Em defesa surrealista, Michel Temer tenta escapar do fantasma Rocha Loures

Resultado de imagem para temer e rocha loures charges

Charge do Lezio (Diário da Região)

Pedro do Coutto

O presidente Michel Temer recorreu ao surrealismo, que na arte consagrou figuras como Luís Buñuel e Salvador Dali, para apresentar sua defesa em relação ao documento enviado pelo Procurador Geral Rodrigo Janot ao Supremo Tribunal Federal. Michel Temer absurdamente classificou a denúncia do Procurador Geral como uma obra de ficção. Pautando-se na ficção, Temer em sua teia tentou escapar do fantasma chamado Rodrigo Rocha Loures. Não teve nem poderia ter êxito.

As manchetes principais de O Globo, da Folha de São Paulo e de O Estado de São Paulo desta quarta-feira contém a forte reação contrária as expressões adotadas pelo chefe do Executivo. No Globo a reportagem foi de Letícia Fernandes e Eduardo Barreto. Na FSP de Gustavo Uribe e Marina Dias. No Estadão, a matéria leva a assinatura de Carla Araujo e Tânia Monteiro.

TEMER SÓ ACUSA – O presidente da República, na verdade não rebateu as acusações, tampouco, exigiu a apresentação de provas, como lhe cabia fazer. Não tocou no tema provas, claramente, porque elas existem de forma volumosa e irrefutável. Tanto assim que Michel Temer, analisando-se bem o conteúdo de seu pronunciamento não refutou a sustentação de Rodrigo Janot. Não. Acusou Janot de favorecimento voltado para o ex-procurador Marcelo Miller que trocou o Ministério Público pela tarefa de advogado que atuou em causa particular.

Marcelo Miller é um episódio à parte do emaranhado que conduziu Joesley Batista ao Palácio Jaburu e teve sequência na entrega de mala repleta de dinheiro por Ricardo Saud, executivo da JBF, a Rodrigo Rocha Loures, na sequência cinematográfica registrada pela Polícia Federal. Rocha Loures transformou-se numa espécie de fantasma que atormenta o pensamento e o comportamento concreto de Michel Temer. Tanto assim que o presidente da República sequer cita Rocha Loures, o que poderia acontecer na medida em que dissesse que Loures não agiu em seu nome na noite paulista.

NO LABIRINTO – O silêncio de Michel Temer reflete bem o labirinto pelo qual está caminhando. De forma não convincente, porque apontar um ato negativo de Rodrigo Janot não significa – nem poderia significar – que o comportamento do presidente da República tenha sido baseado na liturgia do cargo e nos princípios da ética e da legalidade. Uma coisa nada tem a ver com outra.

Michel Temer, para se absolver terá de enfrentar a realidade dos fatos e justificar-se a si mesmo. Como na obra conjunta de Buñuel e Dali, no filme L’age D’or, no qual os personagens principais não conseguem encontrar-se a si mesmos.

O tempo e os fatos correm contra o surrealismo presidencial. As acusações colocadas contra ele não são produto de uma obra de ficção. Pelo contrário. São a expressão dos acontecimentos marcados pelas imagens e pelas gravações. Michel Temer não conseguirá destruí-las. Elas fazem parte de seu processo político e sua passagem pelo poder.

2 thoughts on “Em defesa surrealista, Michel Temer tenta escapar do fantasma Rocha Loures

  1. Essa situação surreal que vivemos é de uma tristeza e mediocridade absurdas.A grande questão não é se saber se cai o Temer ou não cai. O que me surpreende mesmo á a falta de propostas para se evitar que situações como a que vivemos hoje se repitam no futuro. Já que nem se cogita a implantação do parlamentarismo que necessariamente teria que ser bem para o futuro(2022), para não se ter nenhum resquicio de casuismo, poderiamos estar discutindo uma proposta de emenda constitucional que se pareceria em muito com ele. A proposta seria de que, caso se tivesse que se tirar um Presidente da República através de um necessário plebiscito, obrigatoriamente teria que cair também todo o Congresso e se convocaria novas eleições para presidente, senadores e deputados federais. Ninguém tem que ter tempo de mandato garantido, se isso não vale para Presidente da República não deve valer também para nenhum Senador ou Deputado. Está ái mais uma proposta, MAS QUEM É QUE SE INTERESSA? Até quando vamos continuar vivendo essa situação esdruxula? Aliás dentro do quadro atual, se tira o Temer e se coloca o que no lugar?

  2. Está na cara que Temer vai atirar Rodrigo Rocha Loures – o lépido com a mala de dinheiro e lento em companhia dos policiais federais – nas chamas do inferno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *