Donos da Odebrecht e da A. Gutierrez se achavam inatingíveis

MPF diz que Odebrecht e Andrade Gutierrez eram mais sofisticadas na corrupção RAFAEL ARBEX/ESTADÃO CONTEÚDO

O empreiteiro Marcelo Odebrecht agora caiu na realidade

Mario Cesar Carvalho e Flávio Ferreira
Folha

O juiz federal Sergio Moro disse na decisão que determinou a prisão de executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, que mesmo após a deflagração da Operação Lava Jato, em março do ano passado, as empresas não fizeram nada para mudar a suspeitas sobre pagamento de suborno.

“Não há registro de que os dirigentes das duas empreiteiras, incluindo os presidentes, tenham tomado qualquer providência para apurar, em seu âmbito interno, o ocorrido, punindo eventuais subordinados que tivessem, sem o conhecimento da presidência, se desviado”.

O magistrado diz que isso “é indicativo do envolvimento da cúpula diretiva e de que os desvios não decorreram de ação individual, mas da política da empresa”.

Como não teriam feito nada, na visão do juiz, havia risco de que os supostos crimes continuassem a ser cometidos. “A assim denominada Operação Lava Jato deveria servir para as empreiteiras envolvidas como um ‘momento de clareza’, levando-as a renunciar ao emprego de crimes para impulsionar os seus negócios”.

INTERROMPER O CICLO

Um dos motivos elencados pelo juiz para justificar a prisão foi o risco à ordem pública. Segundo ele, a prisão é “necessária para interromper o ciclo delitivo”. Moro menciona como motivo para a prisão o risco de que os empreiteiros interfiram na busca de provas.

“No caso da Odebrecht, há registros de pontuais interferências na colheita da prova por pessoas a ela subordinadas ou ligadas”.

Moro cita o exemplo de Bernardo Freiburghaus, apontado como responsável pelo pagamento de propina da Odebrecht na Suíça – o que a empresa sempre negou. Segundo o juiz, ele “destruía as provas das movimentações das contas no exterior tão logo efetuadas e, já no curso das investigações, deixou o Brasil, refugiando-se no exterior”.

Ele tem passaporte suíço, vive atualmente em Genebra e é procurado pela Interpol por suspeita de lavagem de dinheiro.

QUEM PAGA É O CIDADÃO

O juiz diz que o principal prejudicado pelo esquema de corrupção na Petrobras é “o cidadão brasileiro”, já que as perdas da empresa com corrupção, estimadas em R$ 6 bilhões pela companhia petroleira em seu balanço de 2014, provoca “reflexos no crescimento econômico”.

Moro também menciona os riscos políticos da corrupção: “A gravidade concreta da conduta das empreiteiras é ainda mais especial, pois parte da propina foi direcionada a agentes políticos e ainda para financiamento político, comprometendo a integridade do sistema político e o regular funcionamento da democracia. O mundo do crime não pode contaminar o sistema político-partidário”.

DOMÍNIO DO FATO

O juiz escreveu que “parece inviável” que o esquema de corrupção na Petrobras fosse desconhecido dos presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, uma vez que os crimes contra a estatal tiveram início em 2004 e os contratos e propinas a eles relacionados tiveram valores milionários.

Essa é uma referência à “teoria do domínio do fato”, que é usada no meio jurídico para incriminar os chefes de organizações apontadas como criminosas.

No despacho, o juiz ressalta que as prisões são necessárias para evitar a reiteração de crimes contra o Poder Público, pois as empresa possuem contratos em andamento com a Petrobras e outros entes públicos. “Enfim, quanto ao risco a ordem pública, a prisão cautelar é o único remédio apto a quebrar a aludida “regra do jogo””, escreveu.

Em um de seus depoimentos às autoridades, o executivo Júlio Camargo, da Camargo Corrêa, disse que a “regra do jogo” em contratos com a Petrobras envolvia o pagamento de propinas.

7 thoughts on “Donos da Odebrecht e da A. Gutierrez se achavam inatingíveis

  1. Ninguém neste mundo está acima da LEI. Quem pensa que é todo poderoso, um dia a casa cai. Um grande empresário brasileiro, se achava e queria ser o mais rico do mundo. O resultado final foi a debacle do seu conglomerado. Não foi castigo foi a natureza das coisas, a qual, todos nós estamos sob o império dessa máxima universal.

  2. Não entendo como Presidentes quando dizem que não sabem de nada – é ridicularizado. Ninguém aceita. Agora os Dois poderosos dizem que não sabem de nada e são compreendidos. Um deles por ocasião do mensalão falou que quem estava na cozinha não poderia saber o que se passava na sala, e ficou legal.

  3. Gostaria de saber o que a “Teo Tecnologia Empresarial Odebrecht fala sobre corrupção”. Muita hipocrisia destes senhores. Ajudaram a afundar o Brasil e a conta sempre é apresentada ao contribuinte.

  4. Bom Artigo, mostrando um JUIZ, Dr. Sérgio Moro, que Honra a Srª Justiça, servindo de exemplo para os Juizes da 1ª Instância, e superiores que passam a ser chamados desembargadores, ministros, que estupram e vilipendiam à de “olhos vendados”, de vergonha, cuja espada só corta a cabeça da ralé, que rouba 1K de feijão para matar a fome dos filhos, por estar desempregado, e mandá-lo para a penitenciária por 3 anos(SP), 6 meses após o furto. Enquanto o roubo de bilhões do “cofre público”, com as petições dos advogados; para os ladrões, nada acontece, se acontece, vão cumprir a “peninha”, em “casa”, e a grana roubada,TCHAU. Mensalão não nos deixa mentir.
    O Supremo, com maioria absoluta de PT, é filial do PT, até o mais novo indicado, é contra a “delação premiada”, que leva às provas concretas, cujo resultado, o ZÉ POVINHO roubado através dos impostos está vendo pela Imprensa.
    Oremos à DEUS, pedindo PROTEÇÃO e SABEDORIA para o JUIZ MORO e EQUIPES DA PF E MPF, estão enfrentando uma “BARRA” pesada, e que apareçam mais JUÍZES COMO O DR. SÉRGIO MORO, COMO CIDADÃOS HONESTOS E TRABALHADORES FICAREMOS DEVENDO PELA LAVAGEM DA CORRUPÇÃO DESENFREADA EM QUE SOBREVIVEMOS.
    QUE OS MEMBROS DO STF, OLHEM A CHARGE DE HOJE DO DUKE, É O DESTINO ALÉM TÚMULO, DOS CORRUPTOS, PARA A VERDADEIRA JUSTIÇA. “A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS”, E “PAGARÁS ATÉ O ÚLTIMO CEITIL, AVISO DE 2 MIL ANOS.
    RUI BARBOSA MORRE TODOS OS DIAS, EM VER A JUSTIÇA QUE TEMOS!???

  5. MARCELO ODEBRECHT, PRESIDENTE DO GRUPO ODEBRECHT, PRESO NA LAVA JATO
    Em 01.02.2010 o jornal O Estado de São Paulo publicou uma entrevista com o mesmo, em que foi publicado: “ Empresário de opiniões fortes, Marcelo fala sobre sua relação com o pai e o avô, corrupção e ligações com o governo”.
    Entrevista publicada na página N6, do Caderno Negócios. Tenho a página do jornal impresso no meu arquivo.
    Manchete da entrevista: BOTA QUEM TEM CULPA NA CADEIA (FRASE DE UMA RESPOSTA DELE, MARCELO)

  6. Sr. Sérgio, as hoje grandes empreiteiras, nasceram, cresceram, sempre andaram de braços dados com os governos, só, que havia mais moderação, e nos últimos anos virou boca de jacaré, o que era milhão, virou bilhão, invadindo a “praça”, e nós da planície, pagando o “pato dourado”.
    Essa folha de jornal de seu arquivo, poderia se mandado cópia, a seu xará, que está lavando o BRASIL com lava jato. O Estado de S.Paulo, deve ter em seu arquivo, poderia republicar, estaria prestando um belo serviço à NAÇÃO VILIPENDIADA PELOS CORRUPTOS.
    Oremos pelo seu Xará e equipe PF e MPF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *