É desalentador, mas não há dúvida de que teremos de votar nos menos piores

Resultado de imagem para candidatos contra bolsonaro charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Carlos Newton

Na primeira eleição pós-ditadura, em 1989, realmente o eleitor podia escolher em quem votar. Havia 22 candidatos a presidente. Embora seja marxista, não me passou pela cabeça votar em Roberto Freire, do PCB, porque jamais suportei o chamado Partidão. Para mim, os melhores candidatos eram Ulysses Guimarães (PMDB), Leonel Brizola (PDT), Mário Covas (PSDB) e Aureliano Chaves (PFL). As pesquisas mostravam que Ulysses, Covas e Aureliano tinham menos chance. Acabei votando no Brizola, que chegou em terceiro, enquanto Covas ficava em quarto, Ulysses em sétimo e Aureliano em nono lugar.

Como se sabe, Fernando Collor (PRN) e Lula da Silva (PT) passaram para o segundo turno, que foi decidido na ilha de edição da Rede Globo, sob comando de Armando Nogueira e Alberico Souza Cruz, ainda há quem se lembre desse fato.

VELHOS TEMPOS – Agora, a eleição de 2018 me faz reviver os velhos tempos. Temos 13 candidatos, mas o nível baixou muito. Em 1989, tínhamos também Enéas Carneiro (Prona), Fernando Gabeira (PV), Guilherme Afif (PL), Celso Brant (PMN), Affonso Camargo (PTB) e Ronaldo Caiado (PSD), havia muitas possibilidades de escolha.

Quase 30 anos depois, o nível caiu bastante. Agora, não podemos escolher o melhor, teremos de votar no mesmo pior, tapando o nariz, com diziam os marxistas de antigamente.

Mas nem por isso podemos desprezar a democracia. Pelo contrário, devemos louvar essa oportunidade de escolher em quem confiar.

AGUARDANDO – Estou como a maioria dos eleitores e ainda não escolhi, porque só me decido na chamada undécima hora. Continuo aguardando declarações dos candidatos sobre dívida interna, segurança, desarmamento, retomada da economia, incentivo à indústria, redução do Custo Brasil e diminuição dos gastos públicos, não necessariamente nesta ordem. A meu ver, estes são os principais desafios, até porque, se não tivermos superávit nas contas, não conseguiremos melhorar setores prioritários, como saúde e educação.

Sei que não pretendo votar em Bolsonaro (PSL), porque o considero um retrocesso em termos políticos e sociais. Não posso votar em candidato que defende a tortura e o assassinato de presos políticos, e que considera o coronel Brilhante Ulstra um herói da cidadania, porque se trata de um militar que desonrou a farda e cometeu crimes contra a humanidade, segundo a Convenção de Genebra. Apenas isso.

###
P.S 1
Nosso grande amigo Sebastião Nery escreveu aqui no Blog que, no Brasil, a política já não tem atrativo para pessoas de alto nível moral e intelectual. Como sempre, Nery tem razão.

P.S. 2 – Eu entendo a idolatria Bolsonaro, porque sei que muitas pessoas não aguentam mais o país, devido à incompetência e à desonestidade dos governantes. Sinceramente, porém, não posso considerar Bolsonaro o menos pior entre os candidatos. Sou marxista democrata, respeito a opinião dos outros, embora saiba que não irão respeitar a minha. E podem me esculhambar à vontade, porque vocês sabem que não dou a mínima importância a isso. Que cada um de nós se comporte de acordo com sua consciência. Amém. (C.N.)

39 thoughts on “É desalentador, mas não há dúvida de que teremos de votar nos menos piores

  1. Sou marxista democrata, respeito a opinião dos outros,
    A democracia no caso se refere somente em respeitar a opniao dos outros ?
    Pois me desculpe marxismo x democracia nao combinam CN.
    melhor JAIR se acostumando
    Tira esse seu ranço desse periodo da historia que viveu.quem começou com terrorismo e mortes foram eles .so houve reação e vc sabe isso..vc esquece dos atentados ,roubos e da luta armada.tinha de ter reação.assim como hj .como queria que combatessem a luta armada.com florzinha.
    Reflita e abra o coração e se coloque na posição do brasileiro povo.nao do cidadão com ideologia.quem iria nos defender deles .nao queremos comunismo so isso.quem começou com luta armada apartir de 68 foram eles.nao sabe brincar nao desce pro play !
    Tire essa magoa ado coracao amigo.admiramos vc.pense no brasileiro sem ideologia,so queremos ordem e progresso.
    Desculpe CN

    • Bolsonaro, o ex-garotinho nascido em Glicério,SP, registrado em Campinas, portando campineiro ( ou será campinense ?), agora capitão reformado e caboclo mamadô do erário há cerca de 30 anos ( ou será capetão ?), sozinho, só no gogó, como candidato imposto pelo tal “PSL”, quer impor a “ordem e progresso”, que nem mesmo todos os generais, marechais, almirantes e a suas respectivas tropas, juntos, mais a mídia mercenária, bandida, armados até os dentes, conseguiram dar ao país, não obstante 21 anos consecutivos de governo, sob a lei do silêncio total dos opositores, sob penas de desaparecem do mapa. Então tá, Capetão, agora conta aquela do papagaio.

  2. O besteirol marxista nunca teve a pretensão de se fazer realidade em seus ALEGADOS objetivos, sendo apenas uma deliberada EMPULHAÇÃO, como ESTRATÉGIA para obter ou manter o PODER. Tal fica patente no próprio desprezo dos marxistas pelo besteirol, já tão desmoralizado, e de seu PROFETA FAKE e mentor de imbecis e salafrários. Pois besteirol sempre adicionando de novas asneiras para remodelar o marxismo. Já completamente prostituído pelas gerações que o sucederam. Afinal é apenas uma estratégia que por tal altera-se dialeticamente, adequando-se aos novos tempos para persistir seduzindo canalhas e estúpidos com a reivindicação do absoluto DESPOTISMO SOCIALISTA para uma SÚCIA GOVERNANTE.

    Nenhum país seguiu Marx em coisa alguma porque este nunca foi o objetivo, mas sim usar o desconexo besteirol como justificativa para EXPLORAR POPULAÇÕES INDEFESAS.

    A palavra “científico” foi usada por Marx porque a ciência, a racionalidade, estava na moda fomentada pelas idéias liberais no Iluminismo. A maledicência contra o JURO como ganhos sobre o capital, Marx sugou da LEI da USURA, que era católica.

    Com fraudes, sincretismos e dogmas Marx-Engels construiram sua IDEOLOGIA FUNESTA, prometendo um “comunismo” paradisíaco para um futuro sem data e incerto, A FIM de JUSTIFICAREM QUAISQUER MEIOS EM SEU NOME INVOCADOS: prometidos FINS que justificam efetivos meios.

    A, digamos, “teoria da exploração” é estúpida quando pensamos em aposentadoria, por exemplo. Como faze-la sem acumulação de capital rentável. Como estabelecer preços fixos sem qualquer entendimento sobre oferta e procura? …pelo padrão de tempo marxista? …uma estupidez destas? …qual critério e como direcionar a vontade dos trabalhadores para trabalhos dificeis ou penosos? …um porteiro ganhando o mesmo que um médico não geraria médicos, agricultores e nem engenheiros, mas todos seriam porteiros. …Seriam então forçados sob ameaça de violência?

    Não há como não ver que:
    O marxismo e seu “Socialismo científico” é um amontoado de ASNEIRAS IMBECIS que não devem ser levadas a sério pelos revolucionários, mas APENAS USADAS para enganar imbecis e escraviza-los.
    Os revolucionários que, asnáticamente imbecis, acreditam em tanta estupidez, acabam sendo ELIMINADOS após tomada do PODER. Devem ser exterminados para não atrapalharem os revolucionários espertões e dialéticos com seus delírios de “Alice no país das maravilhas”. …rsrs

    A teoria dos grupos de Marx, usada por ONGs para criar protestos nas “comunidades” e demais técnicas de rebelião e de protestos tem por objetivo ÚNICO a DESTRUIÇÃO da HARMONIA SOCIAL a fim de forçar um governo TOTALITÁRIO, baseado no ARBÍTRIO e NA VIOLÊNCIA para retomar uma sociedade estática, tipo CLUBE FECHADO, onde só entram aqueles previamente aprovados pelos que já estão “lá”.

    Marxismo É BANDITISMO PURO, embora sofisticado.
    Por isso TUDO MUDA O TEMPO TODO e ninguém se importa com as teses estapafurdias e desmoralizadas de Marx e de seus sucessores; AFINAL tudo é mera estratégia para OCUPAR o PODER.

    Oligarcas, parasitas e toda sorte de crápulas quanto mais entendem a DIALÉTICA marxista, mais se encantam com essa estratégia revolucionária paradoxal.

    Não adianta mostrar as fraudes, as mentiras e absurdos do besteirol dessa SÚCIA PUSTULENTA e COVARDE, porque são FACÍNORAS, BANDIDOS, MANÍACOS em busca do PODER para subjugar e explorar populações CONQUISTADAS

  3. Cada eleição é uma história, a 2018 talvez seja a mais complexa porque o todos os ex-presidentes estão impossibilitados de conconcorre, os principais derrotados também, todos irmanados no descrédito da incompetência e/ou enlameados na corrupção. Ou seja não adianta comentaristas, analistas, mídias ou marqueteiros essa tarefa é dos eleitores que pretendem votar, conscientes, inconscientes, informados ou desenformado. Pelo jeito a missão será deles.

  4. A pergunta é de Percival Puggina, observando que a maioria dos jornais tende a considerar o eleitor conservador o grande problema brasileiro. É assim: “o que tem que ser combatido no Brasil é o conservadorismo. Não lhe deve ser concedido direito de representação e precisa ser alvejado até que não reste em pé um só desses idiotas para que suas pautas não ganhem força institucional”:

    Observe a conduta de muitos dos principais meios de comunicação brasileiros, seus editoriais e mais badalados comentaristas. Não precisará muito tempo para concordar com esta afirmação: eles decidiram que o problema do Brasil não são os corruptos, nem é a esquerda retrógrada, nem a irracionalidade do modelo institucional, nem a irresponsabilidade fiscal dos parlamentos, nem a instabilidade criada pelo STF. O que tem que ser combatido no Brasil é o conservadorismo. Não lhe deve ser concedido direito de representação e precisa ser alvejado até que não reste em pé um só desses idiotas para que suas pautas não ganhem força institucional.

    Ampla maioria da população crê em Deus e reconhece a importância da religião e da instituição familiar. É contra a ideologia de gênero e quer proteger as crianças dos abusadores que pretendem confundir sua sexualidade. É contra o aborto, o desarmamento e a liberação das drogas. Quer segurança e bandidos na cadeia. Repudia o feminismo como pauta política, movimento revolucionário, ou fundamento de uma nova moral. Não admite a transformação da sala de aula em oficina onde o professor opera como torneiro de cabeças. Rejeita o deliberado acirramento de conflitos que se tenta impor em vista de diferentes cores de pele, olhos e cabelos; ou de classe, apetite sexual, faixa etária, renda. E por aí vai.

    Os grandes veículos a que me refiro, ou advogam do lado oposto, ou jamais revelaram qualquer interesse por tais posições. Da ideologia de gênero ao feminismo mais transgressor. Degeneradas fazem orgia com símbolos sacros em via pública? Noticia-se o ocorrido como quem descreve um pôr do sol sobre a Lagoa, ou se fala em liberdade de manifestação e em tolerância. É a pretendida tolerância com o intolerável e com os intolerantes…

    De fato, o período que estamos vivendo oferece oportunidades extraordinárias para observarmos o principal alinhamento de grandes meios de comunicação. Mesmo quando há diferenças importantes entre eles, sobressai um denominador comum que resiste à desilusão de muitos profissionais com as antigas convicções. Até os que delas se divorciaram antes de ficarem viúvos da esquerda, participam da confraria que pode ser definida como a unidade de quase todos em torno do repúdio às posições conservadoras. E essa intransigência, hoje, tem como alvo o candidato Bolsonaro, saco de pancadas da eleição presidencial. Praticamente todos se dedicam a malhá-lo, haja ou não motivo para isso. Aliás, não precisaria motivo. O conservadorismo basta.

    Tal atitude reforça a natural conduta dos demais candidatos. A posição de Bolsonaro nas pesquisas já seria motivo suficiente para todos o atacarem. Com a mídia comandando a artilharia contra o adversário comum, o que pudesse haver de conservadorismo em qualquer deles foi jogado no arquivo morto. “A mídia rejeita e está ajudando”, dirão. Objetivo alcançado: há um único representante dessa importante corrente de opinião, indispensável para realinhar aspectos essenciais da vida nacional. Agora, basta abatê-lo e esperar, ali adiante, a colheita integral do “progressismo” plantado por ação ou omissão

  5. Excelente texto Carlos Newton.

    Realmente, em 1989 haviam muitos candidatos de peso, mas o povo escolheu os dois piores para o segundo turno, infelizmente.

    Votei no Mario Covas, no segundo turno tive que escolher o Collo de Melo, pois nunca confiei no PT, e porque não gosto de anular o foto.

    Abraços.

  6. Caro Newton, respeito sua opinião. Tanto você como nós temos o direito de votar (e não votar) em quem quisermos. Você não votaria no Bolsonaro é eu não votaria na Dilma.

    Por ocasião do impeachment da Dilma, até onde tenho conhecimento, a menção honrosa feita por Bolsonaro ao Coronel Carlos Brilhante Sutra, foi feita após a uma menção honrosa feita pela esquerda, em pleno Congresso Nacional a Carlos Marighella, militar comunista, torturador e assassino. Bolsonaro indignado se contrapôs a está homenagem.

    Isto TODA A IMPRENSA omite descaradamente. Como no caso da Maria do Rosário que chamou Bolsonaro de estuprador primeiro e somente ele está respondendo por isso. Ou seja, a Deputada tem imunidade parlamentar para falar o que quer. O Deputado NÃO !

    Se queremos falar em democracia, temos que ser justos a verdade dos fatos. Opinião minha é claro e eu também acho que tenho esse direito.

  7. Hoje no Brasil louco se pode falar em esquerda, centro ou direita, que um desses caminhos será o melhor. O caminho, infelizmente, será de retrocesso, ou pelo menos de “stop”. Como todos agora não deram certo, é parar, olhar o que temos aqui e no mundo, analisar o que ainda resta, dar meia volta, reorganizar e partir para outro caminho. Pensando assim, não sobram muitas alternativas. A meu ver, para pôr a casa em ordem, tirar a “eira” e azeitar a máquina, Bolsonaro. Depois disso feito, com a máquina nos trilhos, se ela não progredir, dará para parar, analisar, e sem voltar atrás, seguir adiante com outro maquinista.

  8. 1) Candidato Ciro foi feliz quando declarou “Não sabe brincar não desce para o play”;

    2) Sintetizou bem o que é a política nacional: uma brincadeira, eles brincam e nós nos ferramos economicamente.

    3) Para se fazer política é preciso “descer”, a meu ver, o certo seria subirmos, nos elevarmos aos patamares, andares da Ética e da Moral.

    4) Mas vão dizer que é só brincadeirinha…

  9. Nenhuma novidade na manchete do artigo em tela.

    A política atingiu um nível de tamanha descrença, de podridão, de ser absolutamente abjeta e deletéria, que as pessoas corretas e decentes fogem dela como o diabo da cruz!

    Paradoxalmente, no lugar de exigirmos gente competente e correta à presidência da República, contribuímos para este declínio votando sempre nas mesmas merdas de sempre!

    Resultado:
    O Brasil cada vez pior!

    E, Bolsonaro, consegue ter a preferência do eleitor porque entre essas bostas que são candidatos – ele, inclusive! -, trata-de de um merda diferente, que, lá pelas tantas, poderá diminuir a produção de excremento que seus antecessores sempre fizeram no governo!

    Assim como se cura veneno de cobra com o próprio veneno, quem sabe a ruindade se cura com outra ruindade, haja vista que, matematicamente, menos com menos dá mais!

  10. Sem dúvida, Bolsonaro não é o candidato ideal,mas é o único que pode nos livrar da Venezuelização. Talvez, venha outro melhor nas próximas eleições.
    Ele será o divisor de águas. Ou vamos para a ordem e progresso ou afundamos,mais ainda, na merda.
    E os tempos são outros. Temos que parar com esta história de remexer passado. Que ranço!

  11. Inconscientemente, o eleitorado não está à busca do “menos pior”. E sim do candidato que lhe pareça ser uma “arma de vingança”; nem que depois o disparo saia pela culatra, como é de praxe.
    Se a pistola for de fabricação argentina, aí não se trata de tiro pela culatra, mas de efeito orloff mesmo!

  12. Carlos Newton, de fato, hoje, há duas correntes marxistas no Brasil: a pura e a gigante.

    Eu pertenço a corrente gigante, a mais numerosa, a que segue as ideias do Groucho Marx (1890 – 1977), aquela que, respeitosamente, segue a orientação por ele outorgada:

    – “Só há um forma de saber se um homem é honesto… pergunte-o. Se ele disser ‘sim’, então você sabe que ele é corrupto.“

    O Brasil está inundado de políticos que se dizem “honestos” …

  13. É, mas por incrível que pareça, foi Bolsonaro, mal ou bem, que foi o único que gritou contra tudo isso que contraria todas as normas de bom senso, criadas pela esquerda nesses últimos 20 anos, como por exemplo o absurdo da descriminalização do crime.

    Não acredito em brasileiro que fala bem. Isto é habilidade.

    Prefiro pessoas , por mais analfabetas que sejam, que se conectam com a realidade, por mais mal que a expressem.

  14. O voto de marmanjos em Bolsonaro não tem nada a ver com política e ideologia pois a maioria dos que se manifestam “são anafalbetos políticos como diria Bertolt Brechet”. Os marmanjos olham Bolsonaro como “simbolo sexual”. Em sã consciência nenhum cidadão votaria em Bolsonaro. “Só ele achar que estava ganhando pouco e planejar explodir bombas nos alojamentos e banheiros das unidades militares é o suficiente para vermos que deve ter um parafuso frouxo no cérebro”. Falso moralista. Segundo reportagem que entrevistou pessoa que conheceu sua família que era pobre lutava com dificuldades. Diz que Bolsonaro tinha que pescar de caniço em rio que banhava Xiririca onde nasceu para vender e dividir uns trocados com o companheiro que hoje é seu inimigo. Só na cidade onde nasceu tem 70 casas comerciais em nome de parentes e laranjas. Uma outra pessoa que o conhece desde criança diz: Acho que esse dinheiro vem da política. Eles sempre foram pobres; hoje são donos de tudo e até em outras cidades tem casas comerciais e duas fazendas. Só aqui no Rio tem treze imóveis carissímos em Brasília um. Bolsonaro foi até 2016 do PP inventor do mensalão. Quando estorou o Mensalão ele caiu fora. Cláudio Genú segunda pessoa do partido com a morte de Janene ficou em seu lugar. Preso e interrogado por Moro disse: Janene sempre me disse que toda a bancada do PP recebia dinheiro. Pergunta ingênua: Bolsonaro nunca recebeu dinheiro sujo ele que quis explodir bombas nos quarteis do Exército porque ganhava pouco? Vejam o depoimento de Genú no Youtub. Isso que escrevo não é para mudar nada. É democrático: Qualquer cidadão pode votar em Bolsonaro. O único ponto que não devo esquecer é dizer que ele estudou e entrou no colégio militar. Se fosse um bom militar poderia chegar a General. Foi processado e ficou pelo caminho. Tem tendencia nazifascista.

  15. Mario Jr. Quem me conhece sabe que desde 1950 quando ingressei na Marinha já era trabalhista seguidor de Getúlio, Jango e Brizola. Hoje aos 87 anos não iria falar coisas para desconstruir qualquer pessoa. Tudo o que escrevi sobre Bolsonaro saiu na mídia. O Caso das bombas que queria explodir nos quartéis foi publicado mais de 100 vezes. Agora o ídolo sexual que dele fizeram os mal amados, está nos olhos da cara. Se você procurar um remédio que se chama mulher, você melhora, talvez até fique curado dessa paixão. Pergunto: Está correndo nas redes sociais um movimento convocando os partidários de Bolsonaro pra um “Suicídio Coletivo” se ele perder. Você já assinou? Não vai nessa, a vida é boa. Depois você pode encontrar outro ídolo sexual para confortar teus desejos.

    • Vc que adora homem como o Getúlio.

      Tô em aí pra Bolsonaro como pessoa. Apenas como político que, com ele, Mourão, Paulo Guedes e equipe de governo o país tem uma chance de mudança que não encontro nos outros candidatos

    • Putz !!!

      Esta tribuna ja foi um lugar onde se podia aprender alguma coisa. Inclusive com o contraditório.

      Mas, infelizmente está apodrecendo a olhos vistos. Prova disto esta no comentário acima do Sr. Antoio. Comentário este abaixo de qualquer linha de esgôto.

      Lamentável a publicação deste Senhor num espaço que seria nobre para troca de idéias e percepções.

      E ainda dizem que os simpáticos a Bolsonaro é que são os radicais.!!!

  16. C N, o problema é que não adianta ouvir os candidatos porque nunca dizem COMO vão resolver o problema. Vão melhorar a saúde, oferecer creche, agricultura sustentável…
    Como?
    Abraços,

  17. Carlos Newton, agora que deixou claro que você não gosta de Bolsonaro, ganhou mais o meu respeito.
    Voto Bolsonaro, e isso não é idolatria, porque ele não é apenas o menos pior, é alguém com qualidades que faltam a nossos políticos.
    E peço vênia mais uma vez: uma das qualidades é não ser marxista.
    Respeito a opinião de todos, mas também exijo que a minha seja respeitada.
    Parabéns pelo seu excelente trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *