Donos de patrimônios milionários, políticos estão entre os beneficiados pelo auxílio emergencial do governo

Charge do Bira Dantas (humorpolitico.com.br)

Pedro Capetti e Alice Cravo
O Globo

Políticos com patrimônio milionário fazem parte da lista de beneficiários do auxílio emergencial, pago pela Caixa Econômica Federal. Levantamento feito pelo O Globo com base em dados do Ministério da Cidadania e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) identificou que candidatos a cargos públicos nas eleições de 2016 e 2018, cujas declarações de bens ultrapassam R$ 1 milhão, estão recebendo ajuda do governo.

O cruzamento de dados encontrou 136 casos de candidatos com mais de R$ 1 milhão em bens que constam da lista de beneficiários. São pessoas que, mesmo declarando patrimônio elevado ao TSE, tiveram cadastro aprovado e começaram a receber a segunda parcela. Na lista, estão postulantes a cargos de prefeito, vice-prefeito, vereador e deputado estadual e federal.

BENEFICIADOS – Problemas no cruzamento de dados para o pagamento do auxílio e nos critérios definidos têm feito com que pessoas das classes A e B, que não seriam o público-alvo da política, figurem entre os beneficiados.

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, já havia admitido que milhões de filhos da classe média estavam recebendo o benefício indevidamente. Criminosos também receberam o benefício. Há casos em que o nome da pessoa foi incluída no cadastro por outra pessoa, sem seu conhecimento, mas há também muitos indícios de fraudes, que estão em investigação por órgãos de controle.

PREVISÃO LEGAL  – Segundo a Dataprev, responsável pelo cruzamento de dados do auxílio emergencial, nos critérios estabelecidos pelo Ministério da Cidadania, não houve “previsão legal para verificação do patrimônio dos requerentes”, o que poderia ter identificado inconsistências cadastrais e omissões na renda domiciliar na inscrição e no Imposto de Renda. Os dados do TSE só foram usados para identificação de mandato eletivo, segundo a estatal.

A falha, segundo Gil Castello Branco, fundador e diretor-executivo da ONG Contas Abertas, ocorre devido aos sistemas de informação do governo federal, classificados por ele como “colcha de retalhos”. Os dados são disponibilizados em sistemas independentes, que não cruzam a informação entre si.

“Como o governo federal estava pressionado para agir de maneira rápida e não existe um cadastro único, você pega as fraudes depois do pagamento. Isso deveria ter acontecido antes. Muitas pessoas não conseguem receber enquanto outras estão fraudando o sistema”, explica.

PATRIMÔNIO MILIONÁRIO  – O engenheiro Hélio Raimundo, ex-prefeito de Vila Boa (GO), entre 2013 e 2016, pelo PSD, está entre os beneficiários. Na tentativa de se reeleger, em 2016, Raimundo declarou ao TSE ter mais de R$ 5 milhões em bens, distribuídos em uma casa, um loteamento, uma fazenda de mais de mil hectares, quatro lotes e um veículo na garagem.

No dia 27 de abril, Raimundo entrou com a documentação para receber o auxílio de R$ 600. Foi aprovado pela Caixa no dia 15 de maio. Raimundo disse estar desempregado e que vendeu o patrimônio para pagar dívidas de campanha em 2012 e 2016, além de enfrentar um bloqueio judicial referente ao período em que foi prefeito.

Os custos das campanhas, no entanto, foram de R$ 67 mil e R$ 23 mil, respectivamente. “Esse é o declarado, a gente não declara tudo. Não tem como declarar (todos os gastos para TSE), eu gastei uns R$ 2 milhões na campanha de 2016”, disse ele, reiterando que desde 2017 está sem renda e que precisa do auxílio.

OMISSÃO – Segundo o TSE, a omissão de gastos de campanha é considerado crime eleitoral. Durante sua passagem na prefeitura, Raimundo foi alvo de uma liminar da Justiça Estadual que o proibiu de usar a caminhonete da prefeitura para fins pessoais. Segundo o Ministério Público de Goiás, ele usou o veículo oficial para visitar a filha em sua cidade natal, com abastecimento feito com uso de dinheiro público.

Embora receba o auxílio emergencial desde o dia 15 de abril, Gil Diniz Neto, que foi candidato a vice-prefeito de Contagem (MG) pelo DEM, e tem patrimônio declarado de R$ 7,6 milhões, agradeceu o contato do O Globo porque disse não saber que constava da lista dos beneficiados. “Não estou sabendo que estou recebendo, foi até bom você ligar. Vou ver o que aconteceu, não sei o que pode ter sido”, disse.

A ex-servidora pública estadual, Verbena Macedo (PDT), que foi candidata à prefeitura de Estreito, no Maranhão, é mais uma na lista. Com R$ 3,23 milhões declarados, distribuídos entre uma casa, três terrenos, dois prédios e um carro, ela consta da lista de beneficiários desde abril. Ao saber o motivo da ligação, Verbena disse apenas que estava doente: “Estou hospitalizada, não posso falar”, disse e desligou.

DONO DE EMPRESAS – No interior do Piauí, em Piripiri, o empresário Paulo Roberto Limeira dos Santos, então candidato pelo PR ao cargo de prefeito, declarou ter sociedade em quatro empresas da área de construção, mineração e energia, cujo valor declarado é de R$ 38 milhões. Além desses bens, disse possuir um carro estimado em R$ 33,3 mil.

Apesar de constar com todos esses bens, Santos aparece como recebedor de duas parcelas do auxílio emergencial. Questionado sobre o recebimento desses recursos ao passo que declarou fortuna milionária no TSE, Limeira afirmou que esses projetos nunca ocorreram, apesar de a empresa existir desde 2000.

“FACTOIDE” – Ele afirma que o que foi declarado iria ser integralizado à empresa, o que não ocorreu, e que hoje está desempregado: “Eu nunca fui milionário, queria ser, mas nunca fui. Isso é um factoide, é um sonho. Foram projetos que eram para ter ocorrido, que não ocorreram, não tem nada de ilegalidade de solicitar isso, não tenho renda suficiente, tampouco tenho renda pra me manter nesse sentido.

Apesar de negar, as empresas de Limeira constam do sistema da Receita Federal com capital social acima de R$ 10 milhões, acima dos limites de microempresa, previsto pelos critérios do  auxílio emergencial. Em nota, o Ministério da Cidadania informou que tem feito parcerias com a Controladoria-Geral da União (CGU) e com o Tribunal de Contas da União (TCU) para averiguar inconsistências.

RESSARCIMENTO – Segundo a pasta, quem burlar a legislação terá de ressarcir os cofres públicos dos valores recebidos, além de sanções civis e penais. Para Castello Branco, um dos legados da pandemia vai ser a necessidade de consolidação desses dados através de um novo sistema de cruzamento.

“A tecnologia da informação do governo federal é uma colcha de retalhos. Não existe um cadastro único, e, sim, um emaranhado de sistemas. O pagamento dos militares, por exemplo, só foi descoberto quando cruzaram os dados do auxílio com as folhas de pagamento dos militares, que roda diferente da dos civis”, afirma.

Ele continua: “O mesmo aconteceu com os doadores de campanha, que foi através de um cruzamento de dados do TSE, que não teve todas as suas informações aproveitadas. Você alcançaria os doadores e a declaração de bens”. concluiu.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Enquanto milhares de pessoas necessitadas, divididas entre a fome e o desemprego, tiveram os seus pedidos negados, políticos sem vergonha foram beneficiados e não pensaram duas vezes em abocanhar o auxílio para gastarem com os seus supérfluos. E riem das brechas abertas pelo sistema falho e inoperante. Parece que tudo é feito na base do chute, nas coxas, errando no básico e condenando a maior parte da população. Revolta, mas não espanta. Em décadas, a coisa anda a passos lentos e as soluções são em doses homeopáticas. (Marcelo Copelli)

8 thoughts on “Donos de patrimônios milionários, políticos estão entre os beneficiados pelo auxílio emergencial do governo

  1. Estes políticos são exemplo da pior espécie que existe no Brasil.
    A câmara e o senado são uns antros de crápulas, vagabundos e canalhas.
    Estas pocilgas têm que ser fechadas para uma reforma cabal e, até, para diminuir despesas.
    Reduzir o número de congressistas.

    • Fernando Luiz de Albuquerque Lima
      Li, reli e não entendi tua proposta.
      Mas tem tudo a ver conosco, com a sociedade, com a falta de educação familiar, escola incapaz e corrupção na sociedade!
      Os políticos que atacas, certamente precisam ser “alcançados” pelos braços da lei e da justiça.
      Se o eleitor não melhorar, tua proposta de não resolverá: continuarão votando em picaretas e vigaristas, na maioria, e as casas permanecerão como estão hoje.
      Fallavena

  2. Em primeiro lugar, uma amostra da bagunça administrativa do país! Pouco é responsabilidade do governo atual, mas não é crível que o “cadastro nacional” seja pior do que o de um boteco de beira de estrada.
    Pessoas com património, com receitas vultosas, servidores públicos, residentes no exterior, puxa é algo inaceitável!
    Assisti a pressão feita sobre Onix e o ministério da cidadania, para liberar geral, rápido e Deus que nos proteja! Jornalistas, vereadores, deputados e outros “donos da verdade”, forçando a barra em nome da “fome”
    CPF, para que? Tinha de liberar para todos!
    E mesmo com alguns cuidados, menores e menos precisos do que era de ser o ideal, olha só a baderna e o ataque de vigaristas está oferecendo!
    A pandemia e ações assim mostram, claramente, que existe uma parcela da sociedade que é corrupta por natureza!
    Falta educação, mas é da familia! É ela que educa, ou deveria educar os filhos, repassando seus valores e princípios, e não os governos!
    Falta controle e fiscalização, e isto é responsabilidade do estado, como um todo!
    E na sociedade, em geral, faltam valores (moral, ética, responsabilidade) e isto é de cada um dos indivíduos!
    A corrupção nasce, cresce e se desenvolve na pessoa, em cada um. Pelo exemplo de parcela dos brasileiros, educação familiar deficiente e sem valores e formação (ensino) que idealiza e edifica a vitimização e o combate a verdadeira cultura, atitudes assim se tornam comuns.
    Os corruptos saem da sociedade e não do estado brasileiro. Lá, eles constroem as bases para a corrupção das instituições. Mas eles saem da sociedade!
    Punições para atos como estes? Quem for cobrado e devolver, estará livre. E quem for cobrado e não devolver, o que acontecerá? Pessoas ocupantes de cargos/funções publicas usando da má fé! O que acontecerá com eles? Deveriam ser cobrados, dar suas explicações e serem exonerados dos cargos, A BEM DO SERVIÇO PÚBLICO. Quem assim age, demonstra sua má fé – é um corrupto. Como poderá continuar como servidor público? Que confiança poder-se-á ter nele? Amanhã poderá virar a chefe, etc.
    Um país que não faz justiça com seus maus cidadãos, como fará com os honestos?
    Afinal de contas o que é justiça?
    Fallavena

  3. Fallvena,
    Você disse melhor e mais o que penso que deveria, ou deve, ser feito.
    Uma reforma ampla nas leis e regras da política do Brasil.
    Será muito difícil.
    Os políticos atuais não têm em mente os interesses nacionais.
    Só pensam nos próprios.

    • Fernando, uma reforma ampla das leis e regras da política, não será muito difícil, será impossível, se for de iniciativa deles e melhor assim, pois se eles fizerem alguma alteração, será para aperfeiçoar o sistema de rapina e impunidade.

  4. Essa é a elite que vota nos Bozos da vida!

    A elite brasileira é contra o desenvolvimento, contra a pesquisa tecnológica, até mesmo contra o desenvolvimento de que aqui no Brasil se desenvolva um modelo de gestão ou governo apropriado para o Brasil, pois essa elite quer copiar as piores coisas vindas dos Estados Unidos e Europa.

    São vira-latas canalhas!

    Alguém acha mesmo que essa elite traidora da Nação quer o desenvolvimento do país e levar o Brasil para o tal “primeiro mundo”?

  5. Para separar o joio do trigo a Caixa Econômica poderia fazer um grande bem à sociedade brasileira, expor os CPFs dos beneficiários do controvertido Auxílio. Então poderíamos saber se A, B ou C se valeu deste “socorro”, fácil não é mesmo, mas será que a Dona Justiça aprovaria tal coisa? E o medo de que algum membro deste vetusto poder possa estar envolvido em tamanha canalhice? Então é melhor deixar a canalhice
    assim como está.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *