Dirceu comandou o Mensalão e também o Petrolão, e Lula sabia

Antonio Santos Aquino

É lamentável que existam pessoas que não sabendo de nada, mal informadas que são, correm atrás da “manada” tentando defender o “o capo di tutti i capi” José Dirceu. Colocados em uma mesma balança, um em cada prato, Lula e Dirceu, não sobrará um “rabinho de camarão seco”. Ambos foram protegidos pelos militares (através de Golbery do Couto e Silva) que deram o golpe em 1964 derrubando Jango do poder.

Lula nunca fora udenista, Dirceu sim. Inclusive pertencia a uma família fanaticamente udenista de Passa Quatro, Minas Gerais. Festejou a queda de Jango no Colégio Mackenzie. Depois, com o alijamento de Lacerda, voltou-se contra os militares, realizando um congresso que fora proibido, em Ibiúna, no interior de São Paulo. Lá foi preso sem um canivete no bolso, isso prova que nunca fora guerrilheiro.

Deportado para Cuba depois de ter negociado com os militares, nunca fez curso de guerrilha. Voltou de Cuba ninguém sabe como, ficando incógnito por muitos anos, até a abertura. Era o homem escalado pelos militares para líder político do novo partido a ser criado, Lula seria o líder sindical, a se contrapor aos sindicalistas que voltariam do exílio.

BRIZOLA E LULA

Mas houve um fato interveniente: Brizola, que voltara determinado a refundar o PTB, fora ao ABC procurar Lula e convidá-lo a ajudar na refundação. Neste momento, Golbery mexeu no “script”. Lula passaria a presidir o PT e a CUT, assim que fosse criada. Dirceu passou a ter um papel secundário.

Eleito Lula, Dirceu tratou de preparar o PT para elegê-lo nas próximas eleições e engendrou o plano conhecido por “mensalão”. Comandou todo o plano nos mínimos detalhes. Sem sua autorização, nada teria acontecido. Foi o “bandidão” Dirceu que armou todo esses escândalos que têm estarrecido os brasileiros. Lula não está por fora, mas o mentor de toda essa patifaria é Dirceu.

Pelo que fez, Dirceu devia ser fuzilado. Eu penso assim. Sou trabalhista, não sou tucano. Respeito democraticamente os que piedosamente defendem Dirceu. Se ele fosse condenado à morte e não tivesse ninguém que quisesse matá-lo, eu me apresentaria sorrindo, certo que depois iria para o céu.

48 thoughts on “Dirceu comandou o Mensalão e também o Petrolão, e Lula sabia

    • Caro Antonio Rocha e CN … Bom dia!

      em 10/2/2006 … http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI873780-EI1194,00-Lula+e+recebido+por+praticantes+do+vodu+na+Africa.html

      em 13/2/2006 … http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/imprimir/5321

      em 12/8/2007 … http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,tarso-participa-da-cerimonia-kuarup-com-indios-no-xingu,33507

      em 14/8/2007 … http://www.bahianegocios.com.br/sem-categoria/marta-suplicy-assiste-em-cachoeira-a-festa-da-irmandade-de-nossa-senhora-da-boa-morte-e-reune-se-com-investidores/
      … … …
      Numa observação ecumênica e inter-religiosa … tudo bem, né? eu mesmo me assumo índio e negro … não digo que tenho ascendência indígena e negra – como grande parte dos brasileiros. Temos que considerar também o que está na nossa Constituição Federal CIDADÃ de 1988:

      CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 … PREÂMBULO … Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

      “1. Então Deus pronunciou todas estas palavras: 2. “Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da servidão. 3. Não terás outros deuses diante de minha face. 4. Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. 5. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto. Eu sou o Senhor, teu Deus, um Deus zeloso que vingo a iniqüidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos daqueles que me odeiam, 6. mas uso de misericórdia até a milésima geração com aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. (Ex 20)

      Não devemos supervalorizar Deus como vingativo (como Santayana), pois a vingança recaiu sobre o próprio Filho de Deus a pedido do Rei Davi … devemos apelar para a misericórdia!!! e entender que Deus é zeloso, ciumento, sim!!! !!! !!! “Ou imaginais que em vão diz a Escritura: Sois amados até o ciúme pelo espírito que habita em vós?” (Tg 4,5)

      Está na hora de cerimônias ecumênicas e inter-religiosas!!! !!! !!!

  1. Como havia dito, suicidaram o promotor argentino..
    ” A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, usou seu perfil no Twitter nesta quinta-feira (22) para falar sobre a morte do promotor Alberto Nisman e divulgar uma carta publicada em seu blog. No texto, ela afirma que está “convencida” de que a morte do promotor Alberto Nisman “não foi um suicídio”.

  2. Sempre no domínio dos fatos, não é, Aquino?
    Parabéns.
    Mas tenho que ressalvar: ANTES que esse senhor “comandasse” tudo, o Brasil já era o que é: Paraíso da Corrupção. Afastado esse que ” comandou” tudo, o Brasil continua sendo o que sempre foi: Paraíso da Corrupção. Portanto, um fuzil, apenas, NÃO bastaria: uma bomba nuclear TALVEZ ajudasse. Observe bem: no seu ótimo artigo, você citou: ” NÃO sou tucano”. Nos dias de hoje, fomos reduzidos a isso: ou se é Petista ou se é Tucano! Isso é nojento, inaceitável. Se se critica um, já se pressupõe ser outro! Nenhuma dessas duas porcarias serve ao país, e esse é um drama que me irrita profundamente. Vamos varrer esses petistas do poder? Vamos, contem imediatamente comigo. Mas NÃO me chamem pra dar o mínimo crédito pra esses tucanos, cujos estragos estão aí, indesmentíveis. E nem se venha com essa historinha de ” menos pior”: isso é próprio de um povo fraco, que NÃO quer arrumar, EM DEFINITIVO, nada. Pode cair o mundo sobre minha cabeça, mas NÃO vejo_ como o próprio Brizola alertou, em 1994_ outra solução para o caos social, que vivemos, que NÃO seja militar. A partir de um governo discricionário, PASSAR UMA BORRACHA EM TUDO, e implantar, aqui, uma NOVA ORDEM POLÍTICA: REDUÇÃO DRÁSTICA DE NÚMERO DE POLÍTICOS, IMPLANTAR O MODELO DIGITAL DE GOVERNANÇA, ACABANDO COM ESPAÇOS FÍSICOS NABABESCOS, FIM DE SUPLENTES, FIM DOS SUPER SALÁRIOS DOS TRÊS PODERES, REVOLUÇÃO EDUCACIONAL, FIM DOS MONOPÓLIOS DE COMUNICAÇÃO, LEIS SEVERAS PRA TUDO, ETC, ETC,ETC.
    Não há outro caminho. Se querem esforços da população, porque não dão o exemplo e reduzem, por exemplo, o próprio salário para, digamos, dois mil reais? Sem contar o FIM de todos os privilégios que insultam o povo brasileiro? Como isso JAMAIS ocorrerá, e o povo, insuflado pela Imprensa, continuará votando, cedo ou tarde, tudo acabará no colo dos militares_ simples assim. Porque NÃO ha vida plena quando o que se tem é um SIMULACRO de democracia. Para os tolos, esta pode, mas um governo forte, militar, não. Sei que vão alegar o de sempre, contra os militares. E nem eu os advogo, em tempos normais: mas vamos encarar os fatos e admitir que esses políticos NÃO estão “nem aí pra nada”, a não ser, claro, seus próprios interesses, seu próprio bem estar. NÃO existe Democracia cujos pilares são a corrupção e o analfabetismo, a corrupção judiciária e os monopólios de Comunicação. Isso é o que se chama DETURPAR A DEMOCRACIA, muito pior do que oprimi-la. O Brasil clama por um governo sério, honesto, trabalhador, justo, com imensa força moral: tudo o que os políticos NÃO podem dar. A salvação brasileira pode até mesmo NÃO vir dos militares, mas tudo que temos visto, da ” redemocratização” até os dias atuais, prova que passará, NECESSARIAMENTE, por eles. Não precisa ninguém concordar com isso, mas ao menos leiam as MARAVILHOSAS cartas que o General ANDRADA SERPA deixou ao país. Entre tantas coisas sérias, ele enfrentou o tema e declarou: ” Servimos à Pátria, não a governos. É o povo brasileiro quem nos faz generais. Não podemos ficar indiferentes ao sofrimento do povo brasileiro.(…)”

    Saudações,

    Carlos Cazé.

    • Esse patrimonialismo renitente é que acaba com o país, todos se acham donos de um pedaço do Estado e em todos os níveis. É uma questão cultural dificílima de se remover, desde o presidente que se acha dono do país, ao barnabé que se acha dono do carimbo ! Certa vez estava conversando com duas pessoas amigas, professores da USP e uma disse para outra: Você não entra mais no MEU laboratório… Ai eu perguntei se o laboratório ‘dele’ constava de sua declaração de rendas e quem iria herdá-lo. Nunca mais falou comigo…

    • Gazé,
      Já externei, aqui neste espaço democrático da Tribuna da Internet, meu pensamento sobre a situação vexatória( e bote vexatória nisso), que o Brasil passa, principalmente, no que concerne ao período petista e que continua.
      O avacalhamento que essa camarilha do PT sujeitou o País nos deixa sem outra saída senão a intervenção militar constitucional, claro.Mas, parece que os milicos se renderam aos “encantos” de Lula/Dilma.
      Um grande abraço.

      • César:

        Valeu, concordo contigo. Só acrescento que, remover os que estão no poder, e voltar aos que estavam, também é INDIGNO DA GRANDEZA DO BRASIL. Precisamos ter a coragem de dar um NÃO que seja HISTÓRICO, e isso me parece inviável com a classe política que temos, tão VICIADA EM PRIVILÉGIOS. Como o povão_ gado, massa de manobra, que rumina sem o menor senso cardeal, sente no intestino mas não racionaliza_ NÃO sabe fazer a própria hora, me parece que cabe aos militares ENTENDEREM que NÃO há diferença entre inimigos EXTERNOS e INTERNOS quando, claramente, o país é atacado, não é verdade? Até porque, quando Roma caiu, pelas invasões EXTERNAS, seus inimigos INTERNOS já haviam preparado o terreno, tornando-a frágil e anêmica.

        Saudações,

        Carlos Cazé.

  3. Enquanto isso a abaixo assinado pelo impeachment da Tia Dilma Youssef, parou com 1.481.000 assinaturas…. O presidente do Avaaz é um petista de carteirinha, que já ocupou um alto cargo no governo Lulla. É essa a ‘internet livre’ do stalifascista Franklin Martins !

    • Esse é o ‘insuspeito’ presidente do Avaaz :
      Pedro Vieira Abramovay é um advogado brasileiro, formado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, com mestrado em Direito Constitucional pela Universidade de Brasília. Foi Secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça e ocupou a Secretaria Nacional de Justiça do Governo Federal. Foi Diretor de Campanhas no site internacional Avaaz.org e professor da Fundação Getúlio Vargas.

    • Existe também uma petição (criada em 13/12/2014) para CPI dos Fundos de Pensão, que dá ultima vez que vi, havia atingido pouco mais de 1400 assinaturas (15/01) e avançava lentamente. Agora, o site nem abre…

  4. Como em todo o navio que está afundando, o PT continua jogando parte da carga estragada ao mar:
    ” O governo publicou nesta quinta-feira (22) no “Diário Oficial da União” a exoneração do tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, do conselho de Itaipu binacional, cargo que ele ocupava junto com a função no partido. Vaccari já havia deixado o posto na hidrelétrica depois de que o nome dele apareceu em depoimentos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

  5. Concordo totalmente! A ditadura da corrupção já tomou conta da sociedade. Estamos anestesiados e a única saída possível, por enquanto, é esta “operação lava-jato” que, sem dúvida, poderá ser o nosso marco divisor de construção de um novo país, onde a lei seja respeitada e cumprida por todos e a ordem seja restabelecida. Se essa esperança, dentro do que resta dessa nossa frágil democracia, for mais uma vez frustrada, mergulharemos no caos e com ele medidas mais duras serão tomadas com ou sem nossa concordância.

      • Prezado Edson:

        Obrigado pelo endosso, e que bom que concordamos.
        Mas, quanto à esperança que você demonstra, no tal Lava-jato, descreio TOTALMENTE. Basta que você veja a desenvoltura com que, despreocupados, os candidatos à presidência da Câmara estão prometendo MAIS E MAIS PRIVILÉGIOS aos seus pares. Não vai dar em nada, nada. Não vai nem fazer cócegas, nessa turma política. E ainda que caiam alguns dedos, eles têm a medicina avançada para evitar a metástase. Simples assim, Edson.

        Saudações,

        Carlos Cazé.

  6. Apenas ratifico a informação do Satiro: o ensandecido, tresloucado e cleptolunático psicopata “zédirceu” é de Passa Quatro, infelizmente em minha Minas Gerais.

  7. Satiro, para não esquecermos: O procurador Cláudio Fonteles, que esteve a frente da Comissão da Verdade, disse com muita propriedade: Dos 26 guerrilheiros que voltaram de Cuba, 23 foram mortos pelo Exército. Tinha dentre eles um delator. Dos três que sobreviveram, Zé Dirceu é um deles. Isso diz alguma coisa ou não? Lembrando ainda a amizade de Dirceu com os militares: Há um ano o “esplendoroso???” general Leonidas Pires Golçalves, na mídia declarou: Vou falar com Dirceu para acabar com essa tal Comissão da Verdade. O general Leônidas Pires Gonçalves (vivinho da silva com os seus 93 anos), foi um dos comandantes do tristemente famoso Doi Codi da Rua Barão de Mesquita.

  8. O artigo de Aquino e o comentário feito pelo Cazé, foram os dois textos mais contundentes que li ultimamente!
    Diga-se de passagem que é preciso ser corajoso para registrá-los, e eles o foram suficientemente para ser elogiados pela sinceridade, exatamente um dos pressupostos para um comentarista ser lido e respeitado sobre o que escreveu.
    Ao final do seu artigo, Aquino publica um desejo que a maioria dos brasileiros cientes da situação do País queria fazer: dar cabo de Zé Dirceu.
    Não necessariamente matá-lo, mas anular este indivíduo, desterrá-lo, prendê-lo para sempre em uma ilha perdida, no Pacífico.
    Inegavelmente, trata-se da figura mais deplorável que a política nacional registra em sua história, o cardeal Richelieu petista, um Rasputin, pela influência que sempre teve sobre Lula e Dilma, um legítimo predador político.
    O que escreveu Cazé, tende a se transformar em realidade não muito distante de hoje, basta que não se tenha culpados no escândalo da Petrobrás, e que apesar da alta dos impostos, a corrupção e desonestidade continuem a saquear o dinheiro do contribuinte, os parlamentares reajustarem seus nababescos vencimentos em detrimento do salário mínimo, e a orgia no Legislativo e Executivo siga em frente através de desmandos e descalabros diários.
    Há limites que devem ser levados em conta, se o desejo é que a corda não rebente, e o governo petista tem retesado sobremaneira os cordéis que manipula a sociedade, exigindo desta os costumeiros sacrifícios enquanto se refestela na abundância dos cofres abarrotados pelas arrecadações dos impostos, sem que sejam aplicados na melhoria do Brasil e de sua população, mas tão somente para enriquecimento do PT e seus dirigentes, que possuem permissão para saquear as instituições, autarquias, estatais, ministérios, secretarias, por onde passam!
    O povo é obrigado a andar de passo certo mas, às autoridades, é concedido beneplácitos e condescendências revoltantes, tribunais especiais, impunidades e, de presente, um “carguinho” de vinte/trinta mil reais como prêmio de consolação!
    Um dia a casa cai, e vai fazer um barulho ensurdecedor.
    Evidente que Cazé não está querendo o retorno dos militares, quem está clamando por eles é o PT, eu já escrevi sobre esta possibilidade, em face de poder contar com uma parcela significante da população, que pegaria em armas pelo partido, que não aconteceu em 64, quando o povo não se manifestou contra os militares, permaneceu trabalhando, estudando e seguindo a sua rotina, diferentemente de agora, que haveria resistência caso entrasse em risco a deposição deste governo.
    Entretanto, Cazé disse uma verdade, que não há como se exigir moralidade com os políticos que temos, que voltemos à seriedade, à honestidade, à probidade. Não há como se fazer esse retorno que não seja pela imposição e, o povo, não tem esta força, pois o sistema está regulado para funcionar de forma corrupta.
    Então, estamos diante do inevitável, que preocupa, na razão direta que vemos um Legislativo e Executivo despreocupados com a situação gravíssima que nos encontramos, e entendem que a solução mais uma vez é usar o povo, explorando-o, cobrando-lhe mais impostos, tornando-o escravo do poder, enquanto o cidadão assiste o desfile de roubos e rombos protagonizados por um governo inescrupuloso, enganador, incompetente.
    Parabéns a ambos pela coragem, repito, e ao blog, que possui gente deste quilate, que assina o que escreve!

    • Prezado Bendl,

      Obrigado pelas palavras, obrigado. Elas ganham relevância, vindas de quem vêm.
      Mas, quanto a mim, sinceramente, não vejo nada além de um desabafo cívico.
      Penso que, mais que nunca, deveríamos, todos, nos unirmos para REFUNDARMOS o Brasil e, como consequência imediata, DEMITIRMOS todos os políticos.
      Veja que, ontem mesmo, Erundina o disse, da mesma forma que Cristóvam Buarque o diz, diariamente.
      Se algo profundo e revolucionário NÃO ocorrer, se o Brasil, enfim, estando como está_ numa espécie de século XVIII da vida social_ não encontrar ,depressa, o seu ” 1789″, estaremos vendo secar, literalmente, NÃO APENAS os nossos rios, mas toda a oceânica gama de oportunidades que a Natureza nos deu.

      Saudações,

      Carlos Cazé.

  9. Meu caro Cazé,
    O problema reside nesta “profundidade” que pretendes dar à revolução desejada.
    O apoio fundamental de quem poderia dar início a este levante, os políticos habilmente neutralizaram com o bolsa família.
    A classe média, sempre como aríete quando se trata arrombar a porta, está bem.
    O lado mais frágil da sociedade brasileira em geral, não arriscaria perder o pouco que conseguiu para uma aventura, que não se sabe o fim que teria.
    Observa que o problema é de ordem moral, corrupção, desonestidade, e tais desvios de comportamento nunca foram motivos para que o povo decidisse acabar com esta farra, ainda mais que, no Brasil, a maioria sabe que todos os governantes roubam, por que o PT não seria mais um deles?
    Há um certo desleixo pelo País, um desdém, desinteresse, certamente originário da falta de patriotismo, de amor à terra, de nacionalidade, de cada um pegar para si o que mais puder carregar.
    Evidente que somos regidos por maus exemplos, por falsas autoridades, mas também somos obrigados a considerar que falta qualidade ao povo brasileiro por culpa da Educação e Ensino muito aquém de nossas necessidades, que deixam a desejar em termos de conteúdo, horas aulas, escolas em condição, enfim, tu sabes sobre o que me refiro.
    De certa forma estou mesmo te deixando frustrado, mas a nossa realidade é esta:
    Não há como enfrentarmos o atual sistema, fortalecido, sólido, profundamente enraizado no Executivo e Legislativo, que têm como objetivo que esta Nação é para ser mesmo explorada, dilapidada, saqueada, então que os impostos sejam aumentados quando a falta de dinheiro nos cofres anunciar que o governo deve tomar medidas CONTRA O POVO!
    Por outro lado, aos poucos a população vai se conscientizando que este governo faliu em termos morais e éticos.
    Acredito que não continue em 2018, apear de ficarmos na dependência de quem seria o candidato da oposição e o partido que pertence, sob pena de corrermos o risco de aguentar o PT mais quatro anos, algo impensável e inaceitável.
    Acho que este blog nos tem dado a oportunidade de divulgarmos nosso descontentamento e indignação com a presidente Dilma e seu modo de governar, sendo as crises atuais e, se perdurarem, os grandes aliados que teremos para pôr um fim aos desmandos e descalabros que temos sido vítimas.
    Um abraço, Cazé.
    (Entra em contato comigo particularmente, por favor. O meu e-mail é Chicobendl@gmail.com)

  10. TRABALHISMO UNIDO EM TORNO DO PDT, PELO BEM DO BRASIL

    A tese de participação do PDT Nacional no governo Dilma Rousseff, embora eu tenha me manifestado contra até essa deliberação, preserva duas condições fundamentais para o exercício democrático: a autonomia partidária, de forma que a legenda possa destoar do governo; e a liberdade de expressão, que garante à própria instituição e a seus dirigentes e militantes o direito à crítica. Isto é preciso enfatizar, o PDT não se vinculou ao lulismo – alianças à parte, diferenciadas pelos estados – e continua conduzido por instâncias democráticas e legitimamente constituídas (Executiva, Diretório, Convenção), razão pela qual ao longo dos anos veiculamos pessoalmente e via Rede PDT manifestações de apoio, buscando sempre defender a verdade e o fortalecimento do Trabalhismo, como se registra a seguir em torno de questões que precisam ser resgatadas em face de versões que circulam nas redes sociais, com preliminar de apresentação:

    1. Através da Rede PDT sustentamos há mais de 18 anos a chama do Trabalhismo na Internet, fiéis aos ensinamentos e propósitos do nosso líder Leonel Brizola. Nós somos planta do deserto e resistiremos até as últimas gotas de nossas energias, carregamos isto em nossas mentes sabedores de que a sigla brizolista é conduzida por 27 dirigentes e conta com Diretório de 444 integrantes, a maior parte ainda nomeada pelo líder Brizola, além de convencionais e milhares de militantes espalhados por todas as unidades da Federação e pelos municípios brasileiros. Dos poucos que saem só alguns deixam de se arrepender porque a boa política do Trabalhismo não causa malefícios à sociedade, mas os efeitos nocivos de sua depreciação sim. E isto ocorre tanto por maus exemplos de quem não a pratica direito, como demonstram alguns por aí, quanto pela ação negativa de quem a combate sem conhecer. Acessem e curtam nossas páginas, podendo cooperar com críticas e sugestõeshttps://www.facebook.com/pages/Rede-PDT-12/473760999380338

    2. O ex-ministro Brizola Neto recebeu sorridente o Ministério do Trabalho na presença do ex-ministro Carlos Lupi, que compareceu à transmissão de cargo como presidente nacional do nosso partido. É bom lembrar que o governo manteve, após um largar e outro assumir, Paulo Roberto Pinto como ministro interino por quase seis meses. Observem como foi comprometedora a trama global-petista contra o PDT: 1. Pinto foi pivô do escândalo contra Lupi e na gestão de Brizola Neto voltou poupadíssimo para o quadro de carreira do Banco do Brasil; 2. No início de 2013, com a posse de Manoel Dias como novo ministro do Trabalho indicado pelo PDT, o Palácio do Planalto “recomendou” a volta de Paulo Roberto Pinto para a função de secretário-executivo do Ministério alegando que ele “conhece todo o funcionamento do governo”, que como sabemos é todo infestado de ONGs; 3. Poucos meses depois de Manoel Dias entrar como ministro, a Polícia Federal apontou Pinto pivô de novo escândalo (ou requentou?), dando margens a machetes e reportagens direcionadas para atingir a representação partidária no Ministério. Dois fatos precisam ser ressaltados, também, ocorridos na fracassada missão global-petista apoiada por Brizola Neto como ministro: 1. No fim de 2012 a imprensa anunciou que o governo havia liberado R$ 50 milhões em emendas parlamentares, para cooptar a bancada do PDT na eleição interna contra o então líder André Figueiredo, que ao contrário acabou aclamado numa rebeldia parlamentar pedetista; 2. Ainda em março deste de 2013, Brizola Neto tentou articular chapa contra Lupi em reuniões na casa do ex-marido da presidente Dilma Rousseff (Carlos Araujo, que ainda não havia voltado para o PDT), uma “chapa-branca palaciana” com nem 6% de apoio dos convencionais, culminando com aclamação e unidade em torno do atual comando partidário e Diretório Nacional.

    3. Quanto às eleições de 2014, registre-se que o Pdt Nacional debateu internamente seus rumos, em dezenas de encontros e reuniões pelo país e mesmo no Pdt Rio DE Janeiro houve amplas reuniões sobre o tema. As reiteradas manifestações de pedetistas cobrando coerência de líderes e governantes merecem aplausos, mas a pessoalização do debate é algo que não tem amparo na realidade do PDT e nem foi essa a lição deixada pelos grandes vultos do Trabalhismo – Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola. Quem persiste com tais práticas só mostra despreparo politico ou falta de sintonia com os exemplos de nossa história. A pauta raivosa que às vezes vemos nas redes sociais contra nossos dirigentes tem sido repelida em reiteradas Convenções, até por quem não concorda inteiramente com eles – como no meu caso – mas se recusa a endossar críticas infundadas ou que pecam por excessos. A realidade interna do PDT é diferente da visão destrutiva que uns ou outros plantam no mundo virtual, a prática partidária é institucional e mesmo com problemas regionais que precisam ser superados internamente não se pode generalizar, como alguns fazem atuando com essa tática permanente porque na verdade já se acham em outras paradas sustentando grupos e interesses muito piores.

    PDT FARÁ DEBATE EM BRASÍLIA https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1574768389406093&set=a.1382649428617991.1073741827.100006188403089&type=1&theater&notif_t=like

  11. Valmor Stédile, tens prestado um serviço inestimável ao PDT, nosso partido, quase sempre é incompreendido em sua atuação. Você que é um dos mais lúcidos dirigentes, com uma extensa folha de serviços prestados a causa do trabalhismo de Getúlio, Jango e Brizola. Que estiveste em diversos momentos, muito próximo a Brizola, sabes o quanto tem sido dificil conduzir o PDT. O partido tem sofrido um combate impiedoso e sistemático da mídia, que ecoa o que dizem maus companheiros, que sem mérito, tentando atingir o presidente Lupi, atingem em cheio o partido. O presidente Lupi muitas vezes merece críticas, mas, até onde sei, não houve má fé em alguns pequenos deslizes cometidos por ele. O que nos deixa preplexos é os nossos críticos não entenderem que, no pluripartidarismo é normal um partido pequeno ou médio ir para base do governo. No caso do PDT disseste bem: Com autonomia partidária. Lógico que ideológicamente, existe um abismo entre o PDT e o PT, mas não existe nenhum abismo entre o PDT e o povo brasileiro. Parabéns companheiro, estiveste perfeito. Vamos à luta que 2015 está aí.

    • Senhor Aquino,

      uma perguntinha muito simples. Tendo Leonel Brizola rompido com o PT logo no começo do governo Lula, caso ele estivesse vivo, hoje, o senhor acha que ele estaria ” na base do governo, mas com autonomia partidária”?

      Saudações,

      Carlos Cazé.

  12. Casé você é um pessoa admirável. Assim sendo respondo tua pergunta com outra pergunta: Existe alguém que possa saber o que faria um morto se voltasse à vida? Lógico que não! O PDT foi para a base do governo por uma questão de sobrevivência. Não tivesse ido teria sofrido os rigores da mão pesada do PT, que com a “caneta na mão” iria deixar o partido morrer à míngua. No momento seus dois governadores e duzentos e quarenta e tantos prefeitos ficariam sem poder governar. Ter ido para a base do governo, não significa trabalhar para o PT. Tudo o que foi feito ou for feito, será para o povo brasileiro. Brizola nos deixou o PDT como uma trincheira de luta. Nem sempre nossos dirigentes fazem aquilo que gostariamos que fizessem. Mas quem está no “olho do furação” são eles; precisamos dar-lhes um crédito mínimo de confiança.

  13. Prezado Aquino, meu respeito e minha consideração.

    Recebo sua ironia com um sorriso condescendente, desses que temos quando julgamos valer mais seguir em frente do que parar a fila por cinco ou dez centavos, não é verdade? Mas se tem uma coisa que me faz parar, qualquer fila, é uma busca sincera pela verdade. Sim, pode-se perguntar ” que verdade? “, como Pilatos o fez, mas jamais lavar as mãos, segundo penso. Dizer que não se pode supor o que Brizola faria é, no mínimo, enterrar, junto com o corpo, a própria História que o notável gaúcho escreveu. Disso decorre, naturalmente,uma dupla conclusão: não apenas Brizola estaria liderando a oposição como, muito simplesmente, o PDT, de hoje, ” que fez e que fará pelo povo brasileiro”, não é senão uma contrafação, poída e cínica, dos ideais que lhe deram étimo, em 1979. Considerar que se está trabalhando para o povo, quando se apóia um partido que se transformou, claramente, num gêiser de corrupção, parece-me insensato e temerário_ e caberia , sem dúvida, num confortável triplex, no litoral de São Paulo, com vista para o mar.
    Contudo, o grande líder gostava de definir-se como ” planta do deserto”, e já pela metáfora se depreende que preferiria a aridez do Saara à umidade do Guarujá. E é assim, por fim, que a mim se afigura o pdt, hoje: um cachorrinho dócil e saltitante, esperando as migalhas deslizarem de uma grande e sinistra mesa do poder.

    Saudações,

    Carlos Cazé.

  14. Casé, duas coisas: 1) Sé você queria ofender o PDT, porque perdeu tempo fazendo uma pergunta irrespondível?. 2) A ironia é um pressuposto democrático, se você entendeu de outra maneira e exaltou-se, lamento.

    • Prezado Aquino,

      Por favor, nem de longe veja o meu simples comentário como ofensa, nem ao senhor nem ao PDT. Acredite: dediquei, com gosto, anos da minha juventude a este partido_ sempre anonimamente_ e jamais me arrependi de tê-lo feito. Movia-me o intenso desejo de levar Leonel Brizola ao Palácio do Planalto e, consequentemente, ver o Brasil independente e soberano. A mesma soberania e independência que deploro ver, hoje, preterida em nome de interesses alheios à Carta de Lisboa. É um simples ponto de vista, sem rancor ou fúria_ mas pleno de desencanto. Na ordem natural das coisas, sei que sou e sempre fui menor do que um grãozinho de areia; louco estaria se, nas minhas graves limitações, pretendesse projetar-me além. Portanto, receba meu sincero desculpar com a certeza de que, aqui, reside um simples soldadinho, mas esculpido na melhor tradição da honra e da decência, ok?
      Por fim, apenas reafirmo que esse desencanto _ e esse desencontro, e essa desaprovação_ com o pedetismo ” de hoje”, se justifica por senti-lo, tão somente, como mera azeitona numa empadinha vencida e imprópria para o consumo. Gostaria muito que o Partido voltasse às origens e, francamente, recomeçasse de onde parou: com candidatura própria à Presidência, e com Ciro Gomes como nosso candidato. Acho mesmo que deveríamos convidá-lo a filiar-se e, junto com outros grande nomes do PDT, oferecer_ aí, sim_ uma alternativa real de poder ao povo brasileiro, um poder ” justo e soberano”, como dizia nosso grande líder.
      Sinceramente,

      Carlos Cazé.

  15. Brizola fora o primeiro da base aliada a romper com o governo federal. E àquela época haviam somente indícios da alarmante corrupção que nutre o petismo. Se Brizola não tinha tolerância com a malversação do dinheiro público, em que momento o saudoso líder trabalhista reataria com o governo? Depois do Mensalão? Brizola se calaria sobre o Petrolão e outros “mal feitos” dos petralhas?

  16. Leonel Brizola praticamente rompeu com o governo Lula ainda em 2002, antes da posse, na primeira sentada à mesa pra conversar sobre como seria sua composição e seus planos quando foi informado de que Henrique Meirelles assumiria a presidência do Banco Central. “Isto será o mesmo que colocar a raposa pra cuidar do galinheiro”, reagiu mais ou menos assim Brizola, na ocasião, deixando o local sem qualquer esperança e em seguida se viu forçado a aceitar Miro Teixeira para ministro das Comunicações, indicado pela TV Globo e que depois com aval do governo petista até tentou desbancá-lo do comando nacional da legenda.

    Com essas e outras mais, Brizola ainda concedeu seis meses de “estágio probatório” para Lula e depois estendeu o prazo para perto de um ano, encaminhando o rompimento só no fim de 2003 pra início de 2004. Passamos aquele ano engolindo à seco e o PDT mesmo sendo aliado jamais deixou de se posicionar autonomamente, não foi muito diferente desses últimos anos em que a legenda brizolista mesmo aliada sofreu ataques do próprio governo – no fim de 2012 tentou derrubar o deputado André Figueiredo da Liderança na Câmara Federal e no início de 2013 estimulou chapa contra a reeleição de Lupi – respondendo à altura, sem tergiversações.

    É OPORTUNO LEMBRAR que na eleição presidencial posterior à morte de Brizola, em 2006, já presidido por Carlos Lupi o PDT lançou Cristovam Buarque para presidente e no segundo turno elaborou documento estabelecendo diálogo com os dois concorrentes – o então presidente candidato à reeleição e Geraldo Alckmin como opositor – mas encaminhou deliberação de neutralidade, que até pode ser criticada (votei contra isto, inclusive) mas foi o que assegurou a unidade do PDT tanto prezada pelo amigo Antonio Santos Aquino, em suas análises.

    No governo ou na oposição, o PDT não pode estimular essa divisão do país com um lado defendendo cegamente o governo sob a ótica do “nunca antes na história” e outro atacando com frases do tipo “jamais se roubou tanto”. Se apegar a falsos dilemas assim é negar o mais concreto e precioso: a Constituição do Brasil, que só se pode fortalecer pela via democrática (ditaduras agridem a cidadania) e os partidos políticos são instituições da democracia, devem estar acima de conceitos ou preconceitos pessoais. A Legalidade é que deve nos moldar e unir em busca e defesa da verdade, livres de bajulações ou apologias a golpismos para que os fins comuns prevaleçam sobre os individuais.

    NÃO SE DEIXE LEVAR – A bifurcação do debate como se o país só tivesse dois lados é artificialismo ditatorial. Ao cair nessa, mesmo que de boa fé, você sustenta um bipartidarismo que só aproveita às cúpulas dirigentes, sobretudo aquelas avessas à diversidade de ideias e que são, portanto, as mais antidemocráticas e oportunistas. O sistema político vigente é pluralista, basta observar como no Congresso ou qualquer outra Casa Legislativa, não há esse temor plantado nas redes sociais ‘contra o comunismo’, senão apenas em desinformados ou mal intencionados.. http://www.youtube.com/watch?v=8gOrwz01d5s

  17. Pois é esta política de se fechar um olho para a desonestidade e corrução em nome de uma discutivel “democracia”, Stédile, que o descrédito sobre parlamentares e partidos se encontra neste nível, inclusive o PDT.
    Ora, não há desculpas e retórica suficientes para um partido compor o governo escancaradamente corrupto como o PT, caso contrário desapareceria no cenário nacional!
    O correto é o oposto, simplesmente.
    Quanto mais se distanciasse deste poder maligno exercido pelos petistas, o PDT teria chances de crescimento, e maiores que o PSDB, que também tem grande parcela da população que o rechaça.
    Discordo veementemente deste pensamento de pires na mão ou, pior, dissimulado, é governo para sobreviver politicamente, mas não é governo porque independente, por favor!
    Em outras palavras:
    Nada que se faz em nome da política é decente, moral e ético, simples.
    Acredito que o PDT está perdendo o trem da História, para seguir voando em um avião que está prestes a cair porque seu comandante (presidente Dilma) não sabe pilotá-lo, é só uma questão de tempo.

  18. COMBATE A CORRUPTOS E CORRUPTORES independe de estar ou não no governo, até preferiria ver o PDT na oposição por razões políticas mas jamais com este viés UDNista. As manifestações pessoais ou em nome da Rede PDT que tenho postado são claras a este respeito, https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1562437360639196&set=t.100006188403089&type=3&theater

    Assimilo as deliberações procurando serenamente entender o real significado da história pregressa ou que se possa moldar, como cidadão brasileiro (pilotado por Dilma Rousseff) ou pedetista (orientado no PDT).

  19. Stédile,
    Tergiversaste a respeito, ainda mais afirmando que o meu pensamento é udenista, logo eu, gaúcho, que nasci no meio petebista muito antes de ser denominado PDT.
    O problema é que os parlamentares e dirigentes partidários não podem mais pensar com isenção, originalidade, com receio de serem excluídos do cenário político, então a aliança com a situação, mesmo que este governo pense somente na SUA situação, e não em termos nacionais e públicos.
    O PDT, como escreveste, sendo comandado pela presidente Dilma, certamente é um deboche ao Brizola que, se vivo fosse, jamais pensaria nesta união, e posso afirmar categoricamente esta frase com base na vida pregressa de Brizola, e não somente da história, que a respeito do ex-líder trabalhista lhe foi madrasta!
    Tentar apagar as diferenças filosóficas e históricas do PTB/PDT com o PT, em nome de uma discutível sobrevivência política, respeitosamente é ofender a trajetória de Brizola, sua honestidade de propósitos, sua dedicação à Educação, para dar lugar ao pragmatismo político, uma encenação com objetivos duvidosos.
    Penso que as críticas hoje endereçadas ao PDT e positivas, deveriam ser encaradas no sentido de que este partido ainda ocasiona interesses em quem não suporta mais este bipartidarismo entre PT e PSDB, e é nesta brecha que saliento o PDT poderia tê-la aproveitado para se distanciar da corrupção e desonestidade, mas não compondo um governo assim reconhecido, sob pena de cumplicidade ou vistas grossas para o descalabro e desmando.
    As tentativas infrutíferas de se “blindar” o PDT dos escândalos petistas, deveriam ter alertado o partido que não está dando certo, que respinga nele também os crimes descobertos, afora o apoio à presidente Dilma em medidas que hoje vão de encontro ao povo, justamente aquelas que Brizola jamais compactuaria!

  20. Erraste, Stédile, ao mencionares que,
    “Não escrevi que o PDT é comandado por Dilma, Bendl, vamos parar por aqui porque percebo que o teu forte é colocar palavras na boca de outros.”
    Em princípio estamos trocando mensagens, e não conversando.
    Depois, se o PDT é aliado do PT no governo central, quem comanda a aliança, Stédile?!
    Chê, me respeita, homem!
    O PDT é, sim, comandado pela Dilma, e não adianta tu tentares distorcer a verdade ou querendo fugir do debate, usando o mesmo expediente petista de desqualificar o oponente – que feio! – e demonstração de falta de personalidade e caráter.
    Jamais em frase alguma, nos comentários acima, particularizei a discussão. Sem as devidas explicações apelaste para o lado pessoal, comprovando exatamente o que afirmei, da extrema dificuldade de isenção e originalidade, a ponto de imitares infantilmente o método petista de debater.
    Pois é este PDT que representas, Stédile, que perde seguidores e adeptos.
    E quem para agora sou eu, por perceber não haver seriedade da tua parte, mas querer impor tuas idéias à base da ofensa e disparates.

  21. RESPEITE OS FATOS, Bendl, leia meu primeiro texto acima (pelo visto passou batido), se Dilma mandasse no PDT por quê seu governo teria tentado derrubar André Figueiredo da Liderança de Bancada e Carlos Lupi da Presidência da legenda?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *