Dilma busca ressurgir e anuncia revisão de erros cometidos

Pedro do Coutto

Em reportagem publicada na Folha de São Paulo, 22 de julho, Valdo Cruz revela que, através de sua assessoria política, a presidente Dilma Rousseff está assumindo o compromisso de rever erros que admite ter cometido no primeiro mandato. A iniciativa demonstra que a partir de agora, véspera do início da campanha eleitoral, ela busca ressurgir na caminhada para um segundo mandato assim reconquistando tempo perdido. Despertou tarde, mas, como diz o aditado, antes tarde do que nunca.

Foi evidentemente tocada pelas recentes pesquisas do Datafolha que iluminaram o aumento da rejeição a seu governo, o que, como é inevitável, acarretou a descida de sua liderança de 38 para 36 pontos no espaço de quinze dias. Mais importante do que o pequeno recuo, aí sim, é o registro  do que pode ser uma tendência. O Datafolha assinalou 36% das intenções de voto, contra 20% de Aécio Neves e apenas 8 pontos para Eduardo Campos. Mas existem muitos outros candidatos, a começar pelo pastor Everaldo  que alcança 3 degraus.

Somados todos os percentuais, de acordo com o Datafolha, verifica-se um empate. Ou seja, a soma dos adversários coincide com os 36 pontos alcançados pela chefe do Executivo. Tais números acentuam, mais que uma tendência possível, a hipótese provável do segundo turno. Assim, a decisão nas urnas seria transferida de 5 de outubro para 26 do mesmo mês, conforme prevê a lei.

ERROS  

A matéria do jornalista Valdo Cruz é bastante forte ao refletir vários ângulos do processo de fixar um panorama verdadeiro. A começar pelo fato de a assessoria de Rousseff alinhar o que Dilma reconhece como seus principais erros na trajetória de seu desempenho político, a partir dos planos econômico e social.

No campo político, do qual se ganha e se pErde votos na urna, ela admite a falta de diálogo com os partidos aliados e com as correntes do empresariado que mais se aproximam de sua candidatura. Os outro seis aspectos concentram-se no corte das tarifas de energia, desoneração sobre as folhas de pagamento, tarifas de ônibus, preço dos combustíveis procedentes do petróleo, empenho em assegurar superávit primário (a contabilidade antes de considerar o custo com a rolagem da dívida interna), além da limitação dos ganhos das empresas de transporte rodoviário e ferroviário.

Essas medidas, todas elas, voltadas para conter a inflação em patamar positivamente absorvível pela sociedade, mas, vê-se agora, não produziram os resultados almejados. Sim. Porque se tivessem logrado atingir os resultados esperados, ela, Dilma, não os incluiria num quadro de revisão.

NOVO ESTILO

A essa lista de reformas, a meu ver, ela deve acrescentar a mudança de seu estilo que, se não a levou a um isolamento, pelo menos bloqueou  sua progressão no processo de ampliar as intenções de voto para si.

Os números confirmam essa imagem. No primeiro turno, ela tem 36, Aécio 20, Eduardo Campos 8 pontos. Caso haja segundo turno, o Datafolha aponta 44 para ela, 40 para Aécio. Portanto ela sobe 8 degraus, Aécio   duplica a percentagem do primeiro embate, sobe portanto para 40. A aproximação ocorre. Porém tem que se levar em conta os sufrágios brancos e nulos que podem conduzir a uma distância maior dela em relação ao senador mineiro.

Porque se a pesquisa registrar, digamos, o que é provável, 15% de nulos e brancos, as percentagens terão que ser infladas, é claro, na mesma escala. Sobe mais, assim, quem está na frente. Mas estas são interpretações dos números. Havendo segundo turno, os debates e os conteúdos das colocações do tema é que vão decidir se Dilma Rousseff continua no  plano alto do planalto ou se vai ser sucedida por Aécio neves. O pastor Everaldo, vejam só, pode ser decisivo para definir se haverá ou não segundo turno.

Eduardo Campos, a meu ver, vai esperar o terceiro turno. Mas este só nas eleições de 2018.

7 thoughts on “Dilma busca ressurgir e anuncia revisão de erros cometidos

  1. Caro CN … Sei, não … Cansei de pedir COALIZÃO em vez de base de apoio … Nesta Assessoria aí, quantos são do PMDB??? Conta outra, Sr. Publicitário … Só não entende quem não quiser … Estão cristianizando o Vice Temer … Por que será??? Só creio em arrependimento, conversão, metanóia e em nova Dona Dilma, se a Comissão da VERDADE passar a investigar, interrogar e relatar desde 1946 os dois lados da GUERRA FRIA … que no BR andou esquentando.

  2. Fica muito difícil reverter esta posição depois que Lula, PT e a gerentona Dilma venderam na campanha de 2010 a IMAGEM de DILMA ser uma GRANDE ADMINISTRADORA.

    Esta tentativa de mudança condição, aposto que a Oposição vai deitar e rolar. Basta colocar os vídeos de 2010 onde Lula, PT e Dilma PROCLAMAM DILMA ser SUPER ADMINISTRADORA e EFICIENTE, e 1/2 segundo depois colocar vídeo sobre a compra de Pasadena, dados do PIB e Inflação.

  3. O comandante competente dificilmente vai errar, ignorar a insubordinação, permitir ataques de piratas, bater num iceberg, tombar o navio.
    Tem a obrigação de chegar ao destino o mais rápido possível, não pode perder tempo nem adiar decisões.
    Num possível acidente, dependendo do navio, milhares de tripulantes com nível universitário na área de limpeza, arrumação e outros serviços tão importantes quanto, perderiam a vida juntos com o restante da tripulação e demais passageiros….
    Nosso navio tem capacidade para mais de 200 milhões de pessoas.

  4. Pelo andar da carruagem o Aécio Neves deve ter uma votação maior
    que a Dilma ainda no primeiro turno, caso isso aconteça, a vitória de
    Aécio, depende apenas de seu desempenho no segundo turno.
    Aécio não é o candidato ideal, mas tem mais bagagem do que o Lula
    e a Dilma, que nunca tiveram um cargo de executivo, na verdade, nunca
    foram nada em termos de experiência política.
    Mudar é preciso, sempre nos dá alguma esperança.

  5. Será que, entre os enormes e inúmeros erros de Dillma, pode-se incluir também os malfeitos?

    Que ela precisa mudar/corrigir aspectos da política econômica e da social não temos o que discutir. E de outras mais: a administrativa, por exemplo.

    Quanto aos aspectos de “melhorar o diálogo com aliados”, registre-se: diálogo, para aquela turma, é mais grana, mais cargos, mais espaços no governo. Será que ela ainda tem o que dar? E o PT ficará quieto e aceitará?

    Dillma foi, é e será sempre uma farsa!

    Não sabe se expressar, não sabe fazer política/politicagem, está mail assessorada, tem um diploma da administração, mas não é administradora ou pior, não sabe administrar coisa alguma.

    Mais quatro anos com ela e não teremos mais problemas: o País morrerá e teremos de ressuscitá-lo.

    Não apenas o governo e o estado estão dominados. Ela também.

    A lamentarmos, a pouca qualidade na oposição.

    Assim como na seleção de futebol, estamos pobres e vivendo uma safra de mediocridade.

    Nunca foi tão fácil vencer uma eleição presidencial no País.

    E, infelizmente, há espaço para piorar e continuar com os mesmos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *