É comovente o esforço do governo Bolsonaro para transformar o Brasil num pária internacional

Resultado de imagem para pária internacional charges

Charge do Nani (nanihumor.com.br)

Carlos Newton

Não é nada fácil governar um país como o Brasil, o quinto maior do mundo, sexto em população e com a nona economia. O próprio presidente Jair Bolsonaro já fez um desabafo, dizendo: “Não consigo governar”. O motivo dessa incompatibilidade é que não é o presidente da República que governa diretamente, quem o faz é seu primeiro escalão.

O problema é que Bolsonaro escolheu o pior ministério da História, com algumas exceções, é claro, e o conjunto da obra do governo está transformando o Brasil num pária internacional ou “pária diplomático”, como prefere o chanceler Ernesto Araújo, que é destaque apadrinhado pelo filósofo Olavo de Carvalho e desfila na Comissão de Frente da irresponsabilidade institucional.

QUATRO EXCEÇÕES – Entre os 22 ministros, somente quatro escapam da mediocridade reinante –  o titular da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, engenheiro de formação militar; a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, engenheira agrônoma e produtora rural; o presidente do Banco Central, economista Roberto Campos Neto; e o corregedor-geral da União, Gilberto Waller Júnior, procurador federal .

Aliás, Waller é tão competente no combate à corrupção que a Agência Brasileira de Informação (Abin) já pediu a demissão dele, por considerá-lo um obstáculo às manobras para inocentar o senador Flávio Bolsonaro, denunciado por prevaricação, lavagem de dinheiro e outros crimes, vejam só a que ponto chegamos.

Como diria o estadista Oswaldo Aranha, o atual governo é um deserto de homens e ideias, incluindo o multiministro da Economia, Trabalho, Previdência etc., Paulo Guedes, cujo prazo de validade está mais do que vencido.

CONTROLE MUNDIAL – O pior dessa situação é que o próprio Guedes sabe que o Brasil vai mesmo se transformar num pária internacional, em termos econômicos e diplomáticos, caso não interrompa imediatamente a perseguição à Lava Jato, à Receita Federal, ao Ministério Público, à Polícia Federal e ao Conselho de Controle de a Atividades Financeiras (Coaf).

Organismos internacionais, como o Banco Mundial (Bird), o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a Organização Mundial do Comércio (OMC) e a Transparência Internacional (TI), monitoram atentamente o combate à corrupção, lavagem de dinheiro, improbidade e enriquecimento ilícito em todos os países.

Os Estados Unidos, por exemplo, mantêm quatro instituições monitoradoras de atividades financeiras. O Brasil só tem a Coaf, que chegou a ser blindada pelo governo e o Supremo teve de  intervir, para lhe devolver a autonomia, em ação relatada pelo ministro Alexandre de Moraes.

###
P.S.
– Se o procurador-geral, o diretor da Polícia Federal, o ministro da Justiça e o diretor da Abin continuarem obedecendo às ordens de esvaziar a Lava Jato, os organismos internacionais vão reagir duramente, transformando o Brasil no pária diplomático e econômico almejado pelo chanceler olavista Ernesto Araújo. E o presidente Bolsonaro pode dar adeus ao sonho de o Brasil integrar a OCDE, um organismo sério e que não admite esculhambação. (C.N.)   

11 thoughts on “É comovente o esforço do governo Bolsonaro para transformar o Brasil num pária internacional

  1. A diplomacia sul-sul do governo anterior nos trouxe prejuízos de trilhão de reais.

    Éramos os “Anões Diplomáticos” !

    Pior do que isto jamais poderia ficar.

  2. Da TRINCA DO PINEL (Delfim MOreira, Dilma e Bolsovirus) é o perigoso. Com o poder absoluto, se transformará num Nero, Calígula ou Stalin

    Que Deus nos proteja!

  3. 1) Parodiando o título de antigo livro do médium Chico Xavier:

    2) “Brasil coração do mundo, Pátria dos Evangélicos”…

    3) Nome certo do livro: “Brasil coração do mundo, Pátria do Evangelho”…

    4) O coração está enfermo, requer cuidados… e o Evangelho é uma interpretação ao pé da letra…

  4. Quem mais prejudica o Brasil é essa imprensa corrupta. Estão apoiando os Hackers , o Luladrão, os corruptos. Apoiando a pocilga do STF, vibrando com os atos do beiçola Sapao Gilmar. Hoje na Foice de São Paulo os artigos são todos defendendo o fim da lava jato. Vão soltar todos os bandidos, aliás já estão todos soltos com a exceção de Sérgio Cabral mas até esse já vai se livrar.
    Ah país vagabundo.

    • Boa parte dos Corruptos ladrões que querem o fim da Lava-Rato é a Quadrilha do FHCOrrupto, pois tem vários deles pegos pela enorme Ratoeira da Lava-Rato.
      FHC, Alckimin, Aécio, Richa, Aloisio,Serra, todos atolados até o pescoço no lamaçal da corrupção.
      Pelo jeito vão deitar no berço esplêndido da IMPUNIDADE….

  5. Não resisti, tinha me prometido não falar nada do Pinóquio mas não deu. O Pinóquio vai ter que recomeçar a conquistar os EUA. Se com o “amigo americano” o Pinóquio não conseguiu nos colocar na OCDE com este velhote senil vai ser quase impossível. Vamos continuar sendo o que somos, um país de segunda categoria.

  6. A república no Brasil não foi “proclamada”, foi imposta pelos militares.

    Portanto, se o pais e os brasileiros vivem essa desgraça, cabe aos militares sanar o mal que causaram e não concordar com tudo que o cabo corneteiro travestido de capitão faz.

    Eu escrevi “cabo corneteiro”.

  7. É comovente o esforço que faz o colunista para culpar o governo Bolsonaro pelo “fim” da Lava-Jato.

    Todo cidadão medianamente informado conhece a história contada pelo juiz Sérgio Moro: numa conversa com um dos chefes da Operação Mãos Limpas, este lhe perguntou “Vocês planejaram uma saída?”. Ele quis dizer o seguinte, se vocês não planejarem o encerramento da operação, o “sistema” vai reagir e encerrá-la. É isto que estamos vendo. Com o apoio escancarado da imprensa criminosa, que trata bandidos como vítimas e policiais como malfeitores, o sistema reagiu. Já tem até um senador corrupto e ladrão propondo anistia para os hackers. Logo aparece um jornalista propondo indenezações para os meliantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *