Em 2008 j se sabia que as naes indgenas brasileiras queriam se declarar independentes

O sempre presente comentarista Jos Guilherme Schossland garimpou na internet um excelente artigo publicado em 2008, demonstrando que h vrios anos as lideranas indgenas, apoiadas pelas ONGs internacionais e por entidades como o Conselho Missionrio Indigenista (CIMI) vem usando a Conveno 169 da Organizao Internacional do Trabalho visando a dar independncia s naes indgenas brasileiras.

Esta iniciativa no passou assim to despercebidamente na poca. Houve at um editorial do Estado condenando o gravssimo erro diplomtico do Itamaraty (governo Lula, com Celso Amorim de chanceler). Mas a grande imprensa continua totalmente omissa em relao a esse movimento para fracionar o territrio nacional, especialmente a Amaznia.

http://www.funai.gov.br/ultimas/noticias/2_semestre_2004/Outubro/un1028_002.htm

Adendos em: http://www.brasilacimadetudo.com/2008/11/balcanizacao-indigenista-avanca-mais-um-passo-no-brasil/

###
BALCANIZAO INDIGENISTA AVANA MAIS UM PASSO NO BRASIL

Nilder Costa

O editorial da dia 14 do jornal O Estado de So Paulo, intitulado Atentado s unidade nacional, analisa com certa perplexidade a exigncia do aparato indigenista internacional, feita em seminrio realizado Braslia, de lei que regulamente a plena implementao poltica e judicial da Conveno 169 da Organizao Internacional do Trabalho (OIT), da qual o Brasil signatrio.

Para quem no se recorda, a Conveno 169 da OIT um dos principais mecanismos jurdicos engendrados pela internacional indigenista para transformar povos indgenas e tribais em Estados independentes. No Brasil, a Conveno foi aprovada em 1999 pela Comisso de Relaes Exteriores e Defesa Nacional, do Senado, e pela Cmara de Deputados em 2003.

Seus defensores dizem tratar-se de uma simples reviso da conveno anterior da OIT, a de nmero 107, ratificada pelo Brasil em 1966, o que falso. Na 169, o esprito integracionista original foi substitudo pelo autonomista, como pretendido pelo indigenismo internacional, estabelecendo as condies para dar existncia s autonomias e autodeterminao das comunidades indgenas, primeiro passo para o surgimento de naes indgenas e posterior introduo do esprio artigo de plurinacionalidade, amplamente rejeitado na Constituinte de 1987.

O seminrio, realizado nos ltimos dia 10 e 11 em Braslia sob o ttulo Oportunidades e desafios para a implementao da Conveno 169 da OIT sobre povos indgenas e tribais em pases independentes, foi organizado pelo Instituto Socioambiental (ISA) e pela Comisso Pr-ndio de So Paulo (CPI-SP), dois expoentes da antropologia da ao no Brasil, e abertamente patrocinado pela Unio Europia, Oxfam (Oxford Comitee for Famine Relief), RFN (RainForest Foundation da Noruega) e outras entidades quase-governamentais do exterior.

Ressalte-se que tanto a CPI-SP quanto o CEDI (Centro Ecumnico de Documentao e Informao), antecessor do ISA, foram entidades seminais para a incluso, na Constituio de 1988, do conceito de autonomia para os povos indgenas em lugar do conceito de integrao que norteara todas as Constituies brasileiras anteriores.

Oportunisticamente, a senadora e ex-ministra Marina Silva, recentemente galhardoada com medalha do WWF pelo prncipe Phillip, j se candidatou a ser a autora do projeto de lei destinado a regulamentar a Conveno 169.

8 thoughts on “Em 2008 j se sabia que as naes indgenas brasileiras queriam se declarar independentes

  1. ONGs estrangeiras podem muito bem defender interesses estrangeiros. Estou certo disso. Alguns pases j as expulsaram por interferirem em seus assuntos internos. Mas, o CIMI vinculado CNBB, visivelmente bispos brasileiros da Igreja Catlica. Ser que pregam a balcanizao assinalada? Por que no ouvir o que eles tm a dizer sobre essa acusao de independncia para favorecer interesses estrangeiros?

  2. Os ndios querem se tornar independentes por que o Brasil faz muito pouco por eles. como aquele jogador que recusou jogar na seleo brasileira para jogar na seleo de outro pas. Assim como os EUA, temos ao, petrleo, eletricidade( ventos, rios, sol, bio-massa),um vasto territrio e litoral. Infelizmente temos uma eleite empresarial medocre,que no se arrisca; uma elite poltica plutocleptocrtica, que vive como parasita do Estado, se alia com a medocridade empresarial para superfaturar obras, cartelizar,monopolizar, grilar terras, devastar a mata para explorar madeira de lei,implantar monocultura de soja, criar gado, favorecer multinacional. O judicirio desorganizado, administrado por juzes que se comunicam mal com o povo, pernsticos , inuteis diante de tanta demanda por justia,mas os salrios so fora da realidade do povo brasileiro. a herana maldita da ditadura que usou o Executivo para corromper o legialativo e o judicirio, para poder oprimir e castrar o povo. Odebrecht e Habib’s( rede brasileira de fast-food). Odebrechet, filhote da ditadura que tudo domina, at jogos do maracan explora. Habib’s empresa de sucesso devido ao empreendedorismo competente de seu criador, um empresrio que prova que no Brasil tem empreendedor competente, uma de suas concorrentes o MC Donald’s. Tanta oportunidade nas reservas indigenas e nenhum grande empresrio prope nada,nenhum poltico prope nada, nenhum juiz prope nada. Isso eu quero ver: Cacique, eu tiro a cassiterita, fao uma siderurgica, transporto o produto pelo rio at o grande centro, do lucro te pago tanto, conforme a lei proposta pelo Congresso. Las Vegas fica dentro de uma reserva indigena, os indios recebem royalties dos cassinos. Falta-nos capilaridade, empreendedores para grandes projetos de infraestrutura para que as riquezas brasileirras sejam desfrutadas pelo povo brasileiro incluindo os ndios, propostas positivas..

  3. SEGUE LETRA A N T I G A D E M S I C A D E C A E TA NO , UMA PROVA DE NOSSA INDOLNCIA, PORQUE DE L PARA C NADA FIZEMOS.

    Ser que nunca faremos
    Seno confirmar
    A incompetncia
    Da Amrica catlica
    Que sempre precisar
    De ridculos tiranos
    Ser, ser, que ser?
    Que ser, que ser?
    Ser que esta
    Minha estpida retrica
    Ter que soar
    Ter que se ouvir
    Por mais zil anos…

    Enquanto os homens exercem
    Seus podres poderes
    ndios e padres e bichas
    Negros e mulheres
    E adolescentes
    Fazem o carnaval…

    Queria querer cantar
    Afinado com eles
    Silenciar em respeito
    Ao seu transe num xtase
    Ser indecente
    Mas tudo muito mau…

    Ou ento cada paisano
    E cada capataz
    Com sua burrice far
    Jorrar sangue demais
    Nos pantanais, nas cidades
    Caatingas e nos gerais
    Ser que apenas
    Os hermetismos pascoais
    E os tons, os mil tons
    Seus sons e seus dons geniais
    Nos salvam, nos salvaro
    Dessas trevas e nada mais…

  4. falsa e desonesta a “acusao” que o CIMI – Conselho Indigenista Missionrio, rgo pastoral vinculado Conferncia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) atue junto s populaes indgenas com propsitos autonomistas e/ou separatistas. O texto cita um tal Conselho Missionrio Indigenista… Estranho n!

  5. Renato Lima, excelente comentrio. Herana da ditadura, pelo fato de s permitir,
    que continuasse no quadros da poltica brasileira: corruptos e vendilhes da ptria.
    Ha um processo para transformar o Brasil em colnia das grandes potncias:
    vende-se a empresas estratgicas e monoplios a iniciativa privada nacionais e
    estrangeiras, enfraquece-se as Foras Armadas, e agora, culminando com as exigncias
    indgenas, com apoio de ONGs estrangeiras, baseadas nesses acordos sorrateiros,
    dissimulados, que o governo aceitou por ingenuidade ou m f.
    Pelo andar da carruagem, no vejo um futuro bom para o Brasil.

  6. H alguns anos, o Canada teve o mesmo problema com as na?es indgenas (que aqui so chamadas de “First Nations”) e o resolveu criando um novo estado (ou “province”) chamado “Nunavut”.

    Fim da crise.

    Porque o Brasil no faz o mesmo ?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.