Documentos da CPI colocam a corrupção na Saúde mais perto da família Bolsonaro

Jair Renan, quarto filho de Bolsonaro, está com Covid-19 - Forbes Brasil

Jair Renan parece estar tendo a mesma educação dos irmãos

Eliane Cantanhêde
Estadão

Em uma semana em que os documentos obtidos pela CPI da Covid chamaram mais a atenção do que os depoimentos colhidos pelos senadores da comissão, as mensagens mostram as relações entre o ex-funcionário da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) José Ricardo Santana e o lobista Marconny Farias, que atuava na defesa dos interesses da Precisa Medicamentos – a empresa que intermediou a venda para o Brasil da vacina indiana Covaxin.

Segundo os documentos, após serem apresentados em um jantar na casa da advogada Karina Kufa, que representa o presidente Jair Bolsonaro, a dupla teria elaborado um “manual” para fraudar licitações no Ministério da Saúde.

O FILHO 04 – Destaque-se também as relações desse mesmo lobista com Jair Renan Bolsonaro, o filho “04” do presidente. De acordo com o material colhido pela CPI, Farias o ajudou a montar sua empresa de representações e eventos. 

Isso mostra que o governo Bolsonaro e o Ministério das Saúde estavam com a porta escancarada para esse tipo de gente, esse tipo de empresa e a esse tipo de negociação.

Dentre os depoimentos, o mais importante nesta semana foi o do motoboy Ivanildo Gonçalves, interrogado na quarta-feira (dia 1º). Ele era funcionário da VTCLog (empresa de logística contratada pelo Ministério da Saúde, suspeita de irregularidades) e fazia movimentações milionárias em dinheiro vivo.

PAGADOR DE BOLETOS -Uma das missões do motoboy era pagar boletos para Roberto Dias, ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde e um dos pivôs do escândalo de corrupção investigado pela CPI da Covid.

tudo muito estranho, muito complexo, mas a CPI tem o fio da meada e tem essa história muito bem contada. Na semana que vem, com o feriado de 7 de Setembro, a CPI não terá sessões presencias e vai aprofundar a análise dos documentos.

2 thoughts on “Documentos da CPI colocam a corrupção na Saúde mais perto da família Bolsonaro

  1. Curiosa a reação dos bolsonecos.
    Ao invés de contestarem os fatos – que, claro, são incontestáveis – contestam a jornalista.

    Faz parte da obtusidade desses elementos esse tipo de reação.
    Alimentam-se de farelo de capim, com certeza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *