E se Jesus Cristo vivesse na era da internet?

Eduardo Aquino
O Tempo

Peço permissão para fazer tal analogia, guardado o respeito a um personagem sagrado e universal. Mas diante da passividade e embotamento que a civilização vai se submetendo diante do avanço tecnológico, maquinizado e escravizado por eletrônicos, me pus a pensar sobre o papel de um doutrinador e evangelizador em tempos de conectividade ilimitada. Poderia ser Buda, Maomé, Confúcio também.

Usaria Jesus para propagar seus ensinamentos as redes sociais? Teria página no Facebook, Instagram? Tuitaria o dia inteiro em sábias frases de 140 caracteres?

Faria uso de um canal do YouTube, em que relataria suas andanças por Canaã, sua decepção em Nazaré, ou suas palestras em Jerusalém? Teria com seus discípulos e seguidores um grupo de WhatsApp e de forma obsessiva mandaria e receberia textos cheio de abreviaturas e emojis? Mandaria e-mails reveladores correndo o risco de hackers roubarem seu conteúdo?

NÃO SERIA FÁCIL

Ok, é divagar muito, não é? Mas, com tantos memes, radicalização, fofocas violentas virtuais, com certeza a vida dEle não seria fácil. A velha expressão “nem Cristo agradou a todo mundo” adquiriria dimensões impensáveis. Haveria uma guerra virtual com os romanos que dominariam o mundo internáutico, leões invejosos e raivosos devorariam os seguidores e curtidores cristãos. Ciberbullyng e montagens photoshopadas se multiplicariam a tal ponto que o conteúdo e essência de suas lições e falas se perderiam no ódio virulento que as multimídias propagam. Ufa!

Temeria por adjetivos que o perseguiriam mais que os ortodoxos judeus ou romanos colonialistas e ditadores: charlatão, falso profeta, picareta entre outras pérolas, acompanhariam suas doutrinações. Nas caóticas aparições públicas amplamente noticiadas, encontraria fãs enlouquecidos e vaias homéricas. Perderia, com razão, a paciência com as imprudentes e incontáveis selfies.

E correndo o risco de ser chamado de arrogante, mal-humorado. Em entrevistas, bastaria uma palavra mal colocada ou uma edição distorcida de suas palavras para um tsunami de críticas ostentar manchetes. Suas curas e milagres seriam questionadas e ridicularizadas: cego voltar a enxergar, morto levantar do túmulo, água virar vinho? Céticos, cientistas, blogueiros em geral o reduziriam a pó. Seria crucificado diariamente, sofreria processos em todas as áreas jurídicas, seria chicoteado virtualmente num massacre midiático incalculável. Deus realmente sabe o que faz e 2.000 anos depois é um milagre que o “verbo” sobreviva. Aliás, percebam o termo para dimensionar nosso empobrecimento pós internet: “Verbo”!

A FORÇA DA PALAVRA

Sim, meus caros, a palavra sempre foi o instrumento de compreensão mútua, de ensinar e aprender novos conceitos e mudar a mente. É a fonte que nutre nosso conteúdo mental, a matéria-prima que ao formular pensamentos, emoções e desejos, permite que a doutrina que Cristo nos passou tenha se eternizado. Mas, convenhamos, se fosse contemporâneo teria sido quem foi? Sem contar o carisma que desaparece nas telas, pois é uma energia que só o presencial nos permite.

Há na vida elementos que deveriam ser degustados, experimentados com calma e tempo, assim são as sensações. O mundo deveria entrar em nós pala audição, visão, olfato, paladar, tato. Ainda bem que milagres foram registrados há séculos. Hoje seriam chacotas, vitalizaria em piadinhas nas redes.

Tudo isso para concluir: como é difícil ser líder ou exercer novas ideias num universo virtual internáutico tão caótico e fútil. E olha que estamos carentes de lideranças.

Algum aplicativo poderia nos acolher?

 

4 thoughts on “E se Jesus Cristo vivesse na era da internet?

  1. Não vejo problema nenhum, a meu ver, seriam os mesmos Moisés, Jesus, Buda, Maomé, Confúcio. Lembrando que os Evangelhos atuais foram escritos, por exemplo, o de João, 90 anos após a Crucificação. Dependendo do país em que nascesse Jesus a morte seria diferente … no caso do artigo, Jesus escreveria seus próprios textos … e teria seguidores e detratores, como naquela época …
    quem sabe até seria colunista da Tribuna da Internet … com direitos aos comentários de todos nós …

  2. Eduardo Aquino, li anos atrás que a família dos Aquino era única e com a proclamação da república “espalhou-se pelo Brasil”. Verdade ou não, acho que você não pertence a minha “tribo”. Tanta coisa bonita para falar vem você com essa “gororoba”. Acho que teu caso é falta de mulher. Forma um harém, toma cachaça, marafo,rum, conhaque, vodka, uisque, vinho, dá uma pitada na “erva do manfarrico” e na “cannabis sativa, e verá a inspiração chegar em avalancha.

  3. As ponderações do Sr. Aquino, nos levam a meditar e refletir, sob Jesus, sua pregação e exemplificação do que ensinava, nos dando um “Código da Vida” seu “EVANGELHO DE AMOR” PARA NOSSA CAMINHADA PARA “DEUS”, sintetizada na frase: “AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A SÍ MESMO”, A questão dos “milagres”, como derrogação das Leis materiais, não existem, mas, sim, a “dinâmica da transformação pela aplicação das LEIS conhecidas”, e crendo que JESUS, as conhecia, as aplicou, perante um povo rude e analfabeto, tanto que E’le afirmou: ” nos fins de tempo, mandarei o “Espírito Verdade” ensinar e esclarecer tudo o que não podes compreender agora e muito mais”, “estamos vivendo esse tempo” da separação do “joio do trigo”.
    Nesses 2 mil anos, em nome D’ele, “barbarizamos nossos irmãos de jornada”, deturpando seus ensinos, e o pregamos diariamente na CRUZ, deixando falar mais alto o “CAIM” que trazemos em nosso “EGO” desprezando avisos, como: “A cada um segundo suas obras” e “Pagarás até último ceitll”, quando a “Porta larga do túmulo se abrir” para à Prestação de Contas da “CONSCIÊNCIA”, em “RAZÃO DO LIVRE ARBÍTRIO”.
    A CIÊNCIA/INTELECTO, AVANÇOU MIL ANOS, A MORAL, POUCOS ANOS, O RESULTADO AÍ ESTÁ:DESFRATERNIDADE, SE JESUS VIESSE AO MUNDO HOJE, SERIA FUZILADO, COM AS MESMAS RAZÕES DA CRUCIFICAÇÃO!!!!.
    O FINAL DA FRASE DE GANDHI, seguidor de uma Doutrina milenar, cujo erro está na separação ostensiva dos “parias”, reconhece o “VALOR DE JESUS, O CRISTO” PARA A HUMANIDADE, ESCRITA NESTE BLOG, DIZ TUDO: …VOCÊS NEM COMEÇARAM A VIVER SEGUNDO OS SEUS PRÓPRIOS ENSINAMENTOS.
    “Dai à CESAR o que é de CESAR, e à DEUS o que é de DEUS”, misturamos, e o resultado: Rouba-se em nome de Deus e de Jesus o cofre público,expurgando de sí, o alerta das parábolas acima, do acerto de contas com as LEIS CÓSMICAS, acreditem se quiser, é a JUSTIÇA DIVINA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *