Dilma tem de demitir Graça Foster o mais rápido possível

http://www.cbnfoz.com.br/images/2014/abril-2014/dilma-graca-foster.jpg

Graça e Dilma: daqui para a frente, tudo vai ser diferente

Renato Andrade
Folha

A nova fase da operação Lava Jato antecipou a tempestade política que muitos previam chegar somente no início de 2015.

A prisão de executivos de empresas que respondem por boa parte do financiamento de campanhas eleitorais no país terá consequências inevitáveis sobre a forma como se faz política atualmente no Brasil.

Mas a primeira vítima efetiva da avalanche provocada pela PF será a Petrobras, estatal que está no epicentro da crise que eclodiu em março.

A credibilidade da maior empresa do país está no chão. O envolvimento de ex-diretores da estatal no esquema desbaratado pela PF travou operações corriqueiras, como a publicação do resultado da companhia no último trimestre.

O Palácio do Planalto reconhece que é preciso agir rápido para tentar, de alguma forma, limpar a imagem da empresa e evitar que os futuros desdobramentos das investigações comprometam, ainda mais, a capacidade da estatal de investir e operar.

TROCA DE COMANDO

A reformulação do comando da empresa é dada como certa. A dúvida, até o momento, é a extensão dessa mudança e o tempo de execução.

A saída de Graça Foster da presidência da Petrobras deixou de ser mera especulação. Mesmo sem ligação direta com o escândalo de desvio de recursos, sua permanência na cadeira é politicamente inviável.

Substituir a executiva não é tarefa fácil. O primeiro obstáculo está dentro do próprio Palácio do Planalto. Graça pertence ao restrito grupo de pessoas que a presidente Dilma Rousseff gosta e confia.

A segunda dificuldade é encontrar, fora da empresa, um nome com respaldo no mercado de petróleo que esteja disposto a assumir o comando da estatal no momento mais delicado de seus 61 anos de história.

Dilma tem nas mãos uma decisão difícil de ser tomada. E não poderá adotar o ritmo cadenciado que sempre usou para promover mudanças. Tempo é algo cada vez mais escasso para a gigante do petróleo.

7 thoughts on “Dilma tem de demitir Graça Foster o mais rápido possível

  1. Caro Jornalista,

    A título de curiosidade e de ouvir o contraditório, veja parte de um artigo do Gélio Fregapani. Não me consta que seja comunista.

    “PETROBRÁS
    A campanha pela nossa autonomia no campo do petróleo foi das mais polêmicas da história A partir. de 1947 o país dividiu-se entre aqueles que achavam que o petróleo deveria ser explorado por uma empresa estatal brasileira os que defendiam que deveria ser explorado por empresas privadas, estrangeiras ou brasileiras. Os nacionalistas argumentavam que se o Brasil não criasse uma empresa estatal, aquele produto estratégico para o desenvolvimento econômico, seria oligopolizado pelas grandes corporações internacionais. Pelo país afora os debates se ascenderam.A campanha nacionalista foi liderada pelo escritor Monteiro Lobato.

    Em 1953 encerrava-se uma CPI que desvendou centenas de assassinatos, ligações ocultas da ESSO com políticos e as propinas pagas a colaboradores que a ajudaram a ocultar por duas décadas a descoberta do petróleo. A ESSO recebera fortunas para pesquisar o petróleo no solo brasileiro. Mapeou o petróleo do Recôncavo, mas negou a sua existência por 20 anos.

    Os nacionalistas, a favor do monopólio estatal, foram taxados de COMUNISTAS pela grande imprensa que defendia os interesses privatistas, mas mesmo assim a oficialidade do Exército mostrou-se simpática a estatização do petróleo,. Finalmente, depois de uma batalha parlamentar de 23 meses, o Senado terminou por aprovar a criação da Petrobrás, sancionada por Vargas em outubro de 1953.

    Sob ataques, a Petrobras: quase virou PETROBRAX. FHC encaminhou ao congresso a alteração do estatuto da Petrobras para possibilitar a posse de um presidente estrangeiro (Reischtull), que colocou cerca de 35% das ações da Petrobras a baixos preços na bolsa de Nova Yorque, fazendo um início de “desnacionalização” . Entre 1996 e 2002 a Petrobras teve a terrível baixa nos quadros de funcionários.

    Cerca de 15 mil profissionais experientes, pressionados por ameaças de demissões, saíram em desligamentos voluntários, desmontando a estrutura organizacional. Forçada pelo genro David Zilbersztajn ( presidente da ANP), a Petrobras teve que entregar para a ANP os mapas do petróleo que a empresa lutou mais de 40 anos para obter e a investiu bilhões nas descobertas e os mapas foram dados de graça para as companhias estrangeiras, que compraram os blocos a preços de banana nos leilões dos blocos petrolíferos. Mais um pouco de tempo daquele governo a Petrobrás teria o mesmo destino da VALE – a desnacionalização/doação.

    Durante os governos do PT diminuiu significativamente as desnacionalizações, mas iniciou a era das grandes corrupções e gestão deficiente. Entretanto, a Petrobrás tem avançado e ainda há muito idealismo em seus quadros. Na gestão de Graça Foster, contra as expectativas, alguns dos malfeitos vão sendo corrigidos. A exposição das milionárias corrupções claro que lhe abalou a credibilidade, mesmo assim tem seguido avante.

    A guerra contra a Petrobrás tem sido contínua, mas ao que pesem os superfaturamentos, fez muitos investimentos para se preparar para o pré-sal. Ultrapassará a atual crise e as extrações de Petróleo devem se quadruplicar nos próximos três anos. É importante que não se permita a desnacionalização, especialmente agora que estamos próximos da vitória.
    (…)

    ESPERANÇAS
    Se o País conseguir se equilibrar até lá, já a partir do segundo semestre de 2015 começarão a entrar em funcionamento grandes obras como a transposição do São Francisco; as Hidrelétricas de Belo Monte, de Jirau e de Santo Antônio; a expansão de metrôs, dezenas de pontes, grandes trechos da Ferrovia Norte Sul; ampliação e modernização de vários aeroportos e de portos, de plataformas de petróleo e até a refinaria Abreu e Lima, que, se controlada a roubalheira, será a mais moderna do país.”

    Post completo:
    http://www.defesanet.com.br/pensamento/noticia/17422/Comentario-Gelio-Fregapani—-Shale-Gas–Estado-Islamico–Gayzismo–Impeachment—Perspectivas–Esperancas-e-desesperancas-e-Separatismo-/

    Abraços.

    • E como sempre a culpa é do Pedro Alvares Cabral. Que coisa mais ridícula este artigo do Gélio Fregapani. Mais parece aquelas pulhas virtuais que infestam a internet a a pulha fica clara quando o autor fala: ” a Petrobras teve que entregar para a ANP os mapas do petróleo que a empresa lutou mais de 40 anos para obter e investiu bilhões nas descobertas e os mapas foram dados de graça para as companhias estrangeiras.” Este é o catecismo típico utilizado pelo Petismo militante para justificar as falcatruas e malfeitos dos bandidosque governam o país. E, caro Francisco, se o Gélio não é petista, que falta o diabo faz.

  2. SOL QUADRADO – Não bastasse ter se transformado no alvo principal das investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, a Petrobras agora está na mira das autoridades norte-americanas, que desejam apurar a conduta da companhia nos Estados Unidos. As apurações devem, mais uma vez, causar ENORMES DANOS à imagem da estatal brasileira, que também negocia suas ações na Bolsa de Nova York.

    De acordo com o jornal britânico “Financial Times”, em matéria publicada na edição do último domingo (9), o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu investigação criminal contra a estatal. Já a Securities Exchange Commission (SEC) – órgão que regula o mercado de capitais nos Estados Unidos e equivale no Brasil à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) – iniciará uma investigação civil contra funcionários da empresa.

    A situação da Petrobras nos Estados Unidos SE DETERIORA com o passar do tempo, pois uma empresa que é vulnerável a interferências políticas, começando por ESCÂNDALOS DE CORRUPÇÃO, não pode ter suas ações comercializadas na Bolsa de Nova York, que impõe regras rígidas aos participantes do mercado acionário local.

    A investigação do escândalo conhecido como “Petrolão” poderá arranhar ainda mais a imagem do País e dificultar o acesso de outras empresas brasileiras ao mercado de capitais norte-americano.

    Na segunda-feira (10), o vice-presidente da República, Michel Temer, minimizou a investigação das autoridades dos EUA sobre suspeitas de desvio de recursos na Petrobras. Ele disse que se os EUA abriram a investigação, devem dar continuidade “como o Brasil está fazendo”. “A expressão doa a quem doer é muito correta em relação às investigações que já estão sendo feitas pelo governo federal”, disse Temer.

    É importante destacar que, ao contrário do que disse a presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral, o governo federal tem feito tudo para impedir a investigação do maior escândalo de corrupção da história nacional. A ação da tropa de choque do Palácio do Planalto na CPMI da Petrobras, nesta terça-feira (11), impediu a aprovação de requerimentos, em especial de convocação dos envolvidos no esquema criminoso.

    A posição do governo brasileiro em relação às investigações que já estão em curso nos Estados Unidos é muito delicada, uma vez que para continuar comercializando ações na Bolsa de Nova York a estatal terá de reconhecer as ilegalidades, já explicitadas nas investigações, e submetendo-se, na melhor das hipóteses, a um termo de ajustamento de conduta, como informou um renomado operador do mercado financeiro internacional. Se isso acontecer, ou seja, a petrolífera reconhecendo o esquema de corrupção, O GOVERNO DO PT SERÁ ARRASTADO DE VEZ PARA O OLHO DO FURACÃO, sem direito a desculpas esdrúxulas.

    No caso de negar que o caso de corrupção tenha ocorrido, apesar do cipoal de provas incontestáveis, a Petrobras poderá ser banida da Bolsa de Nova York, o que deixaria a empresa em situação de dificuldade ainda maior. Isso significa que O GOVERNO BRASILEIRO TERÁ DE DECIDIR se salva a Petrobras ou poupa o Partido dos Trabalhadores.

  3. A Petrobrás é hoje a empresa mais endividada do planeta. 55% de todo o seu ativo já está comprometido com o pagamento a terceiros. Sua credibilidade está sendo extremamente afetada, e ao que tudo indica, daqui para frente terá muita dificuldade de levantar empréstimos junto a financiadores – aqui ou lá fora -, justamente pelo quadro em que se encontra com tendência a se deteriorar ainda mais.

    É uma pena esta empresa não ter sido, também, privatizada.

    • Não impediria a corrupção, mas a corrupção em empresa privada não afeta o povo, diferente da estatal que pertence ao povo, então vender é a melhor opção, ademais em empresa privada não há esta roubalheira pois tem dono, acionistas , conselho, auditoria e demissão rápida pra ladrão.

  4. DILMA PRECISA SER FORTALECIDA, CONTRA INGERÊNCIAS NOCIVAS NO NOVO GOVERNO

    Em algumas postagens no Facebook – que podem ser acessadas aí https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1550161535200112&set=t.100006188403089&type=1&theater – repercuti informações difundidas aqui na Tribuna da Internet, e não negadas, dando conta de que o ex-presidente Lula pressiona pela nomeação do ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, para novo ministro da Fazenda.

    A presidente Dilma Rousseff busca alternativa para a pasta e as apostas maiores no momento giram em torno do ex-secretário executivo do Ministério, Nelson Barbosa, que atua na área de ensino e pesquisa da Fundação Getúlio Vargas. No exterior a presidente tem evitado falar em prazos para o anúncio de nomes de sua próxima equipe, o que não deixa de ser salutar porque mostra que não cedeu aos apelos do antecessor, que havia “sugerido” a definição imediata do ministro “para aquietar o mercado”. Sempre o Deus mercado, parece que menos agora.

    Não é novidade que a grande mídia, à frente a revista Veja e TV Globo, atuou para evitar a reeleição da atual presidente centrando baterias no escândalo da Petrobras, quando desde o início apontava sua origem no governo passado mas ateando fogo sempre na então ministra-chefe da Casa Civil e poupando o ex-presidente, cooperando para o êxito o “Movimento Volta Lula”, que acabou em nada. E, a despeito de tudo, não há fato determinante para justificar o alardeado impeachment.

    DOIS FATOS E UMA QUESTÃO:

    1. O mensalão lulista é fruto de experiência tucana, surgiu na época de FHC e foi “aperfeiçoado” pelo governo Lula;

    2. O escândalo da Petrobras iniciou no governo FHC e foi seguido pelo governo Lula, há pouco tempo vem sendo desmontado;

    3. Reeleita por conta própria para novo mandato presidencial, Dilma destoa de FHLula ou cai na vala comum?

    Estou gostando de ver…

  5. DILMA TEM QUE DEMITIR GRAÇA FOSTER Só agora? … depois de gastar mais R$ 25 milhões , só para esta tapeação?…

    É uma quadrilha! cadeia para essa gente! Criar mais uma diretoria?..
    Quando chegar a hora, e o camburão passar, levar, também, o Barba e Dilma….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *