Em Belo Horizonte, projeto de lei prevê placas para indicar áreas de alta criminalidade

Joana Suarez
O Tempo

Quem mora ou circula constantemente em Belo Horizonte certamente já viu uma daquelas placas que indicam as áreas de risco de inundações na capital mineira. Pois a ideia pode ser copiada. Um projeto de lei (PL) prevê que uma sinalização semelhante seja instalada na cidade, mas dessa vez para alertar a população sobre regiões de alta criminalidade. Se sua rua tiver um grande número de roubos, por exemplo, lá vai estar o aviso de perigo.

O objetivo do PL 894/2013, apresentado no último dia 4, na Câmara Municipal, é reduzir os índices de crimes violentos na capital. Porém, especialistas acreditam que as placas só aumentariam a sensação de insegurança da sociedade e não resolveriam o problema.

A proposta do vereador Delegado Edson Moreira (PTN) prevê que a prefeitura solucione em definitivo as ocorrências de crimes no local indicado em até 60 dias após a instalação da placa. Além disso, dois guardas municipais seriam deslocados para proteger os lugares durante esse período. “A ideia surgiu a partir das placas de risco de inundação. As pessoas também precisam estar informadas sobre a insegurança daquele local”, explicou o vereador. Segundo o projeto, os locais seriam indicados pela própria população através de abaixo-assinado dos moradores, dados estatísticos ou matérias jornalísticas.

FALTA ESTATÍSTICA

Um dos problemas que a ideia poderia enfrentar é que a Secretaria de Estado de Defesa Social não divulga índices de criminalidade por bairros, apenas ocorrências em toda a cidade. Em novembro último, de acordo com os dados da Seds, a capital registrou 2.801 roubos – 93 por dia – e 70 assassinatos. O PL prevê que a prefeitura faça convênio com o Estado para reduzir os crimes. Procurada, a Seds não deu retorno sobre o assunto.

Para o sociólogo da PUC Minas Robson Sávio, a proposta iria aumentar a sensação de medo das pessoas. “O crime é dinâmico. Em pouco tempo ele muda de lugar, e a placa não faria mais sentido. Ele tem que ser monitorado e solucionado pela segurança pública e não com placas”, defendeu.

A opinião é compartilhada pelo pesquisador do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp/UFMG) Frederico Couto Marinho. “Não faz o menor sentido esse tipo de sinalização. É muito mais útil que o Estado divulgue informações estatísticas para a população sobre índices em cada bairro”, destacou.

FRASES DE EFEITO

– A sinalização deverá ser feita utilizando frases de efeito que chamem a atenção da população de que o local possui alto índice de criminalidade, e relatar os tipos de crimes ocorridos na área.

– Os interessados podem solicitar ao Executivo a instalação das placas.

– Deverão ser usadas faixas em caráter provisório até que a permanente seja providenciada.

– O Poder Executivo enviará um relatório mensal contendo a identificação dos locais, devendo ainda informar quem as solicitou e as providências que foram tomadas.

 

5 thoughts on “Em Belo Horizonte, projeto de lei prevê placas para indicar áreas de alta criminalidade

  1. Caro Jornalista,

    O governo não precisa ter este gasto a mais:
    -Segundo um conhecido meu, que trabalha na área imobiliária aqui do Distrito Federal (eufemismo para a palavra”grileiro, invasor de terras públicas”), se você quiser saber se o local onde pretende morar é perigoso ou não, antes de você comprar um lote verifique A QUANTIDADE DE IGREJAS EVANGÉLICAS da quadra!

    Quanto mais igrejas evangélicas existir no local, maior será o índice de criminalidade dali!

    E sabe que ele tem razão? O número de assaltos e homicídios é infinitamente maior na cidade-satélite de Ceilândia, onde existe uma igreja em cada rua, do que no Lago Sul ou Plano Piloto, onde elas são raras…

    Abraços.

  2. Isso me parece uma maneira de passar ao cidadão a responsabilidade pela sua segurança, mas sem lhe dar os meios para isso. Em vez de policiarem as áreas perigosas e prenderem ou afastarem os assaltantes, vão nos avisar para não irmos lá? O passo seguinte vai ser, quando um cidadão chegar a uma delegacia para regisrar uma ocorrência, ouvir o famoso “Eu te avisei”?

  3. Estas placas vão divulgar muito bem a Imagem do Brasil, na mídia internacional, antes, durante e depois da Copa de 2014.

    As Vossas Excelências não conseguem resolver o problema para o qual foram eleitas e, como sempre, procuram uma saída alternativa colocando a responsabilidade no cidadão ordeiro e trabalhador.

    Imagino eu na delegacia para registrar uma ocorrência e o policial perguntar se no local ou próximo existam placas indicando a área de alta criminalidade.

    Se eu disser que sim, ele poderá me responder que devido ter placas de sinalização de criminalidade na área o cidadão sabia que estava por sua conta e risco, e que devido a isso não poderá efetuar o Boletim de Ocorrência por que vai alterar as estatísticas de criminalidade da cidade.

    Chego a conclusão:

    Tá Todo Mundo Louco
    Silvio Brito

    Essa música foi feita
    Num momento de depressão
    Eu tava com papo cheio
    Com raiva da vida
    Com raiva de tudo
    Fiz essa música
    Prá encher o papo
    De todo mundo…

    É uma música sem graça
    Sem métrica, sem rima
    Sem ritmo
    Com muitos erros de português
    Agora ninguém tem nada com isso
    Porque a música é minha
    Eu faço dela o que eu quiser…

    Eu fiz tudo prá não fazer
    Um plágio mas ela saiu
    Muito parecida
    Com a música do Raul Seixas…

    Oh mas não tem nada não
    Porque não foi feita
    Prá fazer sucesso
    Nem prá ser apresentada
    Em um programa de televisão…

    Eu até coloquei
    Uma frase em inglês
    Prá valorizar a música
    “I Love You”
    É uma dessas músicas chatas
    Enjoada e sem graça
    Que a gente faz
    Prá participar de festival…

    Você que tá ouvindo
    Essa música
    Num tem nada com isso
    Deve tá me achando
    Um chato, enjoado
    Não liga “prisso” não!
    Não liga “prisso” não!
    Não liga “prisso” não!
    É a cabeça irmão…

    É a cabeça irmão
    É a cabeça irmão
    Mas que depressão!
    É a cabeça irmão
    É a cabeça irmão
    Mas que confusão!
    É a cabeça irmão
    É a cabeça irmão
    Desafinação!
    É a cabeça irmão
    É a cabeça irmão…

    Tá Todo Mundo Louco!
    Oba!…(6x)

    Tube ri din din, din din!
    Tube ri din din, din din!

    Tudo está ficando diferente
    Ninguém vê!
    Já estou cansado
    De ouvir você dizer:
    Que eu não sei fumar
    Que eu não sei beber
    Que eu não sei cantar
    Aquilo tudo
    Que você adora ouvir
    E eu não sirvo prá você
    Por que?
    Eu não sei cantar inglês
    Por que?
    Eu não sei cantar inglês
    Ran!…

    Tá Todo Mundo Louco!
    Oba!…(6x)

    Tube ri din din, din din!
    Tube ri din din, din din!

    Já não compreendo
    A razão do desamor
    Nem entendo porque
    Ninguém fala mais de amor
    Você me traiu
    E disse que é normal
    Um a um todos irão por certo
    Acompanhar a evolução
    E quase que eu fiquei prá trás
    Por que?
    Fui querer ser bom rapaz
    Por que?
    Fui querer ser bom rapaz
    Ran!…

    Tá Todo Mundo Louco!
    Oba!…(9x)

Deixe uma resposta para Guilherme Almeida Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *