Eduardo Leite disputará prévias sem saber se ganha ou perde votos assumindo ser gay

Ao admitir que é gay num programa de entrevistas, Eduardo Leite disparou em seguidores no Instagram - (crédito: Valter Campanato/Agência Brasil)

Eduardo Leite confirma que participará das prévias do PSDB

José Carlos Werneck

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, negou, neste domingo em Brasília, qualquer cálculo político-eleitoral em sua decisão de declarar publicamente ser  gay dizendo que precisava se apresentar “na integralidade, e não pela metade” a seu partido, o PSDB, pelo qual tentará concorrer à Presidência da República em 2022.

“Não tem nada de errado, nem é algo que mereça ficar escondido. Outros políticos têm, sim, a esconder e escondem… Rachadinha, mensalão, petrolão, superfaturamento em compra de vacinas”.

SEM NADA ESCONDER – “Entendi que era o momento de falar. Não tem qualquer cálculo do ponto de vista político-eleitoral. Aliás, nem sei quais serão os efeitos que isso terá do ponto de vista eleitoral. Talvez não sejam os efeitos positivos que muita gente possa esperar, mas tenha efeito positivo ou negativo, é o que sou, do jeito que sou, apresentado como sou. Se a população entender que eu posso apresentar um caminho, tem que ser na minha integralidade, sem esconder qualquer coisa”.

Ele reiterou que a eleição do presidente Jair Bolsonaro em 2018 foi um “erro”, mas negou que tenha apoiado a candidatura do atual chefe do Planalto porque não pediu votos em favor do atual presidente, nem fez “campanha casada” ou “misturou nome ao do candidato” – em alusão ao BolsoDoria empreendido pelo atual governador de São Paulo durante a campanha de 2018, afirmando que seu voto em Jair Bolsonaro em 2018 foi um “erro” que deverá ser analisado para não se repetir futuramente.

INTOLERÂNCIA – Nas eleições de 2018, ele declarou voto em Bolsonaro, mas hoje questionado sobre essa decisão, sobretudo pelo histórico de declarações homofóbicas do presidente:

“As declarações de intolerância do presidente no passado me pareciam naquele momento que teriam, embora preocupantes, menos espaço para se apresentarem de forma prejudicial ao País à medida que temos instituições fortes que garantiriam que a posição homofóbica dele não significasse política pública contrária a gays, lésbicas, bissexuais, ou qualquer público homossexual”, disse Leite.

“A gente tem que analisar esse erro, aprender com ele para não cometer mais esse erro no futuro”.

TERCEIRA VIA – Segundo ele, essa análise inclui trabalhar em uma “terceira via” para evitar um segundo turno entre Bolsonaro e o PT, que deve ter o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato.

Leite disse ainda que qualquer candidato da “terceira via” à

Presidência da República deveria, se eleito, se abster de buscar a reeleição em 2026. Segundo ele, o momento de extrema polarização requer “volta para o bom-senso e para o equilíbrio”. “Isso envolve desapego, desprendimento”, disse.

“Se o próximo presidente da República, viabilizado por uma terceira via, como a gente espera, for candidato à reeleição, passa no primeiro dia a ser atacado pelas duas correntes políticas que querem voltar ao governo, seja o bolsonarismo, seja o lulopetismo. É importante que a gente tenha a visão sobre serenar os ânimos”, afirmou, enfatizando que, se for o candidato do PSDB à Presidência da República e for eleito, não concorrerá à reeleição.

DECISÃO ANTIGA – Essa postura é semelhante à adotada por ele na prefeitura de Pelotas e no governo do Rio Grande do Sul, para o qual reafirmou que não buscará novo mandato, mesmo que seja derrotado nas prévias do PSDB para ser o nome do partido para concorrer ao Palácio do Planalto.

O governador do Rio Grande do Sul adiantou que, se for o candidato do PSDB ao Planalto e for eleito, não concorrerá à reeleição. A postura é semelhante à adotada por ele na prefeitura de Pelotas e no governo do Estado – para o qual ele reafirmou que não buscará novo mandato, mesmo que seja derrotado nas prévias do PSDB.

Com Eduardo Leite, devem concorrer às prévias João Dória, governador de São Paulo, Tasso Jereissati, senador pelo Ceará e Arthur Virgílio, ex-prefeito de Manaus.

15 thoughts on “Eduardo Leite disputará prévias sem saber se ganha ou perde votos assumindo ser gay

  1. O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite demostrou dignidade ao declarar sua orientação sexual. Foi um gesto de grandeza. Devo dizer que a orientação sexual é inata. Portanto, não é uma escolha. E a orientação sexual nada tem a ver com a habilidade de governança, muito menos com desgoverno ou corrupção.

    Peço ajuda aos gaúchos para que coloquem seus testemunhos e opiniões sobre o desempenho do governador Eduardo Leite, nesta TI, para sabermos se ele tem feito um bom governo no RS, uma vez que os não gaúchos não têm como avaliar o desempenho deste governador. Se o desempenho deste governador for ótimo ou bom, dito pelos gaúchos, sem dúvida, votarei nele.

    • Prezado dr. Ednei Freitas,

      Escrevi dias atrás um comentário elogiando a atitude do governador do RS, Eduardo Leite, pela sua confissão pública que é gay.

      Gesto nobre, digno, elogiável.
      Esconder-se por quê?

      Eduardo faz um bom governo.
      Sério, honesto, sem recursos e colocou o salário dos servidores do Executivo em dia!

      Não existe corrupção no seu governo.
      Falta-lhe criatividade, como de resto para qualquer governo deste país.
      Mas, é sério, honesto e trabalhador.

      Em vista dos candidatos existentes, Leite seria uma boa pedida.
      Resta saber até que ponto o brasileiro elegeria um gay ou um negro na presidência do País!

      Os americanos, surpreendentemente, já conseguiram através de Barak Obama.
      E nós?

      Abração.
      Saúde e paz.

      • Aliás, complementando o meu texto acima, mais uma vez as eleições se aproximam para presidente e não existe um postulante negro!!!???

        O último que foi ventilado para se candidatar foi o Barbosa, presidente aposentado do STF.
        De lá para cá … nenhuma lembrança.

        • Prezado Bendl,

          O ex-ministro do STF foi cogitado para candidatar-se, mas não o fez porque não quis. É um homem digno. Todavia dois fatos me fariam pensar duas vezes antes de votar nele : 1) Joaquim Benedito Barbosa Gomes não tem experiência política e nunca administrou sequer uma prefeitura e, portanto, tenho dúvidas sobre se o ex-ministro do STF tem preparo para ser chefe de Estado.

          2) Apesar de seus acertos no STF, o ex-ministro Joaquim Benedito Barbosa Gomes, durante seus votos e troca de farpas com colegas, mostrou diversas vezes agressividade exagerada e descontrole emocional. É honesto mas exageradamente impulsivo.

      • Prezado Chico Bendl,

        Ante seu depoimento, conhecedor do desempenho do governador do RS, Eduardo Leite, fico mais propenso a votar nele, se ele conseguir o respaldo para candidatar-se a presidente da República pelo colegiado do PSDB.

        Você diz que “Eduardo faz um bom governo. Sério, honesto, sem recursos e colocou o salário dos servidores do Executivo em dia!
        Não existe corrupção no seu governo. Falta-lhe criatividade, como de resto para qualquer governo deste país. Mas, é sério, honesto e trabalhador. Em vista dos candidatos existentes, Leite seria uma boa pedida”.

        Ora, se o único senão que você coloca é a falta de criatividade, isto será superado porque um presidente da República tem a possibilidade de escolher ministros sábios e honestos para os diversos ministérios, dignos procuradores para a PGR, dignos ministros para o STF, os melhores cientistas para administrar os diversos órgãos de governo, desde o IBAMA até o Ministério da Saúde, estimular as leis como a lei Rouanet para dar impulso ao teatro e ao cinema nacionais, com cérebros privilegiados que podem ser escolhidos do Oiapoque ao Chuí.

        Em tempo: O que estamos observando neste desgoverno Bolsonaro, que desdenha da Ciência e das Artes, estamos sofrendo no Brasil de uma avalanche de fuga de cérebros para o exterior, especialmente para brilhar nas Ciências e nas Artes nos Estados Unidos da América.

        Abraços,

        Ednei

  2. Não tem nada de errado, nem é algo que mereça ficar escondido. Outros políticos têm, sim, a esconder e escondem… Rachadinha, mensalão, petrolão, superfaturamento em compra de vacinas”.

    È desgovernador, outros também escondem os roubos do Metrô, Roubanel, Merendas, Sabesp, Parque do Povo, Sudam, Sudene, Proer, Sivam, Lalau, Telebrás, Petrolão, Vale do Rio Doce, Reeleição, Pasta Rosa,
    Tem mais, são centenas de milhares de denúncia do seu Partideco.
    Quem sabe na próxima entrevista o desgovernador não lembra desses lamaçais de corrupção dos desgovernos do PSBandido….

  3. Ele tinha dificuldades de falar o Português, por isso, adotou o Portugays!
    A cada dia, o pufismo fictício da TV Globo vai perdendo o impacto, ante a práxis cotidiana, de tudo que a permissividade social pode germinar!

  4. Seja gay, seja hétero, seja afro, seja índio, seja lésbica, seja lá o que for, essa condição humana, por si só, não deve ser um fator de escolha ou rejeição deste ou daquele candidato, assim como essa condição não deve servir de factoide para aplicação de mais um estelionato eleitoral na coitada da população mais quebrada do que arroz de terceira, mais sofrida do que galinha-cria-pato. Bolsonarismo, lulismo e demotucanismo já testamos e já vimos a merda que é, errar é humano e repetir o erro é burrice, embora muita gente ame o famigerado me engana que eu gosto. O fato é que o Bolsonarismo tem que desocupar a moita, e o lulismo e o demotucanismo não podem voltar, até porque, ao contrário do que diz o Leite, a polarização não se resolverá. Vale lembrar que Bolsonaro foi eleito para quebrar a polarização entre lulismo versus demotucanismo, e assim da bipolarização foi inventada a tripolarização, imposta pela ditadura partidária do continuísmo da mesmice do sistema apodrecido, mato raso e seco esse do qual jamais sairá o coelho novo que tanto necessitamos para, pelo menos, legarmos às próximas gerações algo do qual se orgulhem das nossas gerações. Daí a aposta das minhas últimas fichas na Terceira Via de Verdade, antissistema, n Nova Política de Verdade, no Megaprojeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, no novo caminho para o novo Brasil de verdade, com Democracia Direta e Meritocracia, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, porque evoluir é preciso. Enfim, “em cada cabeça uma sentença”, e a minha cabeça já está feita, depois de 40 anos de estudos sobre a política do Brasil, e, portanto, pelo amor de Deus, nem tentem me convencer a apostar em pessoas, coisa$ e coiso$ que todos sabemos implicam em gastar velas boas com defuntos ruins. Por tudo isso, e por muito mais, peço humildemente aos veteranos e às novas gerações que venham comigo, bora descortinarmos novos horizontes, alicerçados na verdade como Ela realmente é, doa em quem doer, aconteça o que acontecer, porque humanos racionais é o que somos e não sacos de batatas. E tenho dito. O Leão ruge, e o tempo urge. Nenhum dele$ tem coragem sequer para encarar o Leão num debate público honesto, e se isso não quer dizer nada, então nada mais há para ser dito, exceto apenas salientar que o bolsonarismo, o lulismo, o demotucanismo e seus puxadinho$ (1, 2, 3, 4, 5…) são dose pra Leão, a fera da revolução renovadora da Nação, a encarnação da Terceira Via de Verdade.

  5. Boa noite , leitores (as):

    Senhor Carlos Newton , Marcelo Copelli e J. Béja lembram-se do então ” ESTILISTA DEPUTADO FEDERAL CLODOVIL ” , pois é , independente da opção sexual dele , ele era ” ÍNTEGRO , HONESTO E DECENTE ” , pois vivia literalmente do produto de seu trabalho , como é público e notório , já dos seus colegas políticos de sua época e da grande maioria dos políticos atuais , com toda certeza não se pode afirmar a mesma coisa , pois são crias de ontem .
    Senhor governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite , siga o bom exemplo do então estilista Clodovil , ele nunca abril dessas virtudes de ser ” ÍNTEGRO , HONESTO E DECENTE ” , em sua vida .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *