Em ano eleitoral, há evidente sentido político na difamação de Marielle Franco

Resultado de imagem para marielle

Marielle tinha forte atuação nas comunidades

Flávia Oliveira
O Globo

Não é novidade a quem acompanha episódios de violência de gênero tropeçar em episódios de revitimização. São boatos, comentários e injúrias plantados por indivíduos interessados em despejar nas vítimas a culpa pelo crime sofrido. O Brasil enfileira casos. Assassino de Ângela Diniz, Doca Street usou a legítima defesa da honra para se defender do homicídio da então mulher, em 1976. Na década seguinte, o esquadrão da moralidade cínica comentava que a jovem Mônica Granuzzo, violentada e atirada de uma janela de um prédio da Zona Sul carioca, estaria viva se abraçasse o recato, em vez de confiar no homicida sedutor.

Neste século, houve quem tentasse atenuar o estupro coletivo sofrido por uma adolescente de 16 anos numa comunidade da Praça Seca.

JÁ ERA ESPERADO – Num ambiente em que é comum mulheres serem responsabilizadas pela brutalidade que sofreram, era de se esperar que o coro de caluniadores seguisse a execução da quinta vereadora mais votada da capital fluminense. Não bastasse o corpo abatido, Marielle Franco teve a imagem maculada por mentiras 24 horas após o crime que comoveu o Rio de Janeiro, o Brasil e boa parte do mundo.

Afora o machismo, há sentido político na difamação. O crime bárbaro da quarta-feira, 14 de março, chamou atenção da população para o discurso dos defensores dos direitos humanos e do estado democrático de direito. Mataram uma vereadora, negra, nascida na favela, mãe, dedicada à agenda de valorização da vida de quem quer que seja — pobre, preto, policial, classe média.

EXTREMISTAS – A execução sensibilizou os que, até então, pareciam surdos à necessidade de estancar a epidemia homicida, que vitima mais de 60 mil brasileiros por ano e ceifou as vidas de Marielle Franco e Anderson Pedro Gomes.

Restou aos extremistas do campo político oposto plantar informações falsas para levar os neoindignados de volta à apatia. Como escreveu o jornalista Leonardo Sakamoto em seu blog no “UOL”: “Grupos temem que a reação catártica à execução (de Marielle Franco) possa ajudar a mudar o balanço de forças sociais, reduzindo o espaço das milícias de extrema direita na construção de significados coletivos… E isso tem inequívoca influência nas eleições gerais de outubro”.

Que daqui em diante fiquemos alertas à maldade. O antídoto é simples: desconfiar de conteúdos apócrifos, ainda que reproduzidos por pessoas conhecidas, e não compartilhar informações sem verificar a confiabilidade das fontes. Difundir calúnia é crime.

61 thoughts on “Em ano eleitoral, há evidente sentido político na difamação de Marielle Franco

  1. …. Ontem – Marielle Franco – Amanhã ….

    Do que, ou de ‘Quem’ estão desviando totalmente a atenção, nesse momento??

    Que diacho o governo estará surrupiando pra ficarem nesse tititi da vereadora morta ???
    Passadas 72 horas, já subiu aos céus!

    240 BANDIDOS , no mínimo, empoderaram-se do Governo fracassado do PT, em Brasília, neste exato momento!

    Mais 240 MILHÕES DE BRASILEIROS sendo enrolados…

    Olha o foco, Brasil! De lenga lenga não se chega á lugar algum…
    Muito menos descer a tomatada no Gilmar Bagre Mendes , como fizeram hoje em SP…

  2. Fico supresa pelo jornalista da globo ,falar em plantar mentira, como essa organizaçao fez e faz no Brasil até hojé , ex Fernando Henrique, collor, sarney , lula e dilma,e quando tinha o regime militar também , lembrar das diretas já ,o que fez a globo, estaõ com medo do bolsonaro.

    • Mas e o princípio da igualdade? Não deveria valer para toda e qualquer denúncia? Afinal o PSOL não é entidade particular…

  3. Irretocável o artigo do Dr. Beja sobre o tema em post anterior, daí a repetição do nosso comentário face à importância do assunto, que merece mais tempo na berlinda por parte do editor para que com um debate mais intenso sejamos mais úteis ao esclarecimento dos fatos. Os gestores do Estado tem que ter consciência das consequências dos seus atos, ações e omissões. Há muito tempo defendo a tese de que em sendo a vida um bem juridicamente tutelado pelo Estado, este tem o dever de impedir o seu extermínio, e caso aconteça, inclusive por escassez ou ineficiência da segurança pública, todas as mortes nas condições citadas no artigo do Dr. Beja têm que ser indenizadas pelo Estado. Ademais, essa “estória” do furto das balas, que seriam chapas-brancas, com desmentidos subsequentes, está muito mal contada, e não serve de álibi para isentar possível envolvimento de agente estatal no fato, direta ou indiretamente, pelo contrário, equivale a confissão de culpa no sentido amplo, no criminal ou pelo menos no cível. Por outro lado, Marielle era uma servidora pública, e foi executada no exercício das suas funções, de modo que, nesses casos, penso eu, assim como na execução de policiais em serviços, ou emboscados à paisana, os assassinos devem pagar por tais crimes hediondos com a pena de morte. Por mais que eu tenha sido a vida inteira contra a pena de morte, nesses casos, de execuções contra agentes do Estado em serviço, a pena de morte contra os assassinos me parece a medida certa de Justiça, extensivo aos crimes praticados contra pessoas comuns nas mesmas condições em que Marielle e Anderson foram executados. No caso, ao que parece, os assassinos conheciam muito bem o local como se dele fossem, escolheram a dedo o local da execução, sabiam que ali não tinha câmeras vigilância filmando-os, e que tinha amplas rotas de fuga. Logo, a segurança pública do RJ tem que encontrar os assassinos rápido, antes que mais esses dois homicídios bárbaros acabem sendo postos tb na conta da PM do RJ, como, aliás, disse Marielle em relação à morte de um garoto que havia acabado de sair de dentro de uma igreja no RJ, na véspera da sua própria morte. Vamos lá segurança pública do RJ, empenho total no rápido esclarecimento do caso, é o que o Brasil inteiro, e o mundo, estão esperando dos Senhores e Senhoras, responsáveis pela segurança pública do RJ.

    • Repito o comentário do senhor Luiz.

      “Por outro lado, Marielle era uma servidora pública, e foi executada no exercício das suas funções, de modo que, nesses casos, penso eu, assim como na execução de policiais em serviços, ou emboscados à paisana, os assassinos devem pagar por tais crimes hediondos com a pena de morte. Por mais que eu tenha sido a vida inteira contra a pena de morte, nesses casos, de execuções contra agentes do Estado em serviço, a pena de morte contra os assassinos me parece a medida certa de Justiça, extensivo aos crimes praticados contra pessoas comuns nas mesmas condições em que Marielle e Anderson foram executados.”

      -Agora, se todos os parentes dos mortos pela omissão do Estado Brasileiro forem receber indenizações…

    • E caso se torne deputada, qual é o problema ? Vai dar continuidade ao trabalho da irmã. E o mínimo que o RJ pode fazer é torná-la a deputada mais votada do Brasil, em homenagem póstuma à irmã executada em serviço, lutando o bom combate, expondo-se a riscos, em favor de oprimidos, fazendo jus à votação que recebeu nas urnas. Será uma resposta bastante significativa aos facínoras que calaram a voz da guerreira carioca, do tipo: ” vocês podem destruir uma rosa, ou um cravo, mas vocês não irão conseguir deter a Primavera Brasileira “.

  4. Este país é um PARAÍSO PARA QUEM É BANDIDO!

    “Há quase dois anos em penitenciária do Paraná, ex-senador do DF, condenado a 11 anos e 8 meses, tenta abater a pena com a leitura de clássicos, como Viagem ao Centro da Terra e o Velho e o Mar, e cursos de mestre de obras e eletrônica básica.

    Gim Argello já conseguiu abater 80 dias da pena lendo livros. Na lista apresentada à Justiça constam clássicos das literaturas brasileira e mundial. Ao todo, foram 20 obras lidas atrás das grades. Entre os títulos, estão O Seminarista, de Bernardo Guimarães, O Quinze, de Rachel de Queiroz, A Hora da Estrela, de Clarice Lispector e O Santo e a Porca, de Ariano Suassuna. Gim também informou ter lido Dom Supremo, de Paulo Coelho, Senhora, de José de Alencar e o conto A Missa do Galo, de Machado de Assis.

    Entre títulos estrangeiros, aparecem O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway, Viagem ao Centro da Terra, uma das maiores referências da ficção científica, de Júlio Verne, e a novela O Exército de um Homem Só, de Moacyr Scliar.

    De acordo com a legislação, para cada livro lido, o detento consegue abater quatro dias de pena. Mas, para comprovar a leitura, é preciso redigir uma resenha sobre a obra.” (Correio)

  5. Sem eu querer magoar quem quer que seja, mas há muito confete e serpentina até agora com esse crime do assassinato da Marielle, e praticamente nada de resultado.
    Sequer existe um suspeito, pelo menos oficialmente.

    Missas, homenagens, cultos, reuniões, passeatas, a vereadora partiu, logo, esses movimentos deveriam se concentrar em exigir das autoridades rapidez na elucidação desse crime.

    A pressão deve ser constante, e se Marielle estiver vendo que o povo quer saber sobre o assassinato, ela deverá seguir o seu caminho satisfeita.

    Portanto, a minha sugestão é menos reverência à morta, porém muito mais atitude contra o governo estadual e federal, no que diz respeito ao esclarecimento desse crime hediondo, assim como deve fazer o mesmo pelos milhares de mortos do mesmo jeito anteriores à vereadora.

    Se o governo não se sentir devidamente cobrado, exigido, pressionado, repito, este assassinato ficará IMPUNE!!!

      • Paulo2,

        Precisa ser levado em conta que um ataque deste tipo deixa o bandido muito nervoso.

        O objetivo do assassino é a vítima escolhida, e se outros mortos surgirem no entrevero, acredito que tenha sido efeito colateral, como se diz.

        Logo, a assessora ficou viva porque não estava na lista, não era o objetivo.

        Outro detalhe:
        A vereadora estava sentada atrás do carro, no lado direito.
        O motorista, na frente e do lado esquerdo.
        Os tiros disparados foram em diagonal, então a morte do motorista em consequência, pois ele foi morto com tiros nas costas.
        A assessora, também declarou que se abaixou, sobrevivendo a alguma bala que se desviasse do alvo, a vereadora.

        Consideremos, Paulo2, que não se trata de terem deixado uma testemunha viva, pois os vidros do carro eram escuros, era noite, portanto dificilmente a assessora iria identificar quem quer que seja até porque se abaixou na hora, impedindo que visse o rosto de alguém.

        É o que penso, meu caro.

        Um abraço.
        Saúde e paz.

    • De janeiro de 2016 até hoje somam 2 anos mais 77 dias.
      Nesse período de dois anos mais um pouco, 770 policiais foram baleados no Estado do Rio de Janeiro, dos quais 275 não resistiram e vieram a óbito.

      É justo que poucos percebam a gravidade desse problema?

      Durante todo esse período, dá uma média de 1 policial baleado por dia e 1 morto a cada três dias.

      E a matança não para.
      Hoje, mesmo, 3 policiais foram baleados e 1 deles morreu.

      Fonte: Pauta do Dia – Jornalismo Policial – Roberta Trindade.

  6. Morreu fato consumado, agora segue o juízo, e temos que esperar o resultado caso tenha algum. Essa exploração cadáver vai até quando.

  7. A título de ilustração e não comparação porque não haveria como, os 242 mortos no incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, RS, não envolveu político algum do município, sendo que o principal elemento que deveria ir preso seria o prefeito!

    Junto com ele seus secretários de segurança, obras …

    Jovens, alegres, universitários, o país perdeu 242 deles pela irresponsabilidade das autoridades, que jamais fiscalizaram o local que recebia mais de mil pessoas a cada fim de semana!

    Duvido que mesmo o Planalto (Temer), seu fantoche e ridículo ministro da Segurança, se viriam para a frente dos holofotes confessar que existe gente importante envolvida.
    Certamente fariam manobras para recair sobre Braga Netto, calmo e risonho, sem a cara de brabo necessária para esta missão, a culpa pela violência e assassinato.

    • Em Bagé, tanto o Lula quanto o PT e MST não foram bem recebidos.
      Houve até pancadaria.

      Se o meu RS sempre encabeçou as revoluções no Brasil, e a sua história se mistura com a brasileira, quem sabe não inicie no Sul um movimento de repúdio ao PT, exigindo a condenação do ladrão e genocida?!

      A quadrilha petista estava presente:
      Pimenta, Gleisi, Tarso, Pont, os aduladores, bajuladores, que não saberiam viver sem a sombra do chefe, do líder dos bandidos.

      Inclusive a figura asquerosa de Tarso, canalha, safado, que devolveu os atletas cubanos que nos pediram asilo político para o seu amo e senhor Fidel, onde ia várias vezes à ilha cheirar os peidos do ditador, e concedeu esta condição para o assassino Batistti.

      Não bastasse esse ultraje, o porco imundo ainda condecorou o monstrengo em pleno Palácio Piratini!

      Pois este é o PT, uma quadrilha de ladrões, assassinos, estelionatários e traidores!

      Olívio, o pinguço, na sua posse de governador, teve a bandeira de Cuba desfraldada no evento, menos a do Rio Grande e brasileira.

      Mais adiante, trouxe o fedorento e marginal, ativista e porco, o francês Bové, que destruiu lavouras que serviam para pesquisas no RS!

      Ah, e mandou a Ford embora, então cunhado de O exterminador do Futuro, pelos gaúchos.

      Seguindo a tradição, Lula e Dilma roubaram o país e povo de cabo a rabo, logo, os protestos que receberam em Bagé, e que poderiam ter sido bem mais contundentes.

    • Com a Democracia Direta, com Meritocracia, não existirá mais na política deste país essa coisa feia, essa rivalidade histérica, idiota, do mais baixo nível, esse espetáculo degradante, que atingiu as raias da demências, entre irmãos divididos entre direita, esquerda e centro, oposição e situação. Lamentável.

  8. O sargento Rogério Lima dos Santos, de 37 anos, morreu nesta tarde em um confronto com criminosos no morro da Caixa d’Água, em Queimados, na Baixada Fluminense.

    Santos, que era solteiro, estava na corporação havia 18 anos. É o 28º PM morto no estado do Rio apenas neste ano.
    Oantagonista.

    Um pai de família em ofício de função combatendo o que o PSOL defende. A ruptura está próximo.

  9. Como já disse, muito assunto pra pouco fato

    O que esta vereadora tem de tão fabuloso que a diferencie de dezenas de cidadãos que são assassinados todos os dias, em todas as localidades desse país sem que dediquem uma única pagina na internet

    Enquanto isso, os traidores vão apertando o laço no pescoço da população mais imbecil do planeta, em todos os tempos…

    Priorizem as urgências descartem as quinquilharias

    sanconiaton

  10. A boa e velha esquerdinha sempre teve como tática fundamental destruir aqueles que atravessam seu caminho rumo ao poder absoluto, desde a Russia em 1917 a agora na Venezuela, assassinando suas reputações, quando não fisicamente, mas sempre santificando seus pares.
    Me engana que eu gosto.

  11. Acho justo que a irmã se candidate para herdar seu legado e continuar a luta. Pelo tempo passado, está ficando difícil. Assim como vários vereadores e candidatos assassinados na baixada fluminense. E o Gim, virou leitor de clássicos? Que coisa, hein!

  12. PSOL é contra a reforma trabalhista, mas o motorista não era registrado. Fazia bicos. Imagina se fosse o motorista do Bolsonaro!

  13. O APARELHAMENTO PARTIDÁRIO-IDEOLÓGICO-ELEITORAL DAS INSTITUIÇÕES ( PELA DIREITA, ESQUERDA E CENTRO) É UM DOS GRANDES CÂNCERES DA REPÚBLICA 171, gerado pelo partidarismo eleitoral, o golpismo ditatorial e seus tentáculos, velhaco$, forjada e protagonizada pelos dito$ cujo$, que perfazem o $istema político podre e a plutocracia putrefata dos me$mo$, com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia, fantasiada de democracia, bancados pelo capital e o establishment financeiro velhaco$, que mantém a política, o estado, o mercado e a população capturados, dominados e manipulados por bandidos mancomunados, dos quais somos todos dependentes, vítimas, reféns, súditos e escravos, e dos quais urge nos libertarmos, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, com Democracia Direta e Meritocracia Eleitoral, para que possamos eleger uma nova classe política com autoridade moral, independência, coragem e sabedoria para colocar os pingos nos is, e o guizo nos gatos e gatas no cio e fora das suas caixinhas. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2018/03/19/desembargadora-ofendeu-portadores-de-sindrome-de-dom

  14. Infelicidade total para a família perde varias vezes pela morte física e pela morte moral que vem acontecendo dos dois lados tanto direita quanto esquerda, a esquerda está assustada pelo grito da direita no mesmo tom e mesma altura, e com os mesmos argumentos.
    Quem subiu no caixão para fazer discurso foi a esquerda.
    Conforme já dizia João Bosco
    Tá lá o corpo
    Estendido no chão
    Em vez de rosto uma foto
    De um gol
    Em vez de reza
    Uma praga de alguém
    E um silêncio
    Servindo de amém…

    O bar mais perto
    Depressa lotou
    Malandro junto
    Com trabalhador
    Um homem subiu
    Na mesa do bar
    E fez discurso
    Prá vereador…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *