É comovente o esforço da mídia para ocultar as ofensas de Lula a banqueiros e empresários

TRIBUNA DA INTERNET

Charge do Bier (Arquivo Google)

Carlos Newton

Já registramos aqui na Tribuna da Internet que a grande mídia está inteiramente dedicada a eleger Lula da Silva. Não há nenhuma novidade nisso. É da natureza humana que jornalistas escolham candidatos para defender nas eleições, como os demais eleitores fazem. O que não é normal é deixar inteiramente a ética de lado, para favorecer este ou aquele candidato, como acaba de acontecer neste final de semana.

Não dá para se dizer que houve uma movimentação orquestrada, mas é como se tivesse acontecido. De repente, todos os grandes veículos da imprensa  escantearam e esconderam a mais importante notícia política das últimas semanas – as declarações de Lula com agressões e ofensas a banqueiros e empresários, em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador. Confiram abaixo o resumo transcrito pela repórter Cátia Seabra, da Folha.

###
AS AGRESSIVAS AFIRMAÇÕES DE LULA

O ex-presidente Lula (PT) usou o termo “imbecil” ao se referir a banqueiros que, segundo ele, estariam interessados somente em acumular dinheiro. “Essas pessoas não podem ser tão ignorantes de quererem só acumular riqueza. Fulano de tal é o sujeito mais rico do mundo. Tem US$ 50 milhões, outro tem US$ 70 milhões. Para quê? Você vai gastar no quê? Para que você quer acumular tanto dinheiro, imbecil? Distribua parte disso em salário”, afirmou, acrescentando.

“Esses dias fiz uma reunião com alguns banqueiros importantes. Falei: ‘Porra, vocês não pensam no povo? Não pensam na pobreza? Não pensam no povo que está nas ruas? Não pensam no povo que está sem comer? Só querem ganhar dinheiro?“.

O petista disse ter certeza que os banqueiros não votam nele. O ex-presidente listou ações que, em seu governo, teriam deixado lideranças do setor financeiro descontentes, como pobres viajarem de avião, comprarem carro e usarem perfume importado, listou.

Segundo Lula, “tem que vir alguém que não fede nem cheira” na visão dos banqueiros. “Banqueiro não vota em mim. Tenho certeza que não vota em mim. Eles olham para minha pele e falam assim: ‘Esse cara nem sabe falar direito’“, disse o ex-presidente, ressaltando que levou 70 milhões de brasileiros ao sistema financeiro.

Na entrevista, Lula também não poupou o empresariado. “Parece que eles vivem em uma redoma de vidro, em que o mundo gira em torno deles, dos interesses deles“, disse.

Ao citar os jantares dos quais tem participado com empresários, o ex-presidente afirmou que “na cabeça dessa gente não existe pobreza, não existe fome, não existe gente dormindo na rua, não existe gente dormindo na sarjeta, não tem criança morrendo de desnutrição“.

Segundo Lula, “essa gente só fala de teto de gasto e política fiscal”. “Eles não falam em política social, em distribuição de renda e distribuição de riqueza“, acrescentou.

CRONOLOGIA – É claro que estas declarações do candidato favorito, que organiza jantares em que os empresários pagam até R$ 20 mil para participar ao lado dele, teria de ser o destaque político do dia. Mas aconteceu exatamente o contrário.

A Folha publicou a matéria de Cátia Seabra às 11h20m de sexta-feira, com pequena “chamada” na página de política do portal. Diante da importância da matéria, a Tribuna da Internet e O Antagonista republicaram o texto antes das 12 horas.

Seria normal que a notícia ganhasse forte repercussão, mas aconteceu o contrário. Os grandes portais de jornalismo simplesmente desconheceram a entrevista. Por volta das 15 horas, a própria Folha sumiu com o texto de Cátia Seabra e publicou no lugar uma matéria dizendo que Lula ia passar a consultar Alckmin nas principais decisões, dando destaque também ao apoio de “judeus” a Lula.

Apenas o Estadão publicou matéria a respeito, às 16h20m, mas sem maior destaque, nem chamada tinha.

SILÊNCIO ABSOLUTO – Nenhuma menção em O Globo, que tem uma seleção de cronistas políticos, nada na CNN, no Correio Braziliense, no UOL, no Portal Terra, no Metrópole, na Zero Hora, nada no G1, que abriga um penduricalho de analistas da GloboNews, nada na Veja, na IstoÉ, na Exame, nada nos telejornais – as declarações de Lula parece que nem existiram.

Somente a Tribuna da Internet e O Antagonista acharam o assunto importante e voltaram a ele. E a explicação é simples: as redações têm maioria petista. Um fanatismo estranho, por se tratar de um líder de terceira classe, altamente corrupto, ex-informante de Romeu Tuma no regime militar, mas a imprensa engole tudo se disserem que ele é de esquerda.

Quanto aos donos dos jornais, entende-se que a crise é grande, Lula prometeu e vai reabrir os cofres públicos, faltam apenas alguns meses. Mas fica muito feio proceder assim com a notícia mais importante do dia. Às vezes é bom o jornalista fingir que tem um pouquinho de liberdade, como temos aqui na TI, conforme se comprova diante desse caso exemplar.

12 thoughts on “É comovente o esforço da mídia para ocultar as ofensas de Lula a banqueiros e empresários

  1. Banqueiros, Industriais, Latifundiários, e Capitalistas em geral já conhecem Lula.
    Já viveram um período de grande progresso quando a distribuição de renda foi um sucesso.
    Para que temê-lo?

  2. A bem da verdade o Brasil numa mundial reação em cadeia agradecerá quando numerosos jornalístas começarem a apontar os dedos para os verdadeiros traidores das pátrias, à exemplo do desassombrado Julian Assange!
    Aguardemos….

  3. Lula não deveria chamar de imbecis e sim de pouco inteligentes aqueles que acham a perda de direitos sociais e de salários algo bom aos trabalhadores e à população em geral.

    Espero que os que vestiram a carapuça sejam poucos e que a maioria entenda que essa política insensível é ruim ao povo.
    Talvez por isso a maior parte da mídia tenha calado, pois foi colocada uma verdade.

    Aos que se sentiram ofendidos, uma reflexão mais profunda é necessária,

  4. C.N. preocupado com os ataques – pra inglês ver – que o ladrão Lula da Silva fez aos seus comparsas banqueiros e empresários patrimonialistas. Acorda C.N. muito pior do que isto é a criminosa omisão da imprensa das ligações históricas entre o narcotráfico e o PT. infelizmente, neste assunto, a independente Tribuna da Internet também tem se omitido.

    Lula é “capo” do PT; o PT é o braço político do NARCOTRÁFICO sul-americano no Brasil. Esse é o “X” da questão, o resto são firulas.

  5. Por mais que o Lula tenha roubado, se é ele o único veneno capaz de derrotar esse Tosco nas urnas, temos obrigação, como brasileiros, amantes da nossa terra – sem essa de patriotismo militar, mas amantes no sentido mais belo da palavra -, de lutar para que ele se eleja.

    Bolsonaro reeleito será o golpe de misericórdia que o Brasil não merece.

    Se o povo fosse alguma coisinha mais esclarecido, votaria em uma “3ª via” palatável. O melhor, sem dúvida, seria o Ciro Gomes, o mais capacitado, o mais inteligente, o mais nacionalista, o que não tem passado negro.

    Mas, à medida em que o tempo vai passando e os índices das pesquisas se mantêm inalterados, vai subindo um desespero que só não é maior se pensarmos nesse ex-soldado de araque reeleito.

    Que a brasileirada acorde e caia na real, votando no melhor.

    Mas, será isso pedir muito? Será que a abertura oficial da campanha eleitoral nos oferecerá boas surpresas?

    Mas, se não for assim, então, podemos pensar em dar um desconto, elegendo qualquer coisa, qualquer coisa mesmo, cujas iniciais não sejam JB.

  6. Nesse sentido, por mais que admire o caríssimo Carlos Newton, não consigo conter o sentimento de que esses opinamentos dele, frontais contra o Lula, como se ele fosse, agora, o inimigo nº 1, ajudam, em muito, a saga da milícia que se encontra no poder.

    No momento, o Lula é um aliado, ainda que depois tenhamos que dar um jeito.

    Mas, jeito maior, precisa ser dado em 2 de outubro, chutando para fora da política esse apreciador de torturadores e toda a corja que o apoia, sem exceção.

    Arrisco até a dizer, considerando o vácuo cerebral do atual presidente, que a canalha que o segue, que o fomenta, que o alimenta e que o apoia consegue ser pior que o próprio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.