Em cada cinco brasileiros, um já “bloqueou” parente ou amigo por causa da política

Resultado de imagem para nos contra elesCHARGES

Charge do Nani (nanihumor.com)

Deu no Correio Braziliense

Uma pesquisa do Instituto Datafolha mostra que a polarização política, mesmo um ano depois da eleição presidencial, segue provocando rusgas nas relações pessoais. Segundo o levantamento, realizado entre 5 e 6 de dezembro com 2.948 pessoas em 176 cidades brasileiras, um (19%) a cada cinco brasileiros deixou de seguir ou bloqueou o perfil de um amigo, familiar ou empresa por discordar de posições políticas.

Além disso, uma (27%) a cada quatro pessoas saiu de algum grupo do WhatsApp para evitar discussões.

NESTE ANO – De acordo com o Datafolha, as respostas dos entrevistados referem-se a comportamentos adotados nos últimos 12 meses, entre as pessoas que tem conta em redes sociais, como Facebook, Instagram, Twitter e WhatsApp. Para 54% dos entrevistados, as novas mídias são importantes para fazer com que os políticos estejam atentos às discussões sociais.

Confira abaixo outros dados levantados pelo Datafolha:

77% acreditam que as redes sociais ajudam a dar voz a grupos normalmente deixados de lado pela sociedade.

51% deixaram de comentar ou compartilhar alguma coisa sobre política em grupo de WhatsApp para evitar discussões com amigos ou familiares

46% deixaram de publicar alguma coisa sobre política nas redes sociais para evitar discussões com amigos ou familiares

43% acreditam que as redes sociais ajudam a influenciar as decisões dos políticos

27% saíram de algum grupo de WhatsApp para evitar discussões políticas com amigos ou familiares

19% deixaram de seguir ou bloquearam algum amigo ou pessoa da família por discordar das suas posições políticas

19% deixaram de seguir ou bloquearam alguma empresa ou marca por causa de suas posições políticas

16% entraram em algum grupo em redes sociais para discutir e divulgar ideias políticas parecidas com a sua

14% mudaram a foto do perfil para apoiar alguma causa política

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A pesquisa mostra claramente o acirramento da disputa entre nós e eles, uma circunstância altamente negativa e que somente agrava a crise do país. É preciso entender que o radicalismo não leva a nada. Apenas isso. (C.N.)

11 thoughts on “Em cada cinco brasileiros, um já “bloqueou” parente ou amigo por causa da política

  1. Qual o percentual dos brasileiros que aprovam a reforma da previdência?

    Qual o percentual de brasileiros que aprovam a reforma trabalhista?

    Qual percentual dos brasileiros que apoiam a redução de gastos com saúde?

    Qual percentual de brasileiros que aprovam cortes nos gastos com a educação?

    Qual percentual de brasileiros que aprovam as fake news?

    Qual percentual de brasileiros aprovam salvar bancos com dinheiro público?

    Qual percentual de brasileiros aprovam a disparada do dólar com o consequente aumento nos preços dos alimentos?

    Qual percentual……..?

    Então qual é o nós contra quem?

    • Tudo isto já aconteceu em outros governos, não que eu morra de amores por este que está aí. Desde a “redemocratização” já houve pelo menos 5 reformas da previdência, várias intervenções trabalhistas, na era Lula houve socorro a bancos em detrimento da saúde e educação. As fake news corriam soltas e o dolar subiu 100% em uma tacada só e etc e etc e etc. Nada disto melhorou o país e o jeito de as pessoas avaliarem seus partidos e políticos. Os brasileiros nunca vão ser diferentes.

      • Sr. Írio Oling, não achas que o Bolsonaro e o Guedes estão fazendo maldades demais e o povo está muito cordato.

        Tem gente concordando com a própria desgraça.

        Eles estão governando para os Bilionários e só.

        Praticamente acabou com a aposentadoria e pensões do INSS, justamente os que mais precisam.

        E querem reforma previdenciária em todos os entes federativos.

        E quando não tiver o que cortar e o que privatizar?

        Não quero nem imaginar.

        Ou o país cresce ou….. sei lá!

  2. Todo este fanatismo vai virar-se contra Bolsonaro. Aguardem. Isso ė repeteco do Collor, lembram? Enganou por algum tempo,mas não sustentou se pq era tudo artificial.

  3. O ‘nós e eles’ surgiu com a instalação da nefasta ideologia socialista em 1917 na Rússia, em que seus líderes declararam que aqueles que não compartilhar de suas verdades, deveriam ser eliminados , física ou moralmente.
    Para não haver confusão: “NÓS , os comunistas, devemos eliminar ELES, os democratas e capitalistas.”
    A nós, os democratas e capitalistas, só resta uma saída: se defender desses doentes, que nos atacam sistematicamente, visando destruir a civilização ocidental.

  4. Não sei não; parece que a “coisa” é mais profunda.
    Vi no NETv, uma apresentação de um bloco de celebração popular dos “Cavalos Marinho”; estes grupos eram só de homens, mas, este era só de mulheres e entrevistando uma das líderes sentia-se a “raiva” ao se referir de que só homens participavam dos grupos e que elas tinham furado o cerco e que podiam tudo.
    A vitória não estava na diversão e sim ter furado a tradição. Posso estar totalmente enganado mas, foi o que senti.
    E está tudo deste jeito; é ciclista contra pedestre, pedestre contra carros; motociclista contra ciclista; está uma Zona.

  5. A única coisa que continua o mesmo é o fato da classe política/dirigente fazer de nós “palhaços” e ficar por isso mesmo. Ninguém reclama.
    E percebam que vai continuar na mesma já que estão ‘adoçando’ a boca dos militares e policiais.
    Não deve se a toa.
    Algo de “Muito Ruim” vem por aí.
    Tomara que eu esteja enganado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *