Dilma chega a um novo ano desnorteada pela crise

Ricardo Balthazar
Folha

Para muitos brasileiros, atravessar 2014 foi como andar numa montanha-russa sem saber se o fim do passeio traria alvio ou novos sobressaltos. O ano acabou, mas as incertezas que ele produziu tornaro o prximo ainda mais agitado.

No comeo, as pessoas pareciam dominadas pela angstia. A economia entrou em recesso no primeiro semestre, havia o temor de uma nova onda de protestos nas ruas, e os atrasos na construo de estdios e aeroportos ameaavam a realizao da Copa do Mundo.

As obras ficaram prontas, e os manifestantes deixaram a indignao de lado para acompanhar o espetculo. Parecia que no fim ia dar tudo certo, mas a derrota humilhante imposta pela Alemanha ao Brasil voltou a azedar o humor nacional.

Quem sentiu primeiro foi a presidente Dilma Rousseff. Vaiada pela arquibancada no jogo de abertura e na final da Copa, ela foi luta pela reeleio com a popularidade em queda, a economia estagnada e os eleitores cobrando mudanas.

CAMPOS E MARINA

Aliados de primeira hora enxergaram ali uma oportunidade para saltar do barco governista. Juntos, Eduardo Campos e Marina Silva prometiam construir uma nova e arrebatadora fora poltica, capaz de encerrar duas dcadas de fla-flu entre petistas e tucanos.

Aps a morte de Campos, num acidente areo em agosto, a ideia ganhou impulso com a candidatura presidencial de Marina. A comoo com a tragdia deu embalo lder ambientalista, mas em poucas semanas ela virou p sob a fuzilaria do PT.

Dilma conseguiu se reeleger, mas foi por pouco. Sua vitria sobre o senador tucano Acio Neves se deu por margem estreita, e a oposio saiu das urnas revigorada por votaes expressivas nos principais colgios eleitorais.

CRISE DA PETROBRAS

Encerrada a campanha, Dilma reencontrou a realidade. Para recuperar a credibilidade perdida no terreno econmico, escolheu como novo ministro da Fazenda um economista que pensa o contrrio do que ela disse antes da eleio, Joaquim Levy.

Com dificuldades para contentar aliados na formao do ministrio, a presidente chegou ao fim do ano desnorteada pela crise na Petrobras e os desdobramentos das investigaes sobre o esquema de corrupo descoberto na estatal.

As primeiras aes contra os polticos implicados no escndalo devem ser abertas em breve pelo Supremo Tribunal Federal. Ningum sabe como isso vai terminar, mas certo que a turbulncia vai demorar para passar.

4 thoughts on “Dilma chega a um novo ano desnorteada pela crise

  1. O mantra petista, criado por Lula, a marca registrada do pete. Assim como um tubaro, que precisam nadar sempre para poder respirar, o pete precisa mentir o tempo todo caso contrrio perde o poder.

  2. Sem maiores delongas, a mentira contagiosa. O mitmano Barba passou de vez e com sucesso, a praga da demagogia para Dilma e, surpreendentemente. tambm a empfia e a soberba, que presumem garantir credibilidade ao que apregoam…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.