“Dilma Bolada”, cabeleireiro e até camareira eram pagos com o Caixa 2

Ator que interpretou “Dilma Bolada” levou 400 mil

Carolina Brígido
O Globo

Em delação premiada, a publicitária Mônica Moura disse que ela e o marido, João Santana, pagaram R$ 200 mil ao ator Jefferson Monteiro, que interpreta o personagem Dilma Bolada nas redes sociais, na campanha eleitoral de 2014. O dinheiro teria sido pago a pedido do coordenador da campanha, Edinho Silva, sob o argumento de que o trabalho do ator era vantajoso para a imagem da então presidente.

“As condutas de Mônica Moura e João Santana prestar favores pessoais ocorreram no contexto da relação espúria mantida pelos publicitários com campanhas vinculados ao Partido dos Trabalhadores, em especial da então Presidente Dilma Rousseff”, afirmou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em petição enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A pedido de Janot, o ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no STF, enviou os indícios para o Ministério Público Federal no Paraná. Os procuradores vão avaliar se pedem abertura de inquérito contra Dilma para investigar o episódio na 13ª Vara Federal no estado, comandada pelo juiz Sérgio Moro.

Segundo a petição de Janot, Monica disse em depoimento que foi chamada para uma reunião no comitê político do PT em 2014. Lá, ouviu de Edinho o pedido para que ela e o marido arcassem com uma dívida de R$ 400 mil que o comitê tinha com Jefferson Monteiro, “para evitar a interrupção das postagens, consideradas favoráveis à imagem de Dilma Rousseff”. Monica contou que pagou a metade. A outra metade teria sido paga por Daniele Fonteles, dona da empresa Pepper, que trabalhava com o marketing da campanha nas mídias sociais.

CORTESIA – “Mônica Moura esclareceu que esses serviços foram custeados por ela a título de cortesia a uma cliente relevante. Ante a possibilidade de a empresa participar da campanha de Dilma em 2014 mostrava-se interessante o pagamento destes favores pessoais à então Presidente da República”, diz o procurador na petição enviada ao STF.

A mesma petição trata de outros favores pessoais feitos pelo casal de marqueteiros a Dilma. Em delação premiada, Mônica diz que, ao longo de 2010, pagou R$ 4 mil por mês a uma ajudante particular de Dilma chamada Rose, identificada como cabeleireira e camareira pessoal. O pedido para fazer o pagamento teria vindo de Anderson Dornelles, que era assessor de Dilma. Os pagamentos teriam perdurado para depois da campanha, quando Dilma já era presidente da República.

CABELEIREIRO – Outra despesa dos publicitários foi com o cabeleireiro Celso Kamura, contratado na campanha de 2010 para prestar serviços para Dilma. “Diante do sucesso do trabalho de Kamura, Dilma Rousseff quis continuar com os serviços do cabeleireiro para eventos importantes. Como o Palácio da Alvorada não cobria esse tipo de despesa (não há rubrica correspondente), o assessor de Dilma, Anderson Dornelles, solicitou novamente que Mônica Moura arcasse com os pagamentos ao cabeleireiro, o que perdurou até o ano de 2014”, diz o procurador-geral.

Segundo a delatora, a diária de Kamura era de R$ 2 mil. Ao todo, os publicitários teriam pago R$ 40 mil ao cabeleireiro. Ela contou que os pagamentos eram feitos em dinheiro, muitas vezes com a ajuda do operador do casal, André Luís Santana.

A mesma petição também trata de gastos de cerca de R$ 100 mil de João e Mônica com serviços e deslocamentos de técnicos de teleprompter particulares de uma empresa de São Paulo. Durante a campanha, Dilma teria preferência pelos técnicos, que teriam sido levados inclusive para eventos internacionais.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como se vê, a então presidente Dilma Toda Pura fazia uma confusão danada entre o público e privado. Essa história do cabeleireiro era mais do que sabida, o próprio Kamura já revelara que era pago pela Polis, empresa de Santana. Mas agora surgiu também a camareira, é um nunca-acabar… (C.N.)

12 thoughts on ““Dilma Bolada”, cabeleireiro e até camareira eram pagos com o Caixa 2

  1. E Ela não sabia de nada, é muito cinismo destes políticos, é uma vergonha, até quando vão achar que dinheiro público é deles, já recebem tantas benesses e ainda tem que meter a mão no dinheiro do cidadão contribuinte, enquanto a lei não for dura neste país, vamos continuar a assistir estes abusos, a consequência é que falta dinheiro para educação, saúde, segurança e infraestrura no país, é preciso acabar com esta farra, todos saem ricos, viajam ao exterior quando querem, tem segurança particular e saúde de qualidade, tudo pago pelo povo, isto tem que mudar, é servidor público, seja em qualquer cargo público.

    • Deixam de exercer a profissão para se tornarem politicos. Claro, faturam mais. Conheço um que escrevia, era palestrante de auto-ajuda e assim se promovendo perante o público, lançou-se candidato a deputado federal. Claro, famoso, ganhou. Ficou 8 anos, cansou e por isto conseguiu aposentadoria para tratamento de saúde. Lançou o filho como candidato. É só. “a gente somos inúteis!

      • Mas o que ele falou é verdade ou não? Só porque ele fugiu aos teus padrões então ele não presta? Ah Dona Carmem Lins, destruir para encobrir a verdade? Ele está sendo apenas o mensageiro da má notícia e não quem a gerou!

  2. Como se vê, Dilma não apenas se utilizou covardemente de codinomes falsos como Wanda, Patrícia, etc… na época do regime miitar, mas ainda nos dias de hoje CONTINUA USANDO!!!

    http://veja.abril.com.br/politica/dilma-usou-codinome-iolanda-em-e-mail-secreto-para-joao-santana/

    Depois vem um ex-comentarista “todo-puro”, metido a militante, fã de Dilma, se vangloriar que só ele dava seu nome completo e que os demais eram covarde de mostrar os seus nomes verdadeiros… tadinho. Que a nuvem cibernética o tenha para todo-o-sempre

  3. Inútil – Ultrage a rigor

    A gente não sabemos escolher presidente
    A gente não sabemos tomar conta da gente
    A gente não sabemos nem escovar os dente
    Tem gringo pensando que nóis é indigente

    (Refrão)

    Inútil
    A gente somos inútil
    Inútil
    A gente somos inútil
    Inútil
    A gente somos inútil
    Inútil
    A gente somos inútil

    A gente faz carro e não sabe guiar
    A gente faz trilho e não tem trem prá botar
    A gente faz filho e não consegue criar
    A gente pede grana e não consegue pagar

    (Refrão)

    A gente faz música e não consegue gravar
    A gente escreve livro e não consegue publicar
    A gente escreve peça e não consegue encenar
    A gente joga bola e não consegue ganhar

  4. Políticas deploráveis de Temer merecem severa condenação

    Noam Chomski

    Dois artigos de Clóvis Rossi publicados pela Folha passaram uma impressão enganosa a respeito de algumas observações sobre o Brasil e a América Latina que fiz numa entrevista ao programa noticioso do site “Democracy Now”.

    Comecei por enfatizar que “conquistas reais” foram alcançadas no Brasil e em outras partes da região e prossegui dizendo: “Êxitos reais foram alcançados, e acredito que muitos deles serão mantidos”.

    Discuti esses avanços em maior detalhe em outras ocasiões, falando de como as conquistas dos governos de esquerda/centro-esquerda avançaram muito na reversão dos efeitos desastrosos das políticas neoliberais das chamadas “décadas perdidas”, beneficiando grandemente a maioria da população e aprofundando as bases para a participação democrática.

    E em outras entrevistas e artigos também tenho comentado com frequência como a política externa do governo Lula -competentemente resenhada no importante livro de Celso Amorim, “Teerã, Ramalá e Doha”- elevou o Brasil a uma posição de liderança no palco mundial, levando-o a tornar-se um dos países mais respeitados do mundo.

    Como Rossi relata, também comentei no “Democracy Now” que houve falhas, incluindo a de escapar do modelo extrativista, e o fato de que grande parte da liderança “juntou-se à elite extremamente corrupta, que sempre roubou; tomaram parte no jogo e perderam a credibilidade”.

    Também expressei a esperança de que seja possível agora utilizar as grandes conquistas para avançar mais, evitando os fracassos.

    Na verdade, merecem severa condenação o “golpe branco” que afastou Dilma Rousseff (PT) da Presidência e as políticas deploráveis e destrutivas que estão sendo implementadas pelo governo Michel Temer (PMDB). Tais medidas, se não forem revertidas em pouco tempo, causarão prejuízos muito sérios e de longo prazo ao Brasil.

    http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2017/05/1881434-politicas-deploraveis-de-temer-merecem-severa-condenacao.shtml

    Do site Controvérsia

    • Artigo interessante.
      No entanto, está fora do contexto.
      Seria interessante a não “!mistura” de temas, evitando-se perder o alvo da matéria e desperdiçar-se outra matéria para análise.
      Fallavena

  5. Essa gente não tinha qualquer vergonha ou respeito perante o dinheiro público! É nojento descobrir fatos assim!

    Mas depois querem tentar assumir papéis de vítimas, de perseguidos pela imprensa, e etc…

    Cadeia neles todos!

  6. UM ANO DE GOLPISMO E OPOSIÇÃO FROUXA

    “O Brasil está mudando o que não mudou em décadas”, afirma o super ministro Henrique Meirelles que nas gestões Lula comandou com total liberdade a área econômica via Banco Central, ao abrir a celebração do primeiro ano do governo de Michel Temer. https://www.facebook.com/AgoraNoPlanalto/videos/906851906119343/?pnref=story

    A quem enganam ou quantos os aplaudem, movidos nessa conversa? A modernização tributária virá para tornar os impostos mais justos, segundo Michel. Será bom temer? Liberar o FGTS não indica o aquecimento da economia, como diz o governo, mas a deterioração de sua parte mais frágil sem contar que a medida atinge de morte a Caixa Econômica Federal em fase seguinte poderá ser levada à privatização. O ex-ministro Antonio Palocci, numa delação, poderá contar como socorreu o sistema Globo no BNDES como disse a ex-presidente Dilma Rousseff?

    GLOBO X DILMA: Algo MUITO ALÉM DO CIDADÃO KANE
    https://www.youtube.com/watch?v=049U7TjOjSA Além do Cidadão Kane é um documentário produzido pela BBC de Londres – proibido no Brasil desde a estréia, em 1993, por decisão judicial – que trata das relações sombrias entre a Rede Globo de Televisão, na pessoa de seu criador Roberto Marinho, com o cenário político brasileiro.

    A presidente Dilma Rousseff caiu porque mexeu no vespeiro que herdou de governos passados. As mazelas vinham de bem antes daquele telejornalismo estapafúrdio da TV Globo, que culminou no golpismo imposto ao Brasil por cúpulas políticas servis e submissas a escusos interesses, que vinham ruindo em decadência nos últimos vinte anos e se agarram no poder aprofundando suas cumplicidades. ‘O estrago foi tão grande que precisamos de 20 anos pra reparar’, não é assim que justificam? http://br.rfi.fr/geral/20120103-combate-corrupcao-faz-dilma-ser-mais-popular-que-lula-afirma-jornal-frances

    HÁ UM ANO ESCREVI (republiquei no face): O poder move os fracos nos momentos mais dramáticos e cruciais da história, como o que vivemos neste dia 12 de maio. Para seguir honrando o legado de Leonel Brizola o PDT terá que cortar na própria pele, adotando as anunciadas medidas punitivas contra seis deputados federais e esses senadores que descumpriram a deliberação partidária selando a deposição da presidente Dilma Rousseff para estabelecer no país um governo ilegítimo, sem alma popular e desprovido de compromissos com a soberania nacional.

  7. As novas delações de Santana e de Monica Moura seguem o roteiro das recentes delações: uma narrativa cuja verdade ou mentira não é possível comprovar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *