Em e-mail, ex-procurador Miller se defende das acusações de Temer e Gilmar

Resultado de imagem para marcelo  miller

Miller jamais foi “braço-direito” de Rodrigo Janot

Camila Mattoso e Ranier Bragon
Folha

O ex-procurador Marcello Miller afirmou em um e-mail para um colega que Michel Temer e Gilmar Mendes têm cometido “desvarios” ao falar de sua participação nas negociações da delação premiada da JBS. Na mensagem, Miller ainda rebateu outras acusações que vem sofrendo e disse que “jamais deu dinheiro para agente público”, nem para um “guarda de trânsito”.

O presidente da República e o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) afirmam em linhas gerais que o ex-procurador foi um dos principais responsáveis pela colaboração dos executivos da empresa, que eles consideram ter sido montada com produção ilegal de provas.

SUSPEIÇÃO – Miller é suspeito de ter advogado para a JBS quando ainda tinha cargo no Ministério Público Federal. Por esse motivo, em setembro, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot pediu a suspensão de benefícios para delatores.

A Folha teve acesso à mensagem de Miller, que está nos arquivos secretos da CPI da JBS. A comissão quebrou o sigilo do e-mail do ex-procurador.

“A despeito dos desvarios do Temer e do Gilmar, nunca, obviamente, atuei dos dois lados (no meu tempo da Lava Jato, não havia nada de JBS por lá; eu deixei o GT [grupo de trabalho da Lava Jato] em julho do ano passado e, depois de sair, não discuti nada sobre esse caso com a Lava Jato, e sim –mesmo assim levemente – com a FT Greenfield [força-tarefa que investiga fraudes em fundos de pensão], na PRDF [Procuradoria da República do Distrito Federal], onde nunca atuei, nem sequer como itinerante)”, escreveu o ex-procurador.

DICAS SOBRE COMPLIANCE – O e-mail foi enviado para um amigo, em agosto, que lhe pediu dicas de leitura sobre compliance [sistema interno de controle para coibir, identificar e também punir eventuais atos de corrupção que venham a ser praticados por funcionários].

O tema é uma de suas especialidades. Após fazer as sugestões, ele se explicou ao colega mesmo sem ter sido perguntado, em um “PS” (post scriptum).

“Jamais dei dinheiro para agente público algum, seja o guarda de trânsito, seja o procurador-geral da República. Tudo isso é verificável e você, ou qualquer outro ex-colega pode tirar qualquer dúvida comigo, diretamente. Não hesite em ligar.”

ACUSAÇÕES DE TEMER – O segundo trecho da mensagem responde a acusações feitas por Michel Temer. Em discurso no fim de junho, o presidente insinuou que Janot recebeu dinheiro por meio de Miller na delação premiada da JBS.

“Talvez os milhões de honorários recebidos não fossem apenas ao assessor de confiança [Miller], mas eu tenho responsabilidade e não farei ilações. Tenho a mais absoluta convicção de que não posso denunciar sem provas”, afirmou o peemedebista na ocasião.

Gilmar, por sua vez, disse já algumas vezes que Janot “escamoteava” a participação de Miller nas negociações da delação de Joesley Batista.

SOFRIMENTO –  Em outros e-mails obtidos pela Folha, Miller escreve estar sofrendo com a situação. “É com alegria e gratidão que recebo sua mensagem, nunca imaginei estar enfrentando o que estou tendo que enfrentar, é sempre bom ouvir alguém com sua acuidade“, escreveu o ex-procurador, ao responder a um dos amigos que lhe enviaram palavras de solidariedade – ele tem recebido uma série de mensagens de apoio.

Em e-mail de 20 de setembro, por exemplo, um colega lhe oferece ajuda. “Escrevo para saber como você está e se precisa de algo que eu possa ajudar“. O ex-procurador agradece, diz que vai ligar de volta e afirma: “Estou – dentro do possível – bem“.

Até hoje Miller não deu entrevista e só tem se manifestado por meio de sua assessoria de imprensa. A quebra do sigilo ainda mostra que ele tem se dedicado a escrever a defesa para as investigações de que é alvo – no Ministério Público, na Polícia Federal e na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Marcelo Miller jamais foi braço-direito de Rodrigo Janot. Procurados pela Folha, Michel Temer e Gilmar Mendes não quiseram se manifestar. A acusação de Temer a Janot, dizendo que ele fora subornado pela JBS, foi uma calúnia absurda. E Gilmar não ficou atrás. Rodrigo Janot deveria processá-los por perdas e danos. No mínimo. (C.N.)

4 thoughts on “Em e-mail, ex-procurador Miller se defende das acusações de Temer e Gilmar

  1. A ponta de lança desse embuste para aniquilar a Lava Jato chama-se Raquel Dodge.

    Foi escolhida a dedo pelo Temeroso com um único objetivo:

    Continuar engavetando a 3ª denúncia contra Temer no caso da MP do porto de Santos !

    Vergonha !!!

  2. NR diz tudo, Não só Janot, esse ex-procurador também. essa corja de Brasília são amorais. Me pergunto: até quando essa bandidagem, vai continuar a destruir o País??? Que o eleitor repudiei PT,PMDB,PSDB, PP e outros penduricalhos, o problema, alem da urna eletrônica fraudável, Toffoli elegendo Dª Dilma , não nos deixa mentir, alem desse temos poucos políticos, não passa de uma dezena. A podridão nos 3 poderes é monstruosa,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *