Dilma pensa (?) que pedalando poderá escapar do impeachment

Agenda positiva: Dilma curte a bike importada

Carlos Newton

O primarismo da presidente Dilma Rousseff é impressionante. Ela vive num mundo à parte, sem se preocupar com o que ocorre à sua volta. Por isso, caiu-lhe tão bem o papel de rainha da Inglaterra, que reina, mas não governa. Com a terceirização do governo, entregando a articulação política ao vice Michel Temer e o comando da equipe econômica ao ministro Joaquim Levy, pouco sobrou para Dilma Rousseff, que passou a ter mais tempo para se preocupar com dietas, operações plásticas, reforma das roupas e jogadas de marketing que possam criar uma “agenda positiva”, como se isso fosse possível num governo que consegue errar em tudo.

Em busca desta imaginária “agenda positiva”, a última manobra do marqueteiro João Santana foi a compra da bicicleta, para desviar as atenções e esfriar o escândalo das “pedaladas fiscais”, que já tem inquérito judicial em andamento na Procuradoria-Geral da República, por iniciativa do PSDB.

Mas o Planalto deu bobeira e começou errando, ao comprar uma sofisticada bicicleta da marca norte-americana Specialized, modelo Expeditio Sport Tubo Superior Baixo, que custa quase R$ 3 mil. Para não demonstrar o desprezo de Dilma pela indústria nacional, poderiam ter comprado uma bicicleta Aluminum Sport, da marca Caloi, com mesmo aro e marchas que a da presidente, que custa apenas R$ 600,00. Mas quem se importa?

Como não tem mais o que fazer, Dilma tem sido frequentemente fotograda pela equipe do Planalto passeando na Specialized e está se sentindo o máximo, enquanto o povo brasileiro, que ela deveria representar, enfrenta os rigores do mínimo.

RAZÕES DE IMPEACHMENT

O fato é que já existem abundantes razões para o impeachment ou cassação, que Dilma tenta esquecer através da “agenda positiva”, até agora limitada a uma ou outra pedalada made in USA.

1) Estes motivos começaram com a tese do ex-ministro Ives Gandra Martins, baseada na Lei de Improbidade Administrativa, infringida pela presidente Dilma Rousseff de forma culposa, por omissão e negligência no caso da Petrobras, mas sem dolo (intenção).

2) Depois surgiu a teoria do jurista Jorge Béja, com base na Lei Eleitoral, porque foram usados na campanha política de Dilma recursos oriundos do pagamento de propinas por empreiteiros, fato já mais do que comprovado nos inquéritos da Operação Lava Jato, com envolvimento do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

3) Em seguida, o ex-ministro Miguel Reale Jr. apresentou o pedido de ação penal para apurar os crimes de responsabilidade cometidos pela presidente da República nas prestações anuais de contas, através da “pedaladas fiscais”, grave infringência já reconhecida pelo corpo técnico do Tribunal de Contas da União.

4) Por fim, a prática de crime de responsabilidade ao vetar o trecho da Lei 13.126 que obrigava o BNDES a quebrar o sigilo de suas operações, em desrespeito à Lei Complementar 105, fato que uma semana depois era comprovado pelo Supremo, obrigando o BNDES a apressadamente vir a público revelar os detalhes dos financiamentos concedidos.

INCOMPETÊNCIA

Como se vê, não faltam fundamentos jurídicos para impedir ou cassar Dilma Rousseff. O que realmente acontece é que a incompetência passou a ser uma característica nacional, atingindo não somente os governantes, mas também as oposições.

O próprio pedido de ação penal redigido por Reale Jr., ex-ministro da Justiça e ex-consultor-geral da República, inexplicavelmente deixou de citar três das quatro razões que podem levar ao afastamento da presidente, embora qualquer acadêmico de Direito saiba que “quod abundat non nocet” (o que abunda não prejudica).

Traduzindo tudo isso: a presidente só se mantém no cargo por falta de competência política de seus adversários. Parece brincadeira, mas é a mais pura verdade. E só resta saber até quando isso persistirá.

26 thoughts on “Dilma pensa (?) que pedalando poderá escapar do impeachment

  1. Perfeito CN, a oposição é inoperante.Tirante um Carlos Sampaio, Caiado e, mais uns dois ou três , o resto parece está satisfeito com situação vergonhosa que o país passa.
    Abraço,
    César Cavalcanti.

  2. O filme se repete, só está faltando colocar camisetas com frases de efeito como fez o antigo inimigo e atual aliado Collor. E depois ser “impeachmada”…

  3. Caro Carlos Newton a Oposiçãozinha do Brasil és una mierda de Oposição. Me desculpe a palavra feia mas é assim que eu vejo esta oposição brasileira. Poucos se importam com a grave e terrível situação que o Brasil e seu Povo passam. Eles só pensam em encher os bolsos de muito dinheiro e estão poucos se lixando para o que de grave, gravíssimo, acontece no Brasil. Vergonhoso tudo isto.

  4. A Presidenta DILMA não corre mínimo risco de ser impeachada porque tem Votos mais do que suficientes na Câmara dos Deputados. 1/3 de 513 + 1 = 171 + 1 = 172 de 513. Mesmo que seja impeachada, no julgamento do Senado ela tem Votos mais do que suficiente dos Senadores. 1/3 de 81 + 1 = 27 + 1 = 28 de 81, para escapar da “degola”.
    Ela não é o Presidente do Paraguai, Sr. Bispo LUGO, que teve só 03 Votos no Senado e foi solenemente Impeachado.

    Ela, a meu ver, correria alto Risco de Impeachment se continuasse com a mesma Política Econômica do Governo DILMA I, ( Nova Matriz Econômica ), sob o comando do longevo e BOM Ministro GUIDO MANTEGA, que foi um INJUSTIÇADO, porque fez o que fez em DILMA I, para manter o DESEMPREGO BAIXO e INFLAÇÃO dentro do teto da Meta, e assim deu a vitória a Presidenta DILMA, que ingratamente o defenestrou sem cerimônia. Mas isso é outra Questão.

    Mas a Presidenta DILMA foi sabida, mudou em 180º sua Política Econômica em DILMA II, colocou como Czar da Economia o Sr. JOAQUIM LEVY, terceirizou o Comando Político para seu Vice MICHEL TEMER ( PMDB), e com mais algumas coisas, está BLINDADÍSSIMA. E para a OPOSIÇÃO, a melhor estratégia é vê-la DESGASTAR o PT com sua virada Neo-Liberal com o Ministro LEVY, AJUSTE FISCAL, AUSTERIDADE, redução de DIREITOS SOCIAIS, RECESSÃO, etc, etc, até 2018. Abrs.

  5. M-E-D-I-O-C-R-I-S-S-I-M-A
    Nunca sabe se é noite ou dia.
    Não diferencia o preto do branco.
    Mais perdida que cego em tiroteio.
    Anda de bicicleta e faz caras e bocas
    porque tem oratória completamente
    desarticulada em função do semi analfabetismo.

  6. Jornalista,
    Justificativas para o impedimento não faltam.
    O que existe é vontade política para que isso NÃO ocorra.
    O PMDB feliz com a situação atual pois se mantém numa boca confortável.
    O PSDB feliz com a situação atual pois entende que, mantendo o sangramento politico e levando esta situação até a próxima eleição, suas chances de chegar ao poder são mais prováveis.
    O resto é ilação!

  7. Isso faz parte da tentativa desesperada dos marqueteiros em melhorar a imagem da presidanta, diante dos 8% de ‘popularidade’. Está tudo sendo orquestrado e devidamente remunerado junto a grande imprensa. Até a menina do Jô virou simpática a Svetlana dos Pampas. O G 1 está um nojo, só noticia greves onde a situação é poder e cortam quaisquer comentários contra o PT. Fazem a maior propaganda da greve dos professores de São Paulo, que tem um piso de R$ 1,998,00 e querem 75%, enquanto para os de Sergipe que tem um piso de R$ 1.300,00 a pelegada da CUT quer 15%. Hoje cerca de 56 Universidades Federais estão paralisadas, sucateadas, sem pagarem terceirizados e até com os telefones cortados e não sai uma linha sequer no bondoso “PIG”. A situação do MEC é tão complicada, ainda mais com o corte de R$ 9,2 bilhões, que o ministro Janine contratou o astrólogo Magnavita, para assessorá-lo. Talvez quando Vênus se alinhar com Júpiter em conjunção com Aquário, os enormes restos a pagar de 2014 do MEC se resolvam. Mas a imprensa dá toda a cobertura para a ” Pátria Educadora”!

    • Esta articulação dos sindicatos pelegos petistas em São Paulo é para tentar desgastar o governo do PSDB.

      O piso salarial para o corpo docente é o seguinte:

      – Para professores do ensino básico com com nível superior e carga horária de 20h semanais (classe D1): R$2.018,77;

      – Para professores do ensino básico com com nível superior e carga horária de 40h semanais (classe D1): R$2.814,01.

      Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (Tabela de Remuneração dos Servidores da União): http://www.planejamento.gov.br/nilson/segep/publicacoes/tab_66_2015_02.pdf/view

      • Sim, mas esse piso não é cumprido em alguns estados, Sergipe entre eles. Lá o piso é de cerca de R$ 1.300,00 e a pelegaiada da CUT está pedindo 15%. Como se Vê, os pelegos inventaram a ‘meia fome’ ! Manipulação pura. Hoje os ônibus do DF e de Londrina estão em greve.

        • O que eu quis dizer é que o piso do corpo docente do Estado de São Paulo é, praticamente, o mesmo do corpo docente da União. De R$1.998,00 para R$2.018,77 a diferença é mínima, pouco mais de vinte reais.

          Conclui-se, então, que é só uma jogada política, mais uma, comandada por esses sindicatos com o fim único de desgastar o governo do PSDB.

          • E com toda a cobertura da imprensona. Outro dia mostraram 6 pangarés ‘acorrentados’ na Secretaria de Educação, mas não falam em uma greve que ocorre em ‘terras petistas’. O esquema é pesado, você entra em alguma matéria a favor do governo e logo cai o banner de patrocínio. Depois que o BB começou patrocinar o Domingão do Faustão, a coisa se tornou vergonhosa. começando pela entrevista do Jô. Quem fica divulgando essas fotos é uma ‘menina do Jô’.

  8. Enquanto ela pedala para manter a forma, o povo vai sendo atropelado pelo seu desgoverno, não há a mínima preocupação de Dilma e o PT com a economia do país, são uns mercenários, se preocupam com seus bolsos, o povo é quem paga suas contas.

  9. Esquerdista brasileiro é assim: nacionalistas, anti-capitalistas, mas não resistem a um equipamento sofisticado, de prferência construído pelos americanos.

  10. Dila é a decadência em pessoa. Todas as pessoas ligadas diretamente a ela são decadentes também. Transformaram o Brasil próspero na decadência mórbida buscando o modelo Castrista / Chavista que transformaram Cuba e Venezuela numa latrina fétida e moribunda.

  11. Carlos

    Primeiro parabéns pelo site onde há muitas maneiras de se ver os mais variados assuntos. Isto é a verdadeira democracia onde há o convívio e a aceitação das diferenças.

    Como estudioso da Astrologia desde 1988 venho acompanhando a situação astrológica da madame que finge que governa o Brasil. Não governa. Acontece que pelos meus estudos não vejo a menor chance dela acabar o mandato. Ela se for sair, mais rapidamente, deverá ser até agosto/setembro. Mas digamos que ela não saia aí teremos que ver sobre novas informações.

    Concluindo, eu sei que muita gente não acredita em Astrologia mas pela minha experiencia posso dizer que os astros dispõem mas não impõem. Que ela vai cairá isto é certo, quando? Os astros poderão dizer.

  12. A Dilma vai sair !!!
    Claro que vai, não precisa nem ser a Mãe

    em 2018 ela tem que sair e dar a vaga para o Lula, pois se depender da “oposição”, não vai ter mudança de partido no governo.

  13. Não parece golpe, mas é

    A oposição espalha artigos e depoimentos pretensamente “esclarecidos” para reforçar a imagem democrática de um possível impeachment de Dilma Rousseff. Como estratégia militante, é simplória e previsível. Como exercício intelectual, resvala na desonestidade.

    Uma característica histórica da propaganda antidemocrática é a alegação da defesa de princípios constitucionais. Não por acaso, os discursos pseudolegalistas de hoje repetem os dos golpismos do século passado, particularmente de 1964. Especialistas em diversas áreas acadêmicas têm demonstrado isso com alarmante eficácia.

    Nem a narrativa moralista se sustenta, contudo. Inexistem motivos razoáveis para a deposição de Dilma, o que fica óbvio nas filigranas jurídicas brandidas pelos puxadores de tapete. Se esses critérios servissem para derrubar mandatários, não sobrariam gestores públicos no Brasil. A começar pelo FHC do suborno reeleitoral e pelo Geraldo Alckmin dos cartéis metroviários e do colapso hídrico.

    Adotando-se os rigores que tentam aplicar a Dilma, aliás, talvez sequer os protagonistas do impeachment ainda pudessem comandá-lo. E sem Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Augusto Nardes, Gilmar Mendes e respectivos asseclas dificilmente haveria espaço para tamanha desfaçatez na agenda nacional.

    A natureza arbitrária de uma eventual deposição suplanta quaisquer eufemismos e subterfúgios retóricos. Evitando chamá-la pelo único nome que a descreve, os tais “analistas” realçam aquilo que tentam esconder sobre si mesmos.

    http://guilhermescalzilli.blogspot.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *