Diante de uma terceira via tonta e combalida, Lula e Bolsonaro estão dando boas risadas

Fotocharge reproduzida do Arquivo Google

Vicente Limongi Netto

As mexidas dos jogadores na combalida e tonta terceira via, deixam Lula e Bolsonaro cada vez mais rindo com as paredes. O pleito está longe. Mas os búzios indicam que aqueles que se atreverem a disputar a presidência com eles vão sair chamuscados da peleja. 

Sérgio Moro nunca foi do ramo. Entrou de gaiato na disputa presidencial, incentivado por correligionários aprendizes de paladinos da moral e da ética, como ele. Moro e políticos nunca se entenderam.  Moro é, para políticos, uma nota de três reais.  Moro adora elogios, mas fica deprimido com críticas.

Desfecho feio para o casal Moro. O ex-juiz e a mulher deixaram o Podemos pela porta dos fundos.

DORIA E LEITE – O ex-governador paulista João Dória, por sua vez, vai surfando. Quer passar a impressão que pode virar o jogo. Não perde a pose própria dos guerreiros paulistanos. Com mania de grandeza, nunca admite erros e está seguro que vai salvar o Brasil do atoleiro.

Outro jovem, igualmente aspirante a salvador da Pátria, o ex-governador gaúcho Eduardo Leite, caiu na onda do insistente Gilberto Kassab. O presidente do PSD queria porque queria ter um candidato à Presidência da República que finalmente pudesse bater no peito e chamar de seu, mas deu tudo errado.

Como o importante é manter-se no jogo. Dória e Leite vão segurar a brocha de pré-candidatos, com sorrisos largos e otimistas por mais um tempo. Como político sem mandato perde o respeito dos correligionários, seguirão, adiante, o caminho de Moro, que deve acabar disputando vaga para a Câmara Federal.

AS DIVAS DA POLÍTICA – Ana Maria Campos e Denise Rothenburg, antes de serem esmeradas colunistas, já foram repórteres, como relata o artigo “As divas da política”, de Ana Dubeux (dia 3). Sabem, de cor e salteado, o trabalho de garimpar a boa informação. Fechar a coluna atenta ao que pode ser especulado, checado e publicado, livre da má fé e da ressentida, chula e encomendada intriga.

Tornaram-se respeitadas e lidas profissionais cultivando e correndo atrás do ouro do jornalismo, a boa e isenta notícia. Ana e Denise escrevem colunas qualificadas preservando boas fontes. A editora Ana Dubeux salienta com razão que as duas colunistas do Correio Braziliense são exemplos marcantes de como a jornalista pode e deve se impor diante do machismo torpe e covarde que insiste em proliferar em todos os setores de atividades da sociedade.

VOLÚVEL – Demitido por Lula, do Ministério da Educação, pelo telefone, o enfadonho Cristovam Buarque agora é tiete do pré-candidato petista à Presidência da República. Deu show de puxa-saquismo explícito. 

Em melancólica entrevista ao Correio Braziliense (dia 4) Buarque derrete-se em elogios a Lula. Para o autor de livros encalhados, Lula é a salvação do Brasil. Cristovam é patético. Não perde a pose de sábio de proveta da política.

Foi péssimo governador e senador pior ainda. Diz que não é candidato. Foi a única coisa boa e sensata revelada na cansativa entrevista.

5 thoughts on “Diante de uma terceira via tonta e combalida, Lula e Bolsonaro estão dando boas risadas

  1. Gostei do artigo, foi como uma ceifadeira no campo dos sonhos.
    A mosca azul quando pica provoca delírio de grandeza e o elemento se sente ungido pelos deuses.
    Os deuses parecem se divertir com as loucuras humanas, se não foi Sêneca que disse isso, deveria ter dito.
    Dois políticos chamam minha atenção, Cibá Machado e Randolfe, fico pensando em qual matrix cibernética que tiveram suas respectivas placas mãe corrompidas, um tinha fixação na CIA, esta era a desgraça do mundo e e arapongava (espionava) o Brasil de Lula e Dilma o tempo todo. O outro com jeito de manequim de loja masculina e voz de castrati avança com a fúria de mil hienas para comer a carcaça de Bolsonaro. Hehehhehehe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.