Descobriram a pólvora! Agentes penitenciários facilitaram a rebelião em Alcaçuz

Fora da prisão, em Natal, doze ônibus e um carro incendiados

Carlos Newton

A crise da imprensa escrita é colossal e dramática. Os jornais economizam no que podem, fecham sucursais, demitem correspondentes, e evitam viagens de repórteres e fotógrafos e passam a trabalhar com colaboradores eventuais. Até o poderoso O Globo, do grupo controlado pelos bilionários irmãos Marinho, entrou nessa onda contracionista. Mas se deu ao contratar os serviços da repórter Aura Mazda, que está dando um show em Natal, na cobertura da rebelião na penitenciária de Alcaçuz. Foi ela quem revelou que o governo do Rio Grande do Norte teve de se curvar diante da facção paulista PCC (Primeiro Comando da Capital) e pedir permissão aos criminosos para que a tropa de choque na PM pudesse entrar na prisão, vejam a que ponto chegamos.

A reportagem não conseguiu confirmar se houve negociação com outras facções. Os policiais militares reralmente entraram, mas essa iniciativa não teve maior significado, porque a penitenciária continuou sobre controle das duas facções que estão em guerra em âmbito nacional – o PCC e o CV (Comando Vermelho).

AGENTES COMPRADOS – Outra importante revelação de Aura Mazda foi de que o “setor de inteligência” do governo estadual identificou que agentes penitenciários teriam sido “comprados” para abandonar o portão de aço que separa membros das duas facções rivais ao anoitecer, pouco depois do horário de visita dos presos. “As mulheres foram orientadas a levar mais comida para os maridos”, afirma um investigador, na condição do anonimato. Armas e outros objetos teriam sido jogados para dentro do presídio.

Em Alcaçuz, desde 2015, o presídio não tem grades nas celas. Os presos passam os dias soltos pelos pavilhões e pátios. Nessas condições, para fazer uma rebelião basta subornar alguns agentes penitenciários, e estamos conversados.

O motim foi encomendado por chefes da facção de São Paulo. Eles teriam agido por vingança, depois da matança no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no Amazonas, comandada pela facção regional Família do Norte (FDN). Em Alcaçuz, cerca de 700 presos do bando local são filiados ao Sindicato do RN, grupo aliado à FDN.

SISTEMA JAPONÊS – No sistema carcerário criado no Japão para desmontar a sanguinária máfia Yakuza, que dominava o crime organizado e tinha forte influência na política, o principal fator é o controle dos agentes penitenciários, que trabalham com máscaras de cirurgia para encobrir os rostos e não serem identificados pelos presos, que não podem lhes dirigir a palavra ou sequer olhar para ele. Quando a regra é cumprida, o preso vai imediatamente para a solitária.

Aqui no Brasil, as facções só dominam os presídios devido à esculhambação reinante, como ocorre em Alcaçuz, onde desde 2015 as celas privatizadas não têm grandes e os presos vivem soltos nos pavilhões, na maior promiscuidade com os agentes penitenciários. Enquanto não se resolver esse problema, nada mudará. Por óbvio, as prisões não são centros de recreio, os detentos devem ser submetidos a normas rígidas, com visitas severamente controladas, para que não entrem armas, celulares e drogas. É o mínimo que se pode esperar das autoridades, mas nem isso fazem.

EXEMPLO VEM DE CIMA – O fato concreto é que no Brasil a esculhambação reina dentro e fora das prisões. Criminosos perigosíssimos são presos e voltam à liberdade, como aconteceu esta semana com o degenerado que sequestrou, estuprou e matou da menina Thifany, aqui no Rio de Janeiro.

para tentar retomar — ainda esta semana — o controle da penitenciária estadual de Alcaçuz, na Grande Natal. O presídio, o maior do estado, foi palco da matança de pelo menos 26 detentos no fim de semana. Segundo informações obtidas pelo Globo, uma delegada da Polícia Civil e um oficial da Polícia Militar foram designados para conversar com criminosos. O objetivo da negociação é evitar novo confronto com o Sindicato do RN, bando local rival da facção paulista.

E o exemplo vem de cima, lá de Brasília, onde temos um governo recheado de corruptos, com ministros respondendo a processos e com bens bloqueados, como Eliseu Padilha (Casa Civil) e Blairo Maggi (Agricultura), e o presidente da República acha que isso é normal – sempre em nome da governabilidade, claro, mas na verdade essa prática merece outras denominações.

###
PSNa cidade de Natal, doze ônibus e um carro do governo estadual foram incendiados nos últimos dias. As autoridades “desconfiam” que se trata de algo ligado à rebelião no presídio. Desse jeito, vão acabar descobrindo a pólvora de novo. (C.N.)

13 thoughts on “Descobriram a pólvora! Agentes penitenciários facilitaram a rebelião em Alcaçuz

  1. Continuam fazendo o que bem entendem.

    Sobre os telhados e exibindo facões, presos ainda mantinham o controle da penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta, região metropolitana de Natal, nesta sexta-feira (20), mesmo depois da entrada de homens do Batalhão de Choque na noite anterior.

    Apesar de não ter havido mais confrontos entre presos do PCC (Primeiro Comando da Capital) e do Sindicado do Crime do Rio Grande do Norte, os detentos circulavam livres pelo complexo, com armas e celulares. Também usaram caixa de som, microfone e violão para fazer um culto religioso. Os cânticos eram ouvidos do lado de fora.

  2. “Agentes penitenciários facilitaram a rebelião em Alcaçuz”.
    O Grupo Nacional de Intervenção Penitenciária contará com mais 100 agentes penitenciários para atuar dentro dos presidios.
    Não precisa explicar, eu só queria entender – Planeta dos Macacos.

  3. Pingback: As rebeliões nos presídios brasileiros revelam absurdos – Debates Culturais

  4. Caro Jornalista,

    Graças a atuação da chamada “ESQUERDA” brasileira (que, na verdade, não passa de uma quadrilha que estava na oposição, desejosa de conseguir o poder, e que usava a palavra “esquerda” para dar um ar político a sua aspiração criminosa) e aos DEFENSORES DE BANDIDOS, que confundiram preso por ser bandido com a (justa) defesa do preso por questão ou ideologia política, hoje o país mostra ao mundo a BARBÁRIE em que o país se tansformou, em cenas como esta abaixo.

    Presos do Sindicato fazem churrasco com miúdos e postas de carne dos criminosos do PCC:
    https://www.youtube.com/watch?v=3WD65cm2Z8c

    E as autoridades estão correndo para soltar esses CANIBAIS no meio das pessoas…

  5. Senhores,

    -O governador do RN (do Estado, e não da facção) disse que a PM iria se postar como uma parede humana, entre as duas facções, para impedir que elas se matassem (que morram os PMs, ora!). Hoje o comandante da PM desmentiu o governador e disse que se os policiais entrarem, soltarem as armas e abrirem as mãos, imediatamente seriam mortos!!! “Nós, para entrarmos, temos que fazer uma operação complexa, planejada, que envolve muitos materiais, equipamentos, armas…”, disse ele. Se a PM não pode nem entrar, quanto mais permanecer para formar uma barreira!!!

    -A solução QUALQUER PEÃO que já lidou com animais sabe: Quando se arrebenta um curral, pega-se o gado e leva para outro cercado. Constrói-se o curral novamente e, em seguida, recolhe-se o gado para o curral novo, com moirões reforçados. Só mesmo um IDIOTA para pensar em colocar a PM dentro do presídio, dia e noite, ao lado dos presos, enquanto ele é reformado.
    -A segunda solução (a mais provável e a mais barata para o governo) será soltar o gado faminto no meu do roçado. Roçado alheio, claro!
    (A última seria o Napalm…)

    O curioso é que até agora nem a Maria do Rosário, nem o presidente da OAB local, nem qualquer defensor dos direitos humanos ou crítico do “massacre do Carandiru” se prontificou a constituir tal “paredão” ou apresentar qualquer solução para as suas “vítimas da sociedade capitalista”. Todos colocaram a “viola no saco”…
    -Talvez por terem ficado “indecisos”, sem saber qual das duas facções defenderiam…
    -Talvez por preferirem churrasco de “carne branca”…
    Ora, agora mais do que nunca se faz necessário que esses senhores ACOMPANHEM A ENTRADA DA PM E ENTREM COMO ELA no presídio para COIBIR ABUSOS DA POLÍCIA, NÃO? E de quebra, ainda serviriam de testemunhas que comprovariam a lisura da ação.

    Mas no dia em que a PM entrar e aparecer algum morto, esses mesmos ABUTRES estarão dando entrevista para a Rede Esgoto de Televisão e criticando o serviço que, se for mal feito, será porque não se tem condições de fazer melhor.

    Abraços.

  6. “Detentos no Rio Grande do Norte declaram morte ao governador do estado”
    “Esse governador vai chorar e muito, antes de morrer”, disse um preso em uma conversa interceptada pela Polícia.
    Faria assumiu hoje que a situação dentro do presídio é tensa e que teme pela vida da família.
    “Tenho seis filhos”, disse Robinson Faria, que agora anda com quatro seguranças e carro blindado.”

    -E olha que ele mora em área nobre e tem carro blindado para ele e para a família -e mesmo assim está se borrando todo. Agora, imagina o miserável do agente que trabalha lá dentro e mora com a mulher e filhos na periferia, vizinho dos traficantes…

  7. E o exemplo vem de cima, lá de Brasília, onde temos um governo recheado de corruptos, com ministros respondendo a processos e com bens bloqueados, como Eliseu Padilha (Casa Civil) e Blairo Maggi (Agricultura), e o presidente da República acha que isso é normal – sempre em nome da governabilidade, claro, mas na verdade essa prática merece outras denominações.

    Ao lado de mais dois, Zé Vampiro da Suiça e o Ministro da Cota do Efeagace Alcki-mintira, a frase que o Don Drécula disse caiu como uma luva….

    “Eu sei lidar com bandidos”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *