes…

  7. No governo militar quais eram o IDH do Brasil, taxa de analfabetismo, mortalidade infantil, etc ?
    Mas é tem vagabundagem recebendo por fora ….

    • Enquanto a indústria da Insegurança faturar mais de R$ 70,bilhões anuais e as nossas fronteiras continuarem a ser a vergonha que saiu….

    • Título completo: Estranhas Catedrais: as empreiteiras brasileiras e a ditadura civil-militar, 1964-1988. Um histórico sobre os gigantes que nunca dormiram é a inspiração e fio condutor da pesquisa. Ao demonstrar as injunções políticas, estratégias e práticas que permeiam as relações da iniciativa privada e poder público e sua legitimação por intelectuais orgânicos, a publicação constata e fornece elementos de compreensão acerca de Estado, Poder e Classes Sociais no Brasil, conforme sugere o Prefácio, assinado pela historiadora Virgínia Fontes.

  8. Tu e muitos mais ainda nao decifraram(captaram=entenderam) que a mesma “cabeça”(e bota desmiolado nisso), vem dirigindo as variadas etapas desse internacional “balao de ensaios” fazendo de todas as naçoes seu particular “laboratorio” e justiçando, anistiando e premiando todos os que se excedem em suas extemporaneas “açoes”, ja que visam uma futura “Ditadura Universal”, conforme deduz-se dos gradativos resultados, bem como da leitura dos artigos que faço seguir:
    http://www.espada.eti.br/onu.asp
    http://www.espada.eti.br/n1015.asp
    http://www.espada.eti.br/n1007.asp
    http://www.espada.eti.br/n1566.asp
    http://www.espada.eti.br/dinastia.asp
    http://www.espada.eti.br/n2465.asp

  9. A obsessão pelo resgate do regime militar para entrar na pauta de hoje é ridícula, se o problema brasileiro diz respeito aos roubos praticados por parlamentares, governantes e empresários ladrões nas duas últimas décadas principalmente!

    É insofismável e indiscutível que a corrupção foi institucionalizada de Sarney para cá, e se alastrou com tamanho vigor e proficuidade que não há mais como sanar este grave problema que não seja com adoção de medidas radicais, e não através de eleições que, igualmente, ocasionam dúvidas no eleitor pelo processo apurado dos votos e o dinheiro roubado da estatais e de obras públicas para bancar candidatos!

    Sobre esses escândalos que temos de nos ater, não a respeito do passado, e não bater boca e ofender os colegas por besteiras e na defesa de um processo político falido ética e moralmente.

  10. Palavras do Geisel…

    Uma declaração do general Geisel, uma “pessoa séria”, nas palavras de Bolsonaro, que desmistifica a tão famosa “incorruptibilidade” dos militares na época. Ronaldo Costa e Couto (1999, págs. 150 a 151), no fabuloso “História indiscreta da ditadura e da abertura –Brasil: 1964-1985” (Editora Record) discorre como se dava a corrupção entranhada nas Forças Armadas:

    É fundamental levar em conta o apreço e apego de Geisel à ordem e à hierarquia. A verdade é que o sistema militar havia perdido o controle sobre o aparelho de segurança e de informação. Era preciso reprimir a repressão, conter seus excessos, enquadrá-la na hierarquia e disciplina militar. Impor-lhe a cadeia de comando. Para ele, a revolução envelhecera, estava na contramão da história. Mais que isso: desfigurara-se, deteriorara-se. A censura, travando a fiscalização da imprensa, facilitava a corrupção, inclusive de militares e ex-militares. Era essa a avaliação de Geisel, segundo o almirante Faria Lima: “Ele se instalou lá naquele Palácio do antigo Ministério da Agricultura para trabalhar na organização do seu programa de governo. Na verdade, ele já estava se preparando há muito tempo. Ele me disse, naquela ocasião que ia fazer a abertura. E eu disse a ele: ‘O senhor acha que é a hora para fazer a abertura?’ Ele me respondeu: ‘É. Porque a corrupção nas Forças Armadas está tão grande, que a única solução para o Brasil é abertura.’” Por outro lado, a repressão política criara um poder militar paralelo, autônomo, enfraquecendo os comandos, prejudicando a hierarquia e a disciplina, ameaçando a ordem dentro das próprias Forças Armadas. A concentração excessiva de poder no governo, se por um lado significava força, por outro expunha o governante. E a tão temida ameaça comunista mostrava-se cada vez mais improvável, distante, descartada.

  11. Hoje, a corrupção é menor que na ditadura?

    A questão é esta, e não o período mencionado, que distante da realidade que nos envolve atualmente.

    Não interessa mais o passado, mas o tempo de agora, massacrante, insuportável, de se contabilizar somente roubos e impunidades.

    É possível discutir esta época ou não?

    • A história serve para não repetirmos os mesmos erros, quem gosta de apagar a história são os stalinistas, fascistas e outros istas mais.

      ” Abaixo a inteligência , viva a morte ‘ ( Mussolini ) .

    • Com a constituinte o país foi passado a limpo! Hoje, está aí pra todos verem, o país é um exemplo de moralidade ,perfeição , segurança, saúde e educação! ! Viva os partidos de esquerda! Viva a democracia! !!! Antes se roubava e ninguém sabia nada pois era censurado! !! Hoje se rouba tudo, mas a imprensa pode publicar e todos ficam sabendo das tramoias! !! Viu como resolveu o problema? ??? Kkkkkkkkkkkk

  12. Depois falam em leis…

    Constituição:
    Artigo 5.º
    IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
    —–
    Lei de Segurança Nacional…
    Art. 17 – Tentar mudar, com emprego de violência ou grave ameaça, a ordem, o regime vigente ou o Estado de Direito.

    Pena: reclusão, de 3 a 15 anos.

    Parágrafo único.- Se do fato resulta lesão corporal grave, a pena aumenta-se até a metade; se resulta morte, aumenta-se até o dobro.

    Art. 18 – Tentar impedir, com emprego de violência ou grave ameaça, o livre exercício de qualquer dos Poderes da União ou dos Estados.

    Pena: reclusão, de 2 a 6 anos.

    • Deverias mostrar essas leis da Constituição não para os comentaristas da Tribuna, mas para os teus amigos parlamentares!

      Se é livre a manifestação de pensamento, pedir por uma intervenção para diminuir a corrupção e roubos contra o país e povo, os demais caem por terra pela contradição, caso contrário não é livre a manifestação popular contrária à cleptocracia instalada, simples.

      E com a gravidade de a cleptocracia ser impune!

  13. E qual seria a sua solução para essas crises que afligem a nação brasileira?

    Como você resolveria os roubos e a impunidade?

    Como você impediria que a Lava-Jato tenha a sua água cortada?

    Apresente as suas propostas, seja mais autêntico e original, e deixe de lado a ditadura que faz três décadas que deixou de existir.

    Vamos lá, estou esperando pela solução mágica que você deve ter consigo.

  14. Senhores,

    Quando alguém fala sobre ARMAS, DESARMAMENTO e VIOLÊNCIA, sempre aparece alguém para nos comparar com os Estados Unidos ou com a Suíça, países armados “até os dentes” e muito mais pacíficos que o Brasil. Dentre as cinquenta cidades mais violentas do mundo, 21 delas fica no Brasil (o país que tem mais homicídios no mundo, em números absolutos) e nenhuma nesses dois países.
    E sempre aparece alguém para nos lembrar que aqueles países não podem ser comparados com o Brasil por “são países ricos”, de um cultura e nível “superiores”.
    Vejam as taxas desses países:
    -Suíça: 0,7 homicídios por 100 mil habitantes (2013).
    -Estados Unidos: 4,2 homicídios por 100 mil habitantes (2013).
    -Brasil: 32,4 homicídios por 100 mil habitantes (2016).

    SERVE COMPARAR O BRASIL COM O PARAGUAI?
    Então já que comparar o Brasil com os países armados que são ricos não seria justo, vamos nos comparar com o Paraguai, país tão pobre quanto o Brasil.
    Veja este artigo do Braspar – Centro Empresarial Brasil-Paraguay:

    “Paraguay: taxa de homicídios despenca para 8,5/100.000, a 3ª mais baixa da América Latina – janeiro 6th 2015.
    Com um total de 546 homicídios dolosos em 2015, de acordo com a Polícia Nacional, o Paraguay conseguiu reduzir em quase 30% a quantidade de homicídios desde 2012. Desta forma, somente Chile, com 3.4/100.000 e Uruguay, com 8.1/100.000 homicídios, são mais seguros do que o Paraguay na América Latina.
    Como comparação, a taxa de homicídios no Brasil é de 27/100.000 habitantes (2014). E no Paraguay, dois terços dos homicídios concentram-se na região de fronteira com o Brasil e isso, por causa do acerto de contas entre bandidos ligados ao contrabando e tráfico de drogas no Brasil.”
    Fonte: http://www.braspar.org/?p=1777

    E vejam parte dos ARGUMENTOS da página da ONG Ili-SP:

    “22/-2/2016 – Quando falamos em Paraguai, os brasileiros fazem quase sempre a imediata associação com a Ciudad Del Este, tráfico de drogas e armas, contrabando e falsificações. Essa é a imagem que foi criada e repassada para nós durante décadas. Outra associação quase imediata é o oba-oba no que diz respeito às armas. Um pais sem lei onde qualquer um compra armas e, não raramente, essas armas vão abastecer o mercado ilegal brasileiro… Será mesmo?

    COMECEMOS FALANDO SOBRE A AQUISIÇÃO DE ARMAS.
    A legislação paraguaia é realmente uma das menos restritivas da América do Sul, muito semelhante à brasileira antes do malfadado Estatuto do Desarmamento. Qualquer cidadão paraguaio para comprar uma arma, bastando apresentar cópia de identidade, certidão de antecedentes criminais (uma única, emitida pela Policia Nacional) e realizar um teste técnico de conhecimento básico. O trâmite demora em torno de 10 a 15 dias e não há qualquer discricionariedade envolvida. Não há limite de quantidade de armas. Não há restrição de calibres e, apresentando o registro da arma, o cidadão pode comprar quanta munição seu dinheiro permitir. A idade mínima é de 21 anos. O porte requer um laudo psicológico e o preenchimento de uma requisição. O cidadão pode ter o porte para duas armas, sendo ambas curtas ou uma curta e uma longa. Sim, você pode portar uma espingarda calibre 12 ou um fuzil em calibre .308. A anistia para armas irregulares é permanente e basta que o cidadão requeira o registro após o pagamento de uma pequena “multa”.

    E A CRIMINALIDADE?
    Bom, em 2002 o Paraguai enfrentou a sua mais alta taxa de homicídios: 24,63 homicídios por 100 mil habitantes. Hoje, o país tem a terceira menor taxa de homicídios (7,98) da América do Sul, perdendo apenas para o Chile (2,97) e o Uruguai (7,81). Lembrando que o Uruguai é o pais mais armado da América Latina.

    ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO
    O Paraguai ainda possui uma das economias mais frágeis da América do Sul, com um IDH de 0,676, considerado médio e bem abaixo do Brasil. Mais de 30% da sua população está situada abaixo da linha da pobreza e sua taxa de desemprego é de quase 7%, o que enterra, mais uma vez, a ideia que o desenvolvimento humano e econômico é um fator decisivo para a redução da criminalidade. O vizinho Paraguai também vai vencendo o Brasil na economia, que melhora ano após ano desde 2010 (com a maior oferta de energia elétrica). Independente da evolução econômica, os homicídios estão em queda no Paraguai desde 2003.

    MAS COMO O PARAGUAI CONSEGUIU REDUZIR A CRIMINALIDADE?
    Pode parecer difícil de acreditar para a maioria dos nossos políticos, mas foi combatendo… o crime! Integração das instituições policiais e judiciárias, investimentos nas polícias e, principalmente, a criação de uma força tarefa para fazer cumprir milhares de mandados de prisão. Enquanto isso, o Brasil segue brincando de segurança pública, impondo o desarmamento civil e assistindo milhares de assassinatos todos os anos.”
    (…)

    Fonte e artigo completo:
    http://www.ilisp.org/artigos/como-o-paraguai-destroi-toda-a-argumentacao-desarmamentista-usada-no-brasil/

    Pois é! Para que os senhores tenham uma ideia da seriedade da segurança pública paraguaia, bastou que em 2011 o crime organizado atacasse delegacias e o palácio da justiça dos “Estados” de San Pedro e Concepcion com bombas caseiras para que o Governo Federal decretasse “estado de sítio” por sessenta dias para dar combate aos terroristas.
    Por aqui, o crime organizado desfila nas vias públicas(?) com fuzis, se apossa de territórios e mata policiais diariamente e a única providência que as nossas autoridades tomam é esconderem o rabo atrás de SEGURANÇAS ARMADOS e dentro de um carro blindado (artifícios proibitivos à população) … Enquanto o cidadão vive sob estado de sítio e toque de recolher PERMANENTES, decretados pelos criminosos.
    Por aqui o poste urina no cachorro e o Estado IMPÕE ao cidadão o que NÃO EXIGE dos criminosos.

    Abraços.

    • Excelente colocação, Francisco. Parabéns. Na verdade a legislação paraguaia ainda é menos restritiva do que era a brasileira antes do Estatuto, porque não impõe limitação de calibres. Não seria preciso mudar o Estatuto do Desarmamento, ele poderia ser simplesmente descartado. A legislação brasileira anterior a ele seria amplamente suficiente, desde que houvesse fiscalização, que nunca houve e ainda não há. Pergunte a qualquer leitor da TI quantas vezes ele já foi parado para saberem se ele portava arma?
      O problema do crime nunca foi a posse ou o porte de arma, foi a impunidade. Mata-se à vontade porque a chance de ser pego e condenado aqui é insignificante.

      • Sr. Vieira é um dos poucos comentaristas a falar sobre o assunto sobre Segurança Pública ou “Carnificina á Moda Brasileira”.
        O massacre da população de bem passa por o não investimentos na Segurança., o que os governos fazem nada mais é do que colocar conta-gotas de investimentos.
        O Sr. Puggina deve não saber disso, mas a contribuição que o Estado Tucanistão em termos de Segurança dá para o Mundo é de fazer a Síria virar uma Dineylândia em termos de homícidios, latrocinios, roubos furtos, fora as explosões de caixas eletrônicos uma epidemia no Estado.
        Os números seriam maiores, mas tem o jeitinho tucanífero de ser, onde esconde números de cadaveres para não deixar a ONU furiosa de tantos assassinatos ………
        Tudo escondido, protegido e blindado pela Santa Mídia Protetora dos Tucanorroputos deste Páis….

  15. Na verdade, Santos, trata-se de incompetência aliada à corrupção, que redunda em falta de projetos governamentais, substituídos por planos de poder e de se manterem na condição de mandatários, para continuarem a roubar o país e explorar o povo à exaustão.

    Evidente que não se está pedindo o retorno da ditadura, mas uma força suficientemente capaz de neutralizar a dilapidação do erário e a população sendo convocada para pagar esses prejuízos!

    Situação que se torna intolerável pela impunidade do Congresso, todos, praticamente têm culpa em cartório, que se não for através de uma intervenção continuaremos a reclamar dessas questões como estamos, anos a fio.

  16. Senhores,

    “Repercute nas redes sociais a autorização que um juiz de Aracaju deu, esta semana, para que 15 detentos passeassem na praia para atividades lúdicas. Acompanharam a atividade 16 profissionais, entre agentes penitenciários e equipe multidisciplinar, com apoio do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.”

    Você pagou a gasolina, o lanche e a segurança das “crianças”, mesmo que nunca tenha sobrado dinheiro no final do mês para que você pudesse fazer isso com a PRÓPRIA FAMÍLIA… e em plena QUARTA-FEIRA !!!

    Caso se confirmem as imagens e o conteúdo dos artigos, estamos vendo, claramente, que o CRIME ORGANIZADO que estava infiltrado na MAGISTRATURA acabou de perder a DISSIMULAÇÃO e agora, forte e bem nutrido pela a impunidade reinante, age OSTENSIVAMENTE e impõe as suas regras e PRIVILÉGIOS sobre os cidadãos de bem…

    http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,presos-internados-em-hospital-de-custodia-vao-a-praia-em-sergipe,70001702900

    Nunca soube que isso acontecesse em qualquer país do mundo. Nem em Cuba!

  17. Para o gáudio do crime organizado, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, de maneira monocrática, engavetou o projeto que dava ao cidadão de bem, a condição de se armar em defesa própria e da sua família.
    Enquanto isso, multiplicam-se as câmeras de vigilância, como tentativa inútil de afugentar a bandidagem, que solenemente as ignoram…

  18. Sr. Puggina, passei para avisar que esta semana mais uma dúzia de Caixas Eletrônicos foram pelo ares no Tucanistão-Efeagacequistão.
    E adivinha onde??
    Dentro de uma Secretaria de Estado.
    Veja bem, dentro de uma Secretaria do Estado do Meio Ambiente…….
    Só para constar….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *