Em 2006, Palocci acertava o caixa dois de campanha diretamente com Lula

Resultado de imagem para palocci e lula charges

Charge do Néo Correia (Arquivo Google)

José Carlos Werneck

No acordo de delação premiada, cujo sigilo foi levantado nesta quinta-feira pelo ministro Edson Fachin, do STF, o casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura conta que Antônio Palocci intermediou os pagamentos por fora para a campanha à reeleição de Lula, em 2006, logo após vir à tona o escândalo do mensalão. Segundo contou João Santana, Lula pediu a Antônio Palocci para contratar o marqueteiro em substituição a Duda Mendonça, envolvido no mensalão. Mônica Moura, na delação à Procuradoria-Geral da República, contou que a primeira negociação com Palocci foi feita no seu escritório particular do ex-ministro da Fazenda, em São Paulo, quando ele lhe teria afirmado que parte do dinheiro deveria paga em espécie e a outra parte pela Construtora Odebrecht, pedindo que ela entrasse em contato com Pedro Novis, executivo da empreiteira.

Mônica Moura diz que o ex-presidente Lula sabia da quantia não contabilizada destinada à sua campanha, porque Palocci lhe falou, reiteradas vezes que teria que consultá-lo e ter a sua autorização por causa do alto valor envolvido. A campanha, totalizou 24 milhões de reais, sendo que 13,7 milhões de reais oficialmente e cerca de 10,3 milhões através de caixa dois.

DINHEIRO VIVO – João Santana e Mônica afirmaram que o acertado era que metade dos 10,3 milhões de reais seriam pagos por Palocci em espécie, para impossibilitar o rastreamento dos pagamentos. A outra parte seria paga pela empreiteira por transferência para contas no exterior.

Mônica informou que, entre 2006 e 2007, viajou constantemente a São Paulo para recolher o dinheiro que era entregue em caixas de roupas e sapatos por Juscelino Dourado, ex-chefe de gabinete de Palocci na casa de chá Tea Gschwendner, do Shopping Iguatemi. Os outros 5 milhões de reais foram transferidos para a conta Shellbill, na Suíça, entre os anos 2006 e 2007.

Para homologar o acordo de delação premiada João Santana e Mônica Moura entregaram à Procuradoria o extrato da conta na Suíça e uma agenda de Mônica, onde estavam marcadas as viagens para a capital paulista, jantares com Antônio Palocci e as reuniões com o seu ex-assessor.

13 thoughts on “Em 2006, Palocci acertava o caixa dois de campanha diretamente com Lula

  1. Para Reinaldo Azevedo “Sem poder apresentar as provas, que deveriam ter sido fornecidas pelo Ministério Público Federal, de que o tríplex pertence a Lula, Moro optou por uma condução da audiência que fez picadinho do devido processo legal… Moro vai condenar Lula? A sua condução da audiência indica que sim. Se nada de novo aparecer, vai fazê-lo com base na convicção formada a partir do depoimento de delatores, sem as provas. É claro que isso é um mau exemplo”
    https://goo.gl/xyR15g

    • Agora, ver seu ídolo Lula transformado em farrapo e buscar encosto e alivio lendo o que o ReinaldAzedo escreve…
      Talvez via apoio psiquiátrico, uma tomografia possam reformá-lo, que trazer os textos ultrajantes do Recalcado Azedo para a TI realmente denota séria psicose e profunda desorientação!

      Úuh!!! ReinaldAzedo é a lei vigente no Brasil, úuh!

      Atenha-se! a paciência…
      Há provas de sobra, e Lula vai pegar uns bons anos de prisão.

    • Reinaldo Azevedo está muito estranho. Aliás, já são e´muito estranho seus comentários.
      Quem sabe ele advoga para Lula?
      Se sabe tudo, está perdendo tempo e dinheiro.

  2. Lula afirmou ao juiz Moro que nunca perguntou nada sobre o roubo na Petrobras a Vaccari. Perguntado por que não, ele disse que não era tesoureiro do PT e portanto não havia motivo de se intrometer na administração dos negócios do PT (usou outras palavras). Agora vem a contradição: ele confirmou que se encontrou com o Renato Duque, num hangar de aeroporto, através do Vaccari, para saber se o Renato Duque tinha contas no exterior conforme alegado pela lava-jato. Neste caso ele estaria preocupado com a conta do Renato Duque! A versão do Duque é outra: o Lula queria que ele limpasse contas no exterior que o comprometessem.
    O cara perdeu feio e vai para a cadeia.

    • Sapo de Toga
      Na verdade, TODOS OS LADRÕES PEGOS (AINDA FALTAM MUITOS) estão denunciando o esquema. e entregando o chefe.
      Ora, um roubo deste tamanho acontecendo e só o Lula não sabia?
      Vão acabar conseguindo um atestado de débil mental para ele. E vá que cole!
      Pode ser declaro incapaz – não sabia o que fazia e continua não sabendo.
      Só um merda de homem joga fora sua vida, sua história e seus valores desta forma.
      Se dissessem isto de Cristo, Moisés, Buda\, Gandhi e mais algumas figuras sérias e eternas, vá lá. mas de Lula, o boçal?
      Estou começando a perder a paciência. E se isto acontecer, vou a Curitiba resolver esta parada. (brincadeira).
      Abraço e saúde.
      Fallavena

  3. De Reinaldo Azevedo antes do depoimento se tornar público:

    A menos que o juiz tenha esmagado o depoente ou, sei lá, vencido o embate verbal ainda que por pontos, resta evidente quem venceu a batalha desta quarta-feira. Seu nome: Luiz Inácio Lula da Silva.

    Adiante, direita xucra! Eu adoraria ter estado errado esse tempo todo, mas estava certo, não é?

    https://goo.gl/4sgxLH

  4. Do equilibrado Kennedy Alencar:

    Do ponto de vista da estratégia que se propôs a executar, o ex-presidente Lula teve um desempenho mais positivo do que negativo na comparação com Moro.

    Havia toda uma expectativa de que o Ministério Público e Moro emparedariam Lula. Mas não foi isso o que aconteceu ao se analisar a íntegra do depoimento.

    Na parte sobre a indicação de diretores, há um confronto entre Lula e Moro, que, se levado às últimas consequências, criminalizaria toda a formação de governos de coalizão com base na Teoria do Domínio do Fato.

    Nesse sentido, o resumo do depoimento é mais positivo do que negativo para Lula.

    https://goo.gl/C6phYa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *