Dilma arrocha economia, mas aumenta gastos da Presidência

Marcelo da Fonseca
Estado de Minas

Em época de tesourada no Orçamento, aumento de impostos e corte de investimentos públicos, o Palácio do Planalto não dá o exemplo quando o assunto é reduzir os próprios gastos. Levantamento feito pelo Estado de Minas no Portal da Transparência e no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) do governo federal sobre os gastos da Presidência da República nos primeiros quatro meses de 2015 mostra que o governo não seguiu sua própria determinação de apertar os cintos durante a crise econômica. Em comparação com o mesmo período do ano passado, a Presidência aumentou os gastos em 36% – percentual quase quatro vezes e meia acima da inflação acumulada até abril, de 8,17%.

Outros órgãos pesquisados, como a Câmara dos Deputados, o Senado Federal, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal de Contas da União (TCU) também custam mais aos cofres públicos em 2015.

Segundos os dados oficiais do próprio governo federal, o Planalto gastou, entre janeiro e abril de 2014, R$ 1,6 bilhão com as despesas da administração geral e órgãos e secretarias vinculadas à Presidência. No mesmo período deste ano, os valores chegaram a R$ 2,2 bilhões. Apesar da redução com alguns gastos, como uso de combustível para o transporte de autoridades e material de expediente, houve aumento em outros itens, como material gráfico, que passou de R$ 7,2 milhões no início do ano passado para R$ 31,3 milhões agora – aumento de 334,72%.

GASTANDO MAIS

Segundo o Portal da Transparência, a Secretaria de Administração da Presidência da República gastou até o início de maio R$ 165,8 milhões, sendo a maior parte – R$ 35,1 milhões – destinada a despesas com pessoal e encargos especiais, esta última rubrica não é detalhada. Logo em seguida estão os gastos com vencimentos e vantagens fixas, em que são contabilizados salários e gratificações para servidores permanentes e de cargos de confiança, com um custo de R$ 24,8 milhões. Para as despesas com passagens aéreas e locomoção de servidores ligados à Presidência, foram desembolsados R$ 8,6 milhões.

COZINHA CARA…

Alguns gastos curiosos da Presidência neste início de ano foram divulgados pela ONG Contas Abertas, também com levantamentos feitos no Siafi, como a compra de um afiador de facas elétrico por R$ 9,3 mil e de 10 baldes térmicos de gelo para a cozinha do Palácio do Planalto, no valor total de R$ 9,1 mil. Cada balde com capacidade para 2,5 litros saiu a R$ 914,50.

A ONG ressalta que não existe nenhuma ilegalidade nesse tipo de gasto, mas a intenção de divulgar despesas incomuns e tornar públicas tais aquisições é discutir os gastos e aumentar a transparência na administração pública. Procurada para comentar os gastos dos primeiros meses deste ano, a assessoria de imprensa da Presidência não respondeu aos e-mails da reportagem.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
A matéria enviada pelo comentarista Wilson Baptista Jr. diz tudo. Certamente, é o amolador de facas mais caro do mundo, assim como são os baldes de gelo mais caros do mundo. Governo rico é isso aí, comprou para Dilma uma bicicleta importada de R$ 3 mil, enquanto a similar nacional Caloi custa apenas R$ 600. (C.N.)

6 thoughts on “Dilma arrocha economia, mas aumenta gastos da Presidência

  1. É a farra com o dinheiro do povo, sem discriminar, porque não comprou da China, sairia mas barato, queria ver se Dilma Rousseff compraria para sua casa do próprio salário, é um escárnio e roubalheira do erário público, até quando admitirmos esta bagunça governamental, falo de todos os poderes, pois os outros devem fazer o mesmo, pobre Brasil não merecia estes mercenários.

  2. Vamos aguardar a inflação da Cesta Básica deste mês. Pelo que tudo indica, ela vai ser mais um Recorde do Governo Dilma+Lula+PT.
    Os ânimos irão esquentar!

  3. Afiador de facas por 9,1 mil só se for especial para as facas usadas para cortar a garganta dos contribuintes. Recentemente, comprei um de primeira linha, com todos os impostos embutidos, sem sonegação e custou menos de 300 reais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *