Dez propósitos para o Ano-Novo e para uma vida sempre criativa

Leonardo Boff

Todo começo de ano é ocasião de se fazerem bons propósitos. São desafios que nos colocamos a nós mesmos para que a vida não seja sempre repetitiva, mas criativa e, quem sabe, surpreendente. Alinho aqui alguns propósitos para alimentar a fantasia criadora de cada um.

1) Desenvolva em você a inteligência cordial, emocional e sensível. Inflacionamos a inteligência intelectual, sempre necessária, mas insuficiente. Deixada por si, produziu a solução final dos judeus (Shoah) e a Casa da Morte em Petrópolis sob o regime militar. A inteligência cordial enriquece a intelectual com o afeto, o amor e o cuidado, sem os quais perdemos nossa humanidade e não salvaremos a vida no planeta Terra.

2) Deus sempre vem misturado em todas as coisas. Onde houver algum gesto de amor, de solidariedade e de reconciliação, saiba que Ele está lá infalivelmente. Sem esses valores, Deus é apenas um nome.

3) De manhã, ao despertar, ou antes de recolher-se, faça uma pequena homenagem a Deus ou àquela energia amorosa e poderosa que nos sustenta. Não precisa dizer nada. Reserve aqueles poucos minutos para Ele e só para Ele. Se precisar, chore pelas demasiadas desgraças que ocorrem ou alegre-se por aquilo de bom que aconteceu.

4) Cada um é um projeto infinito. Nada nos sacia plenamente. Passe pelas coisas, usufrua-as sem danificá-las, mas não se detenha nelas. Vá em frente e sempre além, pois somos caminhantes da vida, e somente um infinito sacia nossa sede e fome infinitas.

5) Deseje ser águia, que voa alto e livremente, quer dizer, tenha ideais e grandes sonhos. Mas não esqueça que deve ser também galinha, concreta e prudente, especialmente quando se trata de administrar os bens materiais e lidar com dinheiro. Aprenda quando deve ser águia e quando galinha. E saiba combinar sabiamente ambas.

6) Faça uma terapia em sua linguagem. Dizem-se tantos palavrões no falar cotidiano e nas redes sociais. No começo era a palavra. Ela tem força criadora e destruidora. Depende de você. Ela é “a ponte onde o amor vai e vem”, como cantam os cristãos das comunidades de base.

7) Você pode hoje se informar sobre tudo. Praticamente tudo se encontra na internet e no Google. Mas cuide em se formar para ter uma humanidade mais plena. Disse uma sábia filósofa judia: podemos nos informar a vida inteira sem nunca nos educar.

8) Quando entrar em casa, tome seu banho, descanse um pouco, não ligue logo a televisão ou consulte o Facebook ou leia os e-mails. Retire-se num canto, fique em silêncio. Agradeça a Deus pela vida. Pois, nos dias atuais, com os riscos que corremos em cada esquina ou em cada canto, somos todos sobreviventes.

9) Resista à propaganda. Ela não pensa em você, apenas no seu bolso para fazê-lo um consumidor, e não um cidadão consciente. Assuma como projeto de vida a sobriedade compartida. Podemos ser mais com menos, por amor àqueles que pouco ou nada têm. Decida você mesmo o que comprar e quando comprar com plena liberdade e consciência.

10) Incorpore a ética do cuidado essencial: cuide de sua saúde, de sua família, de sua casa, de seus amigos, cuide do ambiente inteiro com o mesmo sentimento de são Francisco de Assis, que respeitava e amava a todos os seres como irmãos e irmãs, especialmente a Irmã água e a Mãe Terra.

Perceberá aos poucos que todos os seres, também as montanhas, possuem um coração que pulsa como o seu. No fundo, você, sua casa e família, as pessoas, as paisagens, as montanhas, o céu estrelado, a Lua, o Sol e Deus constituem um único grande e generoso coração pulsante.

 

5 thoughts on “Dez propósitos para o Ano-Novo e para uma vida sempre criativa

  1. Boff é um bobo. Um fanático.Se encantou com o humano e se tornou seu prisioneiro.
    Não consegue transcender essa condição e enxergar a nossa insignificância diante da infinita dimensão do universo. Não teve acesso a conhecimentos fundamentais que esclarecem fenômenos como o advento da mente nos humanos e suas implicações. Sem isso, os equívocos são inevitáveis e a incapacidade de desconfiar de que não temos controle de nada e nem condição para tal neste mundo. Assim, sem humildade não compreende e nem aceita a nossa natureza, e tenta modificá-la à imagem e semelhança conforme determina sua religião, a marxista-leninista.
    Sem saber , ou por querer querendo?, se torna inimigo dela, da natureza e por isso a contraria achando que o indivíduo deve entregar sua alma, sua liberdade, seus sonhos pessoais, sua vontade de lutar com as próprias mãos para conseguir o que sonha, em nome de uma mentira que ele faz passar por uma verdade, conhecida como coletivismo, socialismo ou comunismo, em que todo um século já demonstrou cabalmente um irrefutável fracasso.

  2. Muita sabedoria no artigo de Leonardo. Essa então : Podemos nos informar a vida inteira sem nunca nos educar. Meus respeitos, Frei. Espero sinceramente que todos os que lerem este artigo aproveitem seus ensinamentos.

  3. Leo, Deus interrogaria-te:
    -Que apetite tens que não te renuncias à ‘carniça’ e, por agravante, falastras confundindo-se com quem deverias, há década, divorciar-se?
    -Tu bem sabes a que indago, frade! Como ainda andas com quem andas?

Deixe uma resposta para Gil Rikardo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *