Dilma exige que ministros lutem contra impeachment dela

Deu no Estadão

A presidente Dilma Rousseff cobrou na segunda-feira (27/7) de 12 ministros que mobilizem as bancadas de seus partidos para impedir que propostas pedindo o seu afastamento do cargo contaminem a pauta do Congresso a partir da próxima semana, quando terminar o recesso parlamentar. Com receio de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), admita a tramitação dos pedidos de impeachment antes mesmo dos protestos marcados para 16 de agosto, o governo iniciou uma estratégia para pôr um freio de arrumação na base aliada.

Em reunião com o vice-presidente Michel Temer e os ministros, na tarde de segunda-feira (27/7), Dilma pediu ajuda para garantir apoio político no Congresso e evitar as manobras de Cunha, que rompeu com o governo após o lobista Júlio Camargo, delator da Operação Lava Jato, acusá-lo de receber US$ 5 milhões em propina. Dilma disse no encontro que o caso de corrupção na Petrobras, revelado pela Lava Jato, provocou instabilidade política e econômica. Segundo dois ministros ouvidos pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, a presidente observou que, por causa da sucessão de escândalos, o Produto Interno Bruto (PIB) caiu um ponto.

A preocupação de Dilma é com o agravamento da crise em agosto, quando o Congresso retoma suas atividades, e com os protestos de rua pelo impeachment convocados em todo o País que na segunda-feira ganharam o apoio formal do PSDB, principal partido de oposição. Segundo o senador Aécio Neves (PSDB-MG), os tucanos vão utilizar inserções partidárias de TV na próxima semana para estimular a participação popular nos atos pró-impeachment.

PAUTA-BOMBA

Ao falar na segunda-feira sobre os planos do governo para superar dificuldades, Dilma reforçou o pedido para que ministros conversem com deputados e senadores dos partidos aliados com o objetivo de impedir, também, a votação da chamada “pauta-bomba”, que aumenta as despesas e coloca sob risco o ajuste fiscal. Ela chegou a citar o projeto que foi obrigada a vetar, aumentando os salários do Judiciário em até 78,5%.

Na quinta-feira, Dilma vai se reunir com 27 governadores, em mais uma tentativa de obter sustentação política. “Se esperar só da União, não há solução. Eu acho que os governadores serão bons articuladores, especialmente em benefício dos Estados”, comentou Temer, após a reunião de segunda-feira. “Quando se tem aumento de despesas na área federal, isso repercute em cascata nos Estados. De modo que eles serão bons aliados.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGQuando é a própria presidente que chega a esse ponto de pedir apoio contra o impeachment, é sinal de que já está à espera da cassação. Dilma é primária e amadora. A palavra impeachment jamais poderia ser pronunciada por ela. (C.N.)

7 thoughts on “Dilma exige que ministros lutem contra impeachment dela

  1. Veja que frase bem coordenada que “a nossa” presidente disse:

    Não vamos colocar meta , vamos deixar a meta aberta, mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta.

    Não é sensacional?

    • …dita pela fenomenal mulher sapiens… como é inteligente, culta…mas saberá responder para onde foi parar essa reta da meta? Precisamos é ficar alertar e tirar o nosso da reta, isso sim.

    • Cezar e PC
      Cada vez que ouço e/ou vejo ella falando (tentando dizer algo), fico imaginando o nível cerebral dos eleitores da madame.
      É um país que precisará de um projeto “transplante” de cérebros.
      Esta é a nossa meta!
      Abraços

  2. Dillma é uma vergonha! Fala mal, pensa mal, trabalha mal. Igual a ella somente aqueles que depositaram seus votos para sua eleição e reeleição.

    “Dilma disse no encontro que o caso de corrupção na Petrobras, revelado pela Lava Jato, provocou instabilidade política e econômica.”

    Interessante! Não tinha nada, os controles internos estavam funcionando. A Petrobrás possuía instâncias que cuidavam de tudo. A principal delas era a que “cuidava das propinas”.

    Depois de tudo que foi descoberto (e ainda aparecerá), das mentiras que disse e continua dizendo, impeachment é pouco.

    Dillma e outros precisam, em nome da reconstrução nacional, terminarem na cadeia!

    Dia 16 de agosto, os cidadãos sérios precisarão ir às ruas, com as cores nacionais e o sentimento de patriotismo no coração.

  3. E no programa de televisão do PT, o som das panelas ecoarão por todo o país, bradando pelo fim do parasitismo estatal petista. E dia 16, às ruas, todos que sonham com um Brasil digno e soberano.

  4. Leiam a pérola que extraí do texto: Eu acho que os governadores serão bons articuladores, especialmente em benefício dos Estados”, comentou Temer, após a reunião de segunda-feira. “Quando se tem aumento de despesas na área federal, isso repercute em cascata nos Estados. De modo que eles serão bons aliados.”
    Alguém ainda pensa que o partido capacho vai deixar a base do governo? Nesta, o Cunha está sozinho.

Deixe uma resposta para virgilio tamberlini Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *