Dois brasileiros criaram cartão de crédito e aparecem como bilionários da “Forbes”

See Brex's Guidelines for Startups Applying for Federal Assistance

Henrique Dubugras e Pedro Franceschi, os criadores do Brex

José Carlos Werneck

Dois jovens brasileiros entraram na lista de bilionários de 2022 da revista Forbes. Pedro Franceschi, de 25 anos, e Henrique Dubugras, de 26, são cofundadores da startup de cartões de crédito corporativos Brex. Segundo o ranking publicado nesta terça-feira, a dupla entrou na lista quando sua startup fundada no Vale do Silício foi avaliada em US$ 12,3 bilhões. Cada um deles tem fortuna de US$ 1,5 bilhão.

Segundo a Forbes, a Brex não é o único unicórnio cujos fundadores se tornaram bilionários neste ano. Em todo o mundo, 30 startups ultrapassaram avaliações de US$ 10 bilhões em 2021, o dobro do número de 2020.

AMIGOS VIRTUAIS – Franceschi e Dubugras se conheceram pelo Twitter durante uma discussão sobre programação, quando ainda eram apenas estudantes do ensino médio. Eles ficaram amigos mesmo morando em estados diferentes, Franceschi era do Rio de Janeiro e Dubugras de São Paulo.

Com apenas 19 anos, eles criaram a startup Pagar.me, que permitia que comerciantes aceitassem pagamentos online. Em 2016, a empresa foi vendida para a Stone.

Os dos programadores estudaram dois semestres na Universidade de Stanford, mas abandonaram o Curso de Ciência da Computação para se dedicarem aos negócios. Em 2017, fundaram a Brex. A empresa sediada em São Francisco destacou-se no mercado americano por oferecer cartões de crédito corporativos para outras startups e empresas de inovação, como Airbnb e Class Pass.

EXPANSÃO – Desde sua fundação, o modelo de negócios já se expandiu para atender também pequenas empresas tradicionais. Segundo o TechCrunch, a Brex está caminhando para dobrar suas receitas em 2021.

A Forbes destacou os brasileiros entre os 12 bilionários mais jovens do mundo. Além da dupla brasileira, a revista listou 2.668 bilionários, um total menor do que no ano passado: 329 pessoas tiveram um “downgrade”, o maior número de quedas desde 2009. A fortuna somada dos bilionários também encolheu para US$ 12,7 trilhões, ante US$ 13,1 trilhões em 2021.

Por outro lado, há 169 novatos, como a cantora Rihanna, que enriqueceu graças a seus investimentos na empresa de cosméticos Fenty Beauty e na marca de lingerie Savage X Fenty. Rihanna colocou, assim, Barbados pela primeira vez na lista de países com bilionários na Forbes.

Como se vê, para quem vai à luta não existe governo ruim!

2 thoughts on “Dois brasileiros criaram cartão de crédito e aparecem como bilionários da “Forbes”

  1. Brasileiro?
    Empresa fundada onde?
    E no Brasil tem patrimônio no nome deles, da empresa ou de terceiros?
    Tem que confiscar e fazer distribuição de riquezas aqui pois tem muito poucos concentrando muito… enquanto muitos com pouco ou sem nada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.