Diante do silncio de Pezo, traficantes propem um pacto para segurana pblica

Resultado de imagem para traficante Nem

Mesmo preso, o traficante Nem manda na Rocinha

Pedro do Coutto

O governador Luiz Fernando Pezo, alm de atrasar incrivelmente o pagamento mensal dos funcionrios, espera de ajuda federal, est se notabilizando pelo absoluto silncio em relao as violentas exploses de insegurana nas ruas e nas estradas, pois se mantm inerte diante do terror no asfalto, retratado pela reportagem de Bruno Alfano, Daiana Rezende e Gabriel Oliveira, em O Globo desta quarta-feira bandido assalta e mata aposentada em Niteri; tiroteio no Shopping Rio Sul, neste caso com a morte do criminoso; bando armado de fuzis invade Hospital do Fundo e mdicos foram tornados refns.

Diante do quadro catico de insegurana em que se encontra-se a populao da cidade do Rio, o prefeito Marcelo Crivella deve estar preocupado e sentindo os efeitos da onda de descontrole urbano. O Rio, como dissemos ontem aqui na Tribuna, tornou-se uma cidade aberta ao crime e a violncia. O panorama conduz perplexidade.

DIRIO DA VIOLNCIA – A tal ponto chegou o vandalismo que O Globo lanou em suas pginas o que classificou de dirio da violncia, um espao que destaca frontalmente o desmonte da poltica de segurana do estado.

Nesse panorama, advogados criminalistas chegaram a se reunir segundo reportagem de Vera Araujo, O Globo de tera-feira para propor uma estranha soluo destinada a restabelecer a segurana pblica. Seria um pacto a ser celebrado pelo poder pblico com chefes criminosos que se encontram presos.

Como a Prefeitura do Rio insere-se entre os poderes pblicos, deixo a sugesto de opinar sobre a matria para a vereadora Tereza Bergher, que h poucas semanas deixou a Secretaria Municipal de Assistncia Social para votar contra o aumento do IPTU. Uma vereadora atuante como ela tem a oportunidade de trazer uma contribuio municipal para defesa da liberdade pblica nas ruas, nas praas e nos parques do Rio.

ADVOGADO DE NEM – O pacto sombrio entre os bandidos e o governo estadual est sendo coordenado pelo advogado Jaime Fusco, que defende o traficante Antonio Francisco Bonfim Lopes, conhecido como Nem e que, segundo o noticirio, mantm sua influncia na rea da Rocinha, apesar de sua recluso na penitenciria de Rondnia.

A proposta espantosa significa o enfraquecimento ainda maior do governo estadual. Vejam bem. Os criminosos separados da vida da cidade pelas portas da priso continuam em condies de influir decisivamente para conter os assaltos e assassinatos em srie que tm lugar nas vias urbanas da cidade.

O tema inslito foi pauta de uma entrevista de Jaime Fusco com o jornalista Ricardo Boechat, no programa da Band News. A rdio Band News est alcanando ndices muito altos de audincia, principalmente nos txis que cortam a cidade. Jaime Fusco afirma que a proposta urgente e necessria para desarmar a bomba relgio em que se transformou o panorama carioca e fluminense.

O QUE DIZ PEZO? – Vamos ver se o governador Luiz Fernando Pezo sai da esfera do silncio e se pronuncia a respeito. S o fato de tal proposta ter sido colocada mesa da deciso j revela uma dupla falncia: a da segurana pblica e a do sistema penitencirio estadual e federal.

Um outro assunto: O reprter Bruno Dutra, em O Globo de ontem, informa que o INSS pagou aposentadorias a 1.256 pessoas mortas durante 12 anos. Este fato deve ser do conhecimento do Ministro Henrique Meirelles e talvez faa com que ele tome providncia concreta para conter o prejuzo das falsificaes, ao invs de pressionar o Congresso para implantar uma reforma previdenciria que dificulta as aposentadorias legais.

Na verdade o dficit do INSS encontra explicao na ilegalidade. A sonegao por parte de empresas e a no fiscalizao que tornam o INSS alvo de roubos em sequncia.

12 thoughts on “Diante do silncio de Pezo, traficantes propem um pacto para segurana pblica

  1. A JBS, quando Meirelles participou em sua administrao, j devia quase 2 bilhes, no mandou pagar, hoje sinistro da fazenda, faz vista grossa, e pelo tempo, j ultrapassa em muito 2 bilhes, e no cobra, e o sinistro, com o Temeroso, esto a destruir os Direitos do Trabalhador, em confraria com os safados da cmara e senado.

  2. Olha como so estes polticos, o desgovernador Luiz Fernando Pezo, o incompetente, pegou a fala de Leonel Brizola, o qual sabia o que falava e tinha conscincia do que poderia ocorrer nas favelas, caso a polcia militar subisse os morros, muita gente inocente poderia sofrer danos, foi taxado de protetor de bandidos pela rede globo, diferentemente de Pezo, este pegou a fala de Leonel Brizola e disse a mesma declarao, s que foi diferente, bandidos trocavam tiros por posse na favela, policiais militares tiveram que fugir por ser nmero pequeno nesta guerra, a se v a incompetncia deste desgovernador, ele, Pezo, uma piada.

    • Roberto, isso mesmo. Antes do governo Brizola, a televiso mostrava como a polcia tratava os moradores das favelas: ficava nas entradas das favelas abordando trabalhadores com truculncia, era tapa na cara e outras humilhaes, mediam o p na porta dos barracos e invadiam. Certa vez a televiso mostrou uma pessoa com um cesto cheio de carteiras de trabalho, que foram retiradas do rio Acari, jogadas pela polcia.
      Ningum se torna marginal de uma hora para outra. A marginalidade um processo que vem da infncia, e em cada governo a tendncia aumentar, pela falta de educao, ampla geral e integral, que todos os governos com exceo do Brizola abandonaram.

      • Caro Nlio,

        Se a falta de “educao” torna as pessoa bandidas, o MAIOR BANDIDO do Congresso Nacional deve ser o TIRIRICA…
        -Ou estaramos confundindo falta de “educao” com falta de “tica” e com falta de conhecimento?

        • Prezado Francisco Viera,
          Eu me referi a violncia urbana, Quem tem maior probabilidade de seguir o caminho da marginalidade, uma criana numa escola de tempo integral, ou uma criana, que passa a maior parte do tempo nas ruas?. O tiririca pode no ter um grande currculo escolar, mas deve ter tido boa educao familiar.
          No se pode confundir cultura com educao e tica. Os bandidos que infestam o Congresso podem ter cultura, mas no tem educao tica.
          Um abrao.

      • Nlio Jacob, isto mesmo, o grande projeto de Leonel Brizola e Darcy Ribeiro, foram jogados no lixo da incompetncia por governos posteriores, os Cieps deveriam continuar e ser melhorados, mas esta elite podre que s quer roubar, hoje est assistindo esta violncia alarmante, que no atinge s o pobre, mas ricos tambm, deveriam responder criminalmente, Leonel Brizola e Darcy Ribeiro sabiam o que estava por vir e se preocupava com a educao integral.
        Abs.

        • Valeu Roberto.
          Quando os bairros mais ricos,no sofriam tanto, com a violncia urbana e os bairros pobres sofriam. Lembro nos anos 80, Darcy Ribeiro disse: futuramente os ricos tero que colocar grades, muros altos e seguranas para se protegerem dos criminosos. o que ns vemos hoje. A tendncia piorar.
          Um abrao

  3. Caro Jornalista,

    O CONSUMO T LIBERADO. A META AGORA LIBERAR O TRFICO.
    O crime organizado, atravs dos seus representantes infiltrados nos altos escales dos Poderes Executivo, Legislativo e Judicirio, conseguiu liberar o consumo de drogas no Brasil e hoje o “nosso” consumo quatro vezes maior do que a mdia mundial e j somos o segundo mercado consumidor do planeta.

    Hoje possvel ver homens, mulheres e crianas se drogando em paz em qualquer centro urbano e mais fcil para qualquer pessoa comprar cocana do que antibitico sem receita…

    Como droga no brota do asfalto para os usurios, o prximo passo agora ser liberar o trfico, o que eu acho “natural” de acontecer, haja vista a banalizao do consumo com o consequente aumento da base eleitoral dos candidatos dos traficantes.

    -Bem-vindos ao paraso prometido pelos revolucionrios que pregavam contra 1964. E que venha a liberao!

  4. Se o traficante est sob custdia, mas ainda negocia sobre o que acontece na sua comunidade, a falncia no apenas e, obviamente, da segurana pblica, do sistema penitencirio estadual e federal, mas de toda sociedade que permite a omisso ou conivncia do Legislativo e Judicirio. Como a populao no est minimamente assistida por estas autoridades que so to regiamente pagas para se omitirem ou serem coniventes com este estado de coisa, cabe sim, uma ao em tribunal internacional. J que estas autoridades se protegem tanto, que sejam julgadas pela humanidade. Pelo mundo. Que Pezo ou a Alerj responda ao mundo a razo de ainda ser gonvernador do estado.

  5. Parabns! Apenas para corroborar: No Brasil, organizado, somente o crime!
    Muita gente fica espantada de ver os CAPOS das favelas exigirem pedgios dos comerciantes, para manterem seus negcios. funcionais. Os traficantes no inventaram esse tipo de custdia espoliativa. Procurem saber na bblia o que eram as Cidades Tributrias”

  6. Depoimento de moradora:

    “Desde a quinta-feira passada a gente foi avisado que a qualquer momento teria confronto. O Nem (o traficante Antnio Francisco Bonfim Lopes, preso em Rondnia) mandou recado dizendo que o Rogrio (Avelino, o Rogrio 157, chefe do trfico na comunidade) tinha de sair da Rocinha at domingo. Rogrio no saiu e disse que o Nem teria de vir da cadeia at o morro, para tir-lo”.

    “No domingo, s 6 horas, comearam os fogos, para avisar que ningum poderia sair de casa. Umas 9h30 comeou o tiro, muito tiro mesmo, correria, pessoas fechando seus comrcios rapidamente. A gente em casa, sem luz nem gua, sem poder sair. Os PMs nem se mexiam. Os bandidos passavam por eles e gritavam: ‘Fiquem quietos que no com vocs, entre ns'”, disse Lcia.

    “Aqui, tanto bandido quanto policial pega o nosso celular para ver o que tem. O bandido quer saber se tem vdeos com imagens deles. O policial quer ver se estamos ajudando traficante. Os vdeos que filmam da janela e espalham so aterrorizantes: olho arrancado, gente queimada viva, cabea cortada, pernas espalhadas. So cruis dos dois lados, esto ali para matar e morrer”.

    “A vida ficou muito cara na Rocinha por causa do Rogrio. O pessoal dele cobra R$ 90 pelo botijo de gs. Eles cobram taxa dos donos de supermercados, da gua mineral. E passou a ter roubo, estupro, violncia domstica. A gente no pode reclamar com a polcia, at porque a UPP (Unidade de Polcia Pacificadora) no existe, fica s na rua principal”.

    “Como me, fico muito nervosa. Meu filho menor se treme todo quando tem tiro. Segunda e tera-feira no teve aula, s hoje. Trabalho com o corao apertado, com medo de o mais velho, que cuida dos menores, me ligar para dizer que o tiro voltou. A polcia entra nas casas. Imagina se entram e pegam meus trs meninos l… Tem patro que no entende, ento as pessoas se arriscam a sair, mesmo proibidas, para no serem demitidas.
    Na segunda-feira, tinha TOQUE DE RECOLHER (dado pelos traficantes) s 17 horas, e meu irmo saiu s 18 horas para o trabalho. Foi obrigado a voltar. Nessas horas, no tem o que fazer.”
    Fonte: R7

    (PS: Agora, pergunta se os ministros do Supremo tm pressa para mudar alguma coisa neste NARCOESTADO)

  7. H muito tempo, com o ttulo de capital cultural do Brasil, o Rio de Janeiro passou a receber intelquituais oportunistas de todas as estirpes. Como nenhum tem compromisso com o povo brasileiro e, em particular, com a Cidade Maravilhosa, passaram a se encastelar em sinecuras que lhes rendessem uma grana nossa custa para manterem a boa vida.
    Assim, andando nas ruas do Rio, voc tropea em entidades de defesa de todo tipo: ndios, gays, florestas, mico-leo dourado, barata albina, onanistas silenciosos, periquitos mal lavados e outras do tipo. Nada que diga respeito quela cidade.
    A sequncia de polticos eleitos para o governo e prefeitura da capital de fazer chorar. Esses dirigentes e polticos vem sendo diuturnamente denunciados na Lava-Jato e em outros escndalos.
    Demorou muito at chegar a esse estado de coisa. Enquanto os verdadeiros cariocas ficarem dando ouvido aos boquirotos que se dizem do movimento cultural e dormindo distraidamente, continuaro sendo surrupiados.
    At no linguajar esto tendo a verdade roubada. Note que quando a polcia resolve agir, e recebe a dura reao dos marginais, toda a imprensa bota a boca no trombone para informar que os estudantes no esto tendo aulas, as escolas esto fechadas, por causa da ao policial. Como se fosse obrigao deixar os bandidos quietinhos em seu lugar, roubando, traficando, matando e circulando ostensivamente com armamento pesado, ameaando os cidados de bem.
    Pelo raciocnio vesgo, acham que s assim o Rio ficar em paz!

Deixe um comentário para Miguel Sas Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.