Economia sai do fundo do poo s vsperas de uma eleio da maior importncia

Resultado de imagem para eleio 2018 charges

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Alexandre Schwartsman
Folha

Na semana passada, foram divulgados vrios indicadores de atividade econmica, culminando com o ndice do Banco Central (IBC-Br), que busca antecipar o comportamento do PIB e que, pela primeira vez desde o fim de 2013, mostrou dois trimestres consecutivos de crescimento, 1,2% e 0,3%, sempre na comparao com o trimestre imediatamente anterior, ajustados sazonalidade.

Trata-se de desempenho positivo, nem tanto pelo IBC-Br em si, que nem sempre consegue capturar os movimentos do PIB, mas pelo conjunto da obra.

EXPANSES – No perodo, observamos expanso da produo industrial (+0,9%), do varejo (+1,7%) e do volume de servios (+0,3%), nmeros que sugerem recuperao difundida da atividade, no mais limitada agropecuria, como havia ocorrido no primeiro trimestre.

Mais prximo do dia a dia das pessoas, h ainda sinais de melhora no mercado de trabalho. Dados do IBGE indicam que, tambm corrigida a sazonalidade, o emprego total aumentou no segundo trimestre, muito embora o crescimento tenha se dado principalmente entre os trabalhadores informais.

Assim, detectamos pequena queda do desemprego (dessazonalizado), de 12,9% para 12,7%, a primeira desde o ltimo trimestre de 2013.

FUNDO DO POO – Para ser sincero, no d para garantir que o crescimento do PIB j se mostre positivo no segundo trimestre, mas a evidncia aponta para uma economia que finalmente saiu do fundo do poo.

Ao contrrio do ocorrido no primeiro trimestre, quando o crescimento veio do setor externo e da acumulao de estoques, componentes que tipicamente no sustentam a economia por muito tempo, o consumo deve ter sido o principal motor da expanso, sugerindo continuidade da retomada.

Em particular, como tenho insistido j h algum tempo, a reduo persistente da taxa real de juros (de 7% h um ano para menos de 4% agora), resultado da queda da inflao, a causa mais provvel da recuperao.

DEFASAGEM – Notando ainda que seus efeitos costumam aparecer com defasagem ao redor de seis meses, bastante razovel concluir que ainda h impulso a se materializar na segunda metade do ano, ou seja, devemos testemunhar um desempenho um pouco melhor frente, longe de espetacular, mas slido o bastante para nos levar a terreno positivo ainda em 2017 e mais vigoroso em 2018.

No se segue, contudo, que nossos problemas estejam superados. Muito embora haja condies para uma retomada moderada nos prximos 18 a 24 meses, o comportamento das contas pblicas permanece como fonte constante de ansiedade e mais ainda aps a reviso das metas fiscais para o perodo 2017-20.

HERANA MALDITA – Mesmo com taxas reais de juros mais baixas, a se confirmarem os nmeros ali previstos, o governo a ser eleito em 2018 herdar uma dvida superior a 80% do PIB e a necessidade de transformar o deficit primrio de 2,3% do PIB (R$ 159 bilhes) em superavit de 1% a 1,5% do PIB (de R$ 70 bilhes a R$ 100 bilhes).

A eleio do ano que vem pode ser, portanto, a mais importante ps-redemocratizao do pas: decidiremos se vale a pena seguir o difcil caminho do ajuste ou se optaremos pela manuteno do status quo, que nos trouxe pior crise da nossa histria.

A depender de nossos polticos, que continuam lutando pelos lugares na janelinha enquanto o nibus marcha para o abismo, temo que o status quo largue com ampla vantagem.

6 thoughts on “Economia sai do fundo do poo s vsperas de uma eleio da maior importncia

  1. A “reduo persistente da taxa real de juros” no condiz com os dados.

    Nem o “menos de 4% agora”. Vide stio do IBGE e da fazenda:

    Inflao acumulada at fim de julho de 2017: 1,4%.
    SELIC acumulada: 6,3%.
    Diferena de 4,9% em 7 meses.
    Anualizado so 8,6% ao ano (inclusive maior que os 7%).

    Nos ltimos 2 meses, tivemos inflao nula e juros SELIC de 1,6%, chegando a valores anualizados de 10% ao ano de juros real.

    O juros real est, na verdade, subindo.

  2. Aparentemente, parte das diferenas entre as Txs de Juros reais do Autor Sr. ALEXANDRE SCHWARTZMAN e as calculadas pelo Sr. MATHIAS ERDTMANN, acima, se devem a que o Sr. MATHIAS ERDTMANN no expurgou dela o Imposto de Renda, Tx de Administrao Bancria e Comisso.

    Seja como for, as Txs de Juros reais dos Ttulos do Governo que giram a Dvida Pblica, na mdia do tempo, esto caindo, e a nosso ver, +- 4%aa no exagerado.
    Abrs.

  3. Quando critico a imprensa nacional com raras excees – Carlos Newton, por exemplo -, tenho l as minhas razes!

    O artigo em tela no reflete a realidade brasileira, com todo o respeito que me merece o articulista.

    JAMAIS vou aceitar e entender que, a economia est isso ou aquilo, mediante o exrcito de desempregados e inadimplentes que temos!!!

    No existem argumentos suficientes que me faam comungar dessa reao econmica, com milhes de gente desesperada e sem poder pagar as suas contas, a menos que at a economia no precise mais do ser humano, ela se faz sozinha, sem consumo!

    Desta forma, dados que excluem a presena da pessoa, o bem comum, meramente numricos e estatsticos, devolvo-os ao autor, haja vista no avaliar devidamente a situao dramtica do povo, comprometendo os ndices e percentuais publicados.

    Por outro lado, caso os registros apresentados tenham sido obtidos do governo, mais ainda o meu descrdito, pois podem estar sendo facilmente manipulados para dar crdito a um governo que a populao deplora, ento sem confiana, sem credibilidade alguma, at porque mero seguidor do modo petista de governar, usando a quadrilha peemedebista no lugar do PT no Planalto!

    No acredito nesta leve e imperceptvel melhora na economia, se confrontada pela quantidade de brasileiros desesperados por trabalho, ainda mais que tais estatsticas devem mesmo estar sendo maquiadas porque este governo corrupto e incompetente no considera como desempregado quem recebe a esmola denominada Bolsa Famlia, portanto, assim como Dilma, falsos os dados apresentados (evidentemente me refiro aos nmeros fornecidos ao jornalista, e no o seu artigo, interessante e pontual).

  4. Enquanto a indstria e o comrcio, no retornar ao pleno funcionamento, no haver gerao de empregos. assim que funciona: primeiro dar elementos a indstria e ao comrcio para retomarem o crescimento e, o emprego surgir automaticamente.
    Para ter ideia do estado em que o PT deixou o Brasil: A Petrobrs perdeu 90% do valor de mercado ao final do governo Dilma, enquanto a Friboi e a Odebrecht cresceram 800%, isso por essas empresas serem amigas do governo, mas a maioria das empresa,ficaram em situao difcil e algumas fecharam as portas, o que gerou esse 14 milhes de desempregados.Contudo,no se pode confiar em dados de governos. Todos os dados de todos os governos so suspeitos..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.