Dona Dilma tem que enfrentar o mais grave problema do seu governo. Além de tudo o que aconteceu nesses 27 dias, surge agora a chantagem de Furnas. Que a presidente, timidamente, se deixa intimidar.

Helio Fernandes

Na Matriz, excesso de trabalhador dito qualificado, e falta alarmante de mão de obra chamada de primária. Então, os EUA constroem um muro enorme para latinos não entrarem no país, mas importam do México e da América Central, pedreiros, marceneiros, pintores de paredes, e tudo o mais, até lixeiros.

Na Filial, exatamente o contrário. Ausência do trabalho mais elevado, excesso de mão de obra primária. Se não estivéssemos tão longe, seríamos os beneficiados (?) por essa necessidade deles.

Aqui, não há presidente não entre e não saia falando desses problemas, e badalando: “Precisamos cuidar da educação”. Por que não colocam Eduardo Cunha como Ministro da Educação? Pelo menos ele ensinaria que “quem com ferro fere, com ferro será ferido”. E ainda fariam cursos qualificados (?) de lobismo e chantagem explícita.

D. DILMA NÃO VAI RESOLVER
O PROBLEMA DE FURNAS?

Não vai não, isso é a coisa mais certa do mundo. Ele vem patinando desde a posse, não resolve coisa alguma. Eduardo Cunha não pode continuar sendo o homem mais poderoso da Câmara, de Furnas e, consequentemente, do país. E não é pelo que foi publicado hoje na Primeira de O Globo, com direito a manchete. O jornal reproduziu o que o deputado escreveu no seu twitter, que é CHANTAGEM ABERTA E DECLARADA. Nenhuma surpresa, isso é norma no deputado. E não é de hoje.

Em pleno governo Lula, com o presidente no auge e no apogeu, Eduardo Cunha exigiu a presidência de Furnas para quem ele indicasse. E como contrapartida, garantiu: “Se eu não nomear o presidente de Furnas, derrubo a CPMF”.

Depois de resistir quase esses 6 meses citados, Lula cedeu, nomeou quem o lobista queria, perdão, exigia. E apesar disso, a CPMF foi derrotada. Lula ficou uma fera. A CPMF foi derrubada no Senado, Dona Dilma podia pedir imediatamente o que os senadores Artur Virgilio (então líder do PSDB) e Agripino Maia (líder do DEM) disseram desse lobista. Não perca essa chance, Dona Dilma. (Vai hesitar e vai perder).

Eduardo Cunha, isso tem que ser reconhecido e registrado: não tem escrúpulo, caráter, constrangimento. E como faz a mesma coisa há 20 anos e nada lhe acontece, sairá vitorioso mais uma vez. Diz escancaradamente a O Globo: “Lembrem do escândalo dos aloprados, quando petistas foram presos com 1 milhão e 800 mil para comprar dossiê forjado contra ticanos?”

E vai além disso, com notável tranquilidade e num espetacular lance de audácia e senso de oportunidade: “É impressionante o instinto suicida desses aloprados. Quem não se lembra dos aloprados?”

E estava sem irritação com petistas, atacados por ele e do primeiro escalão do PT. (Incluindo ex-presidentes da Câmara e o futuro). Também presente o ex-governador Garotinho, fundador do PSC com ele e agora violentamente atingido. Por aí, Dona Dilma pode VER e SENTIR, que com Eduardo Cunha não adianta ser amigo ou inimigo.

Eduardo Cunha não deixa apenas “entrever as coisas”, dá nome e sobrenome, não precisa ser interpretado. Sugeri a Dona Dilma mandar buscar as notas da votação da CPMF no Senado. Pode fazer mais: pedir ao seu amigo Lula como aconteceu o episódio da nomeação do presidente de Furnas e a razão pela qual Lula teve que aceitar as exigências do lobista-chantagista.

As acusações contra Dutra “atingiram” o presidente de Furnas (indicado por Cunha), que então, para se defender, deflagrou uma guerra de matéria paga. Primeira da Folha, terceira do Globo, que não quis publicar na Primeira.

(Esclarecimento para os leitores-comentaristas: os jornais [no caso, O Globo e a Folha] não têm a Primeira página na tabela de publicidade. Assim publicam o que quiserem e pelo preço que bem entenderem. Imaginem quanto custou a Furnas? E só vi esses dois jornais. Uma fortuna, e não saiu da conta recheada de Eduardo Cunha).

 ***

PS – A presidente só poderia responder de uma forma: DEMITINDO o presidente de Furnas, e mandando investigar tudo. Em vez disso, fez a declaração mais estranha e sem sentido: “Furnas continua sendo do PMDB, mas para um técnico”.

PS2 – Recuou e fugiu do correto, reconheceu publicamente que os cargos têm donos. Está bem, é assim mesmo. Mas por que então não nomeou logo um técnico, como ela mesmo falou?

PS3 – O desgaste da presidente, nem ela imagina. Não é o primeiro desgaste, mas como disse no título, como se recuperar? Só agindo de acordo com o que ele mesmo tem repetido: “55 milhões de pessoas votaram em mim”. E daí?

PS4 – Existem outros problemas sérios, provocados por ela mesma. Como o que aconteceu com Miriam Belchior. Não se governa assim. Mas fica para depois.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *