É preciso punir os generais do Exército em retirada

Ney Vilela

Uma das manobras mais difíceis de se executar, por parte de um grande exército, é a retirada. Ceder território é desmoralizante e passa o sentimento psicológico de que a derrota se aproxima. Mas, independentemente dessa situação ser constrangedora, um bom general
precisa garantir que seus exércitos consigam se reagrupar, ganhando condições operacionais para enfrentar as próximas batalhas.

Ao realizar a manobra de retirada, é costumeiro que o exército em recuo deixe, no caminho, uma parcela de suas tropas com a função de obrigar o inimigo a perder algum tempo enfrentando-as. Assim, quem se retira troca espaço por tempo, conseguindo as condições para se reorganizar e melhor poder defender suas posições, a seguir.

Observe-se o que aconteceu com Graça Foster, presidente da Petrobras: ela foi submetida a um desgaste desumano, nesse último ano. Enquanto ficava evidente que a Petrobras teve seus recursos dilapidados e foi literalmente implodida em nome dos interesses do partido que se apoderou da máquina de governo, Graça Foster atraiu o fogo da bateria do exército
da oposição, enquanto o ex-presidente da empresa, o ex-presidente da República e a liderança partidária do PT ganharam um tempo precioso que lhes permitiu vencer a eleição presidencial e se organizarem para o grande embate judicial que se aproxima.

DEU O MELHOR DE SI

Como “tropa retardadora”, Graça Foster (além de um grupo de diretores da Petrobras), deu o melhor de si, sacrificando-se com ardor missionário – sabe-se lá por quê– em benefício de Lula da Silva e de Dilma Rousseff.

Diante desses fatos, observa-se que o exército da oposição não pode esquecer que é necessário levar à rendição quem assinou o contrato que levou a Petrobras a perder mais de um bilhão de reais com a Refinaria de Pasadena. E quem assinou esse contrato foi o Conselho da empresa, dirigido – na época – por Dilma Rousseff.

Deve ser levado ao tribunal de crimes de guerra o camarada que fez o acordo com a Venezuela para se construir a Refinaria Abreu e Lima, o que levou a um prejuízo de aproximadamente 20 bilhões de dólares. E quem realizou esse acordo foi Lula da Silva.

Deve ser levado à rendição quem doou petróleo para a Venezuela (no período da crise que quase derrubou Hugo Chávez. E quem fez isso foi Lula da Silva.

Precisa ser derrotado quem alterou o contrato de exploração das jazidas de petróleo, criando o sistema de partilha que exaure os recursos da Petrobras. É necessário levar à rendição quem resolveu combater a inflação mantendo congelado os preços dos combustíveis fósseis,
destruindo o equilíbrio financeiro da Petrobras.

BARRAS DOS TRIBUNAIS

E, para não perder a viagem, a oposição deve levar às barras dos tribunais, quem destruiu o equilíbrio das empresas que produzem energia elétrica. E também quem entregou os recursos do BNDES – com juros subsidiados – para algumas empresas que, posteriormente, faliram.

A oposição também precisa punir (sempre dentro da lei) quem doou dinheiro para se construir um porto, em Cuba, e uma linha de metrô, na Venezuela, com os recursos do contribuinte brasileiro, enquanto há tantas deficiências de infraestrutura em nosso próprio país.

Graça Foster é desimportante: o que interessa é penalizar os mandantes. Trata-se de capturar os generais desse exército em retirada.

(artigo enviado por Mário Assis)

3 thoughts on “É preciso punir os generais do Exército em retirada

  1. Pelo jeito a oposição já começou a cavar trincheiras para combater o exército petista, a começar pela
    aprovação do nome do Fachin para o STF.
    O jurista é um critico ferrenho do PT e oposicionista de primeira hora, segundo o Alvaro Dias e outros tucanos
    Que se mandaram para Nova York, para prestigiar o FHC, sempre ele, com a finalidade de facilitar para a Dilma. Isso é oposição?

  2. É preciso levar também às barras dos tribunais, e punir, quem “vendeu” o país a preço de banana podre e, deu um prejuizo ao cidadão contribuinte-eleitor, calculado em 10 TRILHÕES de reais. Se é para punir, ninguém pode ser poupado.

  3. ÔLuiz Antôio, ajuda aí pô! Dá os nomes das pessoas e o nome do partido que ROUBOU 10.000.000.000.000 (TRILHÕES) de reais dos cofres brasileiros. Um roubo dessa magnitude não é possível que a justiça brasileira não tenha conhecimento. Talvez ela esteja só esperando uma pista para dar fim a investigação ou quem sabe começá-la. Vender o país em qualquer luagar no mundo, é crime, ainda mais a preço de banana podre que não tem valor nenhum, então, foi ROUBO mesmo. Será que foi obra de algum presidente e de um partido que são protegidos pela mídia, pela “justiça” e por alguns blogs por aí? Que têm a fama de que podem fazer o que quiserem que nunca dá nada, nunca são responsabilizados? Como a compra da reeleição que segundo já denunciado na lava jato, a petrobrás já estava sendo roubada naquela época? Como a venda da Vale, que segundo denúnciais tinha o valor de 100 BILHÔES e foi vendida por pouco mais de 3 BILHÔES? E que constrem aeroporto com dinheiro público e dá as chaves para parente? Ajuda aí pô! Um crime desse não pode ficar impune de geito nenhum. Ajude os generais da justiça cavar essa trincheira para que o Brasil vença essa batalha também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *