Eleição reduz o impacto das denúncias de Palocci contra Lula, Dilma e o PT

Resultado de imagem para paloccicharges

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Deu em O Tempo

Um trecho do primeiro depoimento da delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, dos governos Lula e Dilma, tornado público na segunda-feira (dia 1º) por decisão do juiz federal Sergio Moro, trata do pré-sal. Segundo as declarações dele à Polícia Federal, no âmbito da operação Lava Jato, a descoberta das reservas de petróleo provocou “sonhos mirabolantes” no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Com a descoberta do pré-sal, o então presidente Lula começa a ter sonhos mirabolantes”, contou. “O país começava a sofrer com o efeito antecipado da chamada ‘maldição do petróleo’, um termo utilizado na economia; os próprios diretores da Petrobras começavam a celebrar novos contratos, os partidos políticos começavam a formatar seus planos lícitos e ilícitos, o governo vislumbrava um país riquíssimo e com a real possibilidade de eleger seu programa quatro ou cinco vezes, e empresários ansiosos para ganhar dinheiro com o pré-sal”, declarou.

INTERESSES – De acordo com o delator, após a descoberta dessas reservas, lançou-se a “ideia de nacionalização do projeto”. Palocci declarou que isso se deu “pelo aspecto social, de geração de empregos e desenvolvimento nacional, e para atendimento dos interesses das empreiteiras nacionais, as quais tinham ótimo relacionamento com o governo”.

“Seria muito mais fácil discutir com a OAS, Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa contribuições para campanhas eleitorais do que se tentar discutir os mesmos assuntos com empresas estrangeiras”, disse. “Havia, assim, um interesse social e um interesse corrupto com a nacionalização e desenvolvimento do projeto do pré-sal”, afirmou.

Palocci está preso desde setembro de 2016, condenado a 12 anos e dois meses de reclusão. O primeiro termo de colaboração do ex-ministro foi anexado à ação em que ele confessou os crimes. O processo se refere a supostas propinas de R$ 12,5 milhões da Odebrecht ao ex-presidente Lula por meio da aquisição de um apartamento e de um terreno onde seria sediado o Instituto Lula.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Se não estivéssemos em época de eleição, a delação de Palocci será uma bomba de muitos megatons. Não há dúvida de que a eleição está reduzindo expressivamente o impacto das denúncias de Palocci contra Lula, Dilma e o PT. (C.N.)

4 thoughts on “Eleição reduz o impacto das denúncias de Palocci contra Lula, Dilma e o PT

  1. Caro redator, bom dia. O fato do impacto ser pequeno, não seria porque todo mundo já sabia.
    Outra coisa, sobre o caso Celso Daniel, comentado acima, porque não houve reação do Partido, sobre o comentário do Álvaro Dias, em um dos debates, relacionando vários feitos, incluindo o ex prefeito, do partido mais “honesto” do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *