Em campanha, Bolsonaro retoma obras que o aproximam do eleitor de Lula e Dilma Rousseff

DOIS PRODÍGIOS – Contra o Vento

Charge de Ivan Cabral (ivancabral.com)

Pedro do Coutto

Reportagem de Camila Mattoso, Mariana Carneiro e Natália Garcia, manchete principal da edição deste domingo da Folha de São Paulo, revela que o presidente Jair Bolsonaro e sua assessoria política montaram um roteiro de retomada e inaugurações de obras iniciadas pelos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

O objetivo parece claro. Uma aproximação com os eleitores do PT, partido que por ele foi derrotado nas urnas de 2018. Política é assim.

APROXIMAÇÃO – Não há distanciamentos que não possam ser encurtados, como não existem aproximações que não possam ser desfeitas. É o caso típico do ministro Paulo Guedes, conforme o artigo de Elio Gaspari, publicado também domingo em O Globo e na Folha.

A aproximação entre Lula e Bolsonaro, a meu ver, ficou nítida a partir do momento em que o ex-presidente citou o exemplo de Cristina Kirchner na Argentina, quando ela retornou à política como vice de Alberto Fernandez. Escrevi na ocasião, dizendo que Lula lançou no ar uma proposta não muito cifrada de possível adesão a candidatura daquele que, no fundo, usou o PT como adversário ideal para conquistar votos.

REJEIÇÃO AO PT – E Bolsonaro sem dúvida conquistou esses votos, tanto assim que derrotou Fernando Haddad por 57% a 43%. Os governos do PT tiveram grande rejeição da maior parte do eleitorado, sobretudo em face da corrupção que devorou a Petrobras. Mas isso pertence ao passado, embora recente, mas sempre é passado.

Agora nos encontramos num amanhecer do futuro e a atuação do presidnte está se demonstrando bastante pragmática, na medida sobretudo em que foi buscar o apoio da antiga bancada característica do Centrão, que adota uma política fisiológica e clientelista que Bolsonaroatacou fortemente na campanha  vitoriosa de 2018.

Tão fundos foram os reflexos que o candidato ao Planalto elegeu seus filhos com grande votação e também levou à vitória muitos estreantes que despertaram para a política surfando na onda de quem liderava a oposição no país.

GRANDE ELEITOR – Na realidade, indiretamente o PT transformou-se no grande eleitor de Bolsonaro. Não esqueçamos que as manifestações pelo impedimento de Dilma Rousseff incluíram um milhão de pessoas na Av. Paulista e 600 mil nas areias de Copacabana. Nenhum governo pode resistir a um protesto endossado por um milhão de pessoas, uma multidão verdadeiramente impressionante.

A reportagem da Folha de São Paulo relaciona todas as obras interrompidas de Lula e Dilma que serão retomadas por Bolsonaro. Vão criar a oportunidade que Bolsonaro deseja para citar nominalmente a autoria fixadas nos projetos de seus adversários de ontem.  Caso de sensibilidade política. Aliás, sensibilidade que faltou ao ministro Paulo Guedes, considerado por Gaspari no rumo de se tornar o ex-ministro múltiplo da Economia, Fazenda, Trabalho e da Previdência Social.

Portanto, as surpresas na política são uma rotina que existe no próprio processo humano.

17 thoughts on “Em campanha, Bolsonaro retoma obras que o aproximam do eleitor de Lula e Dilma Rousseff

  1. Têm razão quem contesta o término destas obras. Se elas têm serventia, quem pariu Matheus que as embale e as termine; em caso contrário, devem ser deixadas ao relento, como fizeram os opositores de Brizola, que deixaram os CIEPs abandonados.

  2. “O objetivo parece claro. Uma aproximação com os eleitores do PT, partido que por ele foi derrotado nas urnas de 2018”

    O objetivo é claro para quem raciocina pensando no bem do país:

    – Presidente Bolsonaro: “vamos concluir obras inconclusas há 10, 20, 30, 40 anos”
    – Ministro Tarcísio: “obras de infraestrutura são uma questão de estado e não de governo. Estamos entregando as obras e nos orgulhamos por isso”.

    O resto é mimimi.

  3. Se for verdadeiro, que as políticas de Estado serão posta em prática,o governo Bolsonaro começa a andar com um conjunto de medidas,ao meu ver,aposentar o pessoal da área de risco quem tem 60 anos e ainda não pode se aposentar.

    Revisar orçamentos para educação, saúde e incentivar a produção para gerar empregos, efetivamente dar acesso aquisição da minha casa minha vida ao pessoal de baixa renda..etc…

    Se vislumbra `a postular o segundo mandato com apoio de alguns deputados de várias matizes, dependendo é claro,dos “acordos”.

  4. Bolsonaro não é bobo.
    Os eleitores do autor da obra não podem criticar JB porque pior é quem começou e depois abandonou.
    E agora, pelo menos, a gente vê que o governo atual passou a ter um programa.

  5. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, Jornais, Correio da Manhã, O Globo, Tribuna da Imprensa, etc, Programas de Rádio de análise Politica/Econômica na Rádio Globo, Radio Jornal do Brasil, etc, Pioneiro das Pesquisas Políticas por amostragens, Autor dos Livros ” O Povo e o Voto -1966″, “Brasil, o fracasso do Conservadorismo – 1987″,”História Política do Rio de Janeiro – 1990”, etc, Professor Universitário Emérito, e que nos honra com Artigos no nosso TRIBUNA DA INTERNET, neste Artigo mostra que o Governo BOLSONARO/MOURÃO com o Auxílio Emergencial de R$ 600/mês até no mínimo o final do ano, mesmo que reduzido de Agosto em diante, que engloba +- 40 Milhões de Recipiendários, e o lançamento do “Renda Brasil” a partir de Jan/2021, e o Programa “Pró-Brasil” ( iniciais R$ 130 Bi para reativar Obras paradas de Gov. Anteriores), etc, vão tirar muitos Votos do Eleitorado Petista mais Pobre, que são maioria.

    Em Artigo de 6 meses atrás, o grande Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO sentiu uma aproximação Política do Presidente LULA com o PSDB via Presidente FHC para fazer frente ao Gov. BOLSONARO/MOURÃO, mas agora com a tentativa de “aspiração” desse Eleitorado mais Pobre do PT, o Presid. LULA poderia até compor com o próprio Gov. BOLSONARO/MOURÃO.

    A nosso juízo, é mais provável a primeira hipótese, baseada na estratégia vencedora da Presidenta CRISTINA KIRCHNER – R. Argentina, do que o apoio direto ao Gov. BOLSONARO/MOURÃO.

    O Min. da Fazenda PAULO GUEDES (71) é útil como um “espantalho” para o Governo manter certa Disciplina Fiscal, e por isso fica, mas não conseguirá aprovar nada daqui para a frente que tire Votos.

    O Presid. BOLSONARO não tem a mínima “vocação” para ser um Presid. MACRI vencido.
    Deve seguir a orientação das Forças Nacionais-Desenvolvimentista das FFAA do Brasil.

    Não descartemos um bom aumento no Salário Mínimo em Jan/ 2022.

    Não esqueçamos de pagar uma módica Mensalidade de R$ 20, para ajudar a manter o bom TRIBUNA DA INTERNET.

    CEF – Lotéricas
    Ag. 0211………….CC. 323-4

    Banco ITAÚ
    Ag. 6136………….CC. 12318-6

    BRADESCO
    Ag. 3225……………CC 2247-0

    Muito Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *