E vem aí mais um ministério. Ao que parece, 37 ministérios eram pouco, e a presidente Dilma Rousseff decidiu criar mais um. Parece brincadeira, mas é verdade.

Carlos Newton

É surpreendente a notícia de que a presidente Dilma Rousseff criará um ministério específico para cuidar das pequenas e médias empresas, promessa feita por ela durante a campanha eleitoral. E além desse ministério, vai criar uma secretaria para tratar de irrigação, dentro da estrutura do Ministério de Integração Nacional.

“Nós temos que incentivar o surgimento de pequenos e médios (empresários) vitoriosos”, disse a presidente ao falar da nova pasta, que vai enfraquecer ainda mais o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), que já é fraco pela própria natureza. E o pior é que a presidente Dilma adiantou que uma das funções estratégicas da nova pasta será a de incentivar arranjos produtivos locais, em parceria com o próprio Ministério do Desenvolvimento, certamente através do BNDES, esquecendo que essa política já foi adotada pelo banco na revolucionária gestão de Carlos Lessa e Darc Costa, em 2003.

Aliás, desde a gestão Lessa/Costa o BNDES também já pratica políticas especiais para pequenas e médias empresas, e essas linhas de financiamento realmente estão funcionando, com liberação de crédito barato (juros de 1% ao mês) e sem burocracia. E quem libera o financiamento nem é o BNDES, e sim o gerente do banco comercial com o qual a pequena ou média empresa já opera normalmente.

A presidente, animada, diz que a futura Secretaria de Irrigação cuidará principalmente da Região Nordeste. “Queremos recuperar áreas já irrigadas e ampliar outros perímetros”, disse ela, acrescentando que o governo pretende criar um programa de acesso individual à água, com obras pontuais de construção de cisternas, o que também não representa nenhuma novidade, desde que foi criado o velho DNOCS, Departamento Nacional de Obras Contra Seca, há quase 100 anos, ainda no tempo do Império.

Resumindo: em tempo de contenção de despesas, mais um ministério e uma secretaria. Desse jeito vamos acabar parando no Livro Guinness de Recordes, com o Brasil se destacando como o governo mais tentacular da História da Humanidade. E não há a menor razão para isso. Com se sabe, a existência de 37 ministérios se deve à necessidade de acomodar indicados dos partidos da base eleitoral e política. E esse novo ministério não tem nada a ver com a acomodação de aliados.

Na verdade, para existir uma política de apoio à pequena e média empresa, basta que a presidente da República determine isso ao Ministério do Desenvolvimento. O mesmo acontece em relação aos pequenos projetos de irrigação, que há décadas já vêm sendo feitos. Por tudo isso, essa decisão da presidente Dilma é decepcionante. Este país não precisa de mais ministérios ou secretarias. Precisa apenas que as autoridades trabalhem em beneficio do interesse público, e não em seu interesse próprio.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *