Dívida bruta do Brasil já passa de 3 trilhões de reais

Pedro do Coutto

Os dados são do Banco Central, a reportagem é de Eduardo Cucolo, Folha de São Paulo de quarta-feira, revelando que a dívida bruta brasileira cresceu nada menos que 8,2% nos últimos doze meses e passou a alcançar 62,5% do PIB do país. Como o PIB situa-se na escala de aproximadamente 5,5 trilhões de reais, verifica-se em consequência que, em números redondos, o endividamento passou da casa dos 3 trilhões e se aproxima velozmente de 3 trilhões e 300 bilhões de reais. No final de maio, neste site, Flávio José Bortolotto e Wagner Pires haviam abordado o tema e alertado para a importância das despesas com pagamento dos juros.

Afinal, trata-se da Taxa Selic, de 13,75% a/a para uma inflação de 8,7%. Com isso, nosso país paga os juros reais mais altos do mundo: 5% a cada doze meses. Isso, hoje. Amanhã, como se aguarda, os juros podem se tornar ainda maiores. Basta a Selic manter a tendência de alta de que se reveste ultimamente.

AJUSTE É UMA FARSA

Diante de um quadro econômico financeiro que inclui um desembolso com juros em torno de 400 bilhões por ano, que se pode esperar, em matéria de reflexo positivo, do ajuste fiscal proposto pelo ministro Joaquim Levy, que pode produzir, na melhor das hipóteses, 66 bilhões de reais? Nada. A iniciativa é uma farsa, sob o argumento falso que o superavit fiscal destina-se a diminuir a dívida pública. Um sonho, uma fantasia. Pois 66 bilhões de reais dão somente para pagar 15% do valor dos juros.

Na verdade, para comprimir o endividamento torna-se necessário colocar 400 bilhões e mais alguma parcela na mesa dos credores. Quatrocentos bilhões para empatar, manter tudo como está. A parcela adicional, aí sim, significaria uma redução. Mas não acontece nada disso. Ao contrário. A dívida subiu 8,2% de 2014 para 2015 porque os juros foram capitalizados e se acrescentaram ao valor do endividamento. É o tradicional giro da dívida interna. Aliás, uma rotina na qual se incluem o ex-ministro Guido Mantega e o atual titular da fazenda Joaquim Levy, protagonistas de um movimento acumulativo.

ATÉ O BC DUVIDA…

Enorme acumulação, aliás, bastando compará-la ao orçamento da União para 2015 que é de 2,9 trilhões de reais. Assim, como se vê, o total da dívida supera o montante da lei de meios em vigor. E supera a própria massa salarial dos trabalhadores e funcionários públicos brasileiros, que é de 40% do Produto Interno Bruto. O Banco Central afirma – acentua Eduardo Cucolo – que as medidas adotadas para aumentar receitas e cortar despesas ajudarão a melhorar os resultados daqui para frente. Mas a direção do BC prefere prudentemente, não confirmar se é possível atingir-se a meta de economizar 66,3 bilhões de reais. Ainda bem. Pois mesmo que seja possível, o que significam 66 bilhões diante de uma dívida superior a 3 trilhões de reais?

O mercado, prossegue a reportagem, projeta que um déficit de 0,7% do PIB nas contas públicas, de maio a maio, doze meses, pode se transformar num superavit de igual percentagem de junho a dezembro deste ano. Vamos esperar os fatos, sem desprezar ou desacreditar nas promessas. De projetos e promessas a sociedade brasileira está farta. É só comparar os compromissos da candidata à reeleição assumidos na campanha eleitoral e suas ações na presidência da República, depois de reeleita.

E finalmente urgente deixarmos de ser um país de grandes ilusões, como o filme famoso de Jean Renoir, e partirmos para a realidade. Estávamos nessa rota com JK, mas a renúncia de Jânio Quadros, em 61, jogou o Brasil num processo de crise do qual ainda não conseguiu sair. A crise é política, econômica, financeira, social e, nos últimos tempos, também moral. Impossível negar, pois não se pode brigar com os fatos.

5 thoughts on “Dívida bruta do Brasil já passa de 3 trilhões de reais

  1. Perdemos duas oportunidades: a primeira quando Itamar Franco deixou uma dívida (a chamada pública interna) administravel, e a segunda quando Lula assumiu e deveria tê-la auditado para ver como FHC a decuplicou. Agora, é absolutamente impagável, nem que se esfole toda a nação, como vem há anos ocorrendo, sem que consigamos pagar sequer o chamado serviço (os juros) da dívida e diante da qual todas as outras discussões são inóquas. É meramente uma questão de tempo até a admissão do fato inconteste, absolutamente inegável, de que, como está posta a equação, a dívida é absolutamente impagável. A Grécia também somos nós…

  2. O Brasil com essa dívida, essa taxa Selic, se obriga a pagar esses juros astronômicos,
    é um fortuna que sai sem volta, assim como a remessa de lucros.
    Se não tomar medidas radicais, como Auditoria da dívida, lei de remessa de lucros,
    muito em breve estará em risco a soberania nacional. Nenhum país resiste a tamanha
    sangria de sua divisas.

  3. O Art. 26 das Disposições Transitórias da Constituição Brasileira de 1988 obrigava uma Auditoria da Dívida de então. Está lá a obrigação constitucional.
    Há 27 anos, sem ser obedecida.
    Sem ninguém da Administração Pública a cobrar a realização desta Auditoria.

    Já o Art.166 da Constituição Brasileira de 1988 impede que na LOA de cada ano, se façam emendas à previsão ali colocada para o pagamento do “serviço-da-dívida”. Nem exigem, como se exige de todos os demais gastos públicos que se especifique a origem dos recursos.
    A presidanta diz quanto será destinado para o “serviço-da-dívida” e ponto final.
    Não se emenda este valor, nem precisa ser explicada a origem dos recursos para este pagamento. Para o “serviço-da-dívida” o que se colocar na LOA, passa no Congresso sem discussão possível, sem emenda alguma, graças ao artigo 166.
    Em 2014, a presidanta destinou 1 TRILHÃO, para o gasto com o “serviço-da-dívida”.
    Em 2015, a presidanta destinou 1,356 TRILHÕES para o gasto com o “serviço-da-dívida”.
    E cosi la nave va… al fondo!!!

    Última observação a respeito deste artigo 166: ele foi fraudado na Constituinte, pois apareceu no texto constitucional, sem ter sido votado no 1º turno, como era a regra constituinte. E sem ter sido votado no 1º turno, foi votado no 2º turno da Constituinte.
    E como foi votado no 2º, passou a ser Constituição desde então…

    Assim, da mesma forma que o Art.26 das DT acima citado, o art.166 existe há 27 anos, só que como fraude. Que não é atacada por nenhuma instância administrativa, apesar de algumas esparsas iniciativas, como uma deste escriba, há 4 anos na PGR, sem análise ou decisão, até hoje.

    E assim segue o Brasil varonil, com céu de anil e mais uma presidanta imbecil.
    Com um artigo legítimo, o 26, que deveria ter sido cumprido há 27 anos E NÃO O FOI!
    E outro, o 166, este fraudado, portanto ilegítimo, SENDO CUMPRIDO HÁ 27 ANOS.

    Alguém acredita que isto possa vir a dar certo?

  4. 2 TRILHÕES EM 2015
    A carga tributária superou os 2 trilhões de reais, e a dívida bruta do Brasil, já passa dos 3 trilhões de reais. Onde enfiaram tanto dinheiro? Por que, com toda essa arrecadação, os hospitais estão falidos? Por que, Portugal quer a prisão de Lula? O que será, que ele fez em Portugal? Por que o Imposto de Renda continua esfolando (roubando) os idosos com idade superior a 80 anos? Por que não ISENTAM os salários de qualquer valor dos idosos com idade
    acima de 80 anos? Por que o Leão salafrário teve a coragem de intimar um idoso com 96 anos de idade? Essa notícia foi divulgada pelo jornal O GLOBO. Com a palavra o governo do PT, Deputados, e Senadores. Esse governo está passando dos limites! Alguém ajuda?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *