É preciso convocar as Forças Armadas, interditar o presidente e evitar a nova ditadura

As redes sociais estão pregando o nova intervenção militar

Carlos Newton

O ditado é muito antigo, mas ainda não perdeu a validade: “Quando um não quer, dois não brigam”. Está mais do que óbvio que Bolsonaro está forçando a barra e fazendo o possível e o impossível para que ocorram graves confrontos no dia 7 de setembro, capazes de justificar uma intervenção militar pela ordem pública, dentro das quatro linhas da Constituição.

Desde o início do governo, o capitão-presidente não pensa em outra coisa e vem alimentando sua obsessão de reviver o regime militar, de preferência com novas torturas, dada sua admiração ao coronel Brilhante Ustra, que o Exército teve vergonha de levar a general, mas Bolsonaro recentemente fez questão de aumentar a pensão da viúva, em reconhecimento aos serviços prestados pelo militar, que era como o médico e o monstro e atendia por “Dr. Tibiriça” nos subterrâneos do DOI-CODI.

EM CENA ABERTA – O mais impressionante é que Bolsonaro, seus filhos e adoradores, municiados pelo “Gabinete do Ódio” que funciona no terceiro andar do Planalto, estejam articulando abertamente um golpe militar contra o Poder Judiciário (leia-se Supremo e Tribunal Superior Eleitoral), que por óbvio atingirá também o Legislativo (leia-se: Câmara, Senado e Tribunal de Contas da União).

Militantes radicais estão sendo convocados de outros estados, em caravanas gratuitas, com três refeições garantidas e estacionamento liberado, segundo a farta propaganda que circula nas redes sociais bolsonaristas.

Assim, o presidente da filial Brazil imita seu ídolo Donald Trump, sem se importar com o que aconteceu em Washington, com a violenta invasão do Capitólio que resultou em cinco mortes – quatro ativistas e um agente de segurança.

INTERDITAR O PRESIDENTE– A meu ver, somente a convocação desses atos antidemocráticos, que serão incentivados pela presença do próprio presidente da República, já deveria ser suficiente para interditá-lo por problemas mentais e passar o governo constitucionalmente a seu vice, que, embora também seja do fã-clube de Brilhante Ustra, é infinitamente mais democrata do que o presidente.

Portanto, é necessário que os presidentes do Supremo e do Congresso convoquem as Forças Armadas, com base no artigo 142, para interditar Bolsonaro e submetê-lo a tratamento psiquiátrico, conforme aconteceu em 1918 com o presidente Delfim Moreira, uma espécie de Bolsonaro com baixos teores, que ficou na Presidência, mas quem governava era o ministro Afrânio de Mello Franco.

Como a intervenção militar pelo art. 142  não deve acontecer e Bolsonaro continuará desvairado, porque não há instituição brasileira que atualmente mereça confiança total, seja civil ou militar, a chamada oposição deveria cancelar todos os atos contra o presidente, para deixar os bolsonaristas sozinhos nas ruas no dia 7, batendo palmas para maluco dançar enrolado na bandeira nacional.

###
P.S. –
Se vocês acham que o jornalista está exagerando, por favor deem uma passada pelas redes sociais e procurem captar o espírito da coisa, que está completamente sem limites, enquanto la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)

25 thoughts on “É preciso convocar as Forças Armadas, interditar o presidente e evitar a nova ditadura

  1. O articulista e editor da TI não exagera de forma alguma.

    As claques BROXAnaristas e as viúvas da ditadura milico-servil jogam todas as suas fichas no 7 de setembro.

    Apesar de todo o estardalhaço que ora fazem, acredito que essa manifestação criminosa terá o mesmo destino da convocatória feita por Collor no passado recente.

    • Permita-me completar seu pensamento, colega Batista, especificamente em relação à nota final de C.N.
      Para sentir a intensidade da paranoia e insanidade que se instalou no país, não precisa recorrer às redes sociais, basta ler os comentários desvairados, agressivos e subversivos exarados nesta T.I. por pessoas, até pouco tempo atrás, consideradas equilibradas e bem intencionadas.

    • Guarda algumas fraldinhas para os velhinhos da reserva remunerada que não aguentam um gato pelo rabo mas querem fazer revolução. E ter um SOLDÃO!

  2. É patente a escalada autogolpista C.N. Um governante que cria factoides, cria crises, propositalmente, sem tentar governar ao menos, está fazendo o que afinal? Fracasso retumbante, pois foi eleito por nós para fazer o que prometeu, e fez exatamente o contrário. Isso sim foi um golpe. Me parece que, assumindo ser centrão, mostrou a sua verdadeira face, um JABUTI, criado artificialmente. Lula para se eleger a 1a vez, virou bom moço, e esse que está aí, do nada virou o paladino da justiça. Temos que aprender a ver as coisas além do que ouvimos.

  3. 1) Astrólogos informam que já estamos sob a influência astral do signo de Virgo…

    2) Vamos torcer, que as boas vibrações celestiais deste signo evitem confrontos e conflitos que estão alimentando…

    3) Confrontos e conflitos só os verbais, educadamente, como recomenda a Democracia.

  4. O Brasil não tem mais governo, administração, e plano algum para seguir adiante, quanto mais para se desenvolver.

    Se alguém conseguir me definir o que somos neste momento, agradeço.

    Jamais tivemos tamanha desestabilidade como agora:
    política, social, econômica e até mesmo religiosa!
    Nem no período de Jango, deposto pelos militares e com ajuda norte-americana, o país se viu dessa forma tão desorganizado, economia estagnada, desemprego, miséria, fome, pandemia e seus quase 600 mil mortos!

    Nesse meio tempo, como se comportam os demais poderes, legislativo e judiciário?!
    Ora, como sempre omissos, pois suas situações estão maravilhosamente bem.

    A grande incógnita reside sobre as FFAA.
    Alguns generais afirmaram que seguirão a Constituição, quando questionados pelos ex-presidentes a respeito.
    Marinha e Aeronáutica estariam de acordo com Bolsonaro, na concretização de seu golpe de Estado.

    A menos, a menos, a menos … que os militares deem o aval para o presidente cancelar as eleições, fechar o STF, e depois tirá-lo do poder, colocando um general na presidência, até por uma questão de hierarquia, e o problema sempre em banho-maria a respeito da insanidade de Bolsonaro e sua instabilidade emocional, que seria uma bomba prestes a explodir e sem qualquer aviso.

    Dar poderes infinitos a uma pessoa como Bolsonaro é dar um fuzil para macaco, quer dizer, sai de perto!
    Aventura por aventura, ela deve ter um mínimo de planejamento.
    Com Bolsonaro não há como se elaborar nada, pelo contrário, na função de ditador poderá acabar conosco quando algum ímpeto tresloucado lhe subir à cabeça.

    No fundo, no fundo, o presidente é que está servindo de bucha de canhão para seus ex-colegas militares.
    Prepara o terreno para a retomada da ditadura militar, porém será defenestrado do cargo imediatamente, pois com esse ex-capitão só teremos problemas!

    Enfim, nossas dificuldades são tantas e graves, que podemos exercitar a nossa mente de várias formas.
    No entanto, a maioria desses exercícios mentais chegam à mesma conclusão:
    Não temos saída!

    Por fim, contesto o apoio popular – à base de Bolsa Família -, político – ainda mais vindo do centrão -, e militar, pois não existe o apoio absoluto das FFAA para Bolsonaro.
    Exemplo:
    o general de 4 estrelas, vice-presidente, Hamilton Mourão.

    Duvido que, no frigir dos ovos, Bolsonaro seja conduzido a ditador, passando por cima do generalato!
    Os militares duraram 21 anos no poder porque a hierarquia jamais foi quebrada!
    Não seria agora, que a base das FFAA seria anulada, de onde se originaria um caos militar sem precedentes!!

    • Chico, bom dia.
      Esse último parágrafo de teu comentário diz tudo a respeito da chance do Bolsocheio virar o típico caudilho ditador.
      Não fosse o sistema de disciplina e hierarquia a base das instituições militares, há ainda o conhecimento documentado do perfil do “capitão” muito bem expresso naquele boletim do ministro Vicente Pires de 1988, que nos conhecemos, o que nunca levaria o Alto Comando a conceder-lhe poderes para vingar-se de seus fantasmas, os generais que o humilharam e os deputados que o ignoraram durante 8 anos.
      É por isso que às vezes eu me surpreendo desejando que ele tenta-se o golpe, como forma rápida e definitiva de nos livrar dele, mas logo caio em mim e considero a grande probabilidade de confronto e derramamento de sangue de vitimas inocentes e idiotas úteis.
      Abs.

  5. Carlos Newton, muito boa a análise do atual teatro de operações … ” não há instituição brasileira que atualmente mereça confiança total, seja civil ou militar,”

    Frase precisa para o momento que vivemos.

  6. Agora é tarde. O jogo chegou ao fim, o xequemate vai acontecer. Não foi por falta de aviso, mas infelizmente os contrários não aceitaram a derrota nas eleições de 2018. Querer derrubar o Presidente na marra golpista não vai prosperar, só dá mais munição para o contragolpe que está prestes a acontecer. O povo amadureceu, e tomou conhecimento da intenção golpista da oposição, e sendo assim se manifesta da forma que convém, lutando pelo bem do país e futuro dos seus filhos.
    Sem violência ou quebradeira, mas com firmeza, cidadania e patriotismo, o mundo se curvará a um novo Brasil. Com fé e esperança a nação brasileira ressurgirá das cinzas. Estou feliz em saber que meus filhos e netos terão uma vida de paz e prosperidade.

  7. Não é sábio ter no poder central um débil mental.
    Antes tínhamos no poder o petralha, hoje temos outro canalha,
    Presidente tem que ser homo sapies como a gente.

  8. Bom dia , leitores(as):

    Senhor Carlos Newton , sempre disse que o propósito e objetivo do Presidente Jair Bolsonaro é ” CONVULSIONAR E CONTURBAR O PAÍS ” á qualquer preço , depois que os podres dele e de seus filhos vieram á tona , com o agravante de que o presidente da Câmara de Deputados Federal Arthur Lira e seus comparsas , estarem fazendo vista grossa e tirando proveito econômico/financeiro das ” PRESEPADAS E CRIMES ” , cometidos pelo Presidente Jair Bolsonaro.

    • Um pequeno reforço ao raciocínio do colega.
      O Presidente desistiu de vetar as chamadas emendas de relator do orçamento paralelo (seguro anti-impeachment), que em 2021 nos custaram 3,3 bilhões e para 2022 tem seu valor ainda em segredo, talvez aguardando o 7 de setembro

  9. Lendo que o presidente Bolsonaro voltou a insistir na fraude na eleição de 2018, me pergunto: Será que ele ao final está certo? Será que a dita eleição, além de estelionato,
    foi também fraude? Teria tido o Hadad mais votos? Em terra onde o Mito já foi chamado até de estadista, cabe tudo.

    • “É preciso convocar as Forças Armadas, interditar o presidente e evitar a nova ditadura”

      O C.N está pedindo a mesma coisa que ele critica nos “cidadãos” citados no texto.

      Tanto o C.N quanto os bolsonaristas pedem a mesma coisa.
      O problema da intervenção do poder moderador que são as forças armadas; é que: Todo mundo sabe como começa (Com muita gente pedindo, cada um com seu motivo).

      PS: O único erro do texto; é que 90% dos incentivos a balburdia feitas na internet; são por petistas querendo atrapalhar o 7 de setembro ordeiro e pacifico.

  10. O inconformismo da esquerda cria esfaqueadores e alienistas a todo momento.
    Simôes Bacamartes e esfaqueadores alienados e doidos como Adélio Bispo estão por ai e se contam em grosas. Tem outro grupo, e bem grande, são os radiologistas canhotos, querem a todo custo ver a caveira de Bolsonaro jogada na vala, bem seca e com grilo cantando dentro.
    Agora até o Intelectual Barroco dá o ar da graça, aquela cara despretensiosa de vadia mosca de curral aparece para ressuscitar o nobre Dom $talinacio Curro de la Grana e com leves pincelas o pinta como o novo Demiurgo dos Mundos Superiores. Insanidade é isso minha gente!

Deixe um comentário para DANIELA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *