Duas imagens distintas

Carlos Chagas

No Lula não pegava e não pega nada. Do mensalão às variadas denúncias que ele dizia não saber, junto com suas viagens acompanhadas ao exterior e agora as inexplicáveis caronas por todos os continentes em jatinhos de empreiteiras, para não falar nas acusações de Romeu Tuma Júnior, o primeiro-companheiro passa incólume por todas. Parece não ser com ele, blindado que se encontra por seu passado de operário e, sem nenhuma dúvida, pelo governo profícuo que fez.

Será a mesma coisa com a presidente Dilma? Ainda que por enquanto protegida pelo guarda-chuva lulista, não se livra de pingos d’água cada vez mais grossos. Tendo emergido da classe média, longe do  proletariado,  com passagem pelo polêmico período da subversão, ela vem deixando sinais capazes de torná-la vulnerável perante o eleitorado. Começa pelo seu gênio irascível e pelas sucessivas queixas de quantos  trabalharam com ela e não trabalham mais, ainda que também os que trabalham.

Isso vem desde os tempos do ministério de Minas e Energia à Casa Civil e agora à presidência da República. Tornaram-se voz comum as reprimendas que ela passava e passa em ministros, assessores e políticos da base de seu governo. Por obrigação ou covardia, muitos elogiam  essa postura de madre superiora do convento,   mas todos reclamam, ainda que  num razoável sigilo. Seu comportamento imperial  diante dos partidos, a começar pelo próprio, o PT, desperta amuos e idiossincrasias, deles não escapando a imprensa.

Reconhecido amplamente e até comprovado pela televisão, à medida em  que o tempo passa esse modo de ser áspero e inflexível, do qual apenas o neto é poupado, acaba transbordando ao seu redor e ganhando os comentários gerais.

É nessa etapa que se evidencia a diferença entre o criador e a criatura. O Lula consegue ser reverenciado e até amado, enquanto Dilma por enquanto vem sendo apenas respeitada. A um se perdoam pecados,  menos os  adversários empedernidos,  mas a outra cobram-se os excessos e a arrogância que nem os sabujos omitem.

Abertas as comportas da sucessão presidencial, começam a fluir as correntes em gravidade impossível de ser contida. Acontecesse com o Lula o episódio inconcluso da compra e venda da refinaria belgo-americana da Petrobrás e a imensa maioria nacional estaria dando de ombros, culpando os diretores da empresa e aceitando o argumento de que ele não sabia de nada, pois um presidente  não pode saber de tudo.

Com Dilma está sendo diferente. Já se fala numa CPI capaz de interpelá-la, menos porque era presidente do Conselho de Administração, mais porque  todos reagem  à sua imagem de  dona da verdade,  juiz e vigilante inflexível de tudo o que acontece.  Em condições normais seria aceitável entender-se  a presidente como ministra de todos os ministérios, diretora de todos os departamentos e chefe de todas as seções do serviço público. Candidata a um segundo mandato, porém, pouco lhe será perdoado. Por enquanto não se fala do povão, alheio aos meandros da administração publica. Quando outubro estiver chegando,  porém…

5 thoughts on “Duas imagens distintas

  1. Quanto aos governos petistas uma coisa ficou clara: não se pode afirmar que determinado escândalo é o maior, pois sempre aparece outro com maior potencial. Ô gente boa de lambança.

  2. SR TARCISO, QUANTO A LAMBANÇA ,CABE AO PAVO DEIXAR DE SER COVARDE E FAZER MUDANÇAS, AOS MAIS AFORTUNADOS EDUCACIONALMENTE CABE GUIAR OS MENOS FAVORECIDOS, TEM UMA MÁXIMA DE EINSTEIN QUE DIZ ‘ NÃO ADIANTA FAZER SEMPRE A MESMA COISA E ESPERAR RESULTADOS DIFERENTES’. SR MARIO MARTINS, LENDO SEU TEXTO ESTA NÍTIDO QUE O SR DEFENDE O LULA. COMO PODE UM PRESIDENTE CHEIO DE MINISTROS, ASSESSORES….NÃO SABER O QUE ESTA ACONTECENDO DENTRO DE SUA CASA?SE REALMENTE NÃO SABIA, POR QUE NÃO ATUOU DE FORMA CORRETA QUANDO TOMOU CONHECIMENTO?É LADRÃO PROTEGENDO LADRÃO. O SR NÃO SABE O QUE ACONTECE EM SUA CASA? SE O LULA NÃO SABIA E DEPOIS QUE SOUBE NÃO FEZ NADA É PORQUE É INCOMPETENTE E NÃO PODIA JAMAIS SER O PRESIDENTE DE UM PAÍS COMO O BRASIL, E AINDA PIOR, COLOCAR EM SEU LUGAR QUEM ELE QUERIA. LULA E DILMA SÃO FARINHA DO MESMO SACO E LEGISLAM EM CAUSA PRÓPRIA, “DÊ AO HOMEM O PODER E SABERÁS QUEM ELE É”…essa frase não é minha, mas tem fundamento. SE JÁ NÃO CONHECEM PROCUREM CONHECER A PERCEPÇÃO DE LÊNIN SOBRE OS SONHOS.AUTORIZO A DIVULGAÇÃO DE MEU EMAIL.

  3. Respeito a opinião do Chagas. Mas, não nego…
    Estranhei o andar da carruagem, pois o quadro que eu vejo e percebo não é bem esse, descrito por ele. Na minha opinião, nos limites do contrário, o texto está mais para o Itamaraty, até porque, o ex- presidente não está com essa bola toda … Embora, admito, ainda não totalmente murcha.
    A Sra. Márcia Rocha, por sua vez poderia ter sido um pouco mais ponderada no seu repúdio, e entrando mais no espírito da coisa.
    Com todo respeito, até entendo o seu emocional, D. Márcia. Mas gritar aqui não resolve.
    Junte todo o seu desabafo para as urnas, em outubro, com os meus votos de uma baita explosão de alegria quando do resultado.

  4. Como assim “governo profícuo”? O articulista, com tanta experiência, ainda cai num lero lero desses. O dedo-duro da ditadura, Braba X-9 (segundo Tuma Jr) nada fez além de surfar numa onda positiva da economia e se isentar dos vários escândalos do seu desgoverno e da quadrilha petista.
    Desde quando distribuir vale-eleitoral-miséria para os desdentados é profícuo?Concretamente, qual foi o legado do “líder” sindical? Qual o avanço do Brasil em termos de educação, saneamento básico, saúde, infra-estrutura?Apenas índices de PIB, inflação e desemprego não traduzem a real situação dos cidadãos.
    Herança maldita foi a recebida pelo poste emPACado na presidência, cujo ônus já estamos sofrendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *