Discurso de Sachsida foi um desastre político e eleitoral para Jair Bolsonaro

Sachsida não falou sobre o reajuste dos preços dos combustíveis 

Pedro do Coutto

Foi um verdadeiro desastre político o discurso do novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida; sem pé nem cabeça, falando muito mais de investimentos no Brasil do que de petróleo e combustíveis. No final do pronunciamento, defendeu a privatização da Petrobras e pediu ao ministro Paulo Guedes que incluísse a estatal no levantamento para desestatização de empresas no país.

No O Globo, Fernanda Trisotto, na Folha de S. Paulo, Idiana Tomazelli, destacam de forma excelente o que representou no plano político e econômico o pronunciamento do sucessor do almirante Bento Albuquerque.

APOIO E BOLSONARO – Relativamente à privatização da Petrobras, cujos estudos ele solicitou publicamente ao ministro Paulo Guedes, a quem também agradeceu por sua indicação, Adolfo Sachsida disse ter o apoio total do presidente Jair Bolsonaro.

Se não tivesse o apoio do presidente da República, claro, não seria nomeado ministro de Minas e Energia. Mas, em parte até se entende, pois o ministro Bento Albuquerque saiu da pasta por não ter contado com o apoio de Bolsonaro na questão do reajuste de preços da gasolina, do diesel e do gás encanado.

ENTUSIASTA – Além disso, o ministro é um adepto entusiasmado do presidente da República. Inclusive, como diz Fernanda Trisotto, participou de manifestação pública, incluindo ataques ao Supremo Tribunal Federal. Esse conjunto de fatos constituiu um desastre  para Bolsonaro, para o governo e para o país.  

No caso da Petrobras, acarretou perda considerável de votos para a reeleição do chefe do Executivo. É bom lembrar que a Petrobras possui cerca de 45 mil servidores regidos pela CLT.

REPERCUSSÃO –  A GloboNews transmitiu na íntegra o discurso de posse de Adolfo Sachsida, que era  integrante da equipe econômica de Paulo Guedes. Terminado o discurso, os comentários de Gerson Camarotti, Natuza Nery e César Tralli foram arrasadores, condenando o seu pronunciamento, o anúncio da intenção de privatizar a Petrobras faltando cinco meses para as eleições, e pelo fato de terminado o evento não tendo aceito responder a perguntas dos repórteres.

Na mesma GloboNews, pouco tempo depois, no programa Em Pauta, a jornalista Eliane Cantanhêde analisou o pronunciamento, destacando  que se concentrou no tema da importância de investimentos estrangeiros do país, dizendo que o Brasil era um porto seguro para absorver as aplicações internacionais de capital. Falou dez vezes em “porto seguro para os investidores e para os investimentos”.

Mas a sensação de insegurança é fornecida pelo próprio governo Bolsonaro. A repercussão negativa do quadro ameaçador à democracia está na matéria de Lucas Mathias, edição de terça-feira de O Globo, quando destacou declarações feitas à BBC pela subsecretária de Estado americano, Victoria Nuland, que criticou os ataques de Bolsonaro às urnas eletrônicas e a sua intenção de contratar uma empresa para fazer auditoria nas eleições.

AUDITORIA – De fato, contratar uma auditoria para conferir a computação dos votos significaria, penso, atribuir à uma auditoria particular o poder de contestar os trabalhos do Tribunal Superior Eleitoral. Inclusive, é importante acrescentar que o exercício do voto em 2 de outubro não se refere somente à sucessão presidencial.

Refere-se às sucessões em 27 unidades federativas e também à escolha de senadores, deputados federais e estaduais ao mesmo tempo. Afinal de contas, por que a auditoria se concentra apenas no pleito federal? Se é uma questão de princípio e desconfiança, deveria ser pela lógica de Bolsonaro estendida a todo o pleito.

PREÇOS – Relativamente aos preços da gasolina, do diesel e do gás, que foi o verdadeiro motivo da demissão do ministro Bento Albuquerque, o ministro que o sucedeu não se referiu a qualquer momento a tal questão. Afinal de contas, o preço dos derivados foi o verdadeiro motivo tanto da demissão do general Silva e Luna da Petrobras, quanto de Bento Albuquerque do MME.

O ainda presidente da Petrobras, José Mauro Ferreira Coelho, era um homem de confiança de Bento Albuquerque e sua permanência no cargo transformou-se num enigma político. Como ela era de absoluta confiança de Albuquerque e por esse motivo foi nomeado presidente da estatal, eticamente, penso, deve entregar o cargo.

FUGA DO TEMA  – No O Globo desta quinta-feira, reportagem de Fernanda Trisotto, Eliane Oliveira, Geralda Doca, Jussara Soares e Gabriel Shinohara, analisa em detalhes o posicionamento inseguro de Adolfo Sachsida ao escapar do tema central em seu discurso, que motivou a demissão de Bento Albuquerque, e que se refere aos preços dos derivados do petróleo.

Um dos ângulos da análise feita por especialistas políticos e econômicos é o de que ao levantar a questão da privatização da Petrobras, que inclusive dependeria da aprovação pelo Congresso, como lembrou o senador Rodrigo Pacheco, tal fato seria uma cortina de fumaça para deslocar a atenção do eleitorado brasileiro sobre o preço dos alimentos, a inflação de 12,2% de abril de 2020 a abril de 2021, entre outros.

TERCEIRA VIAJussara Soares e Julia Lindner, O Globo de ontem, revelam que a terceira via por proposta pela senadora Simone Tebet que define um candidato único do grupo para se tornar uma opção contra Lula da Silva e Jair Bolsonaro nas urnas de outubro.

João Doria apoia a iniciativa. Mas, digo, se depender de pesquisa com base na mais recente do Datafolha, o candidato da terceira via só pode ser Ciro Gomes.

13 thoughts on “Discurso de Sachsida foi um desastre político e eleitoral para Jair Bolsonaro

    • Bom dia Antonio

      A coisa acontecerá, se tiver de acontecer, na hora certa! Ciro já apanhou muito, errou muito, perdeu muito. Se não aprendeu, perderá novamente!
      Um dia desses, escreverei sobre como Brizola, um grande líder, perdeu a chance de chegar ao Planalto e mudar a história de nosso País!

      Fallavena

        • Minha família era toda brizolista! Meu irmão Vicente, amava Brizola.
          Pena que Brizola cometeu erros que não poderia ter cometido!
          Já escrevi sobre isto. Se tivesse gente ao lado para alertar, não os teria feito.
          Paciência! Vamos, tentar, aproveitar o que de bom deixou!
          Fallavena

      • Caro Antônio Fallavena,
        Golbery do Couto e Silva sabendo que Brizola tinha apoio quase total dos trabalhadores, lançou Lula para dividir a classe trabalhadora e Brizola não chegar a presidência.
        Lula cumpriu essa papel elegendo Collor e duas vezes o FHC.
        Em 2018 Lula ajudou a eleição do Bolsonaro, se tivesse apoiado Ciro Gomes, Bolsonaro não teria sido eleito. Lula é um vaidoso inconsequente.
        Um abraço

  1. “Explicam-se”, em: Mas, para que as consequências de todos esses atos, na realidade ilegais, não recaiam sobre a responsabilidade do presidente, estabelecida por nós, o que prejudicaria nossos planos, sugerimos aos ministros e aos outros funcionários que rodeiem o presidente a idéia de passar por cima de suas disposições com as medidas que eles próprios tomem; deste modo, ficarão responsáveis em seu lugar… Aconselhamos confiar esse papel sobretudo ao Senado, ao Conselho de Estado, ao Conselho de Ministros, de preferência a um indivíduo só. (6)

    O presidente interpretará, dócil ao nosso desejo, as leis existentes, que possam ser interpretadas diferentemente; anula-las-á, quando lhe apontarmos essa necessidade; terá o direito de propor leis provisórias e até nova reforma da constituição, com o pretexto do supremo bem do Estado.

    Essas medidas nos darão o meio de destruir pouco a pouco, passo a passo, tudo o que , a princípio, quando de nossa tomada do poder, formos forçados a introduzir nas constituições dos Estados(7); passaremos daí, imperceptivelmente, à supressão de toda a constituição, quando chegar a hora de reunir todos os governos sob a nossa autocracia.”
    https://www.radioislam.org/protocols/indexpo.htm

  2. “Discurso de Sachsida foi um desastre político e eleitoral para Jair Bolsonaro”

    Discordo desta afirmação! Talvez atinja, parcela bolosnarista, que pensa! Mas aquela parte que vê traidor em quem se afasta/foi afastado; admite rachadinha; participa de motociatas; repete e transmite fakes e outros grupinhos das redes, são incuráveis!

    Com a chapa Ciro/Simone, as melancias começam a se ajeitar na carroça das urnas! O que poderá acontecer é verdade de votos de Bolsonaro, nas camadas com algum melhor conhecimento, ainda nas olhas.

    Não se pode esquecer que Ciro dará o tom ao debate! E, gostando ou não dele, possui capacidade intelectual e para grandes embates. os outros dois, Lula/Bolsonaro, estarão enredados nas malhas da corrupção, do centrão e na pior forma de fazer política! Ambos são mentirosos contumazes! Quem se descola deles, tem ganhos. E Ciro sabe como fazer isto!

    Sugestão à Ciro: usar o tema e a música de Geraldo Vandré – “Aroeira”

    Fallavena

  3. Entreguistas como Bozo e Paulo Guedes querem entregar nossas estatais nas mãos de globalista para lá na frente esses entreguistas colocarem mais dinheiro e estrutura nas mãos de movimentos lgbt, negros programados, abortistas, etc.

    Para quem acha que o Bozo e o Paulo Guedes são anti-globalismo, repensem nisso, pois estão sendo feito de otarios.

  4. Esse ataque a Petrobras é na verdade um ataque ao Rio de Janeiro.

    A paulistada da Faria Lima nunca se contestaram em ver que o Rio de Janeiro sendo o maior produtor de petróleo do país.

    A elite paulistada é a organizadora desse ataque ao petróleo do Rio de Janeiro. Essa gente doente prefere ver o petróleo DO RIO, não do Brasil, nas mãos de grupos estrangeiros do que nas mãos dos fluminenses.

    A paulistada tem medo dos fluminenses com essa riqueza petrolífera resolver TODAS as suas dividas, e virar o estado mais rico e tecnológico do Brasil.

  5. O que os estrangeiros querem é comprar galinha morta como a Embraer, Vale, e recentemente todos os gasodutos e oleodutos da Petrobrás. Tudo já pronto e com faturamento garantido.

  6. Discurso água de salsicha..

    Onde as salsichas ficam boiando naquela água durante dias até um “felizardo” peça um lanche…

    “ô Seu Zé, essas salsichas são de hoje.?

    “Sim, fresquinhas, foram feitas agora ..””

    • Só digo o seguinte: Existe um inegável conjunto mafioso em ação para DESTRUIR o Brasil e não parte da “raia miúda” e sim das canalhas sociedades secretas e seus arregimentados(cooptados) membros!
      Uma vergonha não reconhecerem o seu papel nessa DESTRUIÇÃO danação.

      • As Mafias comandam tudo.,

        Desde as Grandes, Médias e Pequenas.

        Os ditos representantes do povo, são apenas prepostos destas Máfias..

        Estamos lascados,, viramos apenas pagadores de impostos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.