Dilma boicota Polícia Federal, mas elogia fim da impunidade

Dilma tenta se colocar como grande incentivadora da Polícia Federal

Deu em O Tempo

A presidente Dilma Rousseff afirmou que a investigação dos casos de corrupção na Petrobras podem mudar o país para sempre. A declaração foi dada na madrugada deste domingo (16), na Austrália, onde acontece o G-20,  que reúne as 20 maiores economia do mundo.

Para a presidente, a operação “Lava Jato” mostra que não existe impunidade e que os culpados  devem ser condenados.

“Não se pode pegar a Petrobras e condenar a empresa. O que nós temos de condenar são pessoas. Pessoas dos dois lados, os corruptos e os corruptores. Eu acredito que a questão da Petrobras é uma questão simbólica para o Brasil. Acho que é a primeira investigação efetiva sobre corrupção no Brasil, que envolve seguimentos privados e públicos”  disse.

Essa foi a primeira vez que Dilma falou sobre a operação, que já levou 23 pessoas para a prisão.

Por fim, a presidente disse que as investigações não influenciam na escolha de ministros. A presidente afirmou também que se deve ter cuidado com as denúncias.

“Nem toda a Petrobras, nem todas as empreiteiras. Eu não acho que também dá para demonizar as empreiteiras desse país. São grandes empresas e se A,B, C ou D, praticaram malfeitos, atos de corrupção ou de corromper, eu acho que eles pagarão por isso”, explicou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGA “versão” da presidente Dilma é muito criativa. Quem lê suas declarações pode até pensar que ela é a grande incentivadora das ações da Polícia Federal. Mas a verdade é totalmente diversa. Enquanto os gastos públicos, incluindo custeio, subiram sem parar no governo dela, a Polícia Federal tem sido prejudicada na distribuição de recursos e até mesmo o pagamento das diárias dos delegados e agentes sofreram restrições. Mas a suposta doutorada Dilma Rousseff parece que não sabe fazer contas direito. Ela só acertou em dizer que o país vai mudar para sempre. Vai mudar tanto que ela pode até sofrer impeachment. (C.N.)

 

9 thoughts on “Dilma boicota Polícia Federal, mas elogia fim da impunidade

  1. O site do advogado americano Jason Coomer possui uma seção específica para processos de delação de corrupção do governo brasileiro. Coomer encoraja internautas que “tenham conhecimento de contratos fechados por meio de suborno ou contrapartidas ilegais” a entrar em contato, pois as recompensas previstas na legislação dos Estados Unidos variam de 10% a 30% do valor do suborno e de possível superfaturamento.

    Apesar de ser uma publicação que precede as revelações da operação Lava Jato, a Petrobras já era um dos principais alvos de Coomer, pois ao combinar as enormes reservas de petróleo e gás com investimentos estrangeiros diretos, a estatal faria do Brasil o quinto maior produtor de petróleo do mundo, atrás apenas da Rússia, Arábia Saudita, EUA e Irã.

    O site afirma que o Brasil é um dos países que atrai muitos investidores internacionais e “essa ferrenha competição combinada com o histórico brasileiro de corrupção no governo será um teste para inúmeras leis anti-suborno”.

    Como forma de incentivar delatores, Coomer lista várias companhias ligadas à indústria do petróleo condenadas pela lei anti-corrupção nos EUA, bem como os valores dos respectivos acordos selados junto à Securities and Exchange Comission (CMV americana). Confira abaixo a lista e os valores pagos nos acordos.

    Panalpina – Subornou autoridades na Nigéria, Angola, Brasil, Rússia e Cazaquistão. US$ 81,9 milhões
    Pride International – US$ 56,1 milhões
    Royal Dutch Shell – US$ 48,1 milhões
    Transocean – US$ 20,6 milhões
    Noble Corporation – US$ 8,1 milhões
    Tidewater – US$ 7,5 milhões
    GlobalSantaFe – US$ 5,8 milhões

  2. Autoridades dos ESTADOS UNIDOS estão investigando o envolvimento da Petrobras e de seus funcionários em um suposto esquema de pagamento de propinas, segundo reportagem publicada neste domingo pelo “Financial Times” em sua página na internet. Conforme o jornal, fontes familiarizadas com o assunto contaram que o DEPARTAMENTO DE JUSTIÇA dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal sobre a empresa, que tem ADRs (do inglês American Depositary Receipt) listados em Nova York, enquanto a Securities and Exchange Commission (SEC), que regula o mercado de capitais americano, está buscando um inquérito civil.

    A reportagem lembra que a estatal, a maior empresa brasileira, é alvo de investigações pela Polícia Federal e pelo Ministério Público que podem culminar na revelação de “um dos maiores casos de corrupção da história do país”. O jornal também destaca que muitos dos problemas apontados na Petrobras teriam ocorrido quando a presidente reeleita Dilma Rousseff estava à frente do conselho de administração da empresa.

    “As autoridades dos Estados Unidos estão investigando se a Petrobras ou seus funcionários, intermediários ou prestadores de serviços violaram a Lei de Práticas Corruptas no Exterior [tradução livre de Foreign Corrupt Practices Act], uma lei anticorrupção que torna ilegal subornar funcionários estrangeiros para ganhar ou manter negócios”, indica a reportagem, citando as mesmas fontes como origem da informação.

    No Brasil, segue o texto, promotores alegam que a estatal e seus fornecedores superfaturaram custos de projetos e aquisições em “centenas de milhares de dólares e repassaram parte dos recursos para políticos da coalizão governista liderada pelo Partido dos Trabalhadores”. Segundo o Financial Times, o Departamento de Justiça e a SEC declinaram de comentar o assunto e a Petrobras não respondeu o pedido de entrevista.

  3. SOL QUADRADO – Não bastasse ter se transformado no alvo principal das investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, a Petrobras agora está na mira das autoridades norte-americanas, que desejam apurar a conduta da companhia nos Estados Unidos. As apurações devem, mais uma vez, causar ENORMES DANOS à imagem da estatal brasileira, que também negocia suas ações na Bolsa de Nova York.

    De acordo com o jornal britânico “Financial Times”, em matéria publicada na edição do último domingo (9), o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu investigação criminal contra a estatal. Já a Securities Exchange Commission (SEC) – órgão que regula o mercado de capitais nos Estados Unidos e equivale no Brasil à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) – iniciará uma investigação civil contra funcionários da empresa.

    A situação da Petrobras nos Estados Unidos SE DETERIORA com o passar do tempo, pois uma empresa que é vulnerável a interferências políticas, começando por ESCÂNDALOS DE CORRUPÇÃO, não pode ter suas ações comercializadas na Bolsa de Nova York, que impõe regras rígidas aos participantes do mercado acionário local.

    A investigação do escândalo conhecido como “Petrolão” poderá arranhar ainda mais a imagem do País e dificultar o acesso de outras empresas brasileiras ao mercado de capitais norte-americano.

    Na segunda-feira (10), o vice-presidente da República, Michel Temer, minimizou a investigação das autoridades dos EUA sobre suspeitas de desvio de recursos na Petrobras. Ele disse que se os EUA abriram a investigação, devem dar continuidade “como o Brasil está fazendo”. “A expressão doa a quem doer é muito correta em relação às investigações que já estão sendo feitas pelo governo federal”, disse Temer.

    É importante destacar que, ao contrário do que disse a presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral, o governo federal tem feito tudo para impedir a investigação do maior escândalo de corrupção da história nacional. A ação da tropa de choque do Palácio do Planalto na CPMI da Petrobras, nesta terça-feira (11), impediu a aprovação de requerimentos, em especial de convocação dos envolvidos no esquema criminoso.

    A posição do governo brasileiro em relação às investigações que já estão em curso nos Estados Unidos é muito delicada, uma vez que para continuar comercializando ações na Bolsa de Nova York a estatal terá de reconhecer as ilegalidades, já explicitadas nas investigações, e submetendo-se, na melhor das hipóteses, a um termo de ajustamento de conduta, como informou um renomado operador do mercado financeiro internacional. Se isso acontecer, ou seja, a petrolífera reconhecendo o esquema de corrupção, O GOVERNO DO PT SERÁ ARRASTADO DE VEZ PARA O OLHO DO FURACÃO, sem direito a desculpas esdrúxulas.

    No caso de negar que o caso de corrupção tenha ocorrido, apesar do cipoal de provas incontestáveis, a Petrobras poderá ser banida da Bolsa de Nova York, o que deixaria a empresa em situação de dificuldade ainda maior. Isso significa que O GOVERNO BRASILEIRO TERÁ DE DECIDIR se salva a Petrobras ou poupa o Partido dos Trabalhadores.

  4. A quem se interessar: o DPF age sob as ordens do Ministério da Justiça. Toda atividade da PF tem o aval do MJ. Se antes ela fez pouco, é porque não lhe era permitido por seu próprio ministro.

    Mais uma: torcedor é torcedor; comentarista isento é outro departamento (mais parecido com o Departamento de Polícia Federal).

  5. Dilma e sua dicotomia.

    Ela não consegue esclarecer por que quando era Presidente do Conselho de Administração da Petrobras não solicitou ou leu os relatórios da Auditoria Interna da própria Petrobras quanto aos mais diversos contratos.

    Se a Auditoria Interna não funciona então devem demitir todo o setor para reduzir os custos.

    • Se a auditoria interna, ou seja, feita por funcionários auditores da própria empresa não funcionou, é porque também está contaminada, comprometida.

      Neste caso, apenas uma auditoria externa independente sobre os controles operacionais, de gestão e contábeis poderia identificar as fraudes administrativas e de gestão.

      Como a Lei 6.404/76 da Lei das Sociedades por Ações, obriga apenas auditoria externa e independente para o caso de verificação da fidedignidade dos dos relatórios financeiros, E NÃO DE CONTROLES DE GESTÃO OU OPERACIONAIS, as fraudes nunca seriam detectadas.

      …………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

      Art. 177. A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial e desta Lei e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de competência.

      (…)

      § 3o As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários e serão obrigatoriamente submetidas a auditoria por auditores independentes nela registrados. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009)

  6. A PRESIDANTA quer cuspir no prato que comeu e lambeu os beiços. É muita falta de vergonha na cara, a principal beneficiaria da roubalheira agora querer se travestir de moralista e combatente da corrupção da qual foi a principal beneficiária. DEUS É GRANDE ,essa BANDIDA não pode ficar impune e ficar DESGOVERNANDO o país até 2018. Aliás se ela ficar ilesa até lá, pode-se contar que sua permanencia no poder vai ser eterna e isso não vai acontecer, ainda mais se o LULA dançar. Esse estrume moral não terá a minima competencia politica para se manter no cargo, nem capacidade gerencial de recuperar a economia e muito menos condição de se impor militarmente.
    A porta da rua lhe será a serventia da casa, isso prá deixar barato, pois se ficar enchendo muito o saco o que lhe restará será a porta do xadrez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *