Dilma e Marina: consolidado o desfecho final nas urnas

Pedro do Coutto
Os últimos debates e posicionamentos dos candidatos às eleições presidenciais de outubro revelam nitidamente que se consolidou a polarização da disputa entre a presidente Dilma Rousseff e a ex-senadora Marina Silva. Aécio Neves perdeu o embalo na medida em que não foi agressivo nos seus pronunciamentos. Dilma mudou de estratégia e sentido. O avanço de Marina Silva foi focalizado nas pesquisas do Ibope e Datafolha, Dilma passou a dirigir seus ataque à principal adversária que inclusive continua a crescer.
Agora mesmo o Ibope, reportagem de Cássio Bruno e Letícia Fernandes, O Globo de terça-feira três, revela que Marina Silva abriu 16 pontos sobre Dilma Rousseff em São Paulo, alcançando 39% das intenções de voto. Dilma permaneceu com 23 pontos e Aécio Neves desceu dos 19 para o décimo-sétimo degrau . A tendência de subida de Marina Silva, contra a qual se volta Dilma Rousseff, pode ser bem analisada se verificarmos que no Rio de Janeiro, onde Dilma liderava, a ex-senadora passou a liderar com a margem de seis pontos: 38 a 32. Portanto, a arrancada de Marina Silva continua, como mostram os resultados em São Paulo e no Rio de Janeiro.
A importância destes dois colégios é essencial, pois são respectivamente o primeiro e o terceiro redutos dos votos nacionais. O segundo colégio é Minas Gerais. Os três estados atingem praticamente a metade de todo o eleitorado brasileiro.
NO SEGUNDO TURNO…
O embate decisivo será no segundo turno, marcado para 26 de outubro. E a partir de agora os debates vão se concentrar cada vez mais entre Dilma e Marina, como ficou comprovado também na edição do horário eleitoral gratuito da última terça-feira. Está nítido no panorama o cotejo que assinalamos entre as duas candidatas, o que levará a escolher entre uma e outra, com o quadro não dando margem a uma outra opção.
Um fenômeno que também se observa é a redução dos eleitores que tendiam a anular o voto ou votar em branco, mas que resolveram mudar de posição. Essa mudança foi no sentido de Marina Silva, já que à medida em que ela sobe, os eleitores desestimulados descem na escala.
Para o confronto final as duas candidatas, vamos chamar assim, terão que se voltar cada vez mais para o plano concreto das ideias, que é o meio mais eficaz de atingir e emocionar o eleitorado. A posição mais sensível é da presidente Dilma Rousseff, cuja atuação visa conter a arrancada de Marina Silva e recuperar o espaço e o tempo perdido, na maratona eleitoral. Seu alvo não era Aécio Neves e sim a ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, que deixou o cargo no início do segundo mandato do ex-presidente.

4 thoughts on “ Dilma e Marina: consolidado o desfecho final nas urnas

  1. Muito difícil reverter tal quadro em favor do Senador Aécio Neves.

    É uma pena.

    O país mergulhou numa armadilha de baixo crescimento com inflação que, sem os ajustes necessários, demoraremos dois anos ou mais para sairmos.

    O único que poderia “encarar” tais ajustes é o Sen. Aécio Neves e sua equipe de governo.

    Vamos penar pelos próximos quatro anos, pelo menos.

    Definitivamente, não somos um povo que mereça ter as mesmas condições que tem os países desenvolvidos.

    Questão de escolha.

  2. Quem bolou aquele acidente com o Cessna ignorou o poder da nossa Chapolin Amazônica, Marina Silva, que deve ter dito “Não contavam com minha astúcia”, e ao ouvir o clamor popular “Oh! E agora, quem poderá me defender?”, entrou na luta para nos livrar dessa maldição demoníaca chamada PT e sua bruxa do 71, aquela cúmplice do pinguço 171.

  3. Com todo o respeito, calma, senhor Pedro do Coutto… ainda tem muito chão para o desfecho das campanhas que estão acontecendo.
    Até porque em política, a nuvem da hora, pode se desmanchar a qualquer momento e, também, faltar quase um mês para o dia da eleição…
    A boa notícia do dia, dá conta que o presidente do PSDB mineiro acordou para o fato de que o marqueteiro do Aécio, que não se perca pelo nome, Paulo Pestana, deve ter dado uma longa cochilada, não vendo o seu candidato, o melhor de todos, não estar liderando a corrida presidencial…
    Com o PSDB acordado, a coisa deverá melhorar para o Aécio…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *