Em conversa com leitor-comentarista, a constatação: a internet (como o petróleo brasileiro) NÃO É NOSSA

Lousada: “Helio, quero falar sobre o que você escreveu sobre a internet, mas antes, permita dizer. Nunca vi ninguém combater tanto, é até um milagre que você esteja vivo, tantos inimigos você arrumou a vida inteira. Acompanho a Tribuna há anos e anos, e você está sempre se arriscando, até sem necessidade, mas com que tranquilidade. Quanto à internet, desculpe discordar, sei que você até gosta. Mas não acredito que ela seja tão duradoura quanto tantos acreditam, e até escrevem neste blog. Abraços”.

Comentário de Helio Fernandes:

A internet é uma realidade, Lousada, quase diria que ela pode garantir a eternidade, sem que isso sequer se aproxime de um jogo de palavras. A internet existe mesmo, mas é preciso prestar muita atenção para que não haja desinformação.

Os jornais impressos se apossaram da internet com tal velocidade, que poucos perceberam. Todos eles, em qualquer continente, logo montaram seu site, contrataram blogueiros, criaram o que pode ser chamado de JORNAL INSTANTÂNEO, dão as notícias que interessam, e imediatamente.

Nós, independentes, e defendendo o que os outros nem se atrevem, somos imensa minoria. Eles não deixaram passar a oportunidade, têm espiões mais competentes e mais bem remunerados do que os dos EUA e da então União Soviética, quando enganavam o mundo, fingindo que combatiam a “guerra fria”. Entraram na internet para dominá-la, capitalizá-la, controlá-la. Mascaravam que era um inimigo, quando na verdade é apenas um novo produto da tecnologia, aliado, e que não poderia ser alijado.

Um pouco na Europa, um pouco nos EUA, a publicidade que está sendo transferida do jornal impresso para o jornal virtual (que precisa apenas de quem queira se manifestar e tenha o que dizer), é faturada pelos mesmos “empresários” jornalísticos.  E vai para os cofres dos senhores que às vezes tinham apenas um jornal ou uma revista, agora dominam tudo.

***

PS – Por enquanto, só quem está sofrendo empresarialmente e surpreendentemente, é o New York Times. Não conseguiu transferir a publicidade do impresso para o virtual, por isso está devendo muito. Mas é circunstancialmente.

PS2 – Rupert Murdoch, que compra tudo em todos os países, está se preparando para lançar um JORNAL IMPRESSO E PAGO, na internet. E como é aventureiro, mas não para arriscar a fábula de dinheiro que acumulou, não tenhamos dúvida: a internet (como o petróleo brasileiro) NÃO É NOSSA.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *