Dilma enfrenta três grandes desafios ao mesmo tempo

Pedro do Coutto
No curto espaço que separa o final de seu primeiro governo do início do segundo, a presidente Dilma Rousseff está enfrentando três grandes desafios ao mesmo tempo: a formação do novo ministério, a sintonia com o mercado econômico financeiro e as soluções exigidas pelos escândalos envolvendo a Petrobrás, paridos políticos e as grandes empreiteiras do país. Tem-se a impressão que nenhum outro presidente tenha se deparado com a convergência de tantos problemas a um tempo só. Eles se intercalam inclusive e vão exigir soluções e disposições em vários sentidos.
O problema relativo a Fazenda parece estar bem encaminhado, um desafio a menos, salvo imprevistos que sempre surgem a frente dos governantes e dos governos. A formação do Ministério, por si já se apresenta como mais complicada, uma vez que a presidente da República necessita consolidar em bases firmes sua maioria no Legislativo. Os problemas nessa área não são poucos, a começar pela disputa em torno da presidência da Câmara dos Deputados. O governo não pode sofrer derrota neste episódio, sob pena de sofrer enfraquecimento prejudicial a sua estrutura política.

Ao mesmo tempo a equipe escolhida terá que representar a chamada base aliada, mas incorporar em si um grau de competência técnica nos vários setores, sem a qual a administração não encontrará o impulso necessário para seguir em frente e sobretudo retomar o crescimento econômico, ao contrário do que aconteceu este ano.
RENDA EM QUEDA
O crescimento do PIB não pode nunca perder para o crescimento demográfico, que é de 1,2% ao ano. Caso isso ocorra a renda ´per capita do brasileiro estará em processo de redução. Fácil perceber os reflexos negativos decorrentes de tal fenômeno. Um deles a retração do consumo, acarretando o risco de um grau de desemprego em consequência. A equação desse problema para que ele seja solucionado em bases positivas é um obstáculo a ser transposto.

Há o problema das tarifas públicas que exigem atualização, junto a ele o esforço para a tentativa de cumprir a meta inflacionária para 2015. Ainda por cima de tudo, e ao lado de tudo os escândalos da Petrobrás. A presidente da República assegurou ao longo da campanha eleitoral o fim da impunidade. A questão agora se coloca concretamente nas diretrizes traçadas por suas próprias mãos. Não pode haver linha de recuo, tampouco pode haver contemporização.
Os rombos causados ao patrimônio público superam escalas de bilhões e bilhões de reais e envolvem esquemas financeiros internacionalizados. Tanto assim que o juiz Sérgio Moro, em despacho singular, determinou o bloqueio de saldos de contas pessoais empresariais para tentar ressarcir pelo menos uma parte dos valores subtraídos de forma avassaladora.
Para isso – mais um desafio na área financeira – será necessário abrir uma conta especial provavelmente no Banco do Brasil para receber os depósitos. Os desafios começam a ser enfrentados e não têm prazo para terminar. Trata-se, portant, de uma ação de governo em várias escalas ao mesmo tempo. No fundo estão entrelaçadas entre si, porém cada etapa é uma etapa.

11 thoughts on “Dilma enfrenta três grandes desafios ao mesmo tempo

  1. INTEGRIDADE É GRANDE DESAFIO DO BRASIL, CONTRA AS GLOBO DA VIDA

    Afinal o que quer Alexandre Garcia, impondo o rótulo da corrupção nas testas de 53 milhões de eleitores, senão a divisão do país em só duas frentes políticas como na ditadura? Por quê a TV Globo não paga logo R$ 1 bilhão que deve ao fisco? Combate à corrupção se faz denunciando corruptos e corruptores, sem exceção, como fazemos em 18 anos de ações efetivas na Internet. Não será com divisionismos que vamos passar o país a limpo, menos ainda praticando a política rasteira sugerida pelos comissários da Globo. Vejam: http://pocos10.com.br/?p=16036

    Sejamos coerentes: É questionável a bifurcação do debate, com um lado defendendo cegamente o governo sob a ótica do “nunca antes na história deste país” e outro atacando ferozmente com frases como “este país vive o maior roubo de todos os tempos”. Quem se apega a esses falsos dilemas nega o mais concreto e precioso: a Constituição da República Federativa do Brasil, que só é possível fortalecer pela via democrática (ditadura nunca mais) e os partidos todos (não só dois) são instituições da democracia. O caminho da Legalidade é que deve nos motivar e unir em busca e defesa da verdade, esteja com quem estiver. Acho, francamente, que Dilma Rousseff venceu Aécio Neves porque ela se superou conseguindo a candidatura desacreditada e até desafiada pela mídia e dentro do próprio PT.

    Agora que passaram as eleições, aproveitadores e oportunistas tentam dividir a população. Na sexta-feira testemunhei uma dessas rixas que ocorrem nas redes sociais, entre pessoas que involuntariamente aplaudem esses grupos, que chegaram ao ponto de um lado decretar o fim da amizade com o outro simplesmente porque este estava defendendo seu ponto de vista favorável ao governo e, portanto, diferente do ataque raivoso da parte contrária. E como nada acontece por acaso, no mesmo dia recebi de uma amiga este link – http://jornalggn.com.br/noticia/os-filtros-invisiveis-na-internet#.VG8tUM7ovX4.facebook – e assistindo ao vídeo me convenci da existência dessa indução ao divisionismo.

    • Jornal GGN, mais um exemplo da ‘imprensa petista’ ….
      (…)…” Em 2005, por não honrar os pagamentos mesmo após negociações da dívida, o contrato foi executado, cobrando-se do blogueiro a quantia de R$ 4,2 milhões. O banco já estava buscando bens para penhora quando ocorre o acordo judicial entre as partes.
      Pelo acordo, o devedor-executado teria sua dívida repartida em duas parcelas: uma de R$ 2,38 milhões (subcrédito A) e outra de R$ 1,9 mi (subcrédito B). Pagando a primeira, ficaria DESONERADO da segunda. Isso mesmo: R$ 1,9 milhões não precisariam ser pagos ao BNDES, banco público gerido pelo governo federal.
      Esse tal “subcrédito A”, nos termos do acordo firmado entre BNDES e Luís Nassif, poderia ser pago ATÉ O ANO DE DOIS MIL E DEZESSETE. Isso mesmo: praticamente dez anos depois da data da celebração do acordo. São 120 parcelas que, sendo pagas, eliminam a exigência do pagamento do tal “subcrédito B” e, vale reiterar, num acordo judicial firmado SEM QUALQUER GARANTIA DE BENS.
      Ainda assim, em agosto DESTE ano, o banco NOVAMENTE executou Luís Nassif, alegando o seguinte (termos da execução de número 582.00.2005.200321-5, que tramita na 17ª Vara Cível de São Paulo_____________________________________________________
      Desde terça-feira, o jornalista tem destacado em seu blog informações em defesa do protesto contra a imprensa marcado para hoje a partir das 19 horas no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. Nassif é do conselho consultivo do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, que integra a organização do protesto, intitulado “Contra o Golpismo Midiático e em Defesa da Democracia”. Movimentos sociais de apoio ao governo, como centrais sindicais e a UNE, já manifestaram adesão ao movimento.
      A EBC informou que o jornalista foi contratado porque a legislação “prevê a dispensa de licitação para pessoas ou empresas de notória especialização”.
      Nassif fechou um novo acordo depois de ter expirado, em julho, o contrato de R$ 1,2 milhão que tinha para fazer o programa Brasilianas.
      Nassif disse que sua contratação sem licitação se deve ao fato de o contrato ter como objetivo http://fb.me/1xdQ23phL
      um “trabalho intelectual”, com “pessoas com reputação em sua área e reconhecimento público, que ajudam a reforçar a cara da emissora”. “Em relação à minha área – comentários econômicos -, há muitos e muitos anos fico entre os três jornalistas mais votados (no prêmio Comunique-se) na categoria jornalismo de economia, mídia eletrônica, além dos prêmios que recebi como jornalista de economia da mídia impressa”, afirmou.

      • Por que a Friboi não paga o BNDES e o fisco?
        (…)…Só para lembrar, o grupo JBS/Friboi deve ao BNDES e bancos privados R$ 30 bilhões, conforme demonstra o balancete de junho de 2013. O patrimônio líquido da empresa JBS/Friboi, descontados os ativos intangíveis, é de R$ 8 bilhões. O endividamento está totalmente fora dos padrões normais de uma empresa com boa governança corporativa, tal qual tinha acontecido com a OGX do empresário estelionatário Eike Batista. O Friboi é dos outros Batistas. O que fica evidenciado é de que a empresa JBS/Friboi tem seu índice de alavancagem em relação ao patrimônio líquido fora dos padrões de grandes corporações com ações na Bolsa de Valores. Além de tudo, o endividamento junto ao BNDES dentro do programa PIS, com juros subsidiados, está concentrado demais para um grupo empresarial só, no caso JBS/Friboi. O grupo JBS/Friboi tem, sozinho, cerca de 5% do valor total de recursos do programa PIS – Programa de Investimentos Sustentáveis. Este programa, eu o denomino de Bolsa Empresário, porque o Tesouro toma dinheiro no mercado pagando taxa Selic (hoje, 10,75%) e empresta aos empresários a uma taxa média de 3,5% ao ano. O Tesouro e ou BNDES pagam a diferença de juros de empréstimos concedidos aos empresários bolsistas. Além do setor de carnes, o grupo de Joesley Batista e Wesley Batista está pedindo recuros de R$ 2,8 bilhões aos fundos de pensão Previ, Petros e Funcef para dobrar o tamanho da Eldorado, indústria de celulose controlada pela família Batista. Além dos recursos dos fundos de pensão, a Folha noticiou que os Batistas têm pretensão de emprestar R$ 4,8 bilhões do BNDES e do fundo de desenvolvimento regional do Centro Oeste.

    • Valmor esta sua estorinha é para Friboi Dormir.

      Vc só esqueceu de relatar que dona Dilma do PT frequenta a casa dos donos da Globo, de quem vc diz que é inimigo do seu Glorioso Pertido.

      Também não menciona quantos contratos as Globo da vida possuem com a Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Economica, etc. etc?

      Só para relembrar, com direitoa foto e tudo:

      “Lily Marinho oferece almoço para Dilma com mulheres da sociedade carioca”

      DE SÃO PAULO

      Lily Marinho, viúva de Roberto Marinho, das Organizações Globo, ofereceu nesta sexta-feira, em sua casa, um almoço à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com mulheres da sociedade carioca.

      Veja galeria de fotos

      A petista e Lily dividiram a mesa com a economista Maria da Conceição Tavares, a escritora Nélida Piñon, a produtora Lucy Barreto e a colunista Hildegard Angel, entre outras.

      No cardápio, tartare de salmão com maçã e funcho e filé de cherne com banana caramelada, passas e urucum feitos pelo chef Claude Troisgos.

      Marlene Bergamo/Folhapress

      Detalhes leia: http://www1.folha.uol.com.br/poder/764718-lily-marinho-oferece-almoco-para-dilma-com-mulheres-da-sociedade-carioca.shtml

  2. Estamos em um país dominado por uma quadrilha. O reeducando José Dirceu, foi dar uns bordejos por São Paulo sem a autorização do STF. Até o ministro Eletrobras Barroso ordenou a sua volta, mas ele não voltou pois ‘não foi notificado”. O engraçado é que por muito menos o seu colega de mensalão, deputado Pedro Henry, foi obrigado a usar tornozeleira. Por que somente os bandidos de estrelinha tem esse privilégio? Tem que colocar tornozeleiras nesses meliantes !

  3. Da mesma forma que o cagoeta do Tuma ia processar o Tuma Jr, a Dilma ia processar a veja. Agora veio o resultado do ‘processo’, que o amigão íntimo do Zé Dirceu moveu contra o Paulinho….
    ” Um mês antes de ser preso, Renato Duque entrou com uma ação por calúnia e difamação contra Paulo Roberto Costa na Justiça do Rio de Janeiro. Duque se ofendera com o trecho da delação premiada de PRC em que ele confirmou a Sergio Moro a participação do ex-diretor de serviços da Petrobras no esquema de corrupção na estatal.

    Segundo Costa, o setor controlado por Duque destinava de 2% a 3% dos contratos da área de abastecimento da estatal ao PT.

    No início de novembro, dias antes de ser preso, Duque viu a juíza Simone Frota decidir em favor do ex-colega. Segundo a juíza, seria necessário provar que a declaração de PRC é falsa. Duque, até agora, não recorreu.

    Por Lauro Jardim
    ( Resumindo: Haja Vergonha na Cara ).

  4. Como sempre, o grande Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO sintetiza de forma clara e compreensiva o tríplice desafio do novo Governo DILMA/TEMER. Ela aprendeu muito nos primeiros 4 anos, e está substituindo ” a Nova Matriz de Desenvolvimento”, calcada só em Políticas de DEMANDA, por Ajustes Estruturais e Políticas de OFERTA que aumentem a LUCRATIVIDADE das Empresas, que num primeiro momento são IMPOPULARES, mas que após 2 ou 3 anos, começam a dar seus bons frutos.
    Sem jogar o País na Recessão Econômica com cortes excessivos no Orçamento Federal e aumentar muito os Juros, mantendo crescimento lento ainda em 2015 e 2016, para acelerar em 2017 e principalmente 2018, sempre com INCLUSÃO SOCIAL, a meu ver o Governo DILMA/TEMER fará um melhor trabalho, agora no Segundo Mandato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *