Eduardo Cunha quer levar o PMDB a romper com o governo

Carolina Gonçalves
Agência Brasil

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta quinta-feira que o vice-presidente da República Michel Temer tem que deixar a articulação política do governo assim que for concluída a votação de matérias sobre o ajuste fiscal. “Michel Temer entrou para melhorar esta articulação política e está claramente sendo sabotado por parte do PT. Acho que deveria deixar a articulação política”, afirmou.

Para o parlamentar, a articulação política do governo está cada hora indo para um caminho equivocado. “Do jeito que está aqui, com o governo se misturando com o PT no mesmo mal, o PMDB deve ficar longe porque isto não está fazendo bem para o PMDB e ao mesmo tempo o governo, como está se comportando dentro da Casa, não está fazendo bem a ele”, concluiu.

As afirmações foram uma reação de Cunha às críticas de parlamentares que questionam votações polêmicas, como a que garantiu a aprovação da redução da maioridade penal a partir da votação de emendas.  A Câmara dos Deputados aprovou, em primeiro turno, no começo da madrugada de hoje (2) uma emenda substitutiva, praticamente idêntica ao texto derrubado no dia anterior (1º), e que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte.

“Isso é choro de quem não tem voto, de quem está entrando em agenda que não é da sociedade. Não é a toa que o governo está indo para 9% de popularidade e está do mesmo tamanho de quem apoia a manutenção da idade penal”, disse Cunha.

EDINHO DEFENDE TEMER

Após as declarações de Cunha, o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, disse que Temer tem “papel fundamental na governabilidade”. Edinho se encontrou com Michel Temer no gabinete da vice-presidência, e na saída, foi questionado por jornalistas sobre as afirmações de Cunha. De acordo com o ministro, o presidente da Câmara tem o direito de se posicionar e que na democracia faz-se necessário respeitar as opiniões.

“Todos que acompanham o dia a dia do governo, sabem que o governo da presidenta Dilma valoriza o vice-presidente Michel Temer. O vice-presidente Michel Temer, além da função institucional que está exercendo nesse momento, que é substituir a presidenta, ele também tem um papel fundamental na governabilidade”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGEste tipo de matéria necessita de tradução simultânea. Cunha quer forçar o PMDB a abandonar o governo para costurar o impeachment de Dilma e assumir o poder “au grand complet”, com o vice Michel Temer enfiando a cabeça na faixa, no bom sentido, de forma definitiva. (C.N.)

4 thoughts on “Eduardo Cunha quer levar o PMDB a romper com o governo

  1. Caro,Carlos Newton…Sua análise está correta. O deputado Eduardo Cunha,se credencia, a vôos mais altos….Por,sinal,marcou no meu entender,um golaço na
    tal PEC 171. Jogada de “MESTRE”,deixou nu os “sábios”juristas….
    Resto,bem, é “Jus sperniandi”,espernear… bla..bla..bla.

  2. VAI FUNDO CUNHA!

    apoiado

    ou vendo de outra forma:

    HAh CUNHAS QUE VEM PARA BEM!

    ALIAS SERVINDO PARA ESCORRAçAR OS PETRALHAS DO PODER, QUALQUER COISA VALE A PENA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *