Descobridor do pré-sal lamenta que país tenha perdido a oportunidade de desenvolver indústria

Resultado de imagem para guilherme estrella

Estrella, o maior descobridor de petróleo do mundo

Gilberto Menezes Cortes e Gabriel Vasconcelos
Jornal do Brasil

Um dos mais importantes geólogos do mundo, Guilherme Estrella foi diretor de Exploração e Produção da Petrobras de 2003 a 2012. Enquanto gerente da estatal no Iraque, nos anos 70, descobriu o gigantesco campo de Majnoon. Nada, porém, se compara à descoberta do pré-sal, em 2006, na Bacia de Santos, com formação geológica milenar do sal, quando da separação do continente americano da África. Além das gigantescas reservas de petróleo e gás, Estrella vislumbrava no pré-sal uma chance única para desenvolver o parque industrial brasileiro, gerando tecnologia, emprego e renda até 2050, o que mudaria a qualidade vida da população.

Em entrevista ao Jornal do Brasil,  lamenta que, na Lava-Jato, o Brasil não tenha feito distinção entre a culpa dos empresários e a responsabilidade das empresas e seus quadros. Tal equívoco levou à destruição de um capital humano e empresarial que vai custar a ser recuperado. Para Estrella, o próximo presidente deve olhar o pré-sal sob a ótica da industrialização e da defesa da soberania nacional.

As grandes ocorrências do pré-sal na Bacia de Santos são únicas ou têm paralelo em outros locais do mundo?

Quem souber responder fica bilionário. Na separação entre os dois continentes, América e África, ocorreu a formação das rochas geradoras, dos reservatórios que contêm o petróleo sob pressão e do próprio sal. Então, se cogitava que, do lado africano, aconteceria o mesmo que aqui. Mas a ruptura não foi geometricamente no centro da faixa de separação. O recorte do litoral explica isso. É na reentrância do Golfo de Santos que fica a principal bacia do pré-sal. Uma área gigantesca, que, pelo menos, até agora, não foi identificada do lado africano.

O que explica a larga demanda pelos negócios do pré-sal, sobre a Bacia de Campos, por exemplo?
A Bacia de Campos foi e ainda é muito produtiva. Lá, há óleo em cima do sal. Óleo que migrou da parte de baixo para cima, mas o modelo de migração do óleo ainda não é bem conhecido. Por isso, se descobria um campo e se passava meses ou até anos para se descobrir outro. A vantagem do pré-sal na Bacia de Santos é que, ao final, você tem a garantia de grandes descobertas com pouco risco. Não se fura mais poço seco. E isso impacta a demanda organizada de equipamentos. Em Campos, os equipamentos eram contratados para um campo só. Era difícil utilizar a riqueza para um programa em escala de desenvolvimento nacional. O pré-sal permite isso.

Além disso, também tem o gás…
Sim. Mas o fundamental mesmo é a garantia de energia em forma de petróleo e gás para o Brasil pelo século XXI inteiro, além da possibilidade de expansão industrial que traz consigo. Essas reservas são de tão grande escala que a sua exploração permite a criação de um amplo e duradouro projeto de desenvolvimento industrial porque permite saber que vai precisar de cinco turbinas hoje e dez amanhã para navios de produção de petróleo (FPSO). É possível preparar um programa de 50 anos de turbinas elétricas e outros equipamentos para estes navios. Em cada navio-plataforma há três turbinas. Ora, se você vai ter 50 navios, são 150 turbinas e você pode organizar isso em 20, 30 anos. Nessa linha, as primeiras dez você importa, mas durante a fabricação e importação das outras dez, você monta um parque de fabricação interno e pode atrair quem faz essas turbinas aero-derivadas, a GE, Rolls Royce e Siemens, que têm o monopólio. Quando estava lá, a primeira exigência que fizemos foi a manutenção no Brasil. Porque, se queima uma turbina dessas, tem que mandar para a Escócia. Além do petróleo em si, a grande riqueza do pré-sal está no domínio da tecnologia e na oportunidade de ativação de uma enorme cadeia de indústria por décadas, gerando emprego e renda.

Por que as multinacionais não vieram?
Porque o Brasil cometeu um erro. Quando a Lava-Jato eclode, cancelam-se os contratos de construção dos navios, onde entrariam as compras não só dessas turbinas, mas também bombas, válvulas…Tudo vai a zero. Aí se desestrutura todo o projeto que tinha como base a engenharia nacional. O erro foi punirmos as empresas e não as pessoas. Que se puna os corruptos, mas não as empresas. O resultado é que muitas empresas foram à falência. Demitimos 50 mil engenheiros, milhares de trabalhadores e os estaleiros, que estavam sendo preparados para produzir equipamentos na fronteira tecnológica em termos de qualidade e segurança operacional, fecharam as portas de uma hora para outra. Na crise americana, o governo americano não fez isso. A GE, a GM e o CitiBank estavam falidos. O que eles fizeram? Trataram o problema e injetaram dinheiro. Aqui, bastava manter os contratos da Petrobras. Poderiam ter chamado a Justiça para fazer intervenção na empresa, aprovar rapidamente um contrato de leniência que desse acesso aos lucros que adviriam dos contratos com a Petrobras e auditar os contratos para ver se os preços estavam na média internacional.

Os fornecedores locais, como a Sete Brasil, também não estavam muito endividados?
Quem descobriu o pré-sal, com projeções de 100 bilhões de barris e o petróleo a US$ 140, tinha crédito a vontade. Até hoje a Petrobras vai ao exterior e aparece na mesa do banqueiro três, quatro vezes mais do que o valor que precisa. O banco quer garantia de pagamento. Hoje, mesmo com os preços abaixo do que estavam na época, ainda vale a pena, até porque o custo caiu. O mais importante ainda é a garantia que a empresa dá, como operadora única, de pagar os empréstimos. Se você apresenta ao banqueiro um portfólio de projetos como esse, ele empresta. O pré-sal não tem risco.

Hoje o pré-sal tem seis operadoras, sendo cinco estrangeiras. Impor a Petrobras como operadora única não comprometeria a ativação dos campos enquanto o petróleo ainda é atraente ao mundo?
A matriz energética mundial tem, hoje, de 70% a 75% de combustíveis fósseis, dos quais 50% são petróleo e gás. As previsões até 2040 são de que isso mude muito pouco. Assim, para o projeto de desenvolvimento de médio e longo prazo apoiado no pré-sal, é necessário que a Petrobras seja operadora única, porque é o operador quem tem o poder de escolha dos produtos industriais e da engenharia que são utilizados na produção do petróleo. Essa é a grande briga. A Petrobras, inclusive, induziria a inovação. Porque o conceito moderno de indústria não é fabricar automóveis, mas sim acoplar o processo industrial à inovação. O PIB brasileiro tem 23% de participação industrial, a indústria de transformação em particular tem 12%. Quanto da nossa Indústria guarda inovação? Só 3%. Isso porque fabricamos modelos Volkswagen e Ford, mas o centro de inteligência e inovação estão nos países de origem. O pré-sal nos dá a chance de desenvolvermos os nossos próprios centros de inovação até para competirmos internacionalmente no futuro.

O que o senhor pensa da disputa presidencial?
Em qualquer análise da conjuntura brasileira, é preciso partir de uma visão sobre o que o país representa para o planeta em termos de recursos naturais. A Terra vai chegar a 10 bilhões de habitantes na metade do século e três bilhões têm pouco acesso a água potável e saneamento básico. É nesse contexto que o Brasil é o 2º maior produtor de alimentos e o país mais rico do planeta em minério. Em um mundo sedento por água, somos o país com os dois maiores aquíferos subterrâneos do planeta, Alter do Chão e Guarani, e aquele melhor coberto por bacias hidrográficas. Entre outras coisas, isso significa irrigação e, portanto, potencial agrícola. Um lugar decisivo para a humanidade neste século e, portanto, alvo de enormes interesses estrangeiros. Dito isso, Fernando Haddad (PT) tem uma abordagem muito mais preocupada com esses aspectos, de preservação da soberania nacional sobre riquezas naturais e o uso disso em benefício do povo brasileiro, enquanto Jair Bolsonaro (PSL) é difuso. Não conhecemos a mensagem que ele traz. Sabemos apenas que seu guru econômico traz uma mensagem ultraliberal, que acena para uma flexibilização das relações de trabalho e privatização irrestrita, que incide, inclusive, sobre Saúde e Educação. Na minha visão de desenvolvimento nacional, portanto, não há dúvida. Isso para não falar da mensagem de Bolsonaro sobre costumes, que considero anti-civilizatória. O cidadão brasileiro precisa olhar para isso e saber que escolhe não só os rumos de sua própria vida, mas também o de seus filhos e netos.

37 thoughts on “Descobridor do pré-sal lamenta que país tenha perdido a oportunidade de desenvolver indústria

      • Palavras dele em 2014: “Temos que nos mobilizar para eleger a Dilma. O Aécio está cremado. Mas a Marina abre espaço para um retrocesso.”

        “Sobre o caso da refinaria Pasadena, cuja compra por cerca de US$ 1,2 bilhão é investigada pelo TCU (Tribunal de Contas da União) e motivou a criação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) no Congresso, Estrella repetiu o argumento da presidente Dilma Rousseff, de que o resumo técnico apresentado para balizar a compra da refinaria era falho.”

    • O rabo apareceu um pouco antes do final, quando ele começa a condenar a lava-jato e a defender as “empresas” que iriam produzir sondas e novas tecnologias associadas ao petróleo.
      A entrevista desse senhor me decepcionou porque, ao descobrir que ele é petista, perdi a confiança no que ele dizia.
      O mundo está substituindo o petróleo. Há governos estaduais nos EUA que aceitam deduzir do imposto estadual o investimento em tetos solares nas residèncias. Os caras batem na sua porta para oferecer o programa! (Isso foi o que a minha vizinha me disse aqui em Bangu)

  1. Ele acredita no PT. Tanto conhecimento e tantas teorias para no final chamar de tolos, milhões de brasileiros que também sabem ler jornal e vivenciaram o Brasil da mesma forma que ele, só não, vendo o país com o mesmo prisma. O programa de governo de Haddad pode ser uma obra prima, mas não adianta nada se o seu partido e ele mesmo, não gozam de um mínimo de credibilidade e confiança da esmagadora maioria do povo brasileiro. Concordo que mandar centenas ou milhares para a rua, não é boa política de desenvolvimento de um país, mas há que se entender que quando existem máculas nos processos e contratos com estas empresas, o país não pode simplesmente arcar com mais prejuízos, assim como era feito a mais tempo. As empresas, nesta caso, os empresários, precisam entender os riscos de envolverem e serem pegos. Serem presos, mas deixarem um vasto patrimônio conseguido as custas de fraudes e desvios, também não é justiça.

    • Entendi que ele esperava que a Petrobras catalizasse a formação de empresas para desenvolver a indústria nacional. Esse é o erro fundamental dos petistas: a Petrobras é uma empresa e deve procurar ser eficiente, inventiva e produtiva a fim de gerar lucro. O governo se beneficiaria dos impostos e royalties pela exploração do petróleo e então cuidaria de aplicar os recursos convenientemente no país.
      A Coréia do Sul produz sondas com a melhor tecnologia do momento e a preços baixos se comparados ao nossos. Não dá para inventar a roda, temos que partir para tecnologias que produzam emprego de alto nível e em grande quantidade. Quem quiser exemplo do resultado desse aproach, visitem o vale do silício na California. Visitem Cupertino, Santa Clara e verifiquem a enormidade de empresas de tecnologia oferecendo salários inimagináveis no Brasil (muitos dos nossos jovens bem formados vão trabalhar na Google, Apple, Facebook – lá nos states!)
      Além desses argumentos, devemos considerar que nosso governo nos últimos 15 anos foi uma bosta! O que mais produzimos a preços baixos foram corruptos pestilentos sem vergonhas – petistas em maioria.

  2. É a Meritocracia X Ignorância, é a Luz X Escuridão. É o Brasil X concorrentes. Não vamos desistir da democracia e muito menos do estado democrático de direito. O petróleo tem que ser nosso, o Brasil tem que ser nosso, xô gringos larápios, xô politiqueiros quinta-coluna, xô vendilhões do templo.

    • -Felipe, quer dizer que mesmo depois de TREZE ANOS, ainda não deu tempo dos governantes se apossaram do nosso petróleo?
      -Eles precisarão de mais quantos anos? Mais TREZE?

      • DOIS ANOS DE TEMER, já bastam, já demonstram os que vocês são capazes de fazer com este país e este povo que precisa de luz e não de trevas. A única coisa que vocês sabem fazer é detonar os petistas, mas não apresentam nada melhor, portanto dos males o menor. Vou estar tb no comando dessa bagaça e vou colocar as coisas nos eixos. Vou fazer do Brasil o meu país do mundo, para todos os brasileiros.

  3. Faltou dizer que é filiado ao pt ha muitos anos. Porisso virou Diretor de Exploracao depois de aposentado. Ah claro, se esqueceu deste detalhe…
    Petista mentiroso? Porquê não estou surpreso???

  4. -O problema do Haddad é que ele faz parte de uma quadrilha!

    -Entre um professor bandido e um pedreiro honesto, não resta dúvida na escolha, de quem ainda tem algum princípio, sobre qual contrataria para a própria família.

  5. Excelente entrevista. Se não fosse pelo finalzinho com uma enorme contradição. Esse partidinho chamado PT que, resumidamente , destruiu tudo.
    Mas, como o país é imenso e tem um grande povo, ainda podemos reverter a situação atual.

    • O PT tb tem que ser revisto, claro, joio e trigo tem que ser separados, mas partido por partido, os partidos adversários dos petistas tb ainda estão deixando muito a desejar, não passam de arranjos eleitorais de última tendo em vista penas a chave do erário e o seu próprio trem da alegria. O PT tb vai ter que evoluir, rumo à Meritocracia, para continuar viável.

  6. Estava indo bem falando de Engenharia, Geopolítica, Desenvolvimento.
    Mas…
    Quando começou a defender contratos com vícios, “plano de desenvolvimento” do luladdad (sic), mostrou sua verdadeira face:
    petralha de carteirinha!
    Por que ainda não está preso?

  7. Tendo méritos e não sendo vendilhão do templo, pode ser petista, pode ser comunista, pode ser capitalista, pode ser católico, pode ser crente, pode ser ateu…, não importa a cor do gato, o importante é que nos ajude a caçar os rato$, e a preservar o nosso país e as nossas riquezas em benefício da nossa gente, e não entrega-los a gringos larápios, quadrilhas internacionais que levam tudo e lançam países inteiros em buracos negros. Urge corrigirmos os erros de ambos os lados, colocarmos os pingos nos is, e fazermos o país funcionar a contento, sem guerra entre irmão, violência não leva a lugar nenhuma senão à violência. É com méritos, paz e amor que construiremos a grandeza do nosso país e da nossa gente.

    • Concordo contigo.

      Mas o gato vermelho não pensa em explorar as nossas riquezas naturais. Veja o que fizeram com Roraima: Transformaram o Estado em um jardim zoológico e, simplesmente, tornaram o desenvolvimento impossível!

      -Por exemplo, se a esquerda não tivesse expulsado os plantadores de arroz, talvez o Estado pudesse receber e alimentar melhor os venezuelanos ou até mesmo exportar para lá a produção excedente.

      Outro exemplo: no Sul e Sudeste, mesmo com o referido aqüífero, até hoje ainda tem agricultores perdendo a colheita por falta de água.

      -Somos um barco a motor onde a esquerda passou os últimos trinta anos fazendo os brasileiros usar os remos…
      -Portanto, já está na hora de experimentarmos um novo TIMONEIRO.

      Abraços.

  8. Quem quiser saber a verdade sobre este tal de pré-sal, vá a Curitiba e bata um papo demorado com o ex-petista Palocci. Ele sabe tudo a cerca do assunto.
    E não adianta esbravejar, a delação do Palocci já foi para o papel, só a justiça é que caminha a passos de cágado, sobre o assunto.

  9. Concordo com Pedro Rios, pois li a entrevista com interesse, para depois me decepcionar com a comparação feita entre Haddad e Bolsonaro.

    Torna-se difícil acreditar que depois dos males praticados pelo PT, que o seu candidato esteja no segundo turno.

    Em princípio, a Justiça deveria ter cassado a sigla em definitivo. O PT não poderia mais existir, pois até o seu amo e senhor está na cadeia, assim como outros membros dessa organização criminosa.

    Na razão direta que as empresas foram punidas também pela Lava-Jato, da mesma forma deveria ter acontecido com os partidos envolvidos nesse crime, o maior do mundo, pelos valores roubados da estatal!

    No entanto, não só nada lhes aconteceu, como continuam como protagonistas nas eleições e no Congresso, comprovando que o crime no Brasil compensa!

  10. Xiii, a PF está nas ruas contra crimes eleitorais, incitação à violência etc…venha dar uma passadinha no blog de bolsos radicais de direita, intolerantes, aqui vai ser uma festa hein PF…
    Nojo !

  11. Luiz Felipe, Lauro José, Loriaga Leão, ou quem quer que seja e se apresente com estes nomes, uma coisa é certa, não é porque o ladrão vai dividir o roubo conosco, que vamos deixa-lo roubar.
    Os estrangeiros não só estão tentando levar nossa riquezas minerais, como já levaram o dinheiro fruto da venda dela, em forma de empréstimos altamente suspeitos feitos pelo lula a países de governos ditatoriais da América latina e
    africa, e que agora se mostram inadimplentes.
    Veja Você que o dinheiro perdoado pela lula, lá na áfrica, esta voltando aos poucos para irrigar a campanha do poste.
    Venezuela e Cuba, já não pagam mais os empréstimos. Sabe quem foi chamado a paga-los? Nós os otários contribuintes enganados pelo PT.

    • Haddad não é Lula, e nem Bolsonaro, e tem condições de ajudar no descortino de novos horizontes para o Brasil. Lula até que tinha boas intenções, coitado, assim como Bolsonaro tb talvez tenha boas intenções, mas na ignorância, tanto de direita, quando de esquerda e centro, já vimos que não dá, a coisa fica sem comando convicto, o país fica como um barco em leme, e dai os oportunistas e aproveitadores deitam e rolam. Isso tem que mudar. Às vezes, é melhor quebrar do que se render à corrupção, porque a lição fica. Dilma quebrou, se danou, mas não se rendeu ao corrupto Cunha e sua quadrilha, que assumiu o poder, mostraram a que vieram, mas vão pagar o preço. A lição ficou, governo que se entregam a corruptos que dominam o congresso, vira bosta, mais cedo ou mais tarde, e pode pegar até cadeia. O grande desafio de hoje é lidar com o câncer congressual. Espera-se que os políticos bem-intencionados, de verdade, se é que existem, tenham aprendido alguma coisa com os Cunhas da vida no comando da Câmara Federal.

  12. Dilma e o PT, em 2014, acenaram para as Jornadas de Junho de 2013, com o slogan “Governo Novo, Ideias Novas”, mas em 2015, simplesmente deu as costas para às ruas e optou, por Lula, deus-mercado, Temer e CIA, e deu no que deu. Em 2016, Temer acenou para as ruas , com a tal “Ponte para o futuro”, mas optou pela patota do Cunha, e deu no que deu. E qual é a de vocês, agora, Francisco Vieira ? Não se vê em vocês nem acenos e muito menos compromisso com Junho de 2013 . A que vem vocês ?

  13. Guilherme Estrella foi diretor de E&P da Petrobras de 2003 a 2012, três mandatos PeTistas e no entanto se calou diante da roubalheira que seus colegas diretores, reus confessos, praticavam dentro da empresa em conluio com a Cúpula do Governo e com os Comandos Partidários do PT, PP e PMDB.

    O lider do PSDB no Senado, Alvaro Dias, conseguiu instalar a CPI da Petrobras em 2009, cinco anos antes de estourar o Petrolão devido a Operação Lava Jato e o diretor Guilherme Estrella perdeu mais essa oportunidade de denunciar com antecedencia todo o esquema delatado mais tarde pelos diretores Paulo Roberto Costa, Lozada, Duque e Cerveró e pelos Gerentes Executivos envolvidos.

  14. Olhem mais um exemplo da educação petista:

    “Apenas 2,1% dos alunos carentes no Brasil conseguem atingir o nível de bons conhecimentos em Ciências, Matemática e Leitura, segundo um estudo da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) publicado nesta terça-feira.

    Entre os países da OCDE, a maioria ricos, 25% dos estudantes desfavorecidos obtêm um bom nível de conhecimentos nas três áreas, segundo o estudo Igualdade na Educação: Derrubando Barreiras à Mobilidade Social.”

    https://g1.globo.com/educacao/noticia/2018/10/24/so-21-dos-alunos-carentes-no-brasil-aprendem-o-nivel-aceitavel-em-ciencias-diz-ocde.ghtml

    • -Louvada seja a INTERNET… e a liberdade que ela proporciona.
      – Hoje, ninguém vota mais em BANDIDO sem saber, por mais iletrada que seja a pessoa. Quem vota é porque tem índole semelhante.

      • -O cara é um tremendo BANDIDO e vem posar de patriota. Ora, a pátria de ladrão é DINHEIRO NO BANCO… de preferência no banco de algum paraíso fiscal.
        -Patriota somos nós, que pagamos impostos para sustentar esses VERMES parasitas!

  15. Mais um pra culpar a Lava Jato pelos males do país. Naturalmente, o que o Brasil deveria ter feito era ter seguido o exemplo louvado pelo entrevistado, dos Estados Unidos na crise de 2008, em que os dirigentes das superemepresas levaram o país à bancarrota, empurraram os prejuízos para os contribuintes americanos, e absolutamente ninguém foi punido, muito pelo contrário. P. ex., o CEO do quebrado Lehman Brothers recebeu bônus de 65 milhões de dólares em 2008. Depois estranham quando os eleitores rejeitam esse tipo de opinião altamente ‘sensata’.

  16. -As pessoas acham que pelo fato da pessoa ter um cursos superior já se torna um administrador!

    -O Governo colocou incompetentes como chefes que, valendo-se do posto, ordenou que fossem criadas isso e aquilo, sem que fossem feitas quaisquer consultas a quem te conhecimento de ADMINISTRAÇÃO. O resultado todos nós sabemos.

    -Muitas vezes o sujeito é um doutor e não consegue administrar nem as próprias cuecas!

  17. O pacote do governo americano para as empresas e bancos na crise de 2008, celebrado pelo Sr. Estrella, pode ter sido um sucesso para os mais ricos e para as instituições financeiras, mas não para o grosso da população americana, como diz o economista Michael Hudson:

    “E se você falou sobre o último fim de semana, o aniversário de 10 anos, tudo o que você leu no The New York Times e em outros jornais foi uma celebração. Nós fizemos tudo certo. Nós socorremos os bancos. Há muito pouca discussão sobre o fato de que isso é um desastre para a economia. Ninguém relatou o fato de que nós socorremos os bancos em seus próprios termos para o fato de a economia não ter se recuperado. As pessoas falam de uma recuperação desde 2008.

    Apenas para colocar toda esta questão em perspectiva, quase todo o crescimento do PIB que eles olham é tomado na forma de lucros bancários mais altos, que eles chamam de serviços financeiros, significando taxas de multas, taxas atrasadas e taxas de juros para além dos bancos. ‘ custo dos fundos; e o aumento dos aluguéis que os proprietários teriam que pagar se eles alugassem em vez de possuírem suas casas. E como você teve tantos, você mencionou 9 milhões de proprietários perderam suas casas. Eles agora têm aluguel. Os aluguéis estão subindo, as dívidas estão subindo. A dívida corporativa, a dívida municipal e a dívida estudantil estão muito acima de 2008.”

    “A pretensão é que resgatar os bancos resgatou a economia. Mas os bancos não fazem empréstimos para a economia. Os bancos não fazem empréstimos para financiar fábricas. Eles não fazem empréstimos para infraestrutura. Eles fazem empréstimos para comprar ativos já em vigor. Eles estão privatizando a estrutura para torná-la privada, elevando as taxas que as pessoas têm que pagar. Essencialmente, a mesma coisa está tomando as corporações. Eles não vão ajudar uma corporação a colocar mais equipamentos e contratar mais pessoas, mas eles vão emprestar a um invasor para desmembrar uma corporação, reduzir a força de trabalho, esmagá-la e deixá-la em ruínas. Esse é o plano de gerenciamento financeiro. Isso é o que eles ensinam nas escolas de negócios.”
    https://therealnews.com/stories/10-years-since-lehman-brothers-bankruptcy-did-the-economy-really-recover-pt-1-2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *