É inútil discutir Queermuseu e Masp, porque significa retroceder à Era Medieval

Imagem relacionada

As meninas caíram na gargalhada com a performance do homem nu no Masp

Carlos Newton

Por preguiça e para evitar problemas, eu tentara resistir e não entrar nessa polêmica sobre a exposição do “Queermuseu” em Porto Alegre, muito fraca, material exibido pobre, nem merecia discussão, e também sobre a perfomance nudista “La Bête” no Masp, também sem importância, chega a ser ridícula. Eu queria sair fora disso, focar no que realmente interessa, mas não é possível continuar assistindo inerte a esse teatro do absurdo, que está roubando um precioso espaço na mídia e causa uma discussão totalmente desnecessária e fora de época, uma coisa muito antiga, que vem dos primórdios da arte e já deveria ter transitado em julgado, como se diz no linguajar jurídico, mas a cada momento alguém apresenta um novo recurso e a polêmica não acaba nunca.

Como nos antigos anúncios fúnebres, cumpro o doloroso dever de comunicar aos polemistas o falecimento dessa preocupação com o futuro de nossas crianças, a propósito de terem sua pureza contaminada pela arte que se inspira em nudismo e sexo.

“ISSO NÃO ECZISTE” – Podem perguntar ao padre Óscar Quevedo, e ele responderá que “isso não ecziste mais”. O ilustre religioso  deve estar horrorizado com o que está acontecendo com as crianças modernas, mas com certeza sabe que se trata de uma realidade oriunda das novas tecnologias, nada tem a ver com antigas manifestações artísticas, tipo exposição de pinturas ou perfomance ao vivo.

É triste ter de exibir a realidade dos fatos aos dedicados pais, avós e bisavós que tentam defender a prole e perdem tempo em denunciar o que ainda consideram como “arte corrompida”. A ficha deles precisa cair, porque as crianças de hoje não são afetadas por exposições artísticas ou performances, a garotada vai apenas se divertir e dar risadas, como aconteceu no Masp, e uma imagem vale mais do que mil palavras, como dizia o sábio Confúcio.

Há adultos que ainda não perceberam que as crianças de hoje têm contato precoce com todo tipo de perversão. Enquanto pais, avós e bisavós fazem cara de paisagem, o público infanto-juvenil recebe nos celulares todo tipo de mensagens, fotos e filmes com aberrações as mais diversas, inclusive sexo com animais, é uma doideira. O mais curioso é os celulares foram dados aos pequeninos justamente pelos pais, avós e bisavós extremados que agora tanto se preocupam com a pureza dos descendentes, diante de exposições e performances presenciadas por reduzidíssimo público infanto-juvenil.

NADA A FAZER… – Como diz o engenheiro Paulo Lage, um dos construtores do Metrô carioca e que é meu interlocutor em assuntos da Inteligência Artificial e outros avanços da ciência, “estamos diante de uma realidade sem volta, porque ninguém pode tomar os celulares e deixar as crianças incomunicáveis. O resultado é que, nos dias de hoje, os futuros adultos têm acesso a tudo, ninguém sabe o que farão de suas vidas. É uma ilusão achar que poderemos protegê-los do que acontece à nossa volta”.

Portanto, a pureza infanto-juvenil já era… É uma realidade dura de aceitar, eu sei, e lamento transmiti-la. Talvez sejamos nós, os mais velhos, que precisamos todos rejuvenescer, seguindo o ensinamento do Belchior. E se ainda há quem pense que somos os mesmos e vivemos como nossos pais, mesmo assim não adianta querer proibir exposições de arte e performances nudistas. Isso significa um retrocesso, é uma atitude medieval, nesta depravadíssima Era da Informática. Desculpem a franqueza.

###
P.S.Também sou um dos pais, avós e bisavós desnorteados com modernidade e que não sabem o que fazer. E quando não sei o que fazer, aprendi a não fazer nada. 

P.S. 2Aproveito a oportunidade para informar que passaremos a deletar todos os comentários que tenham palavrões. Será nossa modesta contribuição à preservação dos bons costumes. (C.N.)

58 thoughts on “É inútil discutir Queermuseu e Masp, porque significa retroceder à Era Medieval

  1. O autor fala que é perda de tempo em falar sobre o assunto, e posta sobre o assunto o qual era perda de tempo, que falta de vergonha na cara em assumir que adorou ver um pendulo balançando.

  2. Moderno não significa obrigatoriamente útil e pró-vida. As bombas de hidrogênio são modernas. Em face desta realidade, julgo sábia a posição de países como a Suécia e a Escócia, que buscam preservar o que racionalmente é útil e não avançam sinais, não se modernizam à toa. A esta postura racional de evolução cultural eles chamam de conservadorismo. Nós enfatizamos apenas os aspectos político-partidários do conservadorismo, deturpando-o para o “deixa eu continuar mamando do jeito que tá”.

  3. Para ser culto atualmente basta frequentar teatros , cinemas , dizer – se admirador de pinturas e por aí vai . Tal noção foi criada por boçáis e itelectualóides , que inaptos a serem cultos , inventaram este conceito tosco . Cultura deixou de ser totalidade de conhecimentos adquiridos ou assimilados e passou a ser um absurdo como este .

  4. Tb não foi um intelectual que fez esse texto. Sou um cara conservador e pai de família e não aceito isso. Que pouca vergonha. Daqui uns dias as filhas desses artistas de araque serão puras!

  5. Respeito muito a “voz da razão” expressa no comentário do Carlos Newton.

    Gostaria muito mesmo de ter uma posição de meio termo, uma chamada da razão, por isso mesmo reafirmo o respeito pela posição do CN.

    Assim com argumentos ponderados a gente tende a aceitar melhor essa questão. Mas o que não dá para aceitar mesmo , algo que faz a gente reagir mais com o figado do que com o cérebro é assistir programas indecentes e provocadores como o Fantástico de 2 domingos atrás e alguns outros, principalmente na mesma emissora.

    Tudo indica que eles andaram brincando com fogo, o programa desse último domingo foi bem mais, digamos assim, açucarado, mas tudo indica que abriram a caixa de Pandora, coisas lamentáveis e reprováveis já estão começando a ocorrer, parece que colocaram fogo num veiculo da emissora se não me engano no sul do país.

    Assim vozes ponderadas como a do editor Carlos Newton passam a ter importância fundamental para ajudar a acalmar os animos dos mais afoitos.

    FEZ MUITO BEM EM ENTRAR NESSA POLEMICA!

  6. Donde já se viu? Institucionalizar a pornografia. Se o Sr. CN perdeu o controle sobre seus descendentes (como mesmo disse), com todo respeito o senhor não é o parâmetro do fim. Há famílias em que a ordem existe. Há famílias onde criança tem sua inocência preservada. Há famílias que celular é coisa de adulto. Então não se pode medir o próprio nariz como o parâmetro dos outros. A pureza das crianças deve ser preservada. Nossa obrigação preservar o bel estar da criança. E não venhamos jamais dizer que é a mesma coisa ver e tocar numa pessoa numa em carne e osso e ver a mesma pessoa numa por uma tela… Não tem nada a ver. Aquela exposição é criminosa. A criança deve ser sua integridade preservada. Acontece que a lei não é para todos, e dessa vez a pobre criança foi usada não pelo salafrário metido a artista, mas foi usada pelo discurso destruidor dos progressistas. Se este fim de mundo tivesse lei já teria sido presos a mãe, o sujeito que ficou nu e o museu já teria sido fechado. Mas vivemos numa terra bárbara, sem dono, sem moral, terra de desmandos, por isso toda imundice pode ser impetrada contra a população. Mas nunca que aceitarei como normal uma criança menina tocar o corpo de um marmanjo de um metro e noventa nu. Nunca.

  7. Decididamente cultura não é assistir este tipo de “espetáculo” ou exposição da nudez humana, tanto física quanto mental!

    Muito menos cultura seria polir o opaco conhecimento do ser humano sobre a verdadeira arte, que a meu ver não está representada na pintura, escultura, canto, na escrita … mas no comportamento, no respeito ao semelhante, na sua forma de entender que deve reverência aos modos e costumes de outras pessoas e seus símbolos religiosos.

    Pois este Queermuseu teve como intenção afrontar princípios e valores arraigados desde que o ser humano surgiu neste planeta, e não como modismo, mas trazendo uma nova forma de convivência calcada na licenciosidade, libertinagem e permissividade.

    E cometeu um erro gravíssimo, clamoroso, crasso:
    Envolveu crianças, os nossos filhos!

    A partir do momento que a inocência é obrigada a pular etapas, onde a ingenuidade deve dar passagem à realidade dos adultos, malévola, mal intencionada, egoísta, profana-se o que temos de mais sagrado, as crianças, que precisam se manter intactas e incólumes à maldade do ser humano, de suas intenções criminosas, neste caso a pedofilia em seu aspecto mais repugnante, pois querendo induzir as mentes inocentes a compartilharem com mentes adultas, cujos comportamentos são falhos, deturpados, invariavelmente dotados de segundas intenções.

    A foto com o criminoso nu andando de mãos dadas com as meninas, obrigariam a justiça a prendê-lo por violento atentado ao pudor, e os pais dessas crianças a responderem processos criminais pela exposição de suas filhas indevidamente, e com riscos de perdê-las para a Assistência Social por condutas que não condizem com àquelas que os pais devem ter com seus filhos, exatamente na preservação de suas inocências e ingenuidades!

    Espero que alguém seja responsabilizado criminalmente pela presença de crianças nessas duas exposições.

  8. O Carlos Newton pecou em duas coisas:

    1. Deu aval ao uso de dinheiro público para coisas que não merecem nem um vintém. Como é bom não ter que trabalhar e viver do imposto pago pelos outros,

    2. Desconheceu o Estatuto da Infância e do Adolescente e o que vimos foi um caso puro de pedofilia.

    Então, como bom comunista que ele é, mostrou as unhas. Logo vem o resto.

  9. A prova de que essa tal exposição Queermuseu e Masp está errada, e o próprio autor desse artigo reconhece isso, é que a foto que ilustra esse artigo está com tarja preta…

  10. Quanto ao texto de Carlos Newton, onde lá pelas tantas afirma que, ” a pureza infanto-juvenil já era”, o seu alerta que irá cortar palavrões no blog soa contraditório, muito mais porque salienta ser a sua colaboração aos “bons costumes”!

    De fato esta “modernidade” confunde as cabeças das pessoas, e as faz agir sem padrões definidos, pois ora é assim ora é assado ora não é coisa alguma.

    Agora, no que diz respeito às crianças, lamento, mas devemos preservá-las até onde for possível, caso contrário que o crime da pedofilia seja extinto, assim como o estupro, atentado violento ao pudor, haja vista se tornarem cínicos e hipócritas tais acusações e condenações!

    As meninas andando de mãos dadas com aquele criminoso nu e os pais que concordaram com esta exposição de inocentes maldosa e criminosamente, devem responder na justiça pelo que fizeram, e de forma grave, sendo condenados à cadeia, a meu ver.

    • Não ouvi dizer que os filhos do Luciano Huck e outros filhos e filhas pequenas dos atores globais foram lá brincar com o peladão. Por que será? O lema deles é o seguinte: “Família tradicional pra MIM e família pervertida, corrompida e depravada para VOCÊS!!” Já viu o último post da Fátima Bernardes com a família no Twitter, se não me engano? Na foto, onde estão os trans, os gays, os negros e outras “minorias” que ela tanto defende com unhas e dentes em seu programa? Não há nenhum!

  11. Quer dizer que uma criança ver um homem nu no celular, é a mesma coisa que tocá-lo ao vivo, na frente de uma platéia? O autor do texto tentou demonstrar sua aprovação à essa “arte” ridícula e ficar em cima do muro ao mesmo tempo.

  12. Antes da destruição de Sodoma e diante sua moral semelhante a do nosso séc. XXI, Ló sentia-se aflito pelas coisas que via e ouvia. Acredito que este não foi e não é o sentimento de um simples mortal, mas daquele que não considerou avançada a ideia libertina daquela gente e fez seu julgamento trazendo fogo e enxofre do céu.
    Isto que estão fazendo com crianças é uma covardia. Amanhã elas condenarão esses pretensos benfeitores…
    Violar a pureza, a castidade e a inocência ao rotular de cultura um conteúdo pervertido para o consumo infantil é uma crueldade. Adeus!…

  13. Eu não aceito. Arte nem aqui nem nas Oropa, França e Bahia. . Tudo tem seu tempo certo. Daqui um pouco, o estupro e outras coisas mais, serão levados aos museus como uma obra de arte
    Chegam os abusos sexuais que crianças sofrem e ficam esses artistas do MAN, se achando intelectualmente superiores e mais evoluidos, promovendo esses espetáculos.
    Eu prefiro a Monalisa de Leonardo da Vinci

    • Escreveu Alexandre Garcia: fragmentos do texto:
      “Tudo bem, eu não gosto mas há milhões que gostam. Respeito. Só não aprovo, como cidadão, que abram as portas para as crianças se chocarem com essas agressões. Que limitem a adultos. Aprendi que arte é beleza, tem padrão estético, tem perfeição técnica, dá prazer intelectual. Há quem pense que arte é escatologia, agressão, garatujas ou até uma tela pintada de branco. Como disse Affonso Romano de Sant’Anna: “arte não é qualquer coisa que qualquer um diga que é arte, nem é crítico qualquer um que escreva sobre arte”.

  14. Viramos índios. Esses babacas não têm talento para produzir algo artístico de veras, então se desnudam.
    Mais ridículo do que a cartinha do Temer.

  15. Estamos sendo atacados por uma “classe” nova: A dos degenerados!
    Não se esqueçam que pessoas que tem filhos podem ter a mente distorcida.
    Ter filhos não é salvo conduto pra ninguém!
    O pior é saber que tem país que se excitam em ver os pobrezinhos no meio do inusitado.
    Toda essa excitação e furor, camuflada pelo manto de uma suposta arte.
    É simplesmente grotesco!
    Atenciosamente.

  16. Prezado editor Carlos Newton. Muito do que foi dito aqui é da minha concordância. Concordo com o que escreveu no artigo numa coisa: realmente está difícil segurar a barra com a avalanche que chega até as criancinhas. Bebês já têm acesso aos celulares e computadores. Agora há uma distorção do conceito do que se tem por “Arte”. Quem postou sobre a tarja preta, o Renato,matou a charada. Uma pergunta: qual de nós ficaria feliz se fosse um dos seus descendentes uma daquelas crianças? Deus nos ilumine e se compadeça de nós todos. Amém!

    • Que Deus que nada, esses caras deveriam ser processados. Quando o Bolsonaro ofendeu uma colega da câmara (ume feiona de óculos) a esquerda se revoltou, o Bolsonaro foi processado e perdeu. No entanto não se escuta mais as vozes da razão, como surgiram naquela ocasião.

  17. Caramba, quanta hipocrisia, ninguém lê jornal não? A pedofilia tem maior índice dentro do próprio lar, ou será que os pais gostam desse tipo de arte? É por isso?

    Nossa, acho que nunca existiu pedofilia e perversão na igreja, nem na católica e nem na protestante. Se houve eles devem gostar desse tipo de arte? Só pode!

    A maioria dos homens que eu conheço vivem trocando pornografia no celular, traem suas esposas. Já vi muito defensor dos bons costumes ficar se masturbando no muro para a filha da vizinha. Acho que vocês são daqueles que pensam que a filha da vizinha que se insinuou para ele! Provavelmente.

    Quantos filhos criados em castidade que, quando conhecem a perversão, mergulham de cabeça.

    Santa ignorância, acordem para a vida.

  18. Lamento, André, mas o teu comentário foi um absurdo, pois cometeu erros grosseiros, a começar pela maldita generalização!

    Quer dizer que bastou ser homem é o cara já é pedófilo?

    Qualquer padre, qualquer paí são pedófilos por natureza?!

    Definitivamente isto que dizes, acordar para a vida”, quer dizer aceitem a permissividade, a licenciosidade e liberalidade na marra!

    Mas não mesmo, não com crianças, não com meus filhos (de todos os pais), não com suas inocências e ingenuidades!

    Quem quiser mergulhar neste mar promíscuo, pornográfico, de zoofilia e sexo com objetos, que o faça em caráter pessoal, mas exclua as crianças, sob pena de uma reação forte, poderosa, que pode não terminar bem para esses “avançados” em demasia.

    Mais a mais, essa mistura proposital do sagrado e do profano, colocando-os todos no mesmo nível, ou seja, a eliminação daquilo que cultuamos como fé e religião, respeito ao próximo e às mulheres, como se não mais existissem esses cuidados de antes, trata-se de uma intenção malévola, abjeta, deletéria, que deve ser combatida frontalmente.

    Não podemos ser vencidos porque alguns homens, e até mesmo uma boa quantidade de machos querem mudar o comportamento da maioria dos homens, que ainda preservam seus princípios e valores.

    • Perfeito, Bendl.

      Além das generalizações, que ele usa para forjar um espantalho e bater xingando-o de ignorante e hipócrita, destaco, no dito comentário, as falácias anedóticas:

      – “a maioria dos homens que eu conheço …”;

      – “já vi muito defensor dos bons costumes …”;

      – “quantos filhos criados em castidade …”.

      Mais: é verdade que há ocorrências de pedofilia nos mencionados recinto doméstico e igrejas. Também os há em escolas, clínicas e – hahaha – no meio artístico.

      Outro ponto: alguns casos de abuso infantil no recanto do lar são promovidos com o concurso das próprias mães. Mais ou menos como em certa “performance” num certo “museu” …

      • Eduardo Araújo,

        Os casos de pedofilia registrados nos lares, aponta muitas vezes o companheiro da mãe, ao querer estuprar a filha da mulher que está com ele.

        Observa que sequer estou usando a palavra padrasto, pois existem milhões nesta condição que assumem as filhas de suas segundas ou terceiras esposas como se fossem deles!

        A bem da verdade, na pobreza mais degradante, na miséria quase que absoluta, os casos de abuso sexual das próprias filhas pelo pai são mais constantes, que não invalida acontecer o mesmo nas famílias consideradas de posse, diante de um comportamento criminoso e imperdoável desses homens.

        Ora, se o estupro, e o abuso sexual com menores são considerados casos de pedofilia, logo, as duas exposições se enquadram como tal, expondo as crianças à nudez adulta de maneira imposta e com estranhos!

        Decididamente não se trata de arte, mas crimes contra a inocência, contra crianças, que devem ser assim classificados.

        Volto a repetir:
        O “artista” que desfila com as meninas de mãos dadas e que está em pelo, nu, dever ser processado, condenado e ir par a cadeia!

        E, da mesma forma, os pais que levaram essas crianças, expondo-as criminosamente em meio adulto, libertino e devasso!

        Se, nessas alturas, proteger meninos e meninas significa eu ser uma pessoa atrasada, erram os meus críticos, haja vista que sou anterior ao que pensam, SOU JURÁSSICO!

        Um abraço, Eduardo Araújo.
        Saúde e paz.

        Ah, esses que defendem ambas exposições, levariam suas crianças para vê-las??!!

  19. O não como limite foi o primeiro fundamento da liberdade que Deus transmitiu aquele extraído do pó.
    “Onde não há lei não há liberdade”
    “Por mais que o doureis, sempre é de ferro e por mais que adoceis, sempre marga.” Assim escreveu o poeta acerca do NÃO. Na poesia tudo bem, mas na prática, a maioria de nós, olhando para trás, agradece esta sagrada lição de vida que recebemos no berço?
    Muito se enaltece em entrevistas na TV exemplos de superação física-psicológica, mas não lembro-me de se trazer exemplos de quem superou seu orgulho por aprender que dentro do espírito da liberdade e na essência do não, encontrou o que se acha no ápice das conquistas humanas; o autodomínio e assim, aprendeu a domar o ímpeto voluntarioso.
    Ensinar o NÃO, como a mais importante lição de vida, eis o desafio que estão deixando de ensinar as crianças numa sociedade que tende glorificar a permissividadee….

    • Andrade Araújo,

      O teu comentário traz à tona os limites que devem ser impostos às crianças desde em tenra idade.

      “Quem ama cobra”, exige, cuida, NÃO PERMITE CERTAS CONDUTAS, que amanhã ou depois o pais serão responsáveis por adultos que não respeitam sequer a si mesmos!

      O Não é fundamental à educação, evidente que não de forma comum, rasteira, porém com razões, motivos, cujo intuito é orientar e impedir avanços precoces ou liberdades antes do tempo adequado.

      Parabéns pelo importante comentário.

      Um abraço.
      Saúde e paz.

  20. Beira ao ridiculo defender uma “arte” sem argumentação científica. Boçais , então não percebem que uma criança ao tocar aquele vagabundo nu, perde a ingenuidade e o medo de algum dia se depararem com um excremento daquele e achar que nada lhes acontecerá, pois no museu, o vagabundo não apalpou ninguém. ? Na cabecinha da.criança o registro é que um peladão com bilal balançando perto delas não lhe oferecerá qualquer perigo. Sinceramente , se um filho ou filha meu estivessem comparecido àquele “evento” , com certeza , no minimo, quebraria todos os dentes do “professor”mal caráter que o teria levado. Mas a desculpa para aceitação disso e nivelar por baixo todo mundo? Alto lá!!!

  21. Nota da Associação Médica Brasileira (AMB)

    Com relação à La Bête, recentemente encenada no Museu de Arte Moderna de São Paulo, a Associação Médica Brasileira (AMB) vem a público fazer um alerta:

    – Não consideramos a performance adequada, pois expõe nudez de um adulto frente a crianças, cuja intimidade com o corpo humano adulto, de um estranho, pode não ser suficiente para absorver de forma positiva ou neutra essa experiência.
    – Evidências científicas comprovam que situações de nudez, contato físico e intimidade com o corpo são próprias do desenvolvimento humano, mas positivas , desde que ocorram entre pessoas com perfis equivalentes, quanto à idade, maturidade e cultura. Ou entre adultos e crianças cujo vínculo e convivência cotidiana definem esta experiência, de forma natural e sem caráter exploratório previamente determinado.

    – Do ponto de vista do adulto (que se apresenta nu e disponível para contatos físicos com crianças) não se consegue alcançar o mérito dessa proposta e/ou sentido artístico, educativo desse roteiro teatral.

    Recomendamos que pais e educadores se disponham a trabalhar a sexualidade de seus filhos e alunos, para lhes oferecer a melhor educação sexual, e os prevenir de situações inadequadas, as quais podem ter repercussões imprevisíveis, dependendo da vulnerabilidade emocional de cada criança ou púbere, mais até do que da intensidade da experiência.

    https://www.facebook.com/AMBoficial/photos/a.280434002096466.1073741827.280413655431834/991851257621400/?type=3&theater

  22. Trabalho com cerca de 350 crianças entre a idade entre 11 e 13 anos, o qual é dentro de uma periferia de São Paulo. Se dividir em ter 7 salas, cada sala não cega 10 celulares em poder de crianças. Logo o autor viajou na visão pornô pessoal e afirmar que a inocência acabou. Infelizmente o TI de alguns dias tem demostrado a linha de pensamento gramscista, e talvez dentro de minha visão, depois que pessoas sem alinhamento politicamente correto, humanista que aqui impera, partiram para o confronto de pensamento, ainda que velado o acirramento de ideias. Bem impuseram um limite de escrita de pensamentos pessoais pois quem mais participa é contra o conceito gramscista em modo geral. Mas enfim o que vale é o politicamente correto, humanista bonzinho. Se falar contra isso pode ter certeza que a patrulha chapa branca logo aparece com poemas bonitos sobre a desgraça alheia do povo. Uns dos principais motivos da educação patinar e devido essa humanização dentro de sala de aula, e os números não mentem. Essa semana vou aplicar a Prova Brasil e sei que lá vem mais um fiasco, pois esses defensores desse tipo de Arte, só querem mesmo é se apropriar de corpos de crianças, onde tudo acontece dentro de uma escola menos o aprendizado educacional, pois profissionais pedófilos estão rindo à toa quanto pior a educação melhor é o gozo em crianças.

  23. Eu juro que gostaria de entender a cabeça, a lógica dos comunistas:

    Em P.S.2 o Sr Newton diz que deletará comentários que tenham palavrões como “modesta contribuição” a PRESERVAÇÃO DOS BONS COSTUMES !!!

    Isto depois de escrever um texto eufemista tentando rebaixar a regra moral !!!!!!

    E ainda termina o texto afirmando ser um retrocesso, uma atitude medieval QUERER PROIBIR tais “performances” !!!

    Pergunto ao Sr. Newton: O Sr. REALMENTE não saberia o que fazer e ficaria apenas desnorteado se visse alguem fazendo a “modernidade” de estuprar um netinho ou um cachorrinho seu ?

    • Desculpe, Sr. Fred, é que não sei escrever direito e não consigo me fazer entender. Às vezes, até penso que sou meio burro. No artigo, apenas tentei chamar atenção para o fato de que as crianças de hoje em dia recebem impunemente nos celulares as cenas das “modernidades” de estupro infantil e de sexo com animais, acho que até mencionei isso.

      Mas parece que os adultos, que presenteiam as crianças com esses inocentes celulares, não se preocupam com o que eles contêm, apenas se preocupam com exposições e performances assistidas por meia dúzia de inconsequentes.

      Vejo que, mesmo diante do que escrevi, o Sr. está pouco se incomodando com o que pode chegar (e fatalmente irá chegar ou já está chegando) aos celulares de nosso desprotegido público infanto-juvenil.

      Pense nisso e deixe as exposições e performances para lá. Procure manter o foco no que é mais importante e chega com mais facilidade às crianças e adolescentes.

      CN.

      • Obrigado pela resposta:

        Entendí o seu ponto. O problema são os celulares (internet) e não o Museu das bichas (Queermuseu) e as performances no Masp. OK. São pontos de vista.

        Eu apenas vou me permitir a continuar EU MESMO arbitrando e mantendo o foco no que eu julgo ser mais importante.

  24. Parabéns pelo corajoso posicionamento, Carlos Newton.
    Não acho que aquilo seja arte, mas eu e minha filha nunca iríamos a uma performance daquelas, não por moralismo, mas por achar totalmente sem sentido.
    Mas vai quem quer e ninguém é obrigado a ir.
    As manifestações raivosas e hidrófobas dos “defensores da moral e dos bons costumes” beiram as raias do ridículo.
    O que eu tive a tristeza de ler nesses comentários reflete bem o medievalismo tacanho desse povo ignorante.
    Se estivéssemos na Idade Média estaríam todos na fogueira da Inquisição (você encabeçaria a fila da fogueira rs,rs….)
    Falar em pedofilia naquela cena é uma total falta de bom senso.
    Foi mais uma afoiteza e mau gosto da mãe da criança do que prática libidinosa.
    Esse pessoal tem uma cabeça muito suja. Devem ter o armário cheio de esqueletos inomináveis.

    • Sua indiferença revela o pouco entendimento no que foi postado pelo blogueiro. As cenas inadequadas para determinadas faixas etárias estão sendo colocadas dentro da sua casa pela tv, diariamente, assim como por acesso em computadores, tablets ou celulares. Nossa indiferença ao não combatermos o que está errado e em sermos coniventes com a inversão dos princípios éticos e dos valores morais basilares de uma sociedade mentalmente sadia, só fará com que percamos, a cada dia, o espaço de nosso direito ao livre pensamento, ao contrário do que hoje querem nos incutir.

    • Acho graça daqueles que se dizem avançados, progressistas, e que acusam os defensores de valores e princípios como falsos moralistas e retrógrados.

      Pois justamente esta gente que ainda faz questão de que haja respeito e que tenhamos nossas crianças como sagradas, tem sido ofendidas porque se não fossem por elas em não aceitar certos modismos, liberalidades, licenciosidades e permissividades, as filhas e filhos dos “liberais” já estariam contaminados por este ambiente “moderno”, sem qualquer resistência à pedofilia, zoofilia e pornografia!

      Cínicos, hipócritas, mal intencionados, gentalha, pois alegam que seus filhos não iriam neste tipo de exposição porque não seria adequado para crianças, no entanto, nada se importam se meninas e meninos frequentam esse ambiente hostil à ingenuidade e inocência!

      Em outras palavras:
      “Meus filhos eu não deixo, mas os filhos dos outros o problema não é meu!”

      Pois estes canalhas querem se autoproclamar modernos, e quem protege tanto os seus filhos, as crianças, como se preocupam com as demais são denominados de inquisidores!

      Uma pena que eu não seja mesmo um inquisidor nessas alturas, pois iriam para a fogueira os pedófilos, que se postaram nus perante crianças, e os que afrontam as convenções e conveniências sociais em nome de um pseudo modernismo, mais para bacanais do que “exposição de arte”.

  25. Duas observações:
    O homem despido é o de menos, o problema é incentivar crianças a tocar estranhos, eu seria contra ainda que o homem estivesse vestido. Mas gostei de uma observação acima sobre a tarja preta.
    Os artistas e simpatizantes agora resolveram elitizar a arte, se você não estudou arte não pode criticar, como se arte não fosse uma expressão e existisse desde a pré história.
    Tenho sido chamada de conservadora, e isso me faz feliz porque a sociedade está perdendo seus valores básicos. O resultado são essas pseudo performances, 60 mil assassinatos num ano, políticos desonestos…

  26. Concordo com CN que a tecnologia sem dúvida nenhuma tornou as crianças e jovens mais precoces e sabedores e cientes muito mais que de gerações passadas.
    Não acho que seja arte esse tocamento de crianças em homem pelado nem amostras de quadros ou esculturas de mal gosto, mas é uma liberdade de expressão, apenas não me convide para ir nem ver.
    Este é o principal argumento que permite e redução da maioridade penal no mínimo para 16 anos.
    Tem que mudar o ECA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *