Duas canes maravilhosas, que fazem lembrar nossos tempos de criana

Resultado de imagem para ren bittencourt

Ren Bittencourt e o parceiro Chico Alves, o Rei da Voz

Paulo Peres
Poemas & Canes

O empresrio artstico, jornalista e compositor carioca Ren Bittencourt Costa (1917-1979), na letra de Cano da Criana, homenageia a garotada brasileira no seu dia. Essa valsa foi gravada por seu parceiro Francisco Alves, apelidado de O Rei da Voz, em 1952, pela Odeon.

CANO DA CRIANA
Francisco Alves e Ren Bittencourt

Criana feliz
Feliz a cantar
Alegre a embalar
Teu sonho infantil
Oh Meu Bom Jesus
Que a todos conduz
Olhai as crianas do nosso Brasil!

Crianas com alegria
Qual um bando de andorinhas
Viram Jesus que dizia:
Vinde a mim as criancinhas
Hoje dos cus, num aceno
Os anjos dizem: Amm,
Porque Jesus, nazareno,
Foi criancinha tambm

###

O cantor e compositor mineiro Ataulfo Alves de Souza (1909-1969) utilizou grande beleza potica para compor o nostlgico samba Meus tempos de criana (conhecido tambm como Meu pequeno Mira), gravado por ele prprio, em 1956, pela Sinter, cuja letra traz lembranas de sua infncia feliz em Mira, Minas Gerais.

MEUS TEMPOS DE CRIANA
Ataulfo Alves

Eu daria tudo que tivesse
Pra voltar aos tempos de criana
Eu no sei pra que que a gente cresce
Se no sai da gente essa lembrana

Aos domingos missa na matriz
Da cidadezinha onde eu nasci
Ai, meu Deus, eu era to feliz
No meu pequenino Mira

Que saudade da professorinha
Que me ensinou o beab
Onde andar Mariazinha
Meu primeiro amor onde andar?

Eu igual a toda meninada
Quanta travessura que eu fazia
Jogo de botes sobre a calada
Eu era feliz e no sabia

9 thoughts on “Duas canes maravilhosas, que fazem lembrar nossos tempos de criana

  1. Ah! se a gente pudesse voltar infncia! Tempos felizes que ficaram na lembrana. A gente brincava nas ruas, sem problema nenhum. So muitas as saudades da infncia.

    • De criana (sou de So Paulo), l nos incios dos longnquos anos sessenta, tnhamos outra letra para essa cano: “Criana feliz/sentada no cho/comendo pepino e chupando limo/se eu fosse o Getlio/eu dava um mergulho/e fazia as crianas/comer pedregulho”.

  2. Essas letras foram compostas antes da instituio do ECA. Eca! Eca! Eca!
    Alm de ser aquela coisa intil de sempre, hoje, muitas crianas destilam mais uma desgraa agregada: conquistaram salvo-conduto para matarem, roubarem e atentarem contra seus pais.

  3. Querido Paulo Peres,muito obrigado .
    Me fez lembrar da minha criana..

    Reservamos um tempo para ouvir a nossa criana interior e jamais deixar morrer ps nossos sonhos ,e ser capaz de motivar positivamente todas as pessoas, especialmente as nossas crianas to abandonadas nos tempos “modernos”de hoje.

    Parabns Paulo,pela sensibilidade…
    Abrao…

  4. Paulo Peres,

    Francisco Alves, amigo de meus pais, era mantenedor de um asilo de crianas localizado na rua So Joo Batista, em Botafogo, Rio de Janeiro.

    Como sabemos, Franscisco Alves morreu num acidente de carro na Rodovia Presidente Dutra, no dia 27 de setembro de 1952, aos 54 anos.

    Eu tinha apenas 11 anos de idade e acompanhei o cortejo fnebre, a p, pela rua Voluntrios da Ptria e So Joo Batista, juntamente com meus pais,

    Quando o seu corpo carbonizado ajustado em um caixo chegou na porta desse asilo que ele ajudava a manter, as crianas estavam todas formadas .

    O velrio parou e as crianas em conjunto e a uma s voz, como homenagem e sinal de agradecimento, cantaram a CANO DA CRIANA.

    A emoo contagiou todos os presentes e as lgrimas correram sem parar de homens, mulheres e crianas.

    Agora, decorridos quase 70 anos, ao me lembrar e relatar este fato, fiquei emocionado.

    • Contava minha me, grande admiradora do Chico Viola, que ele morreu na Via Dutra (tinha “p pesado”), justamente ao voltar de So Paulo, onde viera gravar essa msica com crianas do que poca se dizia orfanato. No sei se foi isso mesmo.

  5. No sabia que a msica, que conheo desde sempre, era do Ren Bitencourt, figura para mim pouco conhecida, mas que sei autora de canes belssimas, como “Sertaneja”, gravada por Orlando Silva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.